Aumentando sua produtividade com o teclado padrão Dvorak

Olá, estava pesquisando o padrão Dvorak e a produtividade com o mesmo. Uso o padrão QWERTY que domina o mercado, e irei fazer o relato de como foi a transição durante o tempo de um mês, os relatos serão divididos por semana e no final direi o que achei sobre a eficiência.

[ Hits: 12.469 ]

Por: Pablo Margreff em 31/03/2015 | Blog: https://pmargreff.wordpress.com/


Introdução



O padrão que domina o mercado de teclados hoje em dia é o QWERTY, nome dado por causa das primeiras letras da primeira linha do teclado. Alguns insistem em dizer que esse formato foi montado justamente para ser mais lento, porém essa história não é verídica.

O formato QWERTY foi construído para que ao digitar em uma máquina de escrever o sistema de acionamento das teclas tivessem menor probabilidade de se "enroscar", porém a frequência e distribuição de letras também foram levadas em consideração.

Mais tarde, quando surgiram computadores dos mais variados tipos, esse padrão também foi adotado.

Depois de ler um pouco sobre os teclados padrão Dvorak, que tem esse nome por causa do seu criador August Dvorak, que o projetou para uma melhor distribuição ergonômica e consequentemente o tempo de digitação. O que para a maioria de nós que trabalha na área de TI, pode fazer uma diferença significativa no fator produção.

Estatísticas do Dvorak brasileiro comparados ao QWERTY:
  • 1ª linha - QWERTY 49%; Dvorak Br 19,5%
  • 2ª linha - QWERTY 33,5%; Dvorak 71,5%
  • 3ª linha - QWERTY 17,5%: Dvorak 9%

Como podemos ver, o padrão Dvorak tenta centralizar as letras mais usadas na segunda linha, seguida da primeira e por último a terceira.

Lembrando que o padrão Dvorak Brasileiro difere do padrão Americano, tanto no quesito de organização quanto no quesito numeral. O Americano agrupa os números ímpares à esquerda, e pares à direita (7,5,3,1,9,0,2,4,6,8), enquanto o brasileiro conserva-os como no QWERTY. Há outros detalhes, como "ç" etc.

Para quem não conhece o padrão, segue uma imagem da disposição de teclas.
Linux: Aumentando sua produtividade com o teclado padrão Dvorak
Existem também padrões Dvorak que são otimizados para a digitação somente com a mão esquerda e/ou somente com a mão direita, não irei abordar tais assuntos pois não nos aprofundaremos neles, porém deixo essa nota para saberem que existem e podem ser usados de acordo com a sua necessidade.

Como não encontrei muitos relatos de pessoas que mudaram e realmente tentaram se adaptar ao padrão, decidi fazer eu mesmo e disponibilizar aqui em um teste que tem duração de quatro semanas, onde à cada semana postarei um pequeno texto que vai acompanhar minha evolução (ou não), no primeiro mês.

Para o relato não ficar apenas na parte subjetiva, irei fazer um teste com o padrão atual e após as quatro semanas o mesmo teste de digitação com o novo padrão.

Então este é o último texto que estou escrevendo com esse padrão, após terminar a introdução, irei desmontar o teclado e trocar as peças de lugar, porém pode-se fazer isso também usando adesivos colados com o novo valor (caractere) da tecla.

Fiz um teste bem simples no site:
que me retornou informações básicas.

O teste me mostra palavras aleatórias das quais eu tenho que digitar, elas são do vocabulário português(BR) e incluem os mais variados tipos de acentos.

Segue meu resultado primeiramente com o teclado padrão QWERTY. Nada tão acima da média, porém uma boa média de 53 palavras por minuto, e no total 263 letras tecladas.
Linux: Aumentando sua produtividade com o teclado padrão Dvorak
Fontes:
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Primeira semana (e meia)
   3. Segunda semana
   4. Quarta semana / Conclusão
Outros artigos deste autor

Manipulação de imagens no formato PPM

Algoritmos de compressão

Gerando Números Aleatórios

Leitura recomendada

Ajeitando o blackbox

Aplicando o Layer7 no Fedora Core Linux 6

FreeRADIUS - Noções básicas - Parte III

Criando ou aumentando a memória virtual (SWAP) no Linux

Fedora Core 1 :: Starter Kit

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 31/03/2015 - 07:52h

Muito bom artigo, parabéns!

[2] Comentário enviado por emilioeiji em 31/03/2015 - 11:49h

Legal o artigo.

Acho que vou pegar um teclado velho aqui e mudar a teclas pra ver como fica, e faça isso mesmo, e em alguns meses faça um novo teste e poste aqui para sabermos como foi a evolução.

Abraços

[3] Comentário enviado por pmargreff em 01/04/2015 - 13:48h


[2] Comentário enviado por emilioeiji em 31/03/2015 - 11:49h

Legal o artigo.

Acho que vou pegar um teclado velho aqui e mudar a teclas pra ver como fica, e faça isso mesmo, e em alguns meses faça um novo teste e poste aqui para sabermos como foi a evolução.

Abraços


Recomendo que faça, é uma experiência recompensadora ...

[4] Comentário enviado por bleckout em 01/04/2015 - 19:06h

Obrigado por compartilhar.

[5] Comentário enviado por removido em 02/04/2015 - 12:45h

Como teste e curiosidade vale a pena. Agora chamo atenção para o fato:

O Teclado Simplificado Dvorak é recomendado por ergonomistas, pois uma pessoa digitando em inglês no Dvorak move seus dedos por uma distância 42% menor do que se estivesse digitando num teclado QWERTY.

Não posso afirmar se existem testes para alguém digitando em português do Brasil. O que pode acontecer é a pessoa acabar com uma lesão de esforço repetitivo tentando se adaptar a esse teclado.

Sinceramente, teclado é coisa do século 19. Com tanta tecnologia como o reconhecimento de voz ainda não é uma realidade? Sei lá a indústria de informática começou a andar para trás na minha opinião.

[6] Comentário enviado por pmargreff em 02/04/2015 - 15:58h


[5] Comentário enviado por kyetoy em 02/04/2015 - 12:45h

Como teste e curiosidade vale a pena. Agora chamo atenção para o fato:

O Teclado Simplificado Dvorak é recomendado por ergonomistas, pois uma pessoa digitando em inglês no Dvorak move seus dedos por uma distância 42% menor do que se estivesse digitando num teclado QWERTY.

Não posso afirmar se existem testes para alguém digitando em português do Brasil. O que pode acontecer é a pessoa acabar com uma lesão de esforço repetitivo tentando se adaptar a esse teclado.

Sinceramente, teclado é coisa do século 19. Com tanta tecnologia como o reconhecimento de voz ainda não é uma realidade? Sei lá a indústria de informática começou a andar para trás na minha opinião.


Não entendi por que uma lesão por esforço repetitivo.
Concordo plenamente com o fato de as Interfaces Naturais(NUI) serem o futuro, tanto que programo pro Kinect, porém de qualquer forma precisa-se programar este tipo de interface ...

[7] Comentário enviado por ander_slash em 04/04/2015 - 18:06h

Parabéns pelo artigo, sempre quando eu via a opção teclado dvorak não fazia a mínima ideia do que era... vlw


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts