Compilando facilmente com o apt-build

Um software compilado no computador roda bem melhor que qualquer outro, mesmo assim muita gente ainda foge com a desculpa que é difícil. Agora imagine uma ferramenta com a facilidade que o apt-get tem para instalar programas, mas que fosse feita para compilar e gerenciar programas no computador? Parece sonho mas não é! Apresento o apt-build.

[ Hits: 33.739 ]

Por: David em 16/05/2008 | Blog: http://twitter.com/dias_david


Instalando



Para instalar o apt-build, basta usar o bom e velho apt-get com o comando:

# apt-get install apt-build

Após instalado, algumas perguntas serão feitas. Primeiro, ele vai instalar o courier e vai pedir informações sobre e-mail para enviar mensagens ao administrador em alguns momentos. Nessa fase, você pode responder tudo bonitinho ou aceitar o padrão para tudo, não é obrigatório que esse passo funcione certinho.

Depois de mais alguns pacotinhos configurados então vem a vez do apt-build para valer. Na primeira tela da configuração, ele vai simplesmente perguntar onde os pacotes baixados devem ficar armazenados, você pode escolher o padrão: /var/cache/apt-build/build.

A pergunta seguinte é onde os pacotes vão ficar guardados depois que eles forem compilados. Também pode-se escolher o padrão: /var/cache/apt-build/repository

O passo seguinte é um dos mais interessantes. Ele vai perguntar qual é o nível de otimização da compilação. Existem 3 níveis: O baixo, onde a compilação é rápida, porém mais genérica, quer dizer, o programa compilado tende a ficar mais lento. O Médio onde a compilação é mais específica, mais demorada, mas o programa instalado roda bem mais limpo e o Forte, onde o tempo de compilação é bem maior mas o programa roda muito leve e muito rápido, esse nível é tão extremo que em alguns casos a compilação pode encontrar problemas. Eu estou usando o nível médio em meu computador.



O passo seguinte configura o apt-get para instalar os pacotes criados pelo apt-build, basta aceitar a opção padrão que é "Sim" e seguir para o passo seguinte. Caso você tenha alguma opção que queira colocar no GCC, pode-se colocar nesse passo. Caso você não tenha nada a ser acrescentado (o padrão de quase todo mundo) basta seguir em frente sem colocar nada. Dê ok e siga para passo seguinte onde a mesma pergunta será feita, mas dessa vez para o "make". Basta seguir em frente do mesmo jeito e ir para o próximo passo.

O passo seguinte também exige muita atenção por que ele vai perguntar qual é o seu tipo de processador. É importante que essa pergunta seja muito bem respondida por que a compilação vai ser voltada para se encaixar ao processador escolhido aí. Logo, se um processador diferente do seu computador for escolhido, você poderá ter problemas no futuro ao executar os seus programas instalados.



Depois disso seu programa estará instalado! Agora é só usar.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. A ferramenta
   2. Instalando
   3. Usando
Outros artigos deste autor

Instalando o poderoso gerenciador de redes Nagios 3.0 com Apache2

Compartilhando músicas pela Web com o Amarok

Identificando problemas básicos de redes Linux para principiantes

Mapeando todas os tipos de unidades de redes no Linux

Fazendo um Kmenu excelente

Leitura recomendada

Bioinformática - PhyML: alinhamento de sequências nucleotídicas em ambiente paralelo

OCS Inventory NG Server 2.0.5 no Debian Squeeze e agentes via Active Directory - Instalação e configuração

Instalando pacotes .tar.gz e .tar.bz2

Corel Draw - Codeweavers - CrossOver Linux

Funcionamento da memória virtual

  
Comentários
[1] Comentário enviado por jorcelangelo em 16/05/2008 - 20:03h

?comentario=
oi,

tenho pergunta, ... e se eu quiser compilar o kernel no debian por exemplo, posso usar o apt-build simplismente como uso para outros programas?

[2] Comentário enviado por removido em 16/05/2008 - 23:35h

muito bom seu artigo cara,
sem querer menosprezar ninguém, mais de todos os tutos que li no vol,
esse foi o melhor em termos de explicação, e escrita !!!!!!
Me deu prazer em ler .....
Olha que eu não sou fã do Debian, uso Arch Linux e as vezes Gentoo !!!!

[3] Comentário enviado por professordavid em 17/05/2008 - 08:50h

Valeu heim cara... brigadão mesmo!! Mais artigos meus podem ser vistos em meu blog professordavid.pro.br.
Quanto ao Kernel, eu nunca tentei fazer mas acho que um apt-build linux-image-2.6.algumaversão deve resolver o caso, mas só serviria para atualização né, já que o mais gostoso de compilar um kernel é configurá-lo de acordo com o perfil da máquina.. ;-)

[4] Comentário enviado por lankaster em 17/05/2008 - 12:24h

Muito bom teu artigo...vou testar esse recurso, realmente programas compiladdos tem um desempenho melhor.
Valeu

[5] Comentário enviado por dbahiaz em 17/05/2008 - 12:37h

Tenho uma duvida, uso o debian lenny i386,com o 2 kernel no boot o 2.6.24-1-686 e 2.6.24-1-486, antes usava o k7, mais so tem ate o kernel 2.6.22-3-k7, porem, meu processador eh amd64, qual seria a melhor combinacao, do kernel e o tipo de processador na escolher da configuracao do apt-build. Quero testar isso , to gostando da ideia de tornar o debian mais rapido ainda, tenho o final de semana todo pra isso rs.
Belo artigo!

[6] Comentário enviado por f_Candido em 17/05/2008 - 13:36h

Muito Bom. Parabéns. Bem detalhado, mas sem se tornar massante.

Abraços

[7] Comentário enviado por GilsonDeElt em 17/05/2008 - 17:18h

Congratulations pelo seu artigo, professordavid!
Bem montado e bem explicado seu artigo!

Num sou um debian-user, mas reconheço o poder do apt-get
e esse apt-build é d+
pois dá pra otimizar um sistema todo com ele

só uma dica extra: se você tiver um processador 'ótimo' (com 512KB de Cache L2 ou mais), você pode usar a otimização "Forte" (que seria a -O3),
e passar umas flags extras, pois já vi gente por aí que usou -O3 pra recompilar parte de um Ubuntu, e ficou com um desempenho muito bom!

[8] Comentário enviado por mcnd2 em 17/05/2008 - 20:38h

Muito bom.

Mais uma ótima alternativa para sistemas Debian.

Está de parabéns.

[9] Comentário enviado por maran em 18/05/2008 - 01:02h

é o que eu sempre digo mais niguem acredita, Debian é bom, é legal, mais os cara teimam....
Eu particularmente uso e recomendo o apt-build, independente se seu micro é um CORE 2 DUO.....

Debian tem milhares de soluções e possibilidade, basta apenas um pouco de paciência com o mesmo e dedicação.

Abraço, esta excelente seu artigo, mais um que eu difo:

Vai pro favoritos!!!!!!!!

[10] Comentário enviado por nicolo em 18/05/2008 - 16:40h

É...... os debians não brincam em serviço.

[11] Comentário enviado por percival em 19/05/2008 - 19:40h

Ferramenta fantástica !

Tenho usado o apt-build com resultantos excelentes, re comendo aos amigos usuários Debian.

Só tem uma questão que eu gostaria de levantar: e as atualizações de segurança? Como ficam? Se eu instalr um Debian com o apt-build "do zero" eu perderei estas atualizações?

[12] Comentário enviado por agk em 21/05/2008 - 17:22h

Belo artigo parabéns, acho que com a capacidade de processamento e memória das máquinas atuais já é bem viável utilizar o apt-build.

Utilizei ele pela última vez ainda no tempo do Debian Woody 3.0 em um computador bem modesto se não me engano Pentium 3 500Mhz com 128MB de memória. Compilei vários programas com apt-build, mas nunca consegui fazer o "apt-build world" funcionar por completo, demorava demais e acabava sempre dando algum problema.

Vou ver se arrumo um tempo para testar no Debian Etch com uma máquina atual.

[ ]'s.

[13] Comentário enviado por iagoaugusto em 21/05/2008 - 18:11h

huahuahauahuahauhauahuahauahuaha muito bom artigo

[14] Comentário enviado por marcelovegano em 23/09/2008 - 16:15h

Realmente foi uma aula de Linux!!!!

[15] Comentário enviado por marcelovegano em 02/11/2008 - 12:46h

Para quem tem um core duo....essa opção não existe....o que a pessoa escolhe?

[16] Comentário enviado por Tenório em 07/04/2009 - 17:27h

Fantástico! Vou experimentar.

[17] Comentário enviado por gpr.ppg.br em 07/07/2010 - 19:25h



:-(


aqui deu erro com ubuntu 9.04

Os pacotes a seguir têm dependências desencontradas:
apt-build: Depende: libappconfig-perl (>= 1.5) mas não é instalável

que faço?


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts