LMDE Xfce - Instalação, configuração e extras

Neste artigo veremos os passos referentes à instalação e configuração da nova versão do Linux Mint Debian Edition (LMDE) com Xfce.

[ Hits: 30.054 ]

Por: edps em 24/05/2012 | Blog: https://edpsblog.wordpress.com/


Introdução



Veremos agora a instalação e alguns truques que tornaram o LMDE Xfce umas das melhores versões para desktop Linux.

O download de qualquer versão do LMDE, seja com Cinnamon & MATE, ou esta versão com Xfce, poderá ser realizado através do acesso ao link abaixo:

Instalação

Tela do desktop Xfce, com o LiveCD carregado:
Clique no ícone do instalador visto no Desktop, e veja a tela de escolha da linguagem do sistema:
Escolha do Timezone: Layout do teclado:
Seleção do dispositivo (HD) a ser utilizado:
Escolha das partições a serem utilizadas:
Caso queiram formatá-las para outro sistema de arquivos (como no meu caso), cliquem em 'Edit Partitions', e o Gparted será aberto:
Formatação para 'ext4':
Clique com o botão direito na partição a ser utilizada e escolha a opção 'Edit' para definir o ponto de montagem, e caso não tenha seguido o passo do Gparted, marque e escolha o tipo do sistema de arquivos para o qual a partição será formatada:
Clique em 'Forward' para prosseguir, e na tela seguinte, insira os dados do usuário (nome e senha) e o Hostname desejado:
Informe em qual dispositivo o gerenciador de Boot será gravado:
Apresentação das configurações escolhidas:
Início da instalação:
Término da instalação:
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Pós-instalação
   3. Solução de problemas
   4. Complementos para o LMDE - parte I
   5. Complementos para o LMDE - parte II
   6. LMDE Rolling Release?
Outros artigos deste autor

Turbinando o Bodhi Linux

Enlightenment no Debian Squeeze e no Ubuntu

Fedora - Instalação Personalizada (NetInstall)

Ripando CDs de audio no Debian e derivados

Reempacotamento e repositório local em um sistema Debian-like

Leitura recomendada

Apresentando e instalando o Ubuntu Linux

30 motivos para usar o Linux

Configure o Linux para sua avó!

Incentivo ao Funtoo

Reconhecimento se obtém por mérito e não por força

  
Comentários
[1] Comentário enviado por cesarufmt em 24/05/2012 - 11:45h

Show de bola. Ta bem completo, aborda partes importantes. O Linux Mint vem crescendo muito e pode ser uma ótima opção. Usei bastante já o LMDE e a velocidade foi impressionante.

[2] Comentário enviado por removido em 24/05/2012 - 12:47h

@cesarufmt, obrigado pelo comentário,

Concordo com você o Linux Mint vem crescendo cada vez mais, hoje mesmo acho que foi lançada sua release 13, Maya.

O LMDE compensa na rapidez, o fato de não vir tão polido e pronto como o Mint, esse que tens alguns apetrechos só vistos nele e no Ubuntu.

Um abraço.

[3] Comentário enviado por levi linux em 24/05/2012 - 15:18h

Parabéns, muito bom. O LMDE é uma grande distribuição, bastante prática e bem acabada. O artigo está bastante didático e completo. Gostei do fato de você ter levantado a questão do LMDE ser RR, pois sempre a confusão nesse assunto. 10!

[4] Comentário enviado por iz@bel em 24/05/2012 - 18:07h

LMDE não é RR, que chato!

edps, o seu artigo está bem melhor que os do HowToForge... Parabéns!!!
Tá nos favoritos :)

[5] Comentário enviado por removido em 24/05/2012 - 20:26h

Obrigado @levi e @iz@bel pelos comentários.

Sobre o termo rolling release, embora não seja uma tal como o Arch Linux, Debian SID, Gentoo são, distros como o LMDE poderão ser atualizadas indefinidamente sem a necessidade de reinstalação, download de novas mídias, etc e isso é o que importa para quem quer ter apenas um sistema fácil de gerenciar, rápido e completo.

@iz@bel, sobre o HowToForge: quem me dera... quem me dera! rsrsrs

[6] Comentário enviado por izaias em 24/05/2012 - 21:10h

Interessante.

Mas mesmo sendo um semi-RR, o LMDE tem desvantagens comparando com as distros RR?
Acredito que não. O que acha?


Caraca! Não conhecia este HowToForge. rsrs

[7] Comentário enviado por evandrocapelao em 25/05/2012 - 02:44h

Edinaldo, a qual vantagem do Kernel Liquorix em relação ao kernel tradicional do repositório.

[8] Comentário enviado por removido em 25/05/2012 - 08:45h

@izaias, desvantagens nao vejo porque os pacotes sao mais testados que os do Debian Testing e com isso trazem mais estabilidade ao sistema.

@elcapelao, o Liquorix e tido como o mais otimizado entre as diversas configs para o kernel Linux, mas instalar no Debian Squeeze requer uns passos extras, no Wheezy ou SID e facil.

[9] Comentário enviado por mcnd2 em 25/05/2012 - 15:07h

Muito bom seu artigo grande professor pardal, rs!

O mestre dos debian's, kkk...

Parabéns pelo ótimo trabalho.

[10] Comentário enviado por removido em 27/05/2012 - 07:05h

três coisas eu quero comentar:


FIREWALL

vou seguir a dica do arno-iptables-firewall. há tempos queria um que não dependesse de tantos pacotes, como o firestarter, que ainda é compilado com gtk2 e o ubuntu já está na gtk3. isso gera a instalação de uma qtde absurda de pacotes como dependencia.


"QUASE-RELEASE"

quanto ao "quase release" do LMDE acho uma atitude muito sensata. isso impede que um usuário estrague o sistema com pacotes problemáticos, chegando a falsa conclusão d q o linux é ruim, mas tb evita o uso de pacotes jurássicos da versão estável.

pode-se usar repositórios para versões mais novas do firefox, por exemplo, e até testar co backports do debian, que creio n dar problemas.



KERNEL LIQUORIX

vejo muito mito em relação ao kernel liquorix. vejam bem: não estou dizendo que n funcione. mas n adianta modificar muito o kernel se os aplicativos e gerenciador de janelas n s compilados para a arquitetura correta do processador.

o kernel responde por apenas 2% do desempenho geral do sistema, os outros 98% vão para os outros. é por isso que os pacotes debian respondem melhor que os do ubuntu.

e isso n e por causa do kernel. se vc aplicarem os patchs do liquorix - e já nem precisa pq nas versões atuais do kernel eles podem ser/são habilitados por padrão - no ubuntu a diferença é pífia, se notada.


[11] Comentário enviado por removido em 27/05/2012 - 11:17h

caro @antonio_carlos,

quanto ao Firewall, na minha opinião o Arno Iptables Firewall é mais simples de gerenciar e sem frescuras como o FireStarter e Gufw, por exemplo no netbook que venho usando, declarei 3 interfaces de redes nas configurações do mesmo, pois às vezes usa a rede cabeada (eth0), noutras a wi-fi (wlan0) e na maioria delas a 3G (ppp0), portas não deixei nenhuma aberta pois não uso bittorrent nele.

em relação ao status da distro, também acho uma decisão acertada essa de adicionar apenas algo bem testado, visto que o Debian Testing na minha opinião é menos estável que o Arch Linux, um rolling-release por excelência, assim sendo, manter as coisas 'amarradas' para que seus usuários não tenham problema é algo salutar.

e quanto ao kernel Liquorix, foi apenas uma demonstração de como é fácil instalar num 'Debian Testing', mas confesso que no Debian em si não nota-se grande diferença pois ACHO que o sistema corre mais solto que no Ubuntu, talvez se deva aos pacotes mais testados do Debian ou quem sabe ao próprio kernel.

uma grande desvantagem do Liquorix é o não reconhecimento de mais de 3Gbs de RAM em distros i686 e isso vem desde sua origem, o kernel -zen.

obrigado pelo comentário.

#

@mcnd2, thanks brother pelas gracinhas! rsrsrs

[12] Comentário enviado por removido em 27/05/2012 - 12:19h

@edps:

seu "achismo" não é achismo não, é realidade. Os pacotes do debian, mesmo para i486, são mais rápidos que os do ubuntu. Não pela quantidade de dependências mas por algum outro motivo que desconheço. Deve ser as opções de compilação dos pacotes.

como resultado, vc vê um debian muito mais "leve" do que o ubuntu...

já testei e comprovei, embora no consumo de memória não haja tanta diferença assim.

[13] Comentário enviado por Fabio_Farias em 28/05/2012 - 08:54h

Eu testei o LMDE um tempo e pensei que ele era Rolling Release. Na época pensei estar usando um Debian Testing "mais fácil". Agora vi que estava enganado.
Obrigado Edinaldo pela contribuição e o esclarecimento sobre esse assunto.
Abraços e parabéns!

[14] Comentário enviado por clodoaldops em 28/05/2012 - 15:04h

Só umas duvidazinhas:
-Dá p/ instalar PPA do Ubuntu sem problemas?
-O fato de ser semi-RR gera menos atualizações que no aptosid/siduction?
-Pode-se abusar do Synaptic ou sou obrigado a me virar no Terminal como no aptosid/siduction?

Excelente artigo! "Tá favoritado"!
Parabens e obrigado por suas gdes contribuições com a comunidade!
Abração!

Obs: ando com saudades dos screens com "gatinhas"! rsrsrsrsrs

[15] Comentário enviado por removido em 28/05/2012 - 21:00h

@FábioFarias, obrigado pelo comentário, na época que você o testou o LMDE estava no começo e muito mais próximo a um Debian Testing 'puro' no que se refere às suas configurações, mas por outro lado quebrava com mais facilidade, hoje em dia é uma distro bastante sólida (ao menos essa com XFCE), a com Gnome3 não tenho nenhum interesse em testá-la por hora.

Pode não ser o ideal para mim que gosto de modificar e ter controle de tudo, mas para novos usuários e outros que venham a testá-lo, provavelmente nçao se arrependerão.

Um abraço.

[16] Comentário enviado por removido em 28/05/2012 - 21:06h

@clodoaldops, não estou em casa para afirmar se o add-apt-repository está disponível no LMDE, mas se não me engano o @leandro tem uma dica a esse respeito.

quanto ao uso de PPAs do Ubuntu, no própprio Blog do LMDE diz que a compatibilidade 100% é com o Debian Testing, embora eu faça uso de algumas PPAs como as que inclui nesse conf:

http://www.vivaolinux.com.br/etc/sourceslist-1

* alguns deles presentes no sources.list desse artigo.

Por não ser exatamente igual ao Debian Testing, atualizações só serão vistas quando o 'povo' do LMDE atualizar os pacotes de seus repositórios ou lançarem seus update-packs (que já ouvi falar) mas felizmente nunca utilizei pois acho isso muito parecido com as coisas daquele famoso $O! rsrs

Utilizar o Synaptic ainda mais se mantidas as configurações originais e sem deliberadamente entupir o sources.list de repos externos, creio eu que seja tanto possível quanto seguro.

Nem me fale das gatinhas! Ô que saudade! rsrsrs

Valeu!

[17] Comentário enviado por Fabio_Farias em 29/05/2012 - 12:19h

De fato Edinaldo na época em que testei o LMDE havia sempre um grande numero de atualizações. Chegou a ter mais de 400 pacotes para atualziar de uma vez só. Mas como você bem explicou o LMDE passou a caminhar por outros caminhos e passou a não "pegar" mais os pacotes diretamente do Debian Testing.

Abraços!

[18] Comentário enviado por zoltan em 01/07/2013 - 12:08h

Já trouxe 1. Eu nunca usei Linux e gelo só de pensar em usar o "Terminal" para digitar um comando. Comprei uma máquina com Linux (não pergunte qual, nem o vendedor sabia). Não conseguia usar, e estava pensando em comprar uma licença Windows, quando vi na web comentarios sobre este linux mint, dizendo que era fácil.

Baixei o iso no meu computador com windows, fiz o pendrive com o Unetbootin, super-fácil, coloquei no netbook e comecei. Tirando a parte das partições que fiquei amarrado por duas horas, sem entender o que era, foi tudo mais fácil do que eu imaginava.

Ele fez as atualizações sozinho, basta um clique e a máquina está ótima. Só falta mais informação deste negócio de partição, que não sei se fiz direito e nem sei se o que fiz está bom, pois não sei onde ver estas partições, mas está funcionando lindamente. Leve e eficiente. Aliás, acho que para mim e para muita gente, não se quer "ver" o sistema operacional. Eu pelo menos só quero usar para minhas atividades profissionais (office) e assistir a alguns vídeos.

Um grande abraço e parabéns pelo trabalho, mas confesso que seus comandos e discussões me assustaram um pouco.

Zoltan.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts