O .bashrc de meu Debian

Nas linhas abaixo descreverei o conteúdo do .bashrc que utilizo em meu Debian e que pode ser utilizado em outras distribuições, salvo algumas exceções.

[ Hits: 30.303 ]

Por: edps em 06/11/2011 | Blog: https://edpsblog.wordpress.com/


Introdução



Após as postagens do .bashrc que utilizo no Arch Linux e de alguns estilos de bash_prompts disponíveis, chegou a vez de postar o .bashrc que utilizo no Debian.

Nas linhas a seguir, demonstrarei o conteúdo do meu .bashrc utilizado em meu Debian e que pode ser utilizado tranquilamente em outras distros Debian-like (Ubuntu, Linux Mint, aptosid e etc) e até nas outras distros, excetuando-se é claro, a parte referente à gestão de pacotes dos programas disponíveis apenas para o Debian e seus derivados.

Na configuração a seguir, procurei disponibilizar o máximo possível de informações sobre o que é necessário para utilizar determinada função; aliás, bem como disponibilizo os links sobre informações das mesmas.

Espero que gostem, peço que tenham paciência e vejam as imagens ao fim do artigo.

O mesmo conteúdo aqui apresentado também foi publicado em meu blog.
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. O .bashrc
   3. Algumas imagens
   4. Informações adicionais
Outros artigos deste autor

Compilação, empacotamento, instalação e configuração do WINE-dev

À procura por pacotes em distros Debian-based (Ubuntu, Linux Mint e outras)

Snapshots de pacotes para o Debian

Executando máquinas virtuais diretamente no GDM

Instalação do driver Nvidia no Debian e em distros derivadas

Leitura recomendada

Como Redimensionar o Guest à Janela no KVM com Virt-Manager

Usando Swap na RAM em Sabayon - ZRAM - Método novo

Construindo um servidor NFS usando o Insigne GNU/Linux

Instalando Gnome DropLine (Slackware 10.2+)

OpenVPN para clientes Windows no Debian Squeeze

  
Comentários
[1] Comentário enviado por levi linux em 06/11/2011 - 15:23h

Parabéns pelo excelente artigo.
Fiz alterações no bashrc do meu PC, realmente melhora bastante as funcionalidades.
Também baixei o vídeo, com a dica.
Favoritado!

[2] Comentário enviado por removido em 06/11/2011 - 18:14h

Muito bom...

[3] Comentário enviado por dennis.leandro em 06/11/2011 - 18:21h

Muito boa edps!
Parabééns, um dos mais capacitados aqui do forum para falar de Debian!
;D

[4] Comentário enviado por removido em 06/11/2011 - 19:12h

Obrigado pelos comentários,

@levi linux, @josueandres e @dennis.leandro.

[]'s

[5] Comentário enviado por leandro em 07/11/2011 - 10:13h

Ótimo artigo.

Estou usando ele agora e está perfeito.

Especialmente as aliases.

Parabéns.

[6] Comentário enviado por izaias em 07/11/2011 - 18:33h

Edinaldo,

Se usar o .bashrc do seu artigo, posso continuar com o alias da Kiss FM?

[7] Comentário enviado por removido em 07/11/2011 - 19:19h

Obrigado pelos comentários @leandro e @izaias

@leandro, se puder acertar eu lhe agradeço.

@izaias, se tiver exatemente como o seu não tem problema, você pode usar todo o conteúdo deste .bashrc ou somente as partes que lhe interessar (adicionando-as ao seu).

[8] Comentário enviado por izaias em 07/11/2011 - 19:22h

Entendi agora a versatilidade do arquivo .bashrc.

VLW cara!

[9] Comentário enviado por adri3d em 07/11/2011 - 21:11h

realmente esses alias e funçoes quebran um galho, estou aproveitando muita coisa que voce postou ai, só que uso uma abordagem difrente veja todo o meu .bashrc


# Caso não esteja executando de forma interativa, não faz nada
[[ $- != *i* ]] && return

#chama o script que inicialisa os apelidos
. ~/scripts/alias.sh

#adiciona o diretorio $HOME/scripts a variavel $PATH
PATH="$PATH:$HOME/scripts"

#nome usuario em cor verde e ...
PS1='\[\e[0;32m\]\u\[\e[m\] \[\e[1;34m\]\w\[\e[m\] \[\e[1;32m\]\$\[\e[m\] \[\e[1;37m\]'


tenho os alias em um aquivo separado em
~/scripts/alias.sh
e as funçoes tambem em scripts separados na pasta script com a lina
PATH="$PATH:$HOME/scripts"
eu adiciono a pasta script a variavel de caminho pemetindo chamar qualquer um deles apartir de qualquer lugar

[10] Comentário enviado por izaias em 07/11/2011 - 21:50h

Parabéns Edinaldo!

Mas uma contribuição testada e aprovada!

[11] Comentário enviado por removido em 07/11/2011 - 22:45h

@adri3d,

é isso aí modifique ao seu critério, sei que podemos utilizar um arquivos separado só para isso e eu inclusive tenho muitos scripts em /usr/local/bin que eu simplesmente poderia criar aliases para as funções exercidas pelos mesmos.

@izaias, thanks man!

quando achar algo interessante eu acrescento aqui

[]'s

[12] Comentário enviado por maran em 08/11/2011 - 20:21h

Excelente artigo!
Este arquivo .bashrc , até fala!

Viva o Linux!

[13] Comentário enviado por removido em 08/11/2011 - 20:44h

@maran,

obrigado pelo comentário brother!

[14] Comentário enviado por removido em 08/11/2011 - 20:48h

Perdoem-me a omissão de um detalhe, nas imagens do terminal onde se vê 'archey' isso é uma aplicativo disponível no AUR e que tem funcionanlidade semelhante ao screenfetch do qual fiz essa dica:

http://www.vivaolinux.com.br/dica/screenFetch-The-Bash-Screenshot-Information-Tool

para instalar o archey no Debian, Fedora e Arch, façam isso:


Debian:

$ wget https://github.com/downloads/djmelik/archey/archey-0.2.8.deb
$ sudo dpkg -i archey-0.2.8.deb
$ sudo apt-get -f install

ou para quem tiver problemas com a versão 0.2.8:

$ wget https://github.com/downloads/djmelik/archey/archey-0.2.6.deb
$ sudo dpkg -i archey-0.2.6.deb
$ sudo apt-get -f install


Fedora:

$ su -c 'rpm -i https://github.com/downloads/djmelik/archey/archey-0.2.6-6.noarch.rpm'


Arch Linux:

$ packer|yaourt -S archey ou archey3

ou

$ wget http://aur.archlinux.org/packages/ar/archey/archey.tar.gz
$ tar -zxf archey.tar.gz
$ cd archey
$ makepkg -si


Utilizando:

$ archey

ou

$ archey -s

[15] Comentário enviado por Credmann em 09/11/2011 - 08:21h

Você consegue fazer o HISTCONTROL funcionar?

[16] Comentário enviado por removido em 10/11/2011 - 20:04h

@Credmann,

sim o history funciona, depende de como você adiciona as opções, não sou expert no assunto mas o que entendo:

export HISTSIZE=10000 # memorizar 10000 comandos
export HISTFILESIZE=${HISTSIZE} # idem

export HISTIGNORE="pwd:ls:ls -la:exit:bash:clear:cd:./configure:make:sudo make install:conectar:desconectar:google:" # não memorizar os seguintes comandos

export HISTCONTROL=ignoredups # ignorar duplicados
export HISTCONTROL=ignorespace # ignorar começados por espaço
export HISTCONTROL=erasedups # remover duplicados

#export HISTCONTROL=ignoreboth # esse faz o mesmo que as 3 funções acima, ou ao menos as (ignoredups e ignorespace).

um abraço.

[17] Comentário enviado por chimico em 12/11/2011 - 09:28h

Parabéns edps, excelente contribuição, mas eu deixo uma dúvida:
Este .bashrc não demora para iniciar o terminal, porque aqui no meu pc velhinho, quanto mais incrementado for o bashrc, demora mais para abrir um emulador de terminal, seja o xterm, rxvt (meu favorito), lxterminal, konsole..., então meu bashrc é enxuto e tudo num arquivo só, incluindo aliases, path e pouquíssimas funções + funcoeszz.

Abraços

[18] Comentário enviado por removido em 12/11/2011 - 10:17h

@chimico meu amigo,

é verdade que muitas funções e aliases podem deixar a abertura do terminal mais demorada dependendo da máquina utilizada, mas pode-se retirar boa parte do que ali está, eu ainda incrementarei mais rsrsrs, assim deleto os scripts que tenho lá em /usr/local/bin.

Segue abaixo 3 configs (.bashrc padrão do Debian com suporte a cores e um bash_prompt modificado e .bash_aliases):

https://raw.github.com/emilis/emilis-config/master/.bashrc
https://raw.github.com/emilis/emilis-config/master/.bash_ps1
https://raw.github.com/emilis/emilis-config/master/.bash_aliases

[19] Comentário enviado por removido em 30/12/2011 - 11:53h

No link abaixo existem outras configurações possíveis para o estilo de bash_prompt:

http://www.linuxandlife.com/2011/12/how-to-customize-command-prompt.html


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts