Desmistificando o GNU/Linux

Desmistificar o GNU/Linux é mostrar o quão funcional e fácil ele é, e este é o objetivo deste artigo. Linux não é difícil, é apenas diferente do que você está acostumado.

[ Hits: 21.069 ]

Por: Leonardo Damasceno em 13/10/2009 | Blog: https://techcraic.wordpress.com


Gerenciadores de janelas, conceito de software livre e conclusão



Gerenciadores de janelas

Os mais conhecidos são:
  • Gnome
  • KDE
  • XFCE
  • Fluxbox
  • Blackbox
  • WindowMaker

Existem diversos gerenciadores, mas os que são mais conhecidos e utilizados são esses. Um gerenciador de janelas vai gerenciar o seu ambiente gráfico, por onde você navega no sistema. Ele dá opções de modificar o sistema, utilizando a parte gráfica. Ele faz a comunicação com o shell e o shell faz a comunicação com o kernel. O shell é um interpretador de comandos, onde tem várias derivações, como o bash, ou seja, O seu terminal é um derivado do shell.

Conceito de software livre

Software livre nada mais é do que um sistema onde você tem a liberdade de ver e modificar o código. É a liberdade de poder adequar o software às suas necessidades.

Algumas pessoas ficam na dúvida na questão das licenças. Novos usuários no mundo Linux ficam com medo de criar software para ajudar o projeto Gnome, por exemplo, e terem seu código divulgado pela internet e modificado para venda.

Então nessa parte entra a questão das licenças, onde uma das mais conhecidas é a GPL (GNU General Public Licence).

Abaixo segue a explicação ideal das regras para utilização da licença GPL:
  1. A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade n° 0)
  2. A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade n° 1). O acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade
  3. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade n° 2)
  4. A liberdade de aperfeiçoar o programa e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie deles (liberdade n° 3). O acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade

Conclusão

De forma simples tentei resumir e desmistificar o imenso mundo GNU/Linux, que cresceu 150% em dois anos.

A contribuição de todos é bem-vinda, assim, divulgando o conhecimento, para que novos usuários não passem pelos mesmos problemas que os usuários antigos passaram. Hoje vejo que todos querem ajuda, mas poucos querem ajudar, então fica aqui minha contribuição para novos usuários no mundo GNU/Linux.

Um abraço.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. O mundo Linux
   3. Utilizando o terminal
   4. Comandos básicos GNU/Linux
   5. Gerenciadores de janelas, conceito de software livre e conclusão
Outros artigos deste autor

Segurança com iptables

Qmail: simples e funcional

Adicionando usuário no OpenLDAP

Instalando o WebHTB

Criando cluster com o PFSense

Leitura recomendada

Arch Linux em modo UEFI com GNOME

Reconhecimento se obtém por mérito e não por força

Qual a melhor distribuição? Ainda a pergunta...

Cinco distribuições para iniciantes

Mamãe, quero Arch! (parte 2 - final)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por vmaia em 13/10/2009 - 08:45h

Muito doido !!!
É isso aew....

[2] Comentário enviado por millemiglia em 13/10/2009 - 10:58h

Legal. Bom artigo para iniciantes.

[3] Comentário enviado por xpaulinhox em 13/10/2009 - 13:35h

Cara muito bom mesmo heim!!! Gostei muito do artigo.
Parabéns!!!
"Hoje vejo que todos querem ajuda, mas poucos querem ajudar" Falou tudo!


[4] Comentário enviado por leodamasceno em 13/10/2009 - 13:36h

Obrigado! Fico satisfeito que o artigo tenha agradado.
Escrevi ele, baseado no que já passei.

[5] Comentário enviado por removido em 13/10/2009 - 21:02h

Muito bom seu artigo, venho utilizando linux com mais dedicação e "always" recentimente.
Estou utilizando o Archlinux (archlinux-br.org) uma excelente distrito.

[]'s

[6] Comentário enviado por nicolo em 15/10/2009 - 11:36h

É, ainda não achei um windeiro que esteja disposto a digitar comando no terminal. Eles nem sabem
que o windows também tem terminal.
Cada vez que eu escrevo que esse caminho leva o Linux de volta ao laboratório aparece um montão de gente
xingando.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts