O vale do silício no Brasil

O que é a área de TI hoje no Brasil? Como definimos os profissionais da área ou ainda o nosso setor dentro de nossas empresas.

[ Hits: 11.066 ]

Por: Perfil removido em 26/09/2009


A realidade



Hoje, quando estamos em nossos trabalhos, casas ou até mesmo na rua e somos abordados por alguém que nos pergunta: você trabalha com computador?

Qual a sua reação? Infelizmente, para a maioria das pessoas, TI ainda é aquela pessoa que formata máquina e remove vírus, cobrando por aí um pequeno valor por isso.

Pois é, difícil de acreditar, estamos em um mundo globalizado, cheio de tecnologia por todos os lados, mas infelizmente a realidade é essa, nossa área ainda é muito prostituída por essa visão.

Muitas empresas vêem ainda como um setor de despesas, pois a única coisa que a TI sabe fazer é comprar, gastar e às vezes, quando possível, reaproveitar equipamentos antigos.

Mas por quê ainda há essa visão em nossa área? Incapacitação de pessoal, falta de informação, mão de obra barata? A verdade é que infelizmente todas esses itens nos leva a essa infeliz conclusão quando falamos que trabalhamos com T.I.

Empresas do país todo precisam de TI, algumas pouco e outras muito, mas a TI está presente em todos os locais, não importa em que seguimento comercial sua empresa trabalhe, a TI estará lá.

Não culpo a maioria das pessoas por terem essa visão de nós, mas acontece que em nossa área ainda existem muitas pessoas que simplesmente fazem com que essa "classificação" seja estampada em nossas caras e os fatores principais são falta de capacitação do profissional brasileiro, acarretando assim o baixo custo da mão de obra.

Vejamos, vou citar um exemplo que presenciei, tenho uma empresa de um porte médio com 300 usuários e 250 máquinas, preciso gerenciar a rede, internet, algumas manutenções quando necessárias e meu sistema de gestão.

Contrato então alguns técnicos e um gerente de TI sem formação completa, pois o custo é mínimo para isso.

No começo tudo funciona, equipamentos novos, sem problemas, mas começam aparecer pequenos probleminhas e os técnicos, juntamente com o gerente, devem discutir e encontrar uma solução que por falta de conhecimento deles ou até mesmo pela falta de vontade da empresa em investir neles para um melhor resultado acaba deixando a solução que simplesmente resolveu o problema, ou seja, "está funcionando, está bom", mesmo não sendo a solução adequada para isso.

O caso é que com o tempo as coisas vão piorando, a rede começa a mostrar falhas, o sistema começa a dar muita dor de cabeça, as máquinas simplesmente não atendem mais as necessidades e então decidem trocar, arrumar o que dá, terceirizar, comprar, comprar, comprar e comprar e a setor de TI passa de um setor de soluções para um de gastos.

E de quem é a culpa? Do dono da empresa que não quis investir ou nos empregados dele que são incapacitados? Vejamos, se fosse em um outro setor como o financeiro, a empresa estaria com alguma falha nesse setor, pode-se ter certeza que o dono da mesma iria investir para melhorar.

Pois bem, essa é a realidade de muitas empresas que temos hoje no Brasil. Você que está lendo esse artigo agora deve estar pensando: "putz isso acontece comigo também", pois bem, o "jeitinho brasileiro" de ser afeta e muito nosso setor e acaba nos prostituindo, pois sempre tem aquele que mente e finge que sabe ou ainda o que sabe mas não consegue, por falta de conhecimento ou vontade de sua hierarquia, trazer melhores soluções para a TI.

Obrigado.

   

Páginas do artigo
   1. A realidade
Outros artigos deste autor

Pebrot, MSN messenger no terminal

Sylpheed - Cliente de e-mail para terminais leves

Experiência de migração para software livre

Procedimento para descoberta de chave WEP

Porque se aventurar no Linux

Leitura recomendada

Linux sob o ponto de vista comercial e social

Por que não migram

elementary OS Luna: linda, mas serve para sua mãe?

Uso de terminologia imprópria com software livre

Projeto Xen - Visão Geral

  
Comentários
[1] Comentário enviado por gabrielsp em 26/09/2009 - 14:51h

Onde eu assino?

Aplaudo de pé seu desabafo, e que mostra a realidade de 95% setor de TI no Brasil pelo menos... Quem sabe agora com a povo estudando mais, inclusão digital, profissionalização do nosso setor, isso não mude em alguns anos?

Reconhecimento que não existe nem em formulários online! (piada master) É incrivel preencher um formulario online do governo/ banco/ plano de saude, etc, e nem sequer encontrar as vezes "profissionais de informatica" ou cargos tao bem definidos como o pessoal da industria, administração, financeiro, etc... formulario esse que foi construido por um profissional da area! =P

Pra muitos nem merecemos respeito, somos "moleques" que tem que fazer tudo na hora, e bem feito...

[2] Comentário enviado por removido em 26/09/2009 - 16:51h

Pois bem kaizers2li

vc tocou bemm no ponto "Pra muitos nem merecemos respeito, somos "moleques" que tem que fazer tudo na hora, e bem feito..."

essa é a visão muitos tem de nossa área.

vamos ver, talvez daqui alguns anos algo mude, vai demorar mas tenho fé que um dia isso aconteça.

[3] Comentário enviado por thiagogalerani em 26/09/2009 - 17:42h

Saudações!

Por esses e outros motivos tenho defendido a regulamentação das carreiras do setor de Tecnologia da Informação. Isso significa construir um alicerce legal de segurança tanto para empregadores e clientes quanto para os próprios profissionais da área, fixando prerrogativas, direitos e deveres.

O debate merece mais atenção. Continuem lutando!

Thiago S. Galerani
OAB-SP 292.866 | Especialista em Direito Eletrônico
On Twitter: www.twitter.com/thiagogalerani
On Web: www.galerani.com.br



[4] Comentário enviado por wos- em 26/09/2009 - 19:37h

Cara, o fato é que tem uma porção de gente por ai que mau sabe particionar um HD
e já se anuncia técnico de informática porque aprendeu a formatar, daí sai por ai fazendo besteiras,
e o profissional qualificado acaba tendo uma má visão por parte da maioria,
fica desvalorizado, sem crédito.
assino embaixo, falou tudo

[5] Comentário enviado por proberto17 em 26/09/2009 - 23:25h

Parabéns pelo artigo , So vou expor um pouco minha opniao acho que quanto mais ,
as pessoas tem nocoes de como formatar uma maquina de como usar um pc para agilizar sua vida ,
mais elas dao valor a um verdadeiro profissional... Se pergutar alguem o que esta por tras de guando ela
digita www.site.com.br , ela te responde ora o site ... entao esse fato se deve a todos acharem que a informatica e apenas ,rwindows, msn , orkut...
e tenho que formatar de vez em guando porque pego virus ... Mais a ideia da grade revolucao , acho que começa na escola mesmo.

[6] Comentário enviado por laerciodeas em 27/09/2009 - 01:44h

Ótimo artigo,

Estou nesse ramo ha quase 20 anos, no início as pessoas até nos tinham respeito mas hoje, todos acham que um técnico em Ti é aquele que tomou um cursinho de montagem e manutenção de 20 horas já pode sair por aí se dizendo Técnico, e cobrando verdadeiras ninharias pelos serviços, prostituindo a profissão, tão essencial nos dias de hoje e sem reconhecimento. Não possuo formação, pois ainda não tive condições de tê-la, mas sempre estive por dentro de todas as tendencias, leio, estudo mas isso não conta para aqueles que querem solução. È como vc disse tá funcionando, tá bom. Vamos valorizar mais a nossa profissão e, quem sabe, pressionar o congresso a regulamentar a nossa profissão. Proponho aqui e agora, um abaixo assinado para esse fato.

[7] Comentário enviado por Gilmar_GNU/Slack em 27/09/2009 - 08:43h

Kaizers2li Meus parabéns.
Realmente é algo que deve ser pensado.
E que as empresas que precisam de funcionários qualificados ou tem funcionários mais não tem o conhecimento necessário, precisam de investimento para melhorar o serviço.
Então por causa deste fator temos pessoas incapacitadas no mundo do trabalho atualmente.
Aqui tem um monte de técnico meia-boca que trabalha em empresas grandes.
Tem problema com o sistema implantado nela e fora a manutenção que é realmente um desastre total.
Como os ditos técnicos não têm conhecimento com outra plataforma ha não ser Microsoft então acaba se debatendo.

Eu faço o curso de Tecnologia da Informação Pelo Instituto Federal da Bahia - IFBA.
Então apesar de que vejo problema diariamente.
Então também o problema das empresas pelo menos aqui é.
Que investem em equipamento, mais não nos funcionários que ali trabalham.
E os ditos técnicos que trabalham nessas empresas não têm pelo menos um curso técnico.

E tem outro fator que elas mesmo se atrapalham.
Precisam de técnicos, mais dão a oportunidade a quem tem curso superior.

Mesmo sendo técnico em redes formado pelo SENAI.
Ou meu curso.
É complicado mesmo.
E ainda a falta de oportunidade aos técnicos com capacitação.
E sobre a questão do custo, isso tbm é um problema; para elas claro. Que querem um serviço de rei sem o investimento e a capacitação necessária dos funcionários.

ps: Sou a favor da ideia do laerciodeas de Regulamentar a profissão.
Conte comigo para o abaixo assinado

[8] Comentário enviado por Teixeira em 27/09/2009 - 09:47h

Eu também assino em baixo.
E gostaria de acrescentar que não é somente com referência a TI que nosso país deixa a desejar.
Também há advogados, contadores, músicos, pedreiros, carpinteiros, encanadores, bancários, etc. que têm uma formação deficiente.
E essa deficiência se deve a inúmeros fatores, seja porque um determinado curso não está realmente capacitado, seja porque foi muito fácil obter alguma qualificação ou título, ou mesmo "intitular-se voluntariamente" como profissional de determinada área.
Não sendo possível apontar um culpado comum, resta-nos estar atentos para esse fenômeno.
O Brasil precisa urgentemente de técnicos na área de petróleo e gás, e estivemos dormindo durante décadas sem prestar atenção a essa necessidade qeu vinha se formando gradativamente.
Ninguém diga que foi "a Petrobrás" que dormiu, pois a culpa é igualmente dela, do governo e da iniciativa privada.
Lembrando que ha algumas décadas atrás, era terminantemente "proibido" descobrir petróleo em território brasileiro.
Na minha juventude, fui apreciador de grupos estrangeiros como Beatles, Rolling Stones, The Ventures e outros. E também já era músico profissional habilitado pela OMB.
Pois naquela época eu já contemplava o fenômeno onde mais de 80% dos músicos profissionais conhecidos e até renomados não conhecia sequer 10% de teoria musical.
A prova da OMB era - e ainda é - muito fácil.
Diria eu, fácil DEMAIS.
Tão fácil que hoje em dia um determinado reporter aprendeu os únicos dois acordes necessários e habilitou-se como "pianista".
Enquanto isso, "lá fora" era super normal que qualquer jovem que houvesse se assentado em bancos de escola conhecesse de música o suficiente para tocar algum instrumento.
Não se tornaram músicos porque não o quiseram.
A maioria dos músicos estrangeiros conhece teoria musical.
A OAB e pouquíssimas outras entidades realiza uma prova do tipo "pente fino" no sentido de filtrar os seus profissionais, e muitos acham a tal prova "muito difícil".
Não é.
Não para quem aprendeu os fundamentos e convive com o dia a dia da profissão.
O colega laerciodeas citou um "cursinho de montagem e manutenção de 20 horas".
20 horas? Tem cursinhos bem menores que isso!...
E tem também os que "aprendem na internet" e supôem já saber de tudo, a ponto de tornarem-se profissionais, ou seja, ganham dinheiro com isso. E assim, prostituem a profissão.
O verdadeiro profissional tem valor? Claro que sim!
Todos sabem reconhecer um profissional competente e distinguí-lo daquele que "quebra galho".
Acontece que por medida de "economia" contrata-se exatamente o "quebra galho" porque cobra mais barato.
Acontece também que, se da primeira vez o contratante não deu com os burros n'água, ele irá cometer mesmo o erro pela segunda ou terceira vez, e isso CERTAMENTE será fatal para o seu empreendimento.
Diz o ditado que "o barato sai caro". E a "lei de Murphy" está aí para nos lembrar constantemente disso.
Gostaria de esclarecer que sempre quando falo em "nosso país" não estou-me referindo ao governo ou à instituição pátria, mas sim ao povo brasileiro como um todo, inclusive aquela porção de nosso povo que reside em outros países.
Governos erram e acertam. Quem administra uma grande máquina como um país inteiro não tem condições para fazer tudo certo, nem tudo errado.
O próprio governo militarista que se instalou no poder na década de 60 e que criou para si mesmo TODAS as condições necessárias e desnecessárias, ainda assim foi incompetente para consertar a maioria dos problemas que já afligiam a nação. E ainda criou outros, mais graves ainda.
No entanto, se lideramos uma tendência mundial em telecomunicações é exatamente graças a eles.
A Petrobrás e a Consolidação das Leis do Trabalho foram criadas no governo Vargas, contrariando poderosos lobbies, da mesma forma que a Lei Áurea, ao tempo da Princesa Isabel.
Brasília (obra que era considerada faraônica desde os tempos do império) foi construída e fundada por Juscelino Kubitschek com o dinheiro da previdência social, os chamados IAPs. Naquela época a inflação comia solta porém o salário do brasileiro era sensivelment maior, a ponto de ninguém estranhar os aumentos de preços que eram semanais.
Os juros bancários eram abaixo da Table Price (essa era um pavor: 1% ao mês!!!!).
Hoje em dia os governos não conseguem se manter sem uma taxa SELIC absurda.
E esse é um legado do governo militarista.
Resumindo a ópera:
O brasileiro é uma espécie de globe trotter, e gosta de agir "ad libitum", de improviso.
É um empreendedor nato (qualidade que herdou dos portugueses, que a herdou dos árabes).
Trabalha muito quando TEM que fazê-lo, mas se acomoda igualmente muito quando está em seu ambiente familiar, dando notável preferência ao lazer.
O brasileiro é também um inventor nato (avião, balão, Bina, fibra ótica, etc.) porém se deixa influenciar por qualquer tendenciazinha "merreca" que venha de fora e que lhe seja impingida pela mídia. E por ser igualmente um sonhador indisciplinado, voa alto demais em seus devaneios a ponto de perder a noção do ponto de partida.
Temos de tudo para sermos um país de características auto suficientes, e no entanto não somos, nem sequer temos esse desejo ou essa intenção.
Podemos plantar trigo e não plantamos, podemos plantar mamona mas queremos plantar soja e desmatar nossas florestas, podemos desenvolver isso ou aquilo, preservar o meio ambiente, mas não o fazemos: Esperamos sempre que alguém mais tome as providências que nós mesmos deveríamos ter tomado.
Sejamos nós mesmos cada vez mais competentes, mesmo que isso restrinja o nosso mercado de trabalho.
O mercado de trabalho fará a sua selação natural, se houver o que selecionar.

[9] Comentário enviado por Gilmar_GNU/Slack em 27/09/2009 - 10:55h

Obrigado pelo apoio texeira.
é verdade.
O profissional é desvalorizado demais.

[10] Comentário enviado por paulorvojr em 28/09/2009 - 08:41h

Parabens pelo artigo!!, é um belo desabafo, mas poderia mencionar com mais foco, numa coisa.

Empresas que necessitam muito de T.I investem pesado em T.I, empresa que não precisam, NÃO DEVEM investir tanto em T.I pelo simples fato, de realmente não precisar de com foco em T.I.

Exemplo? Uma empresa de que desenvolve sistemas para empresas, nessa o investimento é pesado, até fornecem faculdade e posgraduação a membros da equipe. Pois a empresa é claro do segmento de T.I (Senior Sistemas, é um exemplo clássico)

Uma empresa de serviços médicos, e consultas não precisa tanto de T.I precisa sim de MÉDICOS, e por isso investe pesado em MEDICINA e não T.I, claro que T.I é usada, mas é apenas para melhorar a rotina e usada como ferramenta, portanto ela não precisa investir muito, e se investir?

Seu lucro não vai aumentar, pois seu publico alvo é pacientes, paciente quer médico, não T.I


No mais, parabéns pelo artigo!!

obs: Nossa como o pessoal que comenta se exalta eahueauheauhea, escrevem verdadeiros best-sellers.....4 horas escrevendo...e se der erro aeuheahuea, salva no word ae!!

[11] Comentário enviado por maran em 28/09/2009 - 09:08h

Sou profissional de informática e atuo na área da saúde, já é meu segundo emprego neste meio, hoje como analista de suporte, e o que vejo hoje é um crescimento e reconhecimento muito grande de nossa área, hoje o Hospital que trabalho, não vive sem o TI, se quer é gerado uma ficha de atendimento (PSA) ou mesmo uma internação, sem apresença da informática!
Porem nem todos lugares é assim, no meu primeiro emprego, em outro Hospital, era completamente defasado, além de pouco respeitado!
Mas é assim, há empresas que entendem seu valor, outras não!

[12] Comentário enviado por magnolinux em 28/09/2009 - 09:23h

Muito bom!!!!

Essa é a pura realidade do nosso país.
...


[13] Comentário enviado por tlperini em 28/09/2009 - 10:05h

Ótimo artigo.
Concordo com paulorvojr. E vou dar um exemplo que encaixa perfeitamente com sua opinião.
Trabalho a 5 anos em um escritório de contabilidade, na área de TI. Durante este tempo o máximo que consegui que a empresa investisse nos meus conhecimentos foram os 30% de auxílio na minha formação acadêmica, isto porque já era de praxe um funcionário que faz um curso superior na área que exerce internamente ganhar este benefício. O mesmo aconteceu com meus 2 colegas de setor.
Já um funcionário da área da contabilidade e escrituração fiscal, que é o que realmente traz os resultados (visíveis a curto prazo) para a empresa, além deste auxilio na graduação, recebe auxílio em N tipos diferentes de especializações, entre outros investimentos.
Só para ter uma noção, eu faço a administração de uma rede com 150 estações divididas em 3 unidades. Um investimento significativo em TI só foi possível quando eu terminei a minha graduação, fazendo um trabalho de conclusão baseado na rede do escritório, como se encontrava. Era algo monstruoso, e a direção se sensibilizou pelos dados que levantei, decidindo investir. A partir deste momento, quando a realidade mudou, os problemas cotidianos sumiram, a produtividade dos setores aumentou, o aproveitamento de recursos também aumentou, minha graduação foi finalizada, eu finalmente pensei "agora vai! Finalmente vou ser remunerado com justiça, vão investir mais na minha carreira!"... Grande ilusão...
Bom, o tempo passou e recebi uma proposta de uma empresa de tecnologia, para trabalhar com suporte e desenvolvimento de servidores Linux. Começo as atividades no próximo dia 13. Além da remuneração e dos benefícios que qualquer empresa fornece, vou ter treinamento interno, se necessário externo, auxilio em certificações (100% caso passe na LPIC), auxilio com pós graduação, entre outros.
Agora vou poder dormir em paz (quando não estiver em atendimento de madrugada)...

E quanto a imagem do profissional de TI... uma frase resume o pensamento das empresas... se está funcionando, está ótimo.

[14] Comentário enviado por clubelinux em 28/09/2009 - 11:58h



Para melhorar a imagem do profissional de informatica no mercado é necessário:

1- Regulamentação da Profissão
2- O profissional de TI integrado ao negocio da empresa **
3- Qualificação tecnica


** Muitos ainda ficam se achando "a ultima bolacha do pacote", pois sabem dar uns comandos numa tela preta e passam o dia enfrente ao computador em suas salinhas. Querem aumento de salario, querem que a empresa invista em cursos na area, mas não fazem a diferença em suas empresas.

[15] Comentário enviado por douglas.giorgio em 28/09/2009 - 13:33h

otimo artigo

em questao a gastos com equipamentos, ja estao tomando uma solução para isso "que na pratica nao resolve" usar a cloud computing, que na minha opnião vai gastar mais ainda

pensa bem

Processador: dual core 500MHz
HD: 40GB
Memoria: 1GB
Net*: 6MB
SO: Linux

agr nao sei se a net ele que pagam, ou eh nos

ou seja, essa maquina extremamente simples acaba saindo por R$ 150,00 por mes

agr se na sua empresa usa windows, ai vai aumentando o preço, lembrando que o valor eh mensal

obs: vc tem que ter uma maquina com o poder de processamento igual de um netbook para usar

tudo isso vezes 250 maquinas

========================================

sim vc estaria economizando dinheiro com hardware, mas gastando com serviços

==================================================

voltando ao assunto: tbm assino em baixo

[16] Comentário enviado por junior em 28/09/2009 - 13:50h

Cara, este é o tipo de artigo que dá gosto de comentar. Considero cada comentário aqui, um outro artigo. Porque todos aqui tem uma visão da sua região, do seu "mundo" e do seu ambiente e isso enriquece e muito nossa idéias.

Na minha opinião, o que pesa na hora de escolher um serviço "prostituído" ou um serviço profissional é o diferencial de quem está oferecendo o serviço. Se bem que muitas empresas não querer qualidade (por serem ingênuas e leigas no mundo da T.I.) e preferem o preço ao profissionalismo.

O barato sai caro, e isso vem deeeeeeesde o começo do mundo e será uma constante.
Investir em conhecimento tem que ser o foco de cada profissional.



[17] Comentário enviado por snails em 28/09/2009 - 15:10h

Olá..

Li o artigo e assim, concordo com o comentário da grande maioria e também discordo de alguns pontos pequenos.

Acredito no seguinte, existem bastante pessoas que fazem desta imagem um meio para "trabalhe pouco e ganhe muito"...onde trabalho, existem pessoas e pessoas, pois tem gente aqui muito profissional que se preocupa com seu serviço e tal, mas tem outros que fazem imagem de trabalhadores, mas na verdade vão empurrando o serviço para o cara que faz sua parte. E o salário e título de cargo é o mesmo ou ate maior...para o que empurra ! Deveríamos sim ser levados em consideração como uma profissão de risco, assim como um médico, um advogado, um administrador, até porque as informações que estes profissionais usam para desempenhar seu trabalho, já passou ou passa na mão de alguém de informática.

Concordo também com a observação do thiagogalerani, nossa profissão precisa ser regulamentada. Muitos tentaram a criação de um órgão regulamentador como um CRM,CRO,OAB,... mas assim como qualquer problema, tem seus lados....muitos profissionais bons iam perder seus cargos para meros "baladeros" (universitário hoje em dia só sabe promover balada e festa...) que são pior que vírus em Data Server. Mas com isso muitos "profissionais" iriam sair de suas cadeiras e gerar oportunidades para aqueles que se preocuparam e investiram seu dinheiro e tempo para oferecer uma mão de obra de qualidade e digna.

Muitos dos amigos aqui, dizem que a informática está prostituída e desvalorizada. Lembremos aos senhores que cuidam do sistema da FIESP, aos investidores da BOVESPA, empreendedores e donos de multinacionais que, o blackout da Telefonica não foi gerado por queda do dólar, nem pela prisão de um traficante e nem por um infarto.... Todo sistema da grande SP (delegacias, poupatempos, prefeituras, bancos,....) parou porque um rapaz de TI sem um caráter profissional resolveu se vingar.

Não sei se lembram, mas foi o caos da telecom...Isso mostra que se não tomarmos providencias para mudarmos nossa profissão, os que não tem culpa de nada sairão lesados. Como saber se o cara que analisa seu banco de informações é de confiança ? Como saber que o rapaz que monitora sua internet não tem suas senhas bancárias ?

Obrigado a atenção de todos e vejamos se o salários dos deputados para de crescer para que lembrem que o nosso está lá embaixo !!!!

[18] Comentário enviado por junior em 28/09/2009 - 15:24h

snails: "...muitos profissionais bons iam perder seus cargos para meros "baladeros" (universitário hoje em dia só sabe promover balada e festa...) que são pior que vírus em Data Server..."

Esta sua colocação foi engraçada, porém real. Hoje em dia, um diploma de graduação não garante o profissionalismo e o caráter de quem está prestando o serviço.

Quanto a regulamentação da profissão, é uma pena, pois não temos aonde recorrer de nossos direitos. Infelizmente o Brasil ainda não tem leis, métodos, indicações ou coisa que o valha na área de informática. Você simplesmente se forma em S.I. recebe o diploma e vai trabalhar com a carteira assinada marcando "Analista de Sistemas".

Quanto ao seu questionamento: "...Como saber que o rapaz que monitora sua internet não tem suas senhas bancárias?".
Já fui contratado para investigar um outro "Técnico". Descobri que o rapaz que prestava serviço para 5 médias empresas na minha região, já tinha faturado 12 mil reais, somente instalando key loggers e sniffers nas máquinas dos clientes (que o mesmo prestava serviço) e roubando senhas e afins. O que aconteceu com o cara?! NADA. Eu tinha as informações contra ele e tudo mais, porém a desculpa dos advogados e afins foi que as minhas informações poderiam ser manipuladas. E AGORA JOSÉ?
O cara tá no mercado de trabalho, formantando máquina e fazendo servidor Linux para a "SEGURANÇA" das empresas...

Lamentável.

[19] Comentário enviado por cyber_monk em 28/09/2009 - 20:30h

Eu tambem assino embaixo, eu vivo em portugal, e aqui tambem é assim, embora eu trabalhe numa loja de informatica como tecnico de hardware/redes/SO's, tembem dou assistencias a empresas em que a mentalidade de investimento nas TI é simplesmente absurda, "desde que trabalhe deixa estar" e o que mais dizem, mesmo que tenham Pentium's 2 350 com o windows 2000 a trabalhar em dominio com programas de gestao á mistura, e que esses computadores demorem quase 5 minutos algumas a arrancar, os "chefes" dessas empresas recusam-se a investir por forma a que o trabalho seja mais rentabilizado.

o outro problema e realmente as pessoas que apenas levam a informatica como um lucro a 100%, que nao investem em formaçao dos funcionarios, podendo assim fazer preços bastante baixos e as as empresas concorrentes tem que "baixar as calças" e fazes preços cada vez mais baixos.

CUMPS

[20] Comentário enviado por stremer em 29/09/2009 - 09:21h

Acho que a maior parte de vcs estão certos... principalmente quando se fala de regulamentar a profissão... isso ajudaria e muito... mas regulamentar a profissão não bastaria só ter uma formação técnica ou superior, mas passar por processos de reciclagem onde você tem de estar se atualizando e fazendo provas pelo menos a cada 2 anos para mostrar que continua apto a trabalhar na area (tem muita area que é assim)...
Porém tbem tem outras areas alem de TI que não exigem nada do profissional. Além de que da mesma forma que tem muita empresa que contrata pedreiro ao inves de engenheiro, mesmo regulamentando continuará existindo empresas contratando pessoas sem formação e pagando pouco, logo cobrando pouco...
O que deve-se buscar são as empresas que valorizam profissionais. Podem não ser muitas mas empresas que procuram pessoas que resolvem problemas e trazem lucros (empresas não são instituições de caridade, é preciso trazer lucro para empresa para receber algo de volta), mas é possivel ter uma carreira boa em TI trabalhando em uma empresa que valoriza profissionais competentes.
Uma dica é trabalhar em empresas que desenvolvem tecnologia, pois ao contrario, é como o amigo encima falou, consultório médico tem de investir em médico e não em profissional de TI.
Outro modo é tentar montar seu negócio e prestar serviço diferenciado de qualidade... há quem pague mais pelo serviço de qualidade... agora não queira ficar rico formatando computador e instalando servidor linux! Em toda area é assim...


[21] Comentário enviado por marciowh em 29/09/2009 - 10:19h

Concordo em parte com a visão do colega, mas olhe só qualificação no Brasil é boa sim, o problema é o mau aproveitamento deste pessoal, então ficam obrigados a procurar outras oportunidades fora do país ou trocar de função. E isto é justamente é um fato, porque olhem só o melhor exemplo disto, a licitação pela compra de aeronaves aqui pelo governo federal, a exigência é que a tecnologia teria que ser passada junto com a compra, o que adianta pegar algo pronto, é mais barato não teve o investimento altíssimo para adquirir o conhecimento. Profissionais bons e não "formatadores" de Desktops ou servidores são caro, mas o custo beneficio nunca é posto na mesa, olhem o software do DETRAN do Paraná, totalmente software livre e funciona muito bem e feito por profissionais brasileiros, poderia ficar horas citando exemplos de soluções no país. O problema é que nós pensamos em crescimento mas não se abre oportunidades para isto, e quem tem a culpa ? Eu, você que trabalham no ramo de TI e sabemos desta qualificação e não facilitamos a entrada de novos profissionais, se quer damos uma oportunidade para estágio. Então por favor não venham com esta opinião de não ter qualificação !


Obrigado ! pela atenção .

[22] Comentário enviado por Teixeira em 29/09/2009 - 11:30h

O panorama é realmente complexo, e pelo que vimos pelo comentário de nosso colega lá de Portugal, certos problemas tem a capacidade de atravessar oceanos...
Outro ponto interessante a observar é a elevada carga horária a que os profissionais de TI são submetidos, quando deveriam ter sua carga de trabalho limitada a 6 horas diárias, por enquadrar-se perfeitamente no conceito de "trabalho intelectual", ou ainda de "atividade contínua de escrituração e cálculo".
A regulamentação da profissão é coisa demasiadamente complexa, e possivelmente não ajudasse a resolver a maioria dos problemas práticos que os profissionais enfrentam no seu dia a dia.
Além do que, existem fortes polêmicas e desentendimentos quanto a real posição desse tipo de profissional no mercado de trabalho, ou mesmo A QUE MUNDO ele pertence...
Haja vista ao fato de o próprio Conselho de Administração pretender que todos os analistas de sistemas deveriam necessariamente ser graduados em "administração de empresas".
No entanto, existem muitos analistas que vieram pelos caminhos da Matemática (por exemplo) ou se especializaram em setores congêneres.
Sob o meu ponto de vista particular, deveria haver um órgão geral e específico para os profissionais de TI, isento de influências externas e dos "achismos" oficiais, e que tivesse o poder de agrupar todas as classes de profissionais pertinentes ao setor, defendendo-as de forma ampla e objetiva, sem o uso de politicagens e outras baboseiras. Deveria ser criada uma política de trabalho, pisos salariais para as diversas categorias, promovido o treinamento e a reciclagem adequadas, etc.
Até agora isso tem sido teoria, pois existem lobbies que não tem o mínimo interesse que a profissão se organize.

[23] Comentário enviado por kuramoto em 29/09/2009 - 18:33h

Cara, muito bom o post!

Um tempo atrás, estava lendo um artigo onde fala que a estratégia de crescimento das empresas está voltada única e exclusivamente para a TI (não acredito ser única e exclusivamente), mais uma grande porcentagem é voltada para a TI.

A regulamentação do profissional de TI seria a nossa mudança.

Como vc um colega comentou, vc vê os formulários de profissionais de Administração, Engenharia, e por aí vai... mais porque isso, simplesmente porque é uma área onde á um conselho regulamentando.

Hoje estou vendo a greve dos bancários, isso me deu uma idéia!

Já conseguiu imaginar o que causaria uma greve dos profissionais de informática?! Provavelmente o país pararia por completo.
Retire todos os cabos de rede e espere a briga!

Quem topar uma greve, estou dentro! "Topo, topo! Porque não?! Vamo caí pra dentro!"

Muito bom seu post!!!
Concordo com vc em tudo! Parabens!

obs.: Desculpe, não tive tempo de ler todos os comentários.

[24] Comentário enviado por cleitonapsouza em 29/09/2009 - 21:30h

Post muito bom!!
Um exemplo disso: Faço Ciência da Computação, todos jah relacinonam esse fato com manutenções baratas...

[25] Comentário enviado por premoli em 29/09/2009 - 21:47h

É aquele velho deitado... Os que SABEM TCP/IP e os que NÃO SABEM TCP/IP, deixa os que NÃO SABEM TCP/IP pra lá e continuemos estudando Linux, vamos dominar o universo! Viva o Linux!!!

[26] Comentário enviado por vivi_cruz em 30/09/2009 - 01:56h

Ótimo tópico! Parabéns! Infelizmente este tópico só esta sendo lido por pessoas que estudam a área e tem conhecimentos que vão além de uma instalação ou particionamento. Merecemos sim que nossa classe seja reconhecida e creditada. E como mulher, critico também a visão machista que muitos têm da área, não permitindo que as mulheres exerçam algumas funções. Falo isso por que em duas entrevistas me foi dito isso. Fiquei muito chateada, mas bola para frente, como diz meu professor :"vai dando os seus pulinhos pq vc nao nasceu quadrada" rs! Um dia ainda entro na área de Redes...

[27] Comentário enviado por bsabella80 em 30/09/2009 - 09:53h

Concordo que a falta de capacitação profissional interfira na valorização do profissional desta área, mas a falta de regulamentação e inércia de um sindicato despreparado e fraco, também interferem muito. A mudança começa com movimento, como podemos mudar algo sem um sindicato para defender a categoria?

[28] Comentário enviado por edsonmsj em 30/09/2009 - 12:09h

Não concordo com a falta de capacitação dos profissionais com curso superior, todos com que trabalhei dão conta do recado com muita eficiência, o fato é humanamente impossível saber de tudo em informática, o RH das empresas são totalmente despreparados para selecionar profissionais de TI sendo quem os seleciona na verdade são os empregados funcionais.

As empresas de TI do Brasil são frágeis por não investir em treinamento de seus funcionários, a maioria são autodidatas, não seguem padrões...;

As empresas adoram comprar certificacões como CMMI, ISO etc...; Mas sem constante treinamento de seus colaboradores isto é para Inglês ver.

Falta do reconhecimento da profissão é uma grande barreira para que isso melhore, quanto isso nós vamos continuar vendo muitas aberrações em TI no Brasil e os clientes que paguem o pato pois sem reconhecimento da profissão nem podemos ser responsabilizados hauhauhau.

[29] Comentário enviado por oliveiraugusto em 30/09/2009 - 14:16h

cara...super artigo...
na verdade a grande maioria do nosso pais eh isso mesmo (como todo mundo ta comentando) e acho q esse assunto daria uma discução eterna...
aqui na faculdade (Fatec - Botucatu) chamamos esses caras que soh formatam de "micreiros". mas o q fazer para acabar com eles? ou então como valorizar mais a nossa area mesm (TI). são tantos fatores (custo, tempo e qualidadede treinamento, vontade investir em mao de obra mais qualificada, etc) que chega a se tornar uma obra inviavel...mais senao for feita a TI brasileira vai pifar....acredito que, como ja foi dito em outros comentarios, que falta vontade dos dono das empresas em investir....
faço estagio no setor publico e la a rede foi terceirizada, existem 3 sistemas que foram feitos cada um por uma empresa diferente e, o cara que conseguiu fazer o menos pior deles é o deus do meu chefe...claro, essa semana deu uma queda na internet e todo o sistema travou... mas ele é o guru da informatica para o chefe....ninguem gosta do sistema, mais ja viu neh..o chefe gosta...
esses dias ofereci refazer a rede em troca de uma pos graduação la... ele me disse o que ja estamos acostumados a escutar...."pra que refazer a rede...ela da uns paus de vez em quando mais ta funcionando..."

ou seja, qual a melhor solução para a TI do nosso pais? ainda não achei a resposta...

otimo artigo...

[30] Comentário enviado por hlmerscher em 01/10/2009 - 13:13h

Infelizmente esta é a mais pura realidade de nosso país!!!

Parabéns pelo artigo.

[31] Comentário enviado por Teixeira em 02/10/2009 - 12:50h

No tocante a GREVE:

Certos sindicatos mais fortes instituíram no país a "indústria da greve", movimentos político-financeiros que beneficiam unicamente a eles mesmos, e quase nunca a seus associados, que ainda têm de contribuir com um dia de seus salários, sem preceber que estão simplesmente sendo lesados.
Enquanto isso, sindicatos menos fortes, ou atividades nao sindicalizadas (como é o caso dos profissionais de TI) ficam à mercê de seus patrões, que pagam o que querem, da forma que querem, e até quando querem. É claro que no meio disso tudo, tem sempre alguns que pagam regularmente. Ufa!...

Aos 14 anos de idade fui trabalhar em um Banco, e com apenas 2 dias de admitido houve uma dessas greves, onde tive de ficar 15 dias em casa sem trabalhar, porém ganhando.
Todos os anos que se seguiram, até hoje, os sindicatos dos bancários fazer greves.
Não sei se isso resolve o problema dos bancários, mas acho que não: Os bancos continuam demitindo à vontade, e praticando tudo aquilo que se propõem a praticar, às vistas dos sindicatos, das delegacias do trabalho, e do Banco Central.

A Previdência Social já mudou de nome várias vezes, mas sempre fez greves anuais.
Os professores também vivem fazendo greve, os rodoviários também, e assim por diante.

Pergunto eu: Em que foi que essas classes de grevistas foram realmente beneficiadas?
Respondo, com base em fatos históricos: EM NADA!
Pelo contrário, sempre houve grandes danos à população e JAMAIS aos patrões ou ao governo.
No entanto, os caixas desses sindicatos já contam com esse reforço extra, e tem-se tornado em profissionais insufladores de greve, iludindo os trabalhadores que sempre aderem a esses movimentos na esperança de uma vida melhor.
Ao meu ver isso é mero estelionato.

Havia uma conhecida indústria aqui no Rio de Janeiro que há mais de 15 anos não pagava um só imposto ou um encargo social (embora fizesse suas declarações em tempo hábil).
O sindicato da classe vivia insuflando greves, fazendo piquetes e manifestações à porta daquela empresa, e tudo o mais, e "exigia um solução".da empresa, não se sabe a que título.
Todos os acordos trabalhistas que foram feitos, beneficiaram exclusivamente o tal sindicato, que ficava sempre com a parte do leão.
Exemplo:
Acordo envolvendo 3 trabalhadores, no valor total de 2.000,00 onde o sindicato ficou com 1.200,00 e os 800,00 restantes foram então divididos entre os tais empregados (deu 266,66 para cada um e não houve arredondamento).
Ao final, a firma simplesmente fechou as portas, deixando todos a ver navios. Trabalhadores antigos não puderam receber nem PIS, nem FGTS, nem podem se aposentar.
Ah, o tal sindicato vai bem, obrigado!...

Fica aqui a advertência do "velho" Teixeira:
Greve não adianta nada, não leva o país para a frente (pelo contrário), não melhora as condições trabalhistas de uma classe social; E serve apenas para locupletar os cofres de organizações gananciosas.
Quem acha que greve realmente adianta, procure em sua memória onde foi - a qualquer tempo - que uma greve brasileira tenha produzido bons frutos, ou que não tenha trazido enormes prejuízos para o povo, que já é sofrido.
Pensem nisso.









[32] Comentário enviado por edsonmsj em 02/10/2009 - 23:42h

O reconhecimento da profissão é o mínimo para um profissional, como você se diz analista, técnico de computador, arquiteto(Engenheiro) de software ect..., se isso não é reconhecido legalmente...

Afinal não é pedir demais, até motoboy já teve o reconhecimento.

Um país que aprova tantas leis absurdas, e o essecial é deixado de lado.

Ou nós preferiremos ser chamados eternamente de, o "rapas do Computador"?

[33] Comentário enviado por tiagotavares em 04/10/2009 - 18:33h

Isso me soou nada mais do que um desabafo.

[34] Comentário enviado por jmariano em 05/10/2009 - 11:33h

“Hoje, quando estamos em nossos trabalhos, casas ou até mesmo na rua e somos abordados por alguém que nos pergunta: você trabalha com computador?
Qual a sua reação?” Eu acredito que a primeira reação seja estabelecer uma base comum com quem está fazendo a pergunta, porque a pessoa que está fazendo a pergunta pode ser alguém idoso que não conhece o jargão da informática, alguém que indaga de mim se eu trabalho com computador está com algum problema relacionado a informática e procura ajuda, cabe a mim tentar ajuda-lo.

“Pois é, difícil de acreditar, estamos em um mundo globalizado, cheio de tecnologia por todos os lados, mas infelizmente a realidade é essa, nossa área ainda é muito prostituída por essa visão.” Concordo que existe muita gente ruim, em qualquer profissão, veja o número absurdo de médicos que são processados, de advogados que não passam nos exames da OAB de engenheiros que assinam projetos construíveis com areia do mar, assim também em TI existem profissionais ruins, mas não acredito em prostituição da área.

“Muitas empresas vêem ainda como um setor de despesas, pois a única coisa que a TI sabe fazer é comprar, gastar e às vezes, quando possível, reaproveitar equipamentos antigos.” Bom aqui o problema não é da área de TI, mas sim do administrador de empresa, uma profissão já consolidada a muito tempo, o administrador neste caso tem um sério problema com estratégia empresarial.

“Mas por quê ainda há essa visão em nossa área? Incapacitação de pessoal, falta de informação, mão de obra barata? A verdade é que infelizmente todas esses itens nos leva a essa infeliz conclusão quando falamos que trabalhamos com T.I.” O mercado possui excelentes profissionais em TI, com formação superior, pós-graduação, trabalhos publicados inclusive no exterior, na verdade o brasil é um grande exportador de software, o próprio site do vol é um exemplo da alta qualidade dos profissionais em TI no brasil, novamente é o próprio mercado que acaba regulando isso, os bons sobrevivem os maus deixam de existir, em qualquer profissão, cabe a quem contrata saber contratar o profissional competente.

“Não culpo a maioria das pessoas por terem essa visão de nós, mas acontece que em nossa área ainda existem muitas pessoas que simplesmente fazem com que essa "classificação" seja estampada em nossas caras e os fatores principais são falta de capacitação do profissional brasileiro, acarretando assim o baixo custo da mão de obra.” Concordo que muita gente que está começando agora e encontrou uma receita de bolo de como colocar um servidor de dns no ar, julgue-se um técnico capacitado capaz de resolver grandes problemas em TI, isso acontece até mesmo em paises como os estados unidos é normal, e que bom que as pessoas procuram soluções e encontram sites com o vol e conseguem resolver seus problemas ou um problema de sua empresa, mas isso é o começo são os primeiros passo de alguém nesta maravilhosa area de TI, vou discordar que isso estampa uma classificação na profissão, tem muito mais gente capacitando-se e leva a sério a profissão do que aventureiros de final de semana.

“Vejamos, vou citar um exemplo que presenciei, tenho uma empresa de um porte médio com 300 usuários e 250 máquinas, preciso gerenciar a rede, internet, algumas manutenções quando necessárias e meu sistema de gestão.
Contrato então alguns técnicos e um gerente de TI sem formação completa, pois o custo é mínimo para isso.
No começo tudo funciona, equipamentos novos, sem problemas, mas começam aparecer pequenos probleminhas e os técnicos, juntamente com o gerente, devem discutir e encontrar uma solução que por falta de conhecimento deles ou até mesmo pela falta de vontade da empresa em investir neles para um melhor resultado acaba deixando a solução que simplesmente resolveu o problema, ou seja, "está funcionando, está bom", mesmo não sendo a solução adequada para isso.
O caso é que com o tempo as coisas vão piorando, a rede começa a mostrar falhas, o sistema começa a dar muita dor de cabeça, as máquinas simplesmente não atendem mais as necessidades e então decidem trocar, arrumar o que dá, terceirizar, comprar, comprar, comprar e comprar e a setor de TI passa de um setor de soluções para um de gastos.
E de quem é a culpa? Do dono da empresa que não quis investir ou nos empregados dele que são incapacitados? Vejamos, se fosse em um outro setor como o financeiro, a empresa estaria com alguma falha nesse setor, pode-se ter certeza que o dono da mesma iria investir para melhorar.”
A culpa é composta mas principalmente da alta diretoria, que não possui um plano de administração de recursos em TI, uma empresa com 300 usuários e 250 maquinas que não aplica testes antes da contratação que não exige formação de seus funcionários ligado a TI, tem um problema muito maior em mão do que apenas administrar recursos de informática, no meu ver tem um problema sério de administração de um modo geral, em qualquer relacionamento onde exige-se qualidade, e eu acredito que a informática exige esse tipo de relacionamento, tem sempre alguém que deve responder pelos processos, geralmente alguém da alta direção, ou como perguntaria meu avô “quem assinou em baixo ?”

“Pois bem, essa é a realidade de muitas empresas que temos hoje no Brasil. Você que está lendo esse artigo agora deve estar pensando: "putz isso acontece comigo também", pois bem, o "jeitinho brasileiro" de ser afeta e muito nosso setor e acaba nos prostituindo, pois sempre tem aquele que mente e finge que sabe ou ainda o que sabe mas não consegue, por falta de conhecimento ou vontade de sua hierarquia, trazer melhores soluções para a TI. “ O problema é composto de muitas parte, pois uma empresa é composta de muitas partes, porém não acredito na prostituição da profissão, acredito que o brasil possui excelentes profissionais em TI, a profissão é regulamentada, inclusive com vários cursos superiores na área, extensão, pós, etc. Mentiras e fingimentos são facilmente pegos com testes de habilidades assim como conhecimento, bons e maus elementos existem em todas as profissões, cabe a quem toma a decisão, escolher oque ele quer para sua empresa.

[35] Comentário enviado por edsonmsj em 05/10/2009 - 21:23h

O que eu quis dizer no meu comentário, e fazendo uma analogia é que, como já citado no comentário acima um médico que comete negligência ou algum crime contra seus clientes pode ser processado e perder sua licença; seu diploma além de responder criminalmente, esta responsabilidade é imposta por legislação.

No caso de TI nem a profissão é reconhecida, imagina eu como um "capitalista padrão Brasileiro" que apenas visa o lucro; porquê eu investiria no aprimoramento, salário justo e ética dos meus subordinados? E por consequência atender melhor minha comunidade ou clientes.

Já tenho visto muita negligência, sistemas com bugs críticos e de segurança, projetos que consumiram grande tempo e capital dos clientes e foram um fracasso, roubo de informação até lavagem de dinheiro. Tudo isso acaba em pizza.

Bom acho que achei a resposta, muita gente ganha dinheiro com isso não é, com a falta de responsabilidade e portanto o não reconhecimento do profissional :)



[36] Comentário enviado por guest19 em 07/10/2009 - 08:36h

concordo plenamento , hoje no Brasil setor de TI não muito valorizado diferetemente de muitos setores que temos por ai , muitas vezes pego funcionários incapacitados como já vi em muito lugares e fazem cagadas e empresa gasta e gasta e fica botando culpa e dizendo que o setor de TI da muito prejuizo etc..

[37] Comentário enviado por macgyver_rp em 15/10/2009 - 09:20h

Primeiro quero cumprimentar autor do artigo, é pura verdade infelizmente, mas como muitos colegas acima, concordo que "Profissional de Informática" deveria ter Órgão de classe e profissão regulamentada, assim acabaria a salada de Cursos rápidos e Graduações, daria mais credito e respeito aos profissionais, hoje em dia um curso serio de Técnico de Informática custa em media R$ 350,00 mensais duração de 18 meses, total do investimento R$ 6300,00 fora transporte e material do curso, para que ? um salário medio de R$ 800,00 a R$900,00 ? bem qualquer trabalhador sem qualificação ganha isso hoje em dia, só que ele não tem acesso a servidores, dados importantes, dados sigilosos, documentos, enfim todo coração da empresa passa pelo profissional de TI, hoje em dia nenhuma empresa vive sem a internet.
Vou dar exemplo de desvalorização profissional, uma empresa de São Paulo anunciou aqui em Ribeirão Preto uma vaga de Analista de Suporte para trabalhar na Secretária da Fazenda de São Paulo num posto fiscal da cidade dando suporte aos servidores da fazenda, bem salário R$ 720,00 reais para trabalhar de segunda a sexta das 8:00 as 17:00 , atribuições do cargo "dar suporte presencial para servidores sobre problemas de informatica, propor soluções, manutenção de hardware, manutenção e instalação de aplicativos, conhecimento em banco de dados mysql e sql, cabeamento estruturado, servidores linux e windows 2003 server", bem um supermercado daqui de Ribeirão Preto estava contratando caixa para trabalhar das 9:00 as 14:00 com salário de R$ 820,00 fora hora extra, convênio medico, aux alimentação, vejam a diferença de um profissional para outro, caixa de mercado ganha mais porque? tem sindicato do comércio, sua profissão é reconhecida, tem jornada de trabalho especial, e ganha mais que NERD de TI, bem só no Brasil que os GEEKS ganham menos que simples profissional de outra aérea, bem esse exemplo mostra como a culpa não é só das empresas mas dos profissionais de informática que respondem esses anúncios e vão competir por essas vagas, não sei se é desespero ou medo de ficar desempregado, mas quem é competente e profissional jamais vai trabalhar dar melhor de si com salário mixaria desses. Aqui vai recado para empresas que desvalorisão seus profissionais "Seu departamento de TI sabe tudo que empresa faz, deve, armazena, que trafega" são espinha dorsal da empresa "não adianta empresa ter cabeça boa, corpo forte e perder sua espinha" porque não vai andar mais.
"RECADO PARA AQUELES QUE SE DIZEM TÉCNICOS OU PROFISSIONAIS PESQUISANDO NO GOOGLE" SEUS DIAS ESTÃO CONTADOS HOJE NO BRASIL É GRANDE NUMERO DE EMPRESAS QUE EXIGEM UMA SEGUNDA LÍNGUA "INGLÊS E UMA CERTIFICAÇÃO EM QUALQUER RAMO DE CONHECIMENTO DE INFORMATICA PARA SEREM CONTRATADOS" VOCÊS VÃO CONTINUAR MONTANDO MICRO EM LOJAS DO PARAGUAI, E FORMATANDO COMPUTADOR E INSTALANDO WINDOWS XP PIRATA mudem de nome não digam que são técnicos não ofenda que pagou para ter essa formação e estudou muito, digam que vocês são "Entendidos" ou "eu conheço" ou "sei fazer apreendi no google", sejam honestos, porque acredito que nos Profissionais não somos ameaças porque não estudamos, o que estudamos para "Formatar micro".


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts