GNU Emacs, o primeiro GNU

Através deste tentarei fornecer informações básicas (além de algumas avançadas) sobre um editor de textos avançado, extensível, personalizável e auto-documentado, o GNU Emacs. O artigo é um meio-termo entre tutorial passo-a-passo e um manual detalhado que entra em detalhes. Boa leitura.

[ Hits: 30.040 ]

Por: Vinícius dos Santos Oliveira em 28/04/2010 | Blog: https://vinipsmaker.github.io/


Emacs fora do Emacs



Você pode usar uma interface estilo Emacs fora de uma sessão Emacs em vários locais do GNU/Linux.
Um exemplo é no Eterm, o emulador de terminal do Enlightenment. Para adicioná-lo, baixe o arquivo emacs-Eterm-theme.tar.gz (que peguei no site www.eterm.org/themes/) e extraia seu conteúdo para a pasta ~/.Eterm/themes. Para utilizá-lo, apenas execute o comando:

Eterm -t emacs

Bash

Depois que você se sentir um pouco mais familiarizado com o Emacs vai perceber que o bash possui vários do atalhos presentes no Emacs (e seus atalhos seguem o mesmo estilo):
  • C-r Permite pesquisar por comandos já digitados
  • C-a Posicionar o cursor no início do comando
  • C-e Posicionar o cursor no final do comando
  • C-k Permite apagar tudo entre o ponto e o final do comando
  • C-u Permite apagar tudo entre o ponto e o começo do comando
  • C-y Permite colar/ressuscitar o texto apagado
  • M-y Substitui o último texto ressuscitado com o que estava na fila (havia sido apagado primeiro)

Apesar disso eu tinha visto um artigo onde um cara conseguiu fazer com que o Emacs fosse shell, e somente (tirando outros aplicativos essenciais como alguns daemons, ...) ele rodasse. Ele postou o manual passo-a-passo de como conseguir esse feito. Eu gostaria de adicionar o link para esse manual aqui, mas não consegui reencontrá-lo, apesar dele não ser muito velho.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução - um pouco de história
   2. Introdução - O básico para aprender
   3. Aprendendo - O básico
   4. Aprendendo - Buffers, janelas e frames
   5. Emacs fora do Emacs
   6. Piadas - fatos
Outros artigos deste autor

Próximas Tecnologias do Sistema GNU/Linux

VLC Media Player (parte 2)

A história do ogg na web

História da informática: Um pouco de datas e especificações

Tratamento de exceções na linguagem C

Leitura recomendada

O software livre e as novas oportunidades

Anthares, um sistema voltado para o usuário final

Redmine 2.1.4 no Debian Squeeze - Instalação e configuração

CrossOver - Programas de Windows em seu GNU/Linux

Instalando Xen 3.3.0 no Debian Lenny Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por dastyler em 28/04/2010 - 08:29h

O EMACS é meu editor de textos predileto no Linux desde meu 1º contato com o sistema.
Hoje uso outros editores, claro, mas sempre recorro a ele. digamos que uso ele no minimoi 2 vezes ao dia...:-PSó uma dica: o EMACS possui um menu para acessar as suas funções, para isso basta pressionar a tecla F10 e ele vai abrir a opção de menus de interação com o arquivo/computador, como por exemplo File, Save (que para acessar depois do F10 basta digitar f e s depois, e para sair do sistema F10, f e e).
Ficou muito bom o artigo...

[]´s


[2] Comentário enviado por linuxuserrj em 28/04/2010 - 09:41h

gostei da leitura

[3] Comentário enviado por asdf2 em 28/04/2010 - 15:09h

muito bom mesmo, vai pro favoritos

[4] Comentário enviado por g_s.lima em 28/04/2010 - 23:54h

Taí um dos meus objetivos: aprender a usar direito no Emacs... obrigado. Vai pro favoritos XD

[5] Comentário enviado por vinipsmaker em 29/04/2010 - 21:49h

@dastyler:
Realmente esqueci de falar sobre a tecla F10, acho que é porque uso muito no ambiente gráfico e fiquei mais acostumado a clicar, quando realmente preciso utilizar algum comando cujo "atalho" não saiba.

@outros:
vlw pelos comentários


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts