Instalação do CRUX 3.0 em Virtualbox

CRUX é a distribuição GNU/Linux que inspirou o surgimento do Arch Linux. Este artigo é o passo-a-passo da instalação dessa distribuição no Virtualbox. Uma ajudinha para quem quer testá-la, mas acha complicado iniciar.

[ Hits: 15.663 ]

Por: Xerxes Lins em 18/07/2014 | Blog: https://voidlinux.org/


Kernel



Passo 10 - hosts e resolv.conf

A tabela que associa nome de Host e IP não precisa ser editada, trata-se do arquivo /etc/hosts. E o arquivo de configuração DNS, o /etc/resolv.conf, já deve ter sido configurado automaticamente com o uso do DHCP. Por isso, não há nada a fazer no passo 10.

Pode checar os arquivos apenas para constar que eles existem.

Passo 11 - Kernel

Se não estivéssemos no VirtualBox, seria necessário obtermos informações sobre o nosso Hardware para continuarmos com esse passo 11. Essas informações podem ser conseguidas com os seguintes comandos:

# lspci -v
# lsusb -v
# cat /proc/cpuinfo
# cat /proc/meminfo

Você pode testar, executando esses comandos em sua máquina hospedeira. O parâmetro -v é opcional e deixa o resultado mais detalhado. Eu não tenho muito costume em compilar kernel, por isso "eu apanho". Mas, sei que é necessário tentar até acertar. Obter "Kernel Panic" é normal, até descobrir o erro.

A vantagem do VirtualBox, é que não exige muitas opções no menuconfig, praticamente, basta habilitar suporte aos formatos de arquivos. Funcionou comigo.
Linux: Instalação do CRUX 3.0 em Virtualbox
Opção no menuconfig do kernel: File systems

No começo, eu usei as configurações padrões do kernel do live-CD, mas dava erro na montagem da partição raiz. Então, habilitei (troquei o "M" por "*"), ou seja, não deixei mais como módulo e sim como parte do kernel, o suporte a todos os formatos de arquivos do tipo ext. Ainda deu um errinho no boot, mas seguiu, não deu kernel panic. Fica a dica.

Sobre kernel, no CRUX GNU/Linux, basicamente, você tem duas opções:
  • Pode compilar o kernel que está dentro do live-CD
  • Ou pode baixar a versão atual e depois compilar.

Veremos as duas opções.

Opção 1: compilando o kernel do live-CD:

# cd /usr/src/linux-3.6.x
# zcat /proc/config.gz > .config   # Comando opcional, se quiser pegar as configurações atuais
# make menuconfig
# make all
# make modules_install
# cp arch/x86/boot/bzImage /boot/vmlinuz
# cp System.map /boot

Opções 2: baixar kernel novo e compilar:

Veja qual é a última versão do kernel, em:
Vamos supor que seja 3.15.5:

# cd /usr/src/
# wget https://www.kernel.org/pub/linux/kernel/v3.x/linux-3.15.5.tar.bz2
# tar -xvf linux-3.15.5.tar.bz2
# cd linux-3.15.5
# make menuconfig
# make all
# make modules_install
# cp arch/x86/boot/bzImage /boot/bzImage-3.15.5
# cp System.map /boot

Passo 12 - LILO e Grub

LILO:

O boot loader padrão do CRUX é o LILO. Se pretende usá-lo, edite o arquivo de configuração dele:

# vi /etc/lilo.conf

Modifique as configurações para acomodar os parâmetros relacionados com a configuração do seu sistema. Como exemplo, o arquivo, de acordo com as características deste artigo, ficaria assim:

lba32
install=text
boot=/dev/sda
    image=/boot/vmlinuz
    label=CRUX
    root=/dev/sda1
    read-only
    append="quiet"
# End of file

Salve e feche. Depois execute:

# lilo

Vai aparecer:

Added CRUX *


Grub:

Ah, mas você não gosta do LILO e prefere o GRUB. Nesse caso, faça:

# cd /boot
# mv vmlinuz vmlinuz-3.6.11

Obs.: o GRUB precisa da especificação da versão do kernel.

# grub-install /dev/sda
# grub-mkconfig > /boot/grub/grub.cfg

Vai aparecer:

Found linux image: /boot/vmlinuz-3.6.11
done


Passo 13 - Usuário e sudo

Para listar os grupos disponíveis, execute:

# cat /etc/group

Para adicionar um usuário, execute:

# useradd -m -G wheel,audio,video,scanner,cdrom,users -s /bin/bash nomedousuario
# passwd nomedousuario

Para ativar o sudo, "descomente" a linha, no arquivo sudoers, que permite usar todos os comandos se o usuário estiver no Grupo WHEEL.

# visudo
Linux: Instalação do CRUX 3.0 em Virtualbox
Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Configuração
   3. Kernel
   4. Últimos passos
Outros artigos deste autor

Estratégia para Shadow Era (Supernova Boring)

Sujando as mãos ao instalar Arch Linux (método de instalação novo)

Suítes de escritório com corretor ortográfico e gramatical no GNU/Linux

Acesso remoto pela Internet de forma simples usando TeamViewer

Fedorinha, fedorão: comandinhos de montão

Leitura recomendada

Otimizando seu web server com Apache2 + Lighttpd

Como alterar o MAC Address no Linux Mint (spoof mac)

Instalação Kickstart (revisado)

Agendando tarefas em Linux/Unix usando o cron

Configurando o modem Lucent USB no RH 9

  
Comentários
[1] Comentário enviado por albfneto em 18/07/2014 - 12:54h

Muito legal, Xerxes. Favoritado e 10.

[2] Comentário enviado por xerxeslins em 18/07/2014 - 13:27h


[1] Comentário enviado por albfneto em 18/07/2014 - 12:54h:

Muito legal, Xerxes. Favoritado e 10.


Valeu!!

[3] Comentário enviado por removido em 18/07/2014 - 13:49h

Aí sim.Como estou de férias sem fazer nada,vou tentar.Aliás,tentar o CRUX não vai me matar né?Ou vai?
Me diz:Os repositorios dele sao grandes,tem bastante coisa?

[4] Comentário enviado por nicolo em 18/07/2014 - 14:33h

Esse Crux parece coisa de escola escandinava (no caso sueca) onde o aluno tem que aprender por experimento. Tem até que compilar o kernel, e fazer tudo praticamente do zero. Nada pronto.


[5] Comentário enviado por xerxeslins em 18/07/2014 - 18:27h


[3] Comentário enviado por lcsxv em 18/07/2014 - 13:49h:

Aí sim.Como estou de férias sem fazer nada,vou tentar.Aliás,tentar o CRUX não vai me matar né?Ou vai?
Me diz:Os repositorios dele sao grandes,tem bastante coisa?


não vai te matar não, a não ser de impaciência pela demora em compilar as coisas. Mas pra quem for paciente, é de boa.
O repositório tem bastante coisa, mas não é grande como Debian e Gentoo. Você mesmo pode checar o que há nos repositórios em:

http://crux.nu/portdb/

E você pode criar seus próprios pacotes com o pkgmk, e aí pode definir CFLAGS, CXXFLAGS e outros detalhes. Veja o arquivo /etc/pkgmk.conf.


[6] Comentário enviado por guimaraesrocha em 19/07/2014 - 20:34h

Bom artigo, assim que possível vou experimentar.

[7] Comentário enviado por xerxeslins em 22/07/2014 - 09:40h

Só avisando que saiu a versão 3.1 do CRUX recentemente. A instalação é o mesmo procedimento 3.0. Não é recomendado atualizar do 3.0 para o 3.1, pois há mudanças que podem quebrar o sistema. Recomenda-se uma instalação do zero para o 3.1. Abraço.

[8] Comentário enviado por pagani em 27/07/2014 - 18:43h

Depois de 3 kerneis panic achei o erro, onde estava

cp arch/x86/boot/bzImage /boot/vmlinuz

troquei por

cp arch/x86_64/boot/bzImage /boot/vmlinuz

[9] Comentário enviado por xerxeslins em 27/07/2014 - 22:44h


[8] Comentário enviado por pagani em 27/07/2014 - 18:43h:

Depois de 3 kerneis panic achei o erro, onde estava

cp arch/x86/boot/bzImage /boot/vmlinuz

troquei por

cp arch/x86_64/boot/bzImage /boot/vmlinuz


Interessante. Não sei como está a versão 3.1, mas na 3.0 que foi a base do artigo, o caminho correto poderia ser tanto um como o outro (x86 ou x86_64), um era link do outro (se não me engano) e mesmo assim ele suporta apenas 64, mesmo o manual oficial dizendo que o caminho correto é x86 e não cita x86_64 (embora exista).


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts