Instalação do CRUX 3.0 em Virtualbox

CRUX é a distribuição GNU/Linux que inspirou o surgimento do Arch Linux. Este artigo é o passo-a-passo da instalação dessa distribuição no Virtualbox. Uma ajudinha para quem quer testá-la, mas acha complicado iniciar.

[ Hits: 15.664 ]

Por: Xerxes Lins em 18/07/2014 | Blog: https://voidlinux.org/


Configuração



Passo 5 - Chroot e senha de root

Agora, execute o comando:

# setup-chroot

Esse comando vai, automaticamente, executar todos estes:
  • mount --bind /dev /mnt/dev
  • mount --bind /tmp /mnt/tmp
  • mount -t proc proc /mnt/proc
  • mount -t sysfs none /mnt/sys
  • chroot /mnt /bin/bash

E com isso, você já estará dentro do sistema instalado. Crie a senha de root:

# passwd

Passo 6 - Locales e Time Zone

Modifique o idioma de compilação para português do Brasil:

# localedef -i pt_BR -f ISO-8859-1 pt_BR
# localedef -i pt_BR -f ISO-8859-1 pt_BR.ISO-8859-1
# localedef -i pt_BR -f UTF-8 pt_BR.utf8

Eu obtive essa informação do Handbook (item 6.1.4. Generating locales), pois lá dava um exemplo assim:

# localedef -i sv_SE -f ISO-8859-1 sv_SE
# localedef -i sv_SE -f ISO-8859-1 sv_SE.ISO-8859-1
# localedef -i sv_SE -f UTF-8 sv_SE.UTF-8

Quase a mesma coisa, bastando trocar sv_SE por pt_BR.

Para configurar o Time Zone, execute o comando para copiar zoneinfo para o /etc/localtime:

# cp /usr/share/zoneinfo/America/Recife /etc/localtime

Obs.: neste exemplo, usei America/Recife, mas você deve usar Continente/Capital de acordo com sua localização. Para ver os locais disponíveis, liste os arquivo de /usr/share/zoneinfo:

# ls /usr/share/zoneinfo

Passo 7 - rc.conf

Edite o arquivo que define opções e serviços na inicialização do sistema, o rc.conf:

# vi /etc/rc.conf

O padrão é:

FONT=default
KEYMAP=us
TIMEZONE=UTC HOSTNAME=host
SYSLOG=sysklog
SERVICES=(net crond)


Altere para:

FONT=default
KEYMAP=br-abnt2
TIMEZONE=America/Capital
HOSTNAME=host
SYSLOG=sysklog
SERVICES=(net crond)

Salve e feche.

Passo 8 - fstab

Edite a tabela de montagem de partições, com definição de sistemas de arquivos, o fstab:

# vi /etc/fstab

O que fazer aqui?

Primeiro, perceba que tudo está comentado. Basta seguir a identificação.

Exemplo: #EXT4FS_ROOT#

Edite a linha correspondente aos comentários e "descomente" (retire o # da frente) para validar a linha.

Seguindo este artigo, foram criados duas partições, sda1 e sda2. A segunda para SWAP e a primeira para raiz do sistema. Seguindo tal lógica, a tabela ficaria assim:
Linux: Instalação do CRUX 3.0 em Virtualbox

Após editar, para deixar de acordo com seu sistema, salve e feche.

Para ver como sua tabela ficou, sem os comentário, pode executar:

# cat /etc/fstab grep -v ^#

O resultado será algo bem mais claro, limpo e didático, assim:
Linux: Instalação do CRUX 3.0 em Virtualbox

Passo 9 - Net

Se quiser se conectar agora, execute:

# dhcpcd -t 10 eth0

Para testar:

# ping 8.8.8.8 -c 4

Mas, o interessante seria executar esse comando automaticamente na inicialização do sistema, não é mesmo? Para isso, precisamos editar o script de inicialização da rede em
etc/rc.d/net:

# vi /etc/rc.d/net

O padrão é assim:

#!/bin/sh
#
# /etc/rc.d/net: start/stop network
#

case $1 in
start)
    # loopback
    /sbin/ip addr add 127.0.0.1/8 dev lo broadcast + scope host
    /sbin/ip link set lo up
    # ethernet
    /sbin/ip addr add 192.168.1.100/24 dev eth0 broadcast +
    /sbin/ip link set eth0 up
    default route
    /sbin/ip route add default via 192.168.1.1
    ;;
stop)
    /sbin/ip route del default
    /sbin/ip link set eth0 down
    /sbin/ip addr del 192.168.1.100/24 dev eth0
    /sbin/ip link set lo down
    /sbin/ip addr del 127.0.0.1/8 dev lo
    ;;
restart)
    $0 stop
    $0 start
    ;;
*)
    echo "usage: $0 [start|stop|restart]"
    ;;
esac

# End of file

A configuração padrão não usa DHCP. O que temos que fazer, é comentar as opções de IP fixo e colocar o comando para usar DHCP. Não precisa editar as opções de loopback, apenas de Ethernet.

Vai fica assim:

#!/bin/sh
#
# /etc/rc.d/net: start/stop network
#

case $1 in
start)
    # loopback
    /sbin/ip addr add 127.0.0.1/8 dev lo broadcast + scope host
    /sbin/ip link set lo up
    # ethernet
    #/sbin/ip addr add 192.168.1.100/24 dev eth0 broadcast +
    #/sbin/ip link set eth0 up
    /sbin/dhcpcd -t 10
    #default route
    #/sbin/ip route add default via 192.168.1.1
    ;;
stop)
    #/sbin/ip route del default
    #/sbin/ip link set eth0 down
    #/sbin/ip addr del 192.168.1.100/24 dev eth0
    /sbin/dhcpcd -x
    /sbin/ip link set lo down
    /sbin/ip addr del 127.0.0.1/8 dev lo
    ;;
restart)
    $0 stop
    $0 start
    ;;
*)
    echo "usage: $0 [start|stop|restart]"
    ;;
esac

# End of file

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Configuração
   3. Kernel
   4. Últimos passos
Outros artigos deste autor

Conkyzando e atalhando o Lubuntu 12.10

Incrementando os efeitos do Ubuntu

Sim, quebre o Debian!

Incentivo ao Funtoo

Slackbuilds para leigos

Leitura recomendada

Configurando a impressora Epson C45 no Kurumin

Criando um tema de apresentação no Mandriva

Como instalar e configurar duas ou mais distros

Instalação do GLPI no GNU/Linux CentOS 7.0

Como alterar o MAC Address no Linux Mint (spoof mac)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por albfneto em 18/07/2014 - 12:54h

Muito legal, Xerxes. Favoritado e 10.

[2] Comentário enviado por xerxeslins em 18/07/2014 - 13:27h


[1] Comentário enviado por albfneto em 18/07/2014 - 12:54h:

Muito legal, Xerxes. Favoritado e 10.


Valeu!!

[3] Comentário enviado por removido em 18/07/2014 - 13:49h

Aí sim.Como estou de férias sem fazer nada,vou tentar.Aliás,tentar o CRUX não vai me matar né?Ou vai?
Me diz:Os repositorios dele sao grandes,tem bastante coisa?

[4] Comentário enviado por nicolo em 18/07/2014 - 14:33h

Esse Crux parece coisa de escola escandinava (no caso sueca) onde o aluno tem que aprender por experimento. Tem até que compilar o kernel, e fazer tudo praticamente do zero. Nada pronto.


[5] Comentário enviado por xerxeslins em 18/07/2014 - 18:27h


[3] Comentário enviado por lcsxv em 18/07/2014 - 13:49h:

Aí sim.Como estou de férias sem fazer nada,vou tentar.Aliás,tentar o CRUX não vai me matar né?Ou vai?
Me diz:Os repositorios dele sao grandes,tem bastante coisa?


não vai te matar não, a não ser de impaciência pela demora em compilar as coisas. Mas pra quem for paciente, é de boa.
O repositório tem bastante coisa, mas não é grande como Debian e Gentoo. Você mesmo pode checar o que há nos repositórios em:

http://crux.nu/portdb/

E você pode criar seus próprios pacotes com o pkgmk, e aí pode definir CFLAGS, CXXFLAGS e outros detalhes. Veja o arquivo /etc/pkgmk.conf.


[6] Comentário enviado por guimaraesrocha em 19/07/2014 - 20:34h

Bom artigo, assim que possível vou experimentar.

[7] Comentário enviado por xerxeslins em 22/07/2014 - 09:40h

Só avisando que saiu a versão 3.1 do CRUX recentemente. A instalação é o mesmo procedimento 3.0. Não é recomendado atualizar do 3.0 para o 3.1, pois há mudanças que podem quebrar o sistema. Recomenda-se uma instalação do zero para o 3.1. Abraço.

[8] Comentário enviado por pagani em 27/07/2014 - 18:43h

Depois de 3 kerneis panic achei o erro, onde estava

cp arch/x86/boot/bzImage /boot/vmlinuz

troquei por

cp arch/x86_64/boot/bzImage /boot/vmlinuz

[9] Comentário enviado por xerxeslins em 27/07/2014 - 22:44h


[8] Comentário enviado por pagani em 27/07/2014 - 18:43h:

Depois de 3 kerneis panic achei o erro, onde estava

cp arch/x86/boot/bzImage /boot/vmlinuz

troquei por

cp arch/x86_64/boot/bzImage /boot/vmlinuz


Interessante. Não sei como está a versão 3.1, mas na 3.0 que foi a base do artigo, o caminho correto poderia ser tanto um como o outro (x86 ou x86_64), um era link do outro (se não me engano) e mesmo assim ele suporta apenas 64, mesmo o manual oficial dizendo que o caminho correto é x86 e não cita x86_64 (embora exista).


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts