Instalando e Configurando o SAMBA3 no FreeBSD 8.1 Release

Olá. Artigo com o objetivo de instalar e configurar de forma básica e objetiva o SAMBA 3.5.6 no FreeBSD 8.1 Release.

[ Hits: 29.277 ]

Por: Danilo Perillo Chiacchio em 23/06/2011


Acessando o CUPS através de um host da Rede Local



Atraves de uma máquina da rede, podemos acessar o painel de gerenciamento do CUPS via Browser (Navegador). Não recomendo o IE para o acesso ;-). Segue abaixo o endereço que devo acessar:

http://192.168.1.20:631/

Nota: Por default, o CUPS “escuta” na porta lógica 631. Se não estiver conseguindo o acesso, revise o arquivo de configuração do CUPS (provavelmente está sem acesso lá no arquivo), e tente checar se a porta lógica está sofrendo algum tipo de bloqueio (Firewall, etc). Atraves de um programa PortScan (como o NMAP, por exemplo), podemos checar se a porta está aberta e aceitando conexões, atraves do comando abaixo:

# nmap -sS -p 631 localhost

Será retornado a mensagem abaixo, indicando que a porta está aberta (open):

Starting Nmap 5.21 ( http://nmap.org ) at 2011-03-03 23:59 UTC
Nmap scan report for localhost (127.0.0.1)
Host is up (0.000066s latency).
PORT STATE SERVICE
631/tcp open ipp
Nmap done: 1 IP address (1 host up) scanned in 1.19 seconds

Compartilhando impressoras com o SAMBA

O CUPS é uma poderosa ferramenta para:
  • Instalação Impressoras;
  • Gerenciamento de Impressoras;
  • Gerenciamento de Jobs (Trabalhos de Impressão);
  • Separação de impressoras por Classes (Organização);
  • Visualização do seu próprio arquivo de log/job;
  • Edição de seu próprio arquivo de configuração;
  • Etc;

Enfim, possui muita funcionalidade que são utilizadas mediante a necessidade de um ambiente em especifico. Para podermos compartilhar essas impressoras com os usuários, fazemos isso atraves do SAMBA.

Para isso, podemos inserir uma sessão adicional chamada “Printers” ao arquivo de configuração só SAMBA, fazendo com que todas as impressoras instaladas no CUPS sejam mapeadas para todos os usuários, sejam eles cadastrados no sistema e/ou no SAMBA. Segue abaixo o conteudo que deve ser inserido no arquivo de configuração do SAMBA (/usr/local/etc/smb.conf):

[printers]
comment = Compartilhamento de todas as impressoras
path = /var/spool/samba
print ok = yes
guest ok = yes
browseable = yes
hosts allow = 192.168.1.

Explicando opções relevantes:

# Diretorio utilizado para o spool de impressão (Area temporária);
path = /var/spool/samba

# Faz com que o compartilhamento da impressora este ativo e operante;
print ok = yes

# Permite que qualquer usuário possa imprimir, seja ele cadastrado no SAMBA ou não;
guest ok = yes

# Define quais hosts poderão utilizar as impressoras. No caso todos os hosts de minha rede local;
hosts allow = 192.168.1.

Afinando as configurações de impressoras no SAMBA

É possível também especificar o compartilhamento individual de cada impressora, o que é muito util quando o servidor compartilha várias impressoras diferentes e diferentes permissões precisam ser aplicadas a cada uma delas. Para criarmos um compartilhamento especifico de uma impressora já instalada no CUPS (por exemplo, uma HPC3180), devemos inserir a entrada abaixo no final do arquivo de configuração do SAMBA:

[hpc3180]
path = /var/spool/samba
print ok = yes
guest ok = yes
browseable = yes
hosts allow = 192.168.1.
invalid users = joao, maria, pedro

Explicando:

Nesse caso estou compartilhando a impressora de nome hp3180 (nome do compartilhamento definido no momento da instalação da impressora no CUPS) com algumas permissões diferentes, onde todos os usuários de minha rede local podem imprimir, menos os usuários joao, maria e pedro, independente da máquina que estejam. Isso é possível atraves das opções abaixo:

hosts allow = 192.168.1.
invalid users = joao, maria, pedro

Nota: Sempre, após alguma alteração para que a mesma possa entrar em vigor reinicie o daemon do SAMBA para que as mesmas entram em funcionamento.

Observação: Tenha em mente que o CUPS também pode ser utilizado para compartilhar as impressoras, mas o SAMBA é utilizado para fazer isso devido a flexibilidade que pode fornecer.

Observação 2: No exemplo do compartilhamento das impressoras, tenha em mente também que o driver não é fornecido. Com isso, caso esteja adicionando essa impressora em ambiente Windows, você deve possuir o driver correto da impressora para que a mesma possa funcionar corretamente.

Usando e Habilitando o SWAT para editar a configuração do SAMBA

SWAT:

Podemos realizar toda a configuração do SAMBA atraves de um navegador WEB, através de uma interface de menus gráfica. Para muito administradores, a melhor maneira é editar o arquivo diretamente via linha de comando, mas o SWAT (SAMBA Web Administration Tool) é uma boa ferramenta para que está começando e deseja aprimorar mais suas habilidades e conhecimentos. Para poder utiliza-lo, não é necessário a instalação de nenhum servidor WEB de terceiros, pois ele possui seu próprio manipulador de solicitações WEB.

Habilitando o SWAT no arquivo /etc/inetd.conf:

O daemon inetd é considerado um serviço de Internet “Super-Server”. Basicamente, ele é responsavel por escutar por certas conexões a alguns sockets configurados no servidor em questão. Apenas receber uma solicitação, o mesmo analisa qual programa o socket necessita e o invoca para poder ser executado e atender a solicitação em questão. Após o programa ser utilizado, o inetd continua a escutar o socket para aguardo de novas conexões/solicitações.

Para habilitar o SWAT no arquivo de configuração do daemon inetd, basta descomentar a ultima linha do arquivo que diz respeito ao SWAT, conforme segue a mesma abaixo:

swat stream tcp nowait/400 root /usr/local/sbin/swat swat

Explicando:

Editar o arquivo de configuração do daemon inetd:

# ee /etc/inetd.conf

Descomentar ou inserir (caso não exista) a linha abaixo referente ao “socket” do SWAT:

swat stream tcp nowait/400 root /usr/local/sbin/swat swat

Habilitando a execução do daemon do Inetd

Para habilitar a execução do daemon, basta inserir a entrada abaixo no arquivo de configuração /etc/rc.conf:

inetd_enable=”YES”

# sh /etc/netstart

Feito isso, basta agora iniciarmos o serviço do inetd para podermos acessar a interface de configuração do SWAT. Segue comando abaixo:

# /etc/rc.d/inetd start

Agora, a partir de uma máquina da rede, acesse via Browser a interface de configuração do SWAT, atraves do seguinte endereço:

http://ipdoservidor:901/

Explicando:
  • ipdoservidor: Deve ser o endereço IP do servidor SAMBA;
  • 901: Porta default utilizada pelo SWAT. Certifique de que a mesma não está bloqueada no Firewall ou dispositivo de segurança da máquina do de sua rede local (LAN).

Nota: Tenha em mente que as configurações deitas atraves do SWAT, serão aplicadas diretamente no arquivo de configuração do SAMBA (/usr/local/etc/smb.conf). Com isso, muito cuidado com as alterações realizadas.

Dica: Caso queira testar o SWAT, faça antes uma cópia do arquivo de configuração do SAMBA, para que possa voltar ao normal caso alguma configuração saia errado ou não esteja satisfeito com alto e não consiga reverter depois. Essa cópia pode ser feita para o seu diretório HOME, como por exemplo para o usuário João:

# mkdir /home/joao/backup
# cp /usr/local/etc/smb.conf /home/joao/backup/smb.conf.backup


Explicando:
  • mkdir /home/joao/backup: Criando um diretório para armazenar o backup do arquivo do SAMBA;
  • cp /usr/local/etc/smb.conf /home/joao/backup/smb.conf.backup: Copiando o arquivo principal de configuração do SAMBA para o diretorio criado anteriormente;

Referências

  • Livro: Servidores Linux (Guia Pratico) – Carlos E. Morimoto;
  • Livro: Network Administration with FreeBSD 7 – Babak Farrokhi;
  • Meus conhecimentos/Experiência;
Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Cenário utilizado
   2. Manipulando o daemon do SAMBA
   3. Adicionando usuários para acesso aos Recursos
   4. Acessando o CUPS através de um host da Rede Local
Outros artigos deste autor

Anon-Proxy no Debian Lenny

Servidor SSH (Secure Shell Hosting)

Configuração de servidor DHCP no Debian Linux

Leitura recomendada

Samba e as "vulnerabilidades" encontradas

Tutorial completo de implementação de LDAP + Samba + Squid

Samba 4 (Active Directory) no Debian/Ubuntu Server

Configuração definitiva do Samba

Samba 4 como controlador de domínio com Active Directory da MS

  
Comentários
[1] Comentário enviado por danilorpneves em 29/06/2011 - 15:42h

mandou bemm...parabéns :D

[2] Comentário enviado por danchiacchio em 29/06/2011 - 22:38h

Boa Noite danilo neves,

Que bom que gostou, fico feliz.

Abraço,
Danilo.

[3] Comentário enviado por turad em 02/08/2011 - 12:43h

Bom tutorial parabéns

[4] Comentário enviado por leandromfacchini em 07/09/2011 - 15:05h

Boa tarde, to com um problema na hora de achar o diretorio do samba eu faço #cd /usr/ports/net/samba3, e ele retorna a mensagem: no such file or directory, quem puder me ajudar agradeço.

[5] Comentário enviado por danchiacchio em 07/09/2011 - 17:02h

Boa Tarde leandromfacchini,

Se estiver utilizando a versão 8.1 ou 8.2 Release do FreeBSD, tente o seguinte:

# cd /usr/ports/net/samba35

Abraço,
Danilo.

[6] Comentário enviado por leandromfacchini em 08/09/2011 - 01:02h

deu certo, o problema era com o diretorio ports que não estava configurado corretamente, vlw pela dica.

att.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts