Mapeando todas os tipos de unidades de redes no Linux

Muitos usuários ainda apanham um pouco quando precisam usar recursos compartilhados na rede e não podem contar com a comodidade de programas gráficos. Outros ainda tem problemas para usar tecnologias mais novas, como o mapeamento em unidade Windows 2003 Server. Esse artigo visa mostrar os conceitos de mapeamento de drives de redes para computadores Linux/Windows, Linux/Linux e Linux/Windows 2003.

[ Hits: 192.211 ]

Por: David em 04/12/2007 | Blog: http://twitter.com/dias_david


Como mapear



Basicamente a coisa mais fácil do mundo é mapear uma unidade ou um compartilhamento qualquer da rede. Tudo o que nós temos que fazer é usar o comando mount, como se eu quisesse montar qualquer unidade local como um cdrom ou um disquete.

Atualmente, devido a facilidades enormes como hal e ufs, uma das coisas mais raras para um usuário de sistema Linux, mesmo os mais avançados, é montar dispositivos. Logo, é normal que muitas pessoas ainda não tenham esse conceito bem fixado, pois vamos lá então.

Usa-se o comando mount da seguinte maneira.

mount /dispositivo/a ser/montado /pasta/onde/deverá_ser/montado

Como exemplo: supondo que eu queira montar um velho disquete na pasta /media/floppy. O comando seria algo do tipo:

# mount /dev/fd0 /media/floppy

Onde /dev/fd0 corresponde ao dispositivo de disquete. Você pode ver uma lista de dispositivos que foram detectados na instalação no arquivo /etc/fstab.

Outro macete do mount, e aí que entra a parte das redes, é no tipo de dispositivo a ser montado, como geralmente dispositivos locais são detectados automaticamente, não há muita necessidade em se preocupar com o seu tipo na hora da montagem, como se pode ser notado no comando acima.

Quando o sistema não detecta o tipo de dispositivo automaticamente, precisamos indicar através da sintaxe -t. Como exemplo podemos voltar ao bom exemplo do disquete acima:

# mount -t vfat /dev/fd0 /media/floppy

Onde vfat é o tipo de filesystem do disquete, geralmente, formatados em fat32. Esse é o mesmo filesystem da maioria dos pendrives, o que quer dizer que um pendrive pode ser montado manualmente facilmente através do:

# mount -t vfat /dev/sda1 /media/pendrive

Simples, né? Agora vem a grande pergunta que não quer calar:

E as redes? Como ficam?

Basta usar o comando mount com o -t indicando o tipo de compartilhamento que desejamos mapear. Vejamos nos exemplos das páginas seguintes.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Como mapear
   2. Mapeamento Linux / Linux
   3. Mapeamento Linux / Windows
   4. Facilitando com o fstab
Outros artigos deste autor

Usando comandos dos DOS com o mtools

Identificando problemas básicos de redes Linux para principiantes

Compilando facilmente com o apt-build

Compartilhando músicas pela Web com o Amarok

Fazendo um Kmenu excelente

Leitura recomendada

libpam-mount: a Solução para montagem de volumes SMB

Configurando Samba e Windows XP

Samba: Servidor de impressão e introdução a PDC (Primary Domain Controller)

Instalando o Samba + LDAP no Debian

SAMBA 4 - Servidor de Arquivos Utilizando ACLs Windows (Domínio)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por tenchi em 04/12/2007 - 08:46h

Cara, muito bom. Não sabia deste poder que o comando mount tinha.

[2] Comentário enviado por antonioclj em 04/12/2007 - 11:08h

Seu artigo ficou simples mas com um profunidade muito boa. Responde o que precisamos saber sem maiores delongas. Já perdi um tempão tentando entender como fazer o compartilhamento de pastas Linux/Linux porém sempre tentando entender o samba. Agora com o NFS ficou muito simples. Parabéns.

[3] Comentário enviado por valterrezendeeng em 04/12/2007 - 14:17h

Muito bom simples e prático

Parabens !!!!!!!!!!

[4] Comentário enviado por mineiral em 04/12/2007 - 16:11h

Caro David,
Tenho um servidor Debian 4, com iptables rodando e ao tentar fazer o acima descrito obtive a mensagem de que o servidor deu permissão negada. Eu perguntaria se eu teria que liberar alguma porta, e caso afirmativo, que porta seria? Lá, por enquanto só está liberada a porta 22 para o ssh.

Obrigado.

[5] Comentário enviado por professordavid em 05/12/2007 - 14:36h

Amigo, tente liberar as portas 2049 para regra INPUT e FORWARD, nos protocolos tcp e udp no seu iptables. Essas são as portas que o nfs usa. Se elas estiverem fechadas não vai.. Daí é só correr para o abraço..

Posta depois para ver se deu certo, ok..

flw!!

[6] Comentário enviado por agk em 02/01/2008 - 21:54h

Muito bom, mas acho que faltou falar um pouco do sshfs, depois que eu comecei a usar nunca mais precisei usar nfs ou samba.
Tem clientes gráficos para abrir os arquivos remotos tanto para Linux (KDE - Konqueror e Gnome - Conectar ao Servidor) como para Windows (WinSCP) é uma outra forma muito boa de mapear unidades, sem contar que os dados ficam criptografados, pois trafegam pelo usando ssh, pode-se usar scp, sftp e ftp como protocolos de transferência.

[7] Comentário enviado por professordavid em 03/01/2008 - 12:07h

Verdade cara.. o sshfs realmente é muito importante.. boa pegada!!

[8] Comentário enviado por lipecys em 28/01/2008 - 08:45h

muito obrigado pelo artigo, muito útil para mim.
Valew mesmo........

[9] Comentário enviado por aluizsa em 30/08/2008 - 21:36h

Estou como duvida em como salvar arquivos pelo RDesktop do HD do Linux
Na empresa usamos TS (Terminal Service do Windows), e quando vamos salvar algum relatório vizualizado na tela do TS, digitamos:

\\tsclient\c

No linux não funcionou o mesmo comando, é evidente.

Gostaria de saber se tem algum outro comando para isso.

Ou se tem como "montar o c" antes e depois ao tentar salvar algum relatorio pelo TS do Linux digitando o mesmo comando ele salvará no hd na pasta previamente mapeada do linux?

Ou se existe alguma outra forma de acessar o TS e salvar os relatorios normalmente?

Desde ja agradeço a todos.

[10] Comentário enviado por a1977rodrigues em 09/09/2009 - 21:43h

Obrigado pelo artigo, comigo funcionou mas não usei barra invertida:

exemplo: # mount -t smbfs //server/arquivos /home/files


Abraço a todos !!!

[11] Comentário enviado por assanuma em 12/01/2010 - 10:03h

Onde coloco este comando para deixar automatica a função, no fstab ?

[12] Comentário enviado por efraimraizer em 18/03/2010 - 10:33h

Prezados, existe no Debian 5 Etch uma particularidade; para mapear diretórios pelo mount de pastas compartilhadas em Win2k3 server com o AD, utilize: mount -t cifs //servidor/pasta_compartilhada /diretorio_local -o username=USUÁRIO,password=SENHA

Por exemplo: mount -t cifs //192.168.0.100/compartilhamento/ti/programas /mnt/compartilhamento/windows/ti/programas -o username=Administrador,password=123Mudar

Se preferir (eu recomendo) deixe sem ,password que será solicitada a senha, assim, você não precisar expor a mesma.

Abraços.

Efraim.

[13] Comentário enviado por efraimraizer em 18/03/2010 - 10:36h

[11] Comentário enviado por assanuma em 12/01/2010 - 10:03h:

Onde coloco este comando para deixar automatica a função, no fstab ?

Qual sua distro amigo?

Você pode escrever um script para executar automaticamente ou adicionar a linha de comando no /etc/init.d/rc.local, mas cuidado com o conteudo do arquivo; apenas adicione a linha no final, sem alterar mais nada...

[14] Comentário enviado por amiltoncesar em 21/05/2010 - 01:03h



Tem algum comando no linux q lista todas as pastas compartilhadas em um host com winxp ???



[15] Comentário enviado por survivors em 16/11/2010 - 09:44h

coloca essa dica aqui no artigo tbm:

se instalar o pacote nfs-common, evita alguns problemas e facilita o comando para montar
sudo apt-get install nfs-common

Exemplo:
mount 192.168.1.102:/home/publica /home/compartilhada

[16] Comentário enviado por leeogalvao em 08/11/2011 - 15:04h

Amigos, estou com dificuldades no meu debian. Tentei os seguintes comando:

#mount -t smbfs \\192.168.4.15\pasta /media/leonardo/
mount: unknown filesystem type 'smbfs'

#mount -t nfs \\192.168.4.15\pasta /media/leonardo/
mount.nfs: remote share not in 'host:dir' format

[17] Comentário enviado por professordavid em 08/11/2011 - 17:06h

Instale o smbfs pelo apt-get antes de montar a unidade.

[18] Comentário enviado por olibio em 28/04/2012 - 11:51h

Muito bom teu artigo David.
Tenho a seguinte situação tenho um servidor ubuntu 11.10 tenho compartilhamentos autorizados por grupo no meu caso eu pertenço ao grupo TI. mandei montar a unidade da seguinte forma pelo fstab.

\\10.1.1.200\TI /home/olibio/TI cifs username=olibio,password=1234 0 0

Vi na dica acima que se eu tirar ,password ele teria que me solicitar no meu caso ele não solicita.
o que tem de errado no meu compartilhamento?

Minha distribuição é (gnome)ubunutu 12.04 desktop.

[19] Comentário enviado por Hammerlinux em 22/05/2012 - 22:22h

Parabens pelo seu tutorial, David, acredito que será de grande valia para os teste q estamos fazendo na empresa em q trabalho,
Valeu !!!!! pela ajuda.

[20] Comentário enviado por mayconplanet em 06/03/2013 - 19:17h

Valewwww Ótimo Simples e pratico!!! Direto ao assunto!!! \o/

[21] Comentário enviado por mseabra em 13/12/2017 - 13:18h

# mount -t cifs \\192.168.1.1\arquivos /home/files -o username=nomedouserdowindows

não é um ponto de montagem permanente.

como seria criar um ponto de montagem permanente?

obrigado
aguardando||


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts