Linux na Educação Infantil

Freqüentando diversos fóruns educacionais, percebi a grande carência de softwares livres, em ambiente Linux, capazes de promover um nível educacional satisfatório. Contudo, demos início a uma pesquisa, afim de expor softwares quem possam suprir esta necessidade.

[ Hits: 39.159 ]

Por: Diego Nunes em 23/05/2006


Introdução



A educação em nosso país recentemente sofreu fortes mudanças. Toda aquela educação 100% conservadora foi, de certa forma, abolida. Pais e responsáveis não buscam mais escolas que apenas fazem o "feijão com arroz", eles querem diferenciais.

É preciso proporcionar novos conceitos, quebrar paradigmas, é preciso superar. Então o emprego da tecnologia nas escolas tornou-se base na educação brasileira e com este novo conceito, surgiram as novas necessidades.

Para quem não conhece o ramo, fique sabendo, softwares educacionais comerciais são extremamente caros.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Um pouco de Linux e a educação
   3. Aplicando...
   4. Conclusão
Outros artigos deste autor

Red Hat e Fedora - Um guia básico de configuração

DHCP - Configurando-o de forma simples e eficiente

Leitura recomendada

Software Livre, Comunidade e Ubuntu

Futuro do software livre após as eleições

Software Livre e o Código de Defesa do Consumidor

Mentalidade sobre distribuições

A imbecilidade real revelada pela realidade virtual

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 23/05/2006 - 19:15h

A idéia é boa, sobretudo porque Softwares Educacionais ainda são um nicho de mercado pouco explorado. Mas desenvolvimento, seja para licenças comerciais ou Livres, gera custos e cria uma contradição à idéia central do seu artigo: software livre também não é barato.

Naturalmente o custo a que me refiro é o daquele material desenvolvido para fins específicos ou para determinadas instituições, bem como a personalização de algum software pré-existente.

E tenho como base os serviços prestados por profissionais da área, principalmente os cursos oferecidos no mercado: tudo é muito caro. O pouco que aprendi sobre Linux foi nos fóruns e na Web. Exceção foram dois livros. Se tivesse que pagar cursos como fiz pra aprender Windows, não daria conta.

Outra coisa que lamento no seu artigo, é a pouca profundidade da sua pesquisa. O único software mencionado foi o Gcompris. Mas como poderá ver abaixo, existem outros . Estava preparando uma "dica" sobre isso, mas acho que o momento é mais oportuno.

Assim, peço que aceite essa minha contribuição ao assunto.

[]s!

Wesley Caiapó
__________________________________________________


First Math
(http://www.linuxforkids.com/edu_math.html) > O First Math é um jogo bem simples, o mais simples de todos. Sua interface é pobre, sem nenhuma imagem, apenas botões. Assim como no Math Literature, o objetivo também é resolver operações matemáticas. Só que aqui, o programa lhe oferece três opções de resposta, e você deve escolher entre uma delas.

First Math O First Math não tem nenhum objetivo. Objetivo no sentido de zerar o jogo, pois não possui níveis nem pontuação. O objetivo real é ensinar Matemática às crianças e iniciá-las com operações matemáticas.

Com uma interface sem recursos gráficos, o First Math é indicado para as crianças por ser o mais fácil, já que não é muito atraente, e por ser de respostas de múltipla escolha, ajudando a garotada na hora de decidir!

Math Literature (http://home.nyc.rr.com/teachertools/mathliterature.html) > De todos os jogos, o Math Literature é o que possui a interface mais bem trabalhada e atraente, apesar de não ser feito nas cores que uma criança gostaria. O objetivo do jogo é resolver as operações matemáticas apresentadas. Para cada operaçao resolvida você recebe um ponto, e com um certo número de pontos passa de nível.

São, ao todo, 7 níveis:

1. adição
2. subtração
3. multiplicação
4. divisão
5. subtração II
6. divisão II
7. randômico

Obivamente, a dificuldade vai aumentando a medida em que você vai passando de nível.

No geral, o Math Literature é um jogo simples e, como dito antes, atraente. Ideal para as crianças;

TuxType (http://www.geekcomix.com/dm/tuxtype/) > O Tuxtype é um jogo que ensina as letras do alfabeto e palavras em iglês de forma muito divertida. Sua interface é extremamente colorida e chamativa e a criança joga com um pinguim bonitinho, o que já aumenta a diversão.

O objetivo do jogo é ir comendo os peixes, que representam letras, antes que eles caiam no chão. Para comer um peixe, basta pressionar a letra que ele representa. A medida que você vai comendo peixes, você vai acumulando pontos e consequentemente passando de fase, com a dificuldade aumentando;

Tuxtype é o mais atraente jogo educativo. Seu visual é impressionante, o que chamará logo de cara a criança. Além disso, possui som e algumas animações legais, como quando o peixe está muito longe e o Tux precisa correr para pegá-lo;

Gtrans (http://gtans.sourceforge.net/) > O gTans é baseado no jogo chinês Tangram, onde o objetivo é unir 7 formas geométricas de forma que elas montem uma outra forma pré-estabelecida por linhas. Todas as peças precisam ser usadas. Você pode trocar as posições, girá-las, do jeito que for preciso. As peças sempre são: 5 triângulos, um quadrado e um paralelogramo.

As crianças podem achar esse jogo um pouco difícil, e ele realmente é. Pra ser sincero me diverti jogando ele! Porém, ele é ótimo para estimular a capacidade de raciocínio, e, com a ajuda das linhas (outlines), ele nem é tão difícil assim.

A interface pode ser toda personalizada: é possível alterar a cor de fundo, cor das peças etc. A medida que você vai completando uma figura você recebe uma outra, e a dificuldade vai aumentando. Instale agora mesmo este jogo, para seu filho, ou para você! A diversão é garantida.



Fonte:
http://olinux.uol.com.br/artigos/334/1.html

[2] Comentário enviado por joerosa em 23/05/2006 - 22:02h

gostei de sua matéria, seria muito bom que mais artigos fossem postados incentivando a software livre na educação.
infelizmente os educadores mais concervadores simplesmente nÃo aceitão isto, a não ser que sejam obrigados a usar, caso contrario é uma luta em vão. falo isto porque ja tive uma experiencia como esta, tentei inserir o linux na educação de estudantes do ensino fundamental e médio de uma escola, e ouvi de professores considerados "atualizados" que se fosse pra usar coisa ultrapasado como o linux o melhor era nÃo usar nada. e mesmo eu explicando e trazendo material que comprovava o que eu falava eles ignoraram.
Educadores como os que encontrei atrapalham e muito.

[3] Comentário enviado por diegumn em 24/05/2006 - 00:16h

Wesley, obrigado pelo seu comentário. Esse foi o primeiro artigo. Existe uma relatividade na questão de valor agragado no desenvolvimento de um software educaional. A filosofia opensource é capaz de reunir equipes para elaborar projetos interessantes, afim de colher infomações para pesquisas. Essa é uma forma de "pagar" o trabalho desta equipe.
Claro, quando tratamos de softwares específicos, como por exemplo os acadêmicos, existe um custo maior atrelado. Mas eu pergunto, e porque não pagar para desenvolver um sistema baseado em linux?...

Joerosa, pois é. Infelizmente não se quebra modismos ou culturas de um dia pro outro. Esse tema é muito complicado. O linux já tomou seu lugar definitivo em servidores, falta muito pouco para as outras áreas.

[4] Comentário enviado por tjpp em 24/05/2006 - 12:34h

Diego,

entre outras tarefas trabalho com computação e divulgação científica. Estamos mudando agora para o Edubuntu. Enquanto eu sou usuário exclusivo do Linux, eu não conheço nenhum software educacional para outros sistemas. Você poderia dar exemplos de softwares que você conhece mas que não tem similares para Linux ?

Outro ponto que seria legal ser abordado em próximos artigos e que tem tudo a ver com educação e Linux, seria a utilização do LTSP em salas de aulas ou laboratórios.

Parabéns pelo artigo.


[5] Comentário enviado por Evangelista em 25/05/2006 - 12:32h

Leiam hoje: Isaías 59:1.


Sou estudante do curso de Pedagogia e a minha monografia será baseada nesse tema. Realmente encontra-se muita resistência por parte dos educadores com o novo. Já usei vários desses programas e fiquei bastante satisfeito, porém ainda não consegui colocar um Servidor LTSP como mencionado pelo TJPP para rodar. Nessa última versão acho que 4.1 cheguei muito mais perto do que nas primeiras versões. Acho que só não consegui por causa do DHCP. Mas a cada versão eles vem melhorando e muito o configurador do programa. Acho que na versão 5.0 eu consigo. : )

[6] Comentário enviado por tenchi em 25/05/2006 - 13:23h

Um comjunto de programas que ninguém citou aki, e que é muito bom, é o kdeedu (http://edu.kde.org/), que compreende programas educativos, que englobam todas as areas, desde matemática, lógica, programação para crianças, geografia, astronomia, entre outras , e tem um excelente suporte para a lingua portuguesa. Além de ter aqueles joguinhos que todo mundo já jogou quando criança, mas em versão virtual, como Forca...

[7] Comentário enviado por antoniorcjr em 26/05/2006 - 10:16h

Informo a voces que contribuir para o Software Livre pensando em dinheiro nao e nada bom... pois com odisse... CONTRIBUIR... Acho que minha prioridade com o Sofwtare Livre nunca foi o dinheiro, mais a ideia em si, pensar em dinheiro e bom... ter dinheiro e bom... mais estou com o Software Livre pela causa, pela ideia em si.
Sou professor de informatica de uma instituição Salesiana, e uso o Edubuntu com meus alunos do Maternal a Alfabetizaçao (hoje chamada de 1º ano do ensino fundamental), no meio do ano irei migrar ate a 4ª serie e no proximo ano, todo o colegio... e se cada um de nos programadores, deixassemos de pensar que software custa caro... esperarmos que os Americanos nos mandem pacotes educacionais para traduzirmos, porque nao nos unir e fazer nossos proprios pacotes... em casa... sem fins lucrativos... apenas para dar a LIBERDADE a outras pessoas, aos estudantes, professores.... AO BRASIL!!!!
Fundei junto com Marcelo Mendes, Emerson Soares (ambos fundadores do projeto Ubuntu, Emerson e o mantenedor do Ubuntu Guide) e Daniel Elias em Manaus o Projeto Edubuntu-BR...
Voces podem conferir no site: www.edubuntu-br.org e cadastrar-se em nossa lista...

Obrigado a todos...

Uma frase que sempre vem no e-mail do Marcelo Mendes: Software Livre, uma causa por si so!

No meu blog tenho um artigo sobre o GCompris...
http://brankinhu.jb0.org

[]'s a todos

Ninguem e tao grande que nao possa aprender nem tao pequeno que nao possa ensinar!

[8] Comentário enviado por delucca em 30/05/2006 - 04:10h

O tema é interessante, não tenha dúvida. Estamos desenvolvendo um projeto aqui na UFSC, em conjunto com uma escola básica estadual, de classificação de softwares livres educacionais. O projeto chama-se CLASSE e o wiki do mesmo está em http://classe.geness.ufsc.br .

Neste momento estamos avaliando a aplicabilidade de 25 softwares educacionais livres sobre Linux em um ambiente escolar real, vendo as questões de uso de acordo com os parâmetros curriculares nacionais e aspectos didático-pedagógicos (é... não é só achar que sabe como fazer e sair programando, as estratégias pedagógicas e a evolução dos processos cognitivos das crianças são coisas muito importantes ao "criar" um software educativo).

A lista de 25 softwares foi filtrada de 50 semi-finalistas que foi filtrada originalmente de mais de 200 identificados em toda a internet. Só atacamos 25 porque não temos gente suficiente para atacar os outros 25 no prazo que definimos (julho/2006)

Convido a todos a participarem! Visitem o wiki, registrem-se e colaborem. Há atividades de todo tipo: localização de softwares, criação de manuais, criação de exercícios de exemplo para uso dos softwares, etc. O resultado final será um live CD com todo o conteúdo que produzirmos.
Estamos levando a experiência para outras escolas da cidade e do estado de SC, também.

De Lucca
http://classe.geness.ufsc.br


Só para comentar: Também "revivemos" um laboratório com máquinas antigas da citada escola usando LTSP (são 12 terminais e um servidor). Antes, a sala vivia fechada. Agora, sempre há estudantes por lá (quando não há greves!). Há 1 ano, só há problemas de hardware (máquinas velhas) e nenhum de software (o que era uma constante antes: virus, desconfigurações, etc)


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts