Guia Introdutório do Linux II

Vamos dissertar sobre os papéis que o Linux pode desempenhar num ambiente empresarial. Finalmente veremos as necessidades de um cliente e como prover os recursos necessários para tornar o Linux efetivo em seu ambiente. Lembrando que este é o segundo de uma seqüência de artigos introdutórios sobre Linux. Há pouca coisa, se há alguma, para usuários intermediários.

[ Hits: 52.886 ]

Por: Juliao Junior em 17/06/2007


Nos servidores



DNS e servidores

O Linux é tipicamente usado como servidor no ambiente empresarial, em vista de sua grande estabilidade e inteireza como sistema operacional. Como o Linux é um sistema 'derivado' do UNIX, pode realizar quase todas as atividades de um servidor UNIX. E como o MS Windows provê muitos serviços similares, pode-se usar o Linux para realizar tais tarefas em vez de sistemas Microsoft.

Além disso, como o Linux é bastante estável, é bastante útil para clusters de companhias maiores e de serviços críticos. É especialmente usado para aplicações da net serviços tais como DNS, firewall, e-mail, proxy, FTP, servidor de impressão, dentre muitos outros.

Quando você instala um servidor Linux, o DNS (Domain Name System) é uma das muitas opções disponíveis. DNS 'resolve' nomes de sistemas para endereços IP. Isso é um serviço importante, porque permite que usuários conectem máquinas usando nomes em vez de um estranho código IP, que pode facilmente ser esquecido.

Este serviço consiste em dados DNS, servidores DNS, e protocolos de internet para retornar dados dos servidores. Arquivos fontes são disponibilizados para cada host pelo diretório DNS, usando arquivos-texto especiais, organizados em zonas. Zonas são mantidas em servidores autorizados que distribuem por toda a net, que respondem às solicitações de acordo com protocolos de rede DNS.

A maioria dos servidores possuem autoridade para algumas zonas, e a maioria dos servidores apenas para algumas poucas zonas. Mas grandes servidores têm autoridade para dezenas de milhares de zonas. Por quebrar o DNS em zonas menores e então em domínios, o 'peso' sobre as máquinas é diminuído. Isto também facilita a organização da internet, pois não há necessidade de concentrar toda informação em um único servidor.

Tendo em vista a configuração hierárquica, uma organização pode estabelecer um servidor DNS para controlar o acesso à rede organizacional, o que pode ser feito com um servidor Linux.

Linux web server

Enquanto DNS resolve um nome para um endereço IP, permitindo que usuários se conectem à net, um servidor web provê a página web. O software mais popular que usuários Linux para oferecer as páginas web é o Apache Web server. Apache existe para prover um software de nível comercial capaz de prover HTTP, um padrão para criação de documentos serem visto na net.

Linux servidor de e-mail

E-mail é um dos serviços mais importantes para o usuário final. Existem vários softwares para auxiliar nesta tarefa, como o Sendmail. O Linux também suporta produtos comerciais.

Servidor de arquivos

O Linux é uma plataforma excelente para prover acesso a sistemas de arquivos, podendo ser locais ou remotos. Servidores de arquivos são uma necessidade nos nossos dias para ambientes empresariais, tendo em vista a facilidade dos usuários comuns acessarem com segurança seus dados em um ambiente centralizado. Este servidor de arquivos podem ser solicitados por outro Linux, UNIX, Microsoft, Apples, etc.

A possibilidade de usar o Linux como um servidor de arquivos em rede é comparável ao UNIX. UNIX usa o Network File System (NFS) para montar um sistema de arquivos remoto e tratá-los como se tais arquivos ou diretórios fossem locais. O Linux usa um pacote de softwares NFS, que inclui comandos e daemons (programas auxiliares) para NFS, Network Information Service (NIS), e vários outros serviços.

Trabalhar com NFS normalmente exige que cada sistema seja configurado para acessar cada recurso com um arquivo de configuração. A inclusão de NIS no Linux permite que o servidor mantenha os arquivos de configuração para a rede inteira. Isto torna a administração dos recursos da rede mais fácil, porque apenas os arquivos NIS devem ser atualizados, e não todo o cliente. É natural esperar que o Linux ofereça serviços para outros clientes Linux ou UNIX, mas e o que dizer de clientes Windows?

A Microsoft criou o protocolo Server Message Block (SMB) , que oferece a condição de trocar arquivos e recursos. SMB foi criado para ser usado em uma pequena rede local (LAN), não oferecendo sustentação para grandes redes. Em vista disso, a Microsoft criou o Common Internet File System (CIFS), baseado em SMB e também em Network Basic Input Output System (NetBIOS).

Para que o Linux trabalhe junto a clientes Microsoft, é preciso ou que um software 'tradutor' esteja rodando em cada cliente ou que o software Linux para rede compreenda os protocolos Microsoft. Surge então o Samba, um programa criado por Andrew Tridgell, que permite a clientes Linux se comunicar com recursos Microsoft usando o protocolo SMB. Samba é open source, e pode ser encontrado em www.samba.org.

Firewall

Um firewall protege os recursos de uma rede privada de um acesso não-autorizado de uma rede externa. Um firewall típico é geralmente criado em um roteador, ou um computador colocado especialmente para isso, que age como uma porta de entrada-saída para separar a rede externa da rede interna.

Isto cria um caminho seguro, onde apenas requisições autorizadas são permitidas para a entrada na rede interna. Uma máquina barata usando Linux com uma conexão com uma rede externa e outra com a rede interna pode ser usada como um firewall.

O Linux oferece muitos recursos para criar firewall, com ipchains, Netfilter. Firewalls são muito importantes, e devem ser constantemente atualizados e testados. Claro, a qualidade do serviço de um firewall é tão boa quanto a habilidade de quem o administra.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Linux - e agora?
   2. Nos servidores
   3. Linux vs. Outros
Outros artigos deste autor

Baixando ISOs-Linux em altíssima velocidade

DeVeDe - Produzindo discos de vídeo

APTonCD - Seu repositório portátil

Programação: Uso de funções

Programando em Octave (parte 1)

Leitura recomendada

Trabalhando com arquivos e diretórios

Utilizando um SSD ao lado de um HD em Micro Desktop

Distribuições Linux

Usando direcionadores de fluxo

Criação e edição de partições

  
Comentários
[1] Comentário enviado por kest em 17/06/2007 - 12:48h

Excelente artigo, se me permitir gostaria de imprimir e mostrar este artigo a alguns de meus clientes. Muito bom mesmo.

[2] Comentário enviado por mineiral em 17/06/2007 - 16:05h

Muito bom mesmo! Só gostaria de colocar um comentário/dúvida:
Eu não consegui fazer o BROffice abrir arquivos (doc/xls/pps) numa rede (tive primeiramente que copiar para o HD local), apesar de conseguir abrir o mesmo arquivo com Abiword e koffice.

[3] Comentário enviado por juliaojunior em 18/06/2007 - 19:53h

kest, é claro q vc pode usar. a comunidade existe para isso mesmo!! USE E ABUSE!!

[4] Comentário enviado por f_candido em 07/08/2007 - 19:58h

Excelente uma visão bem interessante.
Vlws
Abraços

[5] Comentário enviado por frednanet em 23/11/2008 - 01:58h

Precisando somente de uma atualizada.


Contribuir com comentário