O Organo Abstrato e o GIMP

Aqui vamos aprender um pouco mais do que simplesmente aplicar uma forma de arte a uma imagem. Vamos aprender um pouco sobre a história da arte e como aplicar algumas aos seus trabalhos quando conveniente forem.

[ Hits: 61.246 ]

Por: Guilherme RazGriz em 17/11/2005 | Blog: http://razgrizbox.tumblr.com


O Organo Abstrato



É uma técnica relativamente comum, porém não tão fácil de ser aplicada de maneira uniforme e funcional.

Seu uso consiste na mesclagem do abstrato com a matéria orgânica (animais em geral, vegetais e claro, "pessoas" (sim, os humanos também são animais hehehe).

Vamos agora aprender a criar originais com esta técnica e a aplicar os conceitos de arte aqui expostos de maneira adequada. Para tanto, é necessário um conhecimento adequado da ferramenta. Mas não há motivos para preocupações, os links abaixo fornecem todo o material e apoio que você vai precisar, leia ATENTAMENTE toda a documentação proposta e volte a este artigo (caso você já possua um nível adequado de conhecimento sobre a ferramenta ou acompanha o mini-curso oferecido no VOL, pode ignorar este aviso e os links).
Supondo que você já leu a documentação fornecida e/ou já possui razoável conhecimento da ferramenta, vamos começar.

Composição abstrata


Crie duas novas imagens de tamanho grande, 1500x1500 pixels já é suficiente, mas você tem liberdade para fazer maior (sim, neste exemplo faremos um painel).

Numa das imagens, aplique o filtro "fractal IFS" de forma que ele preencha boa parte da imagem.

Use e abuse da ferramenta de ângulos, não tenha medo de inverter totalmente o sentido original da imagem.


Agora copie e cole o resultado na imagem em branco (cole como uma nova camada e reduza um pouco a opacidade como feito no exemplo abaixo).


Faça novos desenhos com a ferramenta e cole os da mesma maneira que o anterior, até que na imagem antes em branco fique uma composição feita com os mesmos. A opacidade você pode variar a seu gosto.

Note que ao colar novas camadas para não esconder as outras, o uso dos efeitos de camadas (multiplicar, esconder, mesclar grãos, etc) é extremamente recomendado.


Agora, procure no seu arquivo pessoal de imagens, uma imagem parecida com uma (ou propriamente diga uma parede) que tenha como característica pequenas rachaduras ou ainda pareça ter infiltração. Caso você não tenha nenhum plano para as cores, converta para escala de cinzas esta imagem.

Agora cole a como uma nova camada na imagem em que fizemos a composição abstrata e coloque o efeito "multiplicar" na camada. Reduza a opacidade a seu gosto e elimine as partes que você não deseja que apareçam da textura utilizando a ferramenta pincel na cor BRANCA (caso o efeito "multiplicar tenha sido ativado) ou a ferramenta borracha no caso de outro efeito ter sido usado.


Agora é hora de incorporar a figura humana ao trabalho.

Escolha uma fotografia humana (pode-se usar algum outro animal também ou "personagem de carne e osso", como por exemplo, um demônio, um deus, etc).

Dê preferência a figura humana que não possua "expressões falsas" (sorriso que mostra os dentes, alegria e coisas do gênero). Procure por expressões calmas e de certa forma com tom relativamente sombrio ou apenas conceitual.

Quando você colar a figura humana vai ter duas opções: a primeira é deixar a figura em harmonia com o abstrato (para tanto basta aplicar a ferramenta multiplicar na camada correspondente e deixar a figura humana com a mesma cor de um ambiente, branco por exemplo).

A segunda escolha é dar naturalidade, deixando a figura em primeiro plano, dando a aparência de que ela está em relevo.

Aqui temos o exemplo já pronto, mas ainda sem cor.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Construtivismo russo
   2. Cubismo
   3. PoP Art
   4. O Organo Abstrato
   5. Como e onde usar?
Outros artigos deste autor

"Tatuando" pessoas com o Gimp

Um pouco de pintura digital

Da criança problema até o abacaxi

Como simular fluidos 3D com o Blender

Construindo Somando e Subtraindo

Leitura recomendada

O desenvolvimento da computação gráfica associado ao dos vídeo games

Criando Wallpapers para KDE 4

Tratamento de imagens em pessoas usando construtivismo reaplicado

Criando vídeo DVD no Linux

Profundidade indivisível

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Weyll em 17/11/2005 - 02:58h

Excelente! Tenho sentido a falta de artigos sobre o GIMP em português, ainda mais com esta fundamentação artística. Parabéns!

[2] Comentário enviado por jragomes em 17/11/2005 - 10:01h

Além de estar muito bem escrito nos deu uma aula de arte :-)
Parabéns.

[3] Comentário enviado por jose_maria em 17/11/2005 - 20:13h

Excelênte artigo.
Um marco histórico nos artigos do VOL. Acho que a partir de agora podemos ir um pouco além do universo de Linux e Software Livre nos artigos e torna o site mais atrativo sem perder o foco principal.
Parabéns!

[4] Comentário enviado por Weyll em 18/11/2005 - 00:24h

Olá,

Desculpando qualquer mal jeito,

O que é necessário para se criar um comunidade Gimp no VOL?

Só como idéia de categoria... Eu tenho interesse em ajudar.:-?

[5] Comentário enviado por razgriz em 18/11/2005 - 00:33h

Olá, no caso ja existe uma http://vivaolinux.com.br/comunidades/verTopico.php?codigo=54&codtopico=746

[6] Comentário enviado por Weyll em 18/11/2005 - 00:52h

Legal!!! Valeu, o portal tá legal pra carambra! Sou novo por aqui!

Abraço!

[7] Comentário enviado por removido em 18/11/2005 - 11:15h

AAAARRRGHHHHHHHHHH !!!!!!!!...

Rapaz, arrasou!!!!!
;-))

[8] Comentário enviado por robsontex em 18/11/2005 - 18:49h

Parabéns pelo artigo. A contextualização do tema ficou realmente excelente. Tenho certeza que muitos de nós, usuários do VOL, temos um vasto conhecimento sobre as mais diversas áreas. Quando se consegue colocar esse know-how em conjunto com o ideal do software livre dentro de um mesmo artigo, como foi o caso do artigo do Guilherme, o resultado é realmente sensacional.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts