Distro-VOL: Meta-pacotes e comandos

Esta é a sequência do artigo sobre a construção da Distro-VOL. Vamos começar a falar sobre como construir o Debian Pure Blends, as ferramentas disponíveis, como definir e construir meta-pacotes e os objetivos para a continuidade do projeto.

[ Hits: 24.139 ]

Por: Juliao Junior em 18/03/2009


Meta-pacotes



No primeiro artigo desta série, falamos sobre as vantagens de iniciar a construção da Distro-VOL usando uma base sólida, com infra-estrutura consolidada. Essas, entre várias outras vantagens, indicaram como caminho a criação de um Debian Pure Blends. Se quiser relembrar, leia o artigo no link Debian Pure Blends - DistroVOL?. A exemplo do primeiro artigo, seguiremos o documento original do Debian Pure Blends como base. Veremos sobre meta-pacotes e algumas ferramentas para lidar com eles.

O termo meta-pacote, da forma que é usado pelos Blends, é um pacote Debian que contém:

Dependências de outros pacotes Debian (essencial):
  • Depends: Use para pacotes que são indispensáveis para o Blend em questão;
  • Recommends: Use para pacotes que deveriam ser instalados para realizarem algumas tarefa específica;
  • Suggests: Use para outros pacotes menos importantes, porém úteis. Ou para pacotes "non-free".

Entradas de menu: coloque em /etc/blends/<blend>/menu/<nomeDoPacote>

Configuração (opcional):
  • debconf
  • cfengine (scripts ou similares)

Meta-pacote especiais:
  • <blend>-tasks: contém informações sobre tasksel;
  • <blend>-config: configurações especiais, material básico e menus de usuário.

Na verdade um meta-pacote é um pequeno pacote praticamente sem conteúdo algum. A principal função deste tipo de pacote são suas dependências de outros pacotes, pois eles servem como um guia para pacotes específicos serem instalados, com suas devidas configurações.

A nomenclatura dos meta-pacotes seguem o padrão <blend>-<task>, onde <blend> é o nome curto de um Debian Pure Blend, por exemplo "med" para o Debian Med e <task> indica determinada tarefa dentro do Blend, por exemplo "gráficos".

Alguns exemplos de possíveis nomes para os meta-pacotes:
  • vol-games: Jogos incluídos/disponíveis na Distro-VOL;
  • vol-codecs: Codecs incluídos/disponíveis na Distro-VOL;
  • vol-edvideo: Softwares para edição de vídeo;
  • vol-scigraf: Softwares para gráficos científicos.

Coleção de programas específicos

Quando usamos um meta-pacote, nenhuma pesquisa adicional é necessária. O usuário não precisa garimpar entre os milhares de pacotes disponíveis nos repositórios Debian. Isto certamente torna a experiência do usuário final como algo mais rápido e prático

Além disso a instalação de um meta-pacote pode assegurar algo importante: que nenhum pacote necessário para a tarefa desejada pelo usuário seja removido sem um aviso explícito, tornando mais fácil a administração do sistema para não-especialistas.

Por definir conflitos com outros pacotes dentro do meta-pacote, é possível garantir que um pacote conflitante não seja instalado no mesmo sistema que o meta-pacote.

Com esses e outros motivos, os meta-pacotes se apresentam como uma forma poderosa de instalação, mantendo o processo de administração mais simples.

Configurações dentro dos meta-pacotes

Entre diversos itens de simplificações, os meta-pacotes podem conter configurações específicas para determinadas tarefas. Isto significa que podemos modificar arquivos de configuração, incluindo algo como scripts dentro dos meta-pacotes.

Este processo permite ao administrador ter em mãos um sistema bem configurado, mas sem a necessidade de usar diretamente os arquivos de configuração.

Documentação

Uma fraqueza "tradicional" de projetos de Software Livre é a documentação. Para corrigir isso Debian Pure Blends tenta disponibilizar documentação para ajudar os usuários a resolver seus problemas. Isto pode ser feito por construir pacotes "*-doc" da própria documentação já existente, ou por escrever documentação extra, como manpages etc. Por oferecer documentação, Debian Pure Blends cobre a necessidade de usuários específicos, na maioria com grande necessidade de uma boa documentação em sua própria língua nativa.

Portanto, a tradução é extremamente importante para tornar os programas mais simples para o usuário. O Projeto Debian possui o Debian Description Translation Project, cujo objetivo é traduzir descrições de pacotes.

Importante: a equipe de tradução/documentação da Distro-VOL pode usar tal ferramenta para implementar um bom ambiente de trabalho. Sugiro aos voluntários de tais equipes que pesquisem sobre o ambiente Debian Description Translation Project, e comentem sobre possíveis uso de tal ambiente.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Meta-pacotes
   2. Trabalhando com Meta-Pacotes
   3. Criando Live-CDs
   4. Conclusão
Outros artigos deste autor

Explorando a máquina sem abrí-la

Atualização para o Ubuntu 10.10

Python, o curso (parte 1)

Processing - Programando para Android e iOS

APT - Fantástico gerenciador de pacotes

Leitura recomendada

Montando um mirror de atualização do anti-vírus AVG

Metisse (3D Desktop): Um novo conceito de interface gráfica!

Pequena solução para backup em redes mistas

Instalando programas no Linux - Completo e total

HaikuOS

  
Comentários
[1] Comentário enviado por joao_15 em 18/03/2009 - 21:19h

muito boa a reunião de informações aqui.
parabéns julião.
nota: 10.

[2] Comentário enviado por kamushadenes em 18/03/2009 - 21:26h

Eu sou contra a ideia de mais uma distro no mundo, mas meu espírito open source fala mais forte. Precisando de ajuda, é só falar. E mesmo eu não concordando, parabéns à toda comunidade VOL pela iniciativa, que tenho certeza de que é feita com boas intenções.

[3] Comentário enviado por osmano807 em 19/03/2009 - 20:58h

Maravilha, em breve já estaremos mexendo no bash destra distro.
(não é por nada não, mas eu sinto que isso vai mudar minha vida!)

[4] Comentário enviado por pinduvoz em 21/03/2009 - 18:14h

Eu sou contra a idéia de mais uma distro "Debian" no mundo.

Já temos o Ubuntu, no plano internacional. No Brasil, temos o Big Linux, o DreamLinux, o Resulinux, o Insigne e mais algumas.

Temos até um "Debian Pure Blends", o BrDesktop, antigo BRCDD.

Apesar de adorar o Debian, penso que criar uma distro do VOL só valerá a pena se algo novo vier a ser acrescentado.

[5] Comentário enviado por nicolo em 23/03/2009 - 12:58h

Essa estória de Distro-VOL vai sair mesmo?
Se for algo guiado para os nossos hardwares, e paras os softwares
mais úteis em Tupinicópolis vai ser uma boa.
Debian, é uma boa idéia.

[6] Comentário enviado por juliaojunior em 23/03/2009 - 15:19h

A ideia de uma 'distro-vol' não é nova. já foi ventilado algumas vezes, mas na última tomou um fôlego maior, criando-se até comunidade para discutir o rumo da distro.

este não é o unico artigo (série) que surge em consequencia de uma suposta distro-vol. já temos um artigo sobre a ferramenta live-helper, e outros estão a caminho. esperamos que desta vez a comunidade realmente participe e essa nova distro contribua para o crescimento do linux no brasil.

[7] Comentário enviado por yetlinux em 26/04/2009 - 20:17h

Se a distro não acrescentar, também não irá diminuir.
O mais importante será o aprendizado.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts