Diagnosticando problemas variados em ambientes GNU/Linux (parte 1)

Observando o crescimento da faixa de mercado formada por usuários de sistemas GNU/Linux e que grande parte destes desconhece o poder das ferramentas disponíveis, apresento este artigo para ajudar em um drama recorrente: "Como encontro as causas de defeitos em um computador?". Embora voltado principalmente a iniciantes, não é um how-to.

[ Hits: 31.553 ]

Por: Isaque Vieira de Sousa Alves em 26/01/2011


O começo do problema: Migração - elementos de hardware



Todo usuário de computador, por mais leigo que seja, termina por compreender que seu computador não funciona 'sozinho'. O computador só pode ser usado se possuir um Sistema Operacional Existem softwares sem os quais o Sistema Operacional não funciona corretamente, também conhecidos como 'drivers de dispositivo'. Não importa se o Sistema Operacional é proprietário (Mac OS X, Windows) ou se é um Software Livre (Linux, OpenBSD, FreeBSD) , sempre se precisa de drivers, e é praticamente impossível operar um computador sem os devidos drivers adequados aos dispositivos presentes no computador.

O começo de todo problema está precisamente aqui. A criação de drivers de dispositivo só é possível se o programador conhece algo chamado 'especificação'. Você poderá ver em muitos sites de discussões sobre Software Livre e GNU/Linux que o maior problema é a ausência de especificações de hardware disponíveis para os desenvolvedores.

Onde isso afeta você? Ora. Você é um usuário, suponho que não esteja interessado em criar um novo driver para um dispositivo novíssimo como um 'internet conectator tabajara', mas quer usá-lo, e sem o driver correto, não dá!

Mesmo quando há um driver lançado pela comunidade, muitas vezes esse driver apresenta alguns possíveis bugs, pois um computador é um conjunto de peças de hardware, e não apenas uma placa de rede ou de vídeo... E como esses bugs incomodam. Janelinhas de aviso, travamentos são coisas 'normais'...

Em ambientes W32 isso também acontece. O problema é que na maioria das vezes eles entendem que 'você não precisa saber disso'... Mas se você for bem curioso verá que mesmo um drive criado para windows, apresenta certos 'probleminhas'.

No processo de migração (mesmo que você queira apenas 'aprender mais um sistema operacional') o primeiro passo é pesquisar na rede mundial (http://pt-br.lmgtfy.com/) para descobrir possíveis problemas que possam ocorrer com uma máquina portadora de configurações similares à sua. Não abra mão disso. Pesquisar é essencial.

Pra que ter esse trabalho? Para evitar problemas posteriores e uma possível insatisfação com o novo sistema. Migração de sistema operacional não é uma coisa tão simples. Começa na cabeça e passa pelo bolso e termina na ponta dos dedos... Qualquer escolha apressada, sem análise de riscos pode conduzir a efeitos inesperados, além de indesejados.

Comece pensando em matéria do hardware que você possui. Não importa se sua máquina tem cinco ou seis anos de uso... Uma verdade bem interessante pra você que está começando a pensar em migrar é que, apesar de ser um sistema bastante moderno, Linux se comporta muito melhor ao trabalhar com hardware mais antigo. Por quê? Os drivers são mais estáveis... E a verdade é que hardware mais antigo pode ser mais barato também.

Após identificar possíveis problemas antes de instalar, você pode escolher uma distribuição GNU/Linux que tenha mais susceptibilidade a correções de falhas e problemas, e então partir para a instalação e uso.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. O começo do problema: Migração - elementos de hardware
   2. O começo do problema: Migração - elementos de software
   3. O começo da solução: A evolução
   4. Processo Evolutivo: acessando a interface de linha de comandos
   5. Processo Evolutivo: usando a interface de linha de comandos
   6. Processo Evolutivo: usando a interface de linha de comandos
   7. Processo Evolutivo: usando a interface de linha de comandos
   8. Processo Evolutivo: usando a interface de linha de comandos
   9. Conclusão
Outros artigos deste autor

Entendendo orientação a objetos na prática (parte 1)

Linux, a pirataria de software e a desvalorização do desenvolvedor (parte 1)

Projetos de software livre descontinuados: um problema com solução

Linux, a pirataria de software e a desvalorização do desenvolvedor (parte 2)

GNU/Linux: Liberdade e Cosmovisão

Leitura recomendada

Instale/Reinstale/Recupere seu sistema sem perder seus arquivos

Instalar o driver para ATI Technologies Inc RS482 [Radeon Xpress 200M]

Recuperando e/ou adaptando o GRUB do Sabayon Linux

CUPS - Gerenciador de impressões

Balanceamento de links no OpenBSD 4.3

  
Comentários
[1] Comentário enviado por wendelldias em 26/01/2011 - 16:11h

Bom ARTIGO...ainda mais pra mim que está começando agora (uso SLACKWARE a 1 mês)."Apanhando as vezes....Aprendendo SEMPRE".Vou pesquisar mais a fundo todos os comandos descritos nesse tutorial. Obrigado.

[2] Comentário enviado por albfneto em 26/01/2011 - 18:09h

é muito bom. excelente, esse artigo, contém bastante teoria Linux, interessante também para usuários intermediários e avançados. Gostei.

[3] Comentário enviado por removido em 27/01/2011 - 00:22h

Ótimo artigo.

Abraço

[4] Comentário enviado por Lisandro em 27/01/2011 - 09:17h

Beleza de artigo. Parabéns!

[5] Comentário enviado por yermandu em 27/01/2011 - 10:58h

Bom

[6] Comentário enviado por acilonjs em 10/02/2011 - 07:10h

Muito bom. Existem muitos por ai que quer tomar o suco mas não querem espremer a laranja. Muito boa!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts