Fazendo jus ao nome GNU/Linux

Este artigo tem por finalidade de conceitualmente estabelecer uma união em pontos importantes à denominação mais correta do sistema operacional de software livre, mais conhecido como Linux, que substitui com ampla vantagens sistemas proprietários.

[ Hits: 44.973 ]

Por: Lúcio SLV em 05/01/2010


Estabelecendo conceitos



Com tudo isso dito e voltando à minha introdução! Não é justo se referir ao sistema GNU/Linux, como somente Linux. Saiba que só o kernel do Linus Torvalds sozinho não é capaz de fazer absolutamente nada, é só um coração sem corpo e cérebro!

Assisti a um vídeo de um evento realizado em Madri, Espanha; onde um rapaz saudava Linus como um semi-deus e achei isso um absurdo. Ele ria e se afastava do jovem deslumbrado e desinformado e numa entrevista no mesmo evento disse que não gostava de ter contato direto com o usuário final do sistema, que somente aparece nestes eventos com o único fim de ver possíveis novidades.
Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux
Saiba que ele detém os direitos da marca Linux e ganha merecidamente um bom dinheiro com isso, até aí tudo bem! Ele só não pode e mesmo que quisesse, tornar o kernel proprietário, mesmo sendo o seu criador! Graças a licença GPL (Licença Geral Pública) na qual o kernel é protegido e isso nunca poderá ocorrer! Os americanos são os maiores defensores de direitos legais e autorais no planeta e as leais que as regem são defendidas com unhas e dentes, pra não dizer com bombas e fuzis!

Em contrapartida, Richard Stallman é o grande mentor do software livre, viaja o mundo todo dando palestras, divulgando os seus ideais de que software deve ser livre para o bem comum da humanidade e sempre esta rodeado por pessoas de todas as idades, embora visto por muitos como um cara esquisito, com jeitão de hippie, devido aos longos cabelos e barba desleixada. Mas se ele é o pai do software livre, então quem seria a mãe? Não ouso responder! (Rsrsrsrsrs)
Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux Linux: Fazendo jus ao nome GNU/Linux
Bill Gates publicamente o chamou de comunista e anti-capitalista (o mundo já foi dividido entre dois blocos: o comunista, representado pela antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, cuja sigla era URSS e o capitalista, tendo os Estados Unidos da América junto a Inglaterra, a força anglo-saxônica imperialista, em que as bases capitalistas de mercado venceram e eles ditam as regras até os dias atuais) e que se dependesse de Stallman os programadores de softwares passariam fome. Será? Os resultados práticos mostram que não! Vocês acham realmente que a Novell, a Canonical, a Red Hat entre muitas outras empresas não lucram com o GNU/Linux? O fato é que eles ganham dinheiro com o suporte e não com a venda de programas e licenças de uso, contrariamente ao modelo proprietário tendo a Microsoft como seu maior expoente.

Somos uma comunidade

Antes que você me critique! É claro que não estou aqui pra induzí-lo ou forçá-lo a como chamar o nosso sistema operacional. Quem sou eu e não tenho tal pretensão! Não há nenhum problema em simplesmente dizer: Linux!

Eu também o chamo assim! É até mais prático. Porém ao escrever ou apresentar o programa a outras pessoas que não o conhecem, seria de muita elegância dar os devidos créditos a quem com muito trabalho, dedicação e acima de tudo com altruísmo, abdicou de se enriquecer e ser mais um bilionário no setor da informática.

Graças a esta iniciativa milhares de pessoas ao redor do mundo se beneficiam de um sistema operacional que não é uma alternativa mais sim uma solução sustentável que traz vantagens econômicas e sociais para os que o adotam.

O governo brasileiro já economizou milhares de reais com a adoção do software livre, ou simplesmente GNU/Linux. O dinheiro que se pagava de licença à Microsoft dá para investir em áreas mais primordiais ao nosso povo. Bom, se eles usam ou não o dinheiro economizado para outros fins isso já é uma outra questão. O fato é que essa economia existe e pode ser aplicada para o bem da nação!

Seja qual for a sua distro ela é composta basicamente por três frentes a saber:
  1. Comandos e ferramentas GNU: Tendo Richard Stallman como seu criador e gerente;
  2. Programas aplicativos: Amarok, Firefox, K9copy, Brasero, KDE, GNOME...
  3. Kernel Linux do Linus Torvalds.

A soma disso tudo, dá como resultado a denominação correta e justa ao sistema operacional:

GNU/Linux

"Tudo se resume em mudar a própria cabeça"

Lunix

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Fazendo jus ao nome GNU/Linux
   2. Estabelecendo conceitos
Outros artigos deste autor

Por que mudar de sistema operacional pode ser um bom negócio?

Como a propaganda afeta você?

Recupere o Grub na MBR após uma instalação do Windows

Quão segura é a sua senha?

O Mestre, o Tecnólogo e o Aprendiz

Leitura recomendada

Ligando e abrindo somente uma aplicação no Linux

Mandrake 10.1 Official - Análise de instalação e uso

Terminator - Multiterminais em Janela Única

openSUSE - As várias formas de atualizá-lo e de instalar pacotes

Dimdim: Solução de webconferência gratuita e poderosa

  
Comentários
[1] Comentário enviado por xerxeslins em 05/01/2010 - 15:43h

Concordo com o autor. Bom artigo.

Para quem gostaria de um resumo sobre a relação entre GNU e Linux, recomendo o artigo:

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/GNU-e-Linux-amigos-para-sempre

Abraços

[2] Comentário enviado por JoseRenan em 05/01/2010 - 16:12h

Gostei e concordo com você, na maioria dos sites que falam de SO open source cita-se que Linus criou o SO e não há nem um trecho sobre Stallman

[3] Comentário enviado por hideoux em 05/01/2010 - 16:18h

Seu artigo é um conjunto de opiniões baseadas em fatos verdadeiros.
Há alguns equívocos na forma como tratou essas informações.
Deve rever seus conceitos: nem Stallman, nem Torvalds são deuses... Mas você não deu suficiente relevância à comunidade em si. Stallman não é o projeto GNU sozinho.
Se reassistir Revolution OS, verá a própria fala de Stallman a respeito de "não ter conseguido" fazer o núcleo do sistema... Ali, é informado que o núcleo não era o objetivo imediato do projeto GNU.
O projeto GNU e o Linux se casaram "naturalmente"... Mas não do modo como você trata em seu artigo.

[4] Comentário enviado por jrsnjoao em 05/01/2010 - 17:05h

é interessante frizar o fato de que o software livre barateia os custos!
na máquina que uso atualmente veio instalado o linux insigne, e o preço dela caiu por conta disso, caiu para um valor significante...
agora essa conta é exponencial quando se trata do governo, logo, poderá haver pelo menos uma compra maior de computadores para uma escola pública.
a importancia de haver um sofware livre é realmente crucial!
onde posso encontrar o Revolution OS??

valeu

[5] Comentário enviado por isaque_alves em 05/01/2010 - 19:19h

Concordo com tudo o que foi afirmado.

A ausência de menções a Stallman reflete o embaraço que muitas pessoas sofrem ao ter que explicar o que exatamente é Software Livre (e não apenas 'software de código aberto').
Embora Stallman não seja o único criador, contudo é o fundador de uma nova ideologia, e de ideologia, todo mundo quer se esconder.
Quase ninguém quer assumir um ponto de vista tão audacioso quanto o dele.

Agora, justiça seja feita: A comunidade realmente tem todo o mérito, pois até mesmo Linus teve dúvidas sobre manter os direitos sobre o kernel, mas o publicou meio que por pressão de amigos e professores (é isso que parece no discurso do filme "Code Linux"...


Revolution OS no google videos: http://video.google.com/videoplay?docid=7707585592627775409#

[6] Comentário enviado por walescko em 05/01/2010 - 23:13h

As vezes esquecemos um pouco da história e acabamos falando apenas do Torvalds e esquecendo do papel do Stallman tem no mundo open source.

Gostei do artigo, bom para esclarecer aos novatos que Linux é algo maior e que não é a invenção de uma só pessoa, mas a contribuição de toda uma comunidade por trás. Quanto de como chamar, em conversas é mais prático usar apenas "Linux" do que "Gnu/Linux" (guinu - linux), isso assutaria mais ainda candidatos ao "conversão", porém quando escrevemos é mais fácil fazer essa correção.

[7] Comentário enviado por removido em 06/01/2010 - 02:18h

Também acho mais que justo tratar o SO como GNU/Linux, a não ser que, alguém queira usar apenas, só e, unicamente, o Kernel.
Acho que não tem o menor sentido usar um Kernel sem uma série de aplicativos rodando em cima dele. :-)
Muitos, às vezes, por raiva(ou não) do Stallman, preferem chamar apenas de Linux.
Tudo bem que ele vem exagerando em algumas coisas, ultimamente, mas não é por isso que devemos ser injustos ao ponto de chamar o SO apenas pelo "segundo nome" - Linux. :-)

[8] Comentário enviado por fhespanhol em 06/01/2010 - 08:45h

GNU/LINUX LINUX/GNU GNULIX Qual diferença faz? Bastaria ao Stalman e ao Linus sentarem e criarem uma logo para o sistema conjunto que criaram. Seria muito mais prático que um nome composto e horroroso como este que ainda por cima dá margem a discussões estéreis como esta. É por isto que o Linux não emplaca. Porquê ao invés de os desenvolvedores de software se unirem para criar um sistema cada vez mehlor ficam discutindo se Coca é Pepsi ou se Sukita é Fanta.

[9] Comentário enviado por leodamasceno em 06/01/2010 - 11:26h

Parabéns pelo artigo, realmente ficou muito bom!
Você expressou a sua opinião, e relatou fatos importantes da história do Gnu/Linux.
O fato de exporr a sua opinião não faz com que o artigo seja menos valorizado, já que sua opinião realmente está de acordo com o que o Gnu/Linux é!
Parabéns mais uma vez.

[10] Comentário enviado por osmano807 em 06/01/2010 - 13:29h

Ubuntu é GNU/Linux? Pensem bem, comparem ele com Windows e reflita kkk

[11] Comentário enviado por Roger GNU em 06/01/2010 - 13:30h

Gostei do artigo. gostei do comentário acima de leodamasceno, concordo com ele.
Bem eu penso que os usuários que cometam poderiam não criticar tanto, mas procurar completar informações e apoiar as idéias, resolver dúvidas....
Piratas do Vale do Silício, é um filme muito bom vale a pena ver... Eu não gosto também de apoios ao sistema operacional Rwindows XisPa, tudo bem ele ser hoje o maais usado mas nós não temos que defendê-lo, mas CRITICAR POOODE, mas acho que o primordial é divulgar Linux e ajudar a comunidade....

[12] Comentário enviado por hideoux em 07/01/2010 - 02:11h

hehe...
osmano807 levantou uma questão que dá briga...

[13] Comentário enviado por jedimaster_77 em 10/03/2010 - 16:07h

Legal o artigo.parabéns. mas comercialmente é muito melhor pronunciar Linux. isso sem contar que o nosso querido Tio Richard prefere que a denominação seja "GNU Slash Linux". abração.

[14] Comentário enviado por julianoazevedo em 19/03/2010 - 13:44h

Realmente devemos lembrar que existem pessoas comprometidas com o GNU/Linux. O ponto mais forte, na minha opinião, é o resultado gerado da união de vários pensamentos, projetos e idéias a respeito do Software Livre. Quem ganha são os usuários destemidos que resolvem adotar o GNU/Linux como Sistema Operacional.

[15] Comentário enviado por Teixeira em 20/03/2010 - 18:32h

O ponto que considero mais marcante na existência de GNU/Linux é a forte presença de uma cooperação comunitária em todas as fases do processo. Vejam que até mesmo o XWindows era um projeto incompleto. Assim, o que hoje é incompleto, completa-se amanhã através do trabalho de muitos, talvez anonimamente. Nem sempre um "nome" facilita as coisas (exceto para uma marca de comércio e indústria, uma patente).
No entanto, temos a tendência a centralizar as coisas intuitivamente:
O Linux "do Torvalds", o Software Livre "do Stallmann", o Kurumin "do Marimoto" e por aí vai.

[16] Comentário enviado por joaocagnoni em 23/03/2010 - 13:26h

Eu discordo um pouco do seu artigo, pois o nome Linux já nos faz lembrar de GNU. Mas por que GNU nunca é citado? É difícil de ser pronunciado. Quem tem um mac por exemplo nunca diz "Eu uso um Mac Osx" ou algo do tipo, eles dizem simplismente Mac, por isso eu acho que GNU não é uma vítima, é apenas uma questão de adaptação imposta pelos próprios usuários. Por isso, a equipe do GNU deveria parar de complicar e chamar todo este grupo de Linux.

[17] Comentário enviado por slipkd em 01/04/2010 - 20:12h

GNU/Linux sempre, mas pra mim muito mais GNUUUUUUUUUUUUUUU.

Sem Stallman, nada existiria.

[18] Comentário enviado por Lisandro em 24/04/2010 - 00:34h

Bom artigo.

[19] Comentário enviado por asdf2 em 03/05/2010 - 15:05h

belo artigo, vai pro favoritos

[20] Comentário enviado por HER GNU/LINUX em 19/05/2010 - 17:17h

Parabéns pelo artigo. Eu uso GNU/LINUX System.

[21] Comentário enviado por igoiglesias em 09/06/2010 - 13:30h

Bom Artigo !! :D

[22] Comentário enviado por raulgrangeiro em 18/06/2010 - 16:45h

Muito bom o artigo. Eu também acho que devemos chamar de GNU/Linux, às vezes por pressa chamamos só de Linux. Mas, está errado chamar assim.

Valeu!

[23] Comentário enviado por jahminho em 05/07/2010 - 18:40h

acho que pra bom entendedor meia palavra basta então para mim tanto faz chamar GNU/Linux ou sómente Linux desde que bem explicadas as diferenças entre os nomes:D

[24] Comentário enviado por doradu em 07/10/2010 - 12:28h

bom artigo

mas falta ainda dizer que Linux não é só o kernel e a licença GNU


o q a gente usa, e gosta muito, hoje em dia não é só a licença e o kernel

acredito q pouquíssimos programadores usam apenas o kernel

tem tb um tal de X, já ouviu falar?

é esse bixo q faz com que a máquina disponibilize os movimentos do mouse (coordenadas...) e faça aparecer um tal dum cursor


depois disse tem um ambiente gráfico

KDE, GNOME, XFCE, LXDE (q são completos)

tem tb a fundação Mozilla (como seria o Linux sem um navegador, gráfico ou modo-texto, como o Linx)?

tem tb a turma do OpenOffice (q começou Star e agora é Libre)

tem mais coisa ainda, q como diria o velho Morimoto, pra ser mais justo a gente teria q falar/escrever:

<b>GNU/Gnome/KDE/LXDE/XFCE/OpenOffice/Mozilla/X/.../Linux</b>

flw, mas foi um bom artigo!

[25] Comentário enviado por arturbmallmann em 20/11/2010 - 02:32h

muito bom realmente o inicio de toda esta história é o projeto gnu que merece ser lembrado, KDE,GNOME etc... sao sim importantes, mas se encaixam a ideologia de stallmann por isso eh muito importante a denominaçao gnu/linux

[26] Comentário enviado por Berkey em 22/11/2010 - 13:30h

Bela interpretação dos fatos.
Somos uma comunidade sim. Continuamos com a contribuição.

[27] Comentário enviado por claupers em 18/12/2010 - 09:29h

Bom artigo. E reforço o exposto por doradu. Se todos os integrantes do mundo livre quiserem incluir o nome de suas criações vai ficar complicado. Se a coisa ta nesse pé o negócio é todo mundo se juntar e criar uma uma sigla universal. :-) Tipo Universal Sytem, ou Livremente System, Global Sytem:-)
Brincadeiras a parte, se existe está questão de paternidade do sistemas o negócio é criar um novo nome para encampar todo mundo que adere a filosofia e publica novos softwares.


[28] Comentário enviado por Leo sheldon lsx em 25/04/2011 - 10:30h

Parabéns artigo bem lúcido e muito bom para esclarercer dúvidas principalmente para iniciantes.

[29] Comentário enviado por fernandoamador em 19/06/2011 - 12:37h

Parabéns pelo artigo.

[30] Comentário enviado por removido em 11/07/2011 - 14:08h

Obrigado pelo artigo, esta definição é altamente recomendável para quem esta iniciando em Software Livre.

[31] Comentário enviado por paulofnet em 23/07/2011 - 07:04h

Objetivo, claro e sem fanatismo. Parabéns pelo artigo.
Leituras que recomendo para complementar
http://br-linux.org/faq-softwarelivre

[32] Comentário enviado por guidoseverus em 23/11/2011 - 21:56h

Caramba cara, parabéns pelo artigo.

[33] Comentário enviado por cebrusjki7 em 11/01/2012 - 16:58h

Muito legal, bem resumido e objetivo.
Vale lembrar que o Linus não escreveu o kernel do zero e sim a partir do Minix de Andrew Tannenbaum:
"um minix melhor que o minix", segundo ele mesmo afirmou ter como objetivo.
E lembrem do Ken Thompson, um dos criadores do UNIX juntamente com o Dennis Ritchie, "GNU is not UNIX" justamente por isso,
à época do desenvolvimento do GNU, o UNIX era bem difundido entre universidades e tals.

[34] Comentário enviado por fernandowx em 10/02/2012 - 00:05h

Parabéns pelo artigo. É importante está esclarecendo a origem historica do sistema e dando as devidas credibilidade a seus grandes desenvolvedores. O artigo será muito util para os iniciantes e também como fonte de pesquisa para as pessoas que querem conhecer a origem do GNU/Linux.

[35] Comentário enviado por drnetwork em 10/10/2012 - 09:54h

é bom saber

[36] Comentário enviado por marcelo_linux em 01/11/2012 - 15:25h

Parabéns pelo artigo ;-)



[37] Comentário enviado por jwolff em 09/11/2012 - 13:35h

Parabéns pelo artigo cara! Mostrou vários fatos históricos e primordiais para a criação do GNU/Linux.

Fico triste pelos colegas que lhe julgaram mal(tentam demonstrar maior conhecimento | apontar defeitos); na minha humilde opinião,você deixou claro que seu objetivo não era introduzir uma "Ideia" na cabeça da galera,mas sim Mostrar e defender os dois lados da Moeda. Se foi Linus ou Stallman que criou pouco importa,o que importa é o resultado que desfrutamos hoje,só temos a agradecer,julgar eles,ou você,não mudará absolutamente nada!

[38] Comentário enviado por removido em 08/11/2013 - 17:19h

Ótimo artigo. Me inspirou na apresentação do seminário para a faculdade. Realmente precisamos denominar as coisas corretamente, senão cometemos injustiças, não reconhecendo o esforço do próximo...

[39] Comentário enviado por Don Malarkey em 02/05/2017 - 03:24h

Admiro a boa vontade de Stallman, deixou de ser olho gordo...

[40] Comentário enviado por Pandoro em 11/09/2017 - 08:59h

Quanto mais leio a respeito da história GNX/Linux, mais fico fascinado!
Ótimo artigo!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts