Apresentando agora o Scientific Linux

É outra cópia do RHEL, só que feita por e para cientistas, com desenvolvimento a cargo do "Fermi National Accelerator Laboratory" e da "European Organization for Nuclear Research - CERN".
O objetivo é que laboratórios científicos ao redor do mundo possam usar um GNU/Linux de classe empresarial, tendo à disposição pacotes "científicos".

[ Hits: 29.645 ]

Por: Andre (pinduvoz) em 04/11/2011 | Blog: http://casadopinduvoz.wordpress.com/


Repositórios extras e multimídia



Repositórios extras

Esta parte do artigo vai tratar da configuração de repositórios de terceiros com "proteção" e "prioridade", impedindo assim, que pacotes oficiais do SL sejam substituídos (garantia de estabilidade) e que os repositórios extras causem conflitos insolúveis de dependências.

Isso vale também para o CentOS, podendo ser facilmente aplicado naquela distro respeitando algumas diferenças óbvias.

A primeira providência é instalar os pacotes:

sudo yum install yum-protectbase yum-priorities

Agora dê uma olhada num arquivo:

cat /etc/yum/pluginconf.d/protectbase.conf

E se a resposta for:

[main]
enabled = 1

Estamos prontos para continuar.

E se não for, edite o arquivo e corrija.

Agora vamos usar o "Adicionar/Remover programas" para instalar os repositórios de maneira fácil, como na imagem abaixo:
Linux: Apresentando agora o Scientific Linux
Ou o YUM:

sudo yum install rpmforge-release epel-release atrpms-repo

Obs: Não instale nada por enquanto, nem mesmo atualizações.

E para a proteção dos repositórios oficiais e estabelecimento da prioridade dos extras (rpmforge > epel > atrpms), precisamos editar os arquivos de configuração, como segue:

sudo gedit /etc/yum.repos.d/sl.repo
Linux: Apresentando agora o Scientific Linux
Veja na imagem que nos dois primeiros repositórios ("sl" e "sl-security"), foram adicionadas as linhas de texto:

priority=1
protect=1

O repositório "sl-source" está desabilitado (enable=0).

Agora editamos o rpmforge.repo:

sudo gedit /etc/yum.repos.d/rpmforge.repo
Linux: Apresentando agora o Scientific Linux
Veja na imagem a prioridade estabelecida:

priority=10

Veja também, que "extra" e "testing" estão desabilitados (enable=0), pois seu uso não é recomendado.

É a vez do 'epel.repo':

sudo gedit /etc/yum.repos.d/epel.repo

Cuja prioridade deve ser:

priority=20

E finalmente, do 'atrpms.repo':

sudo gedit /etc/yum.repos.d/atrpms.repo

Que recebe:

priority=30

OBSERVAÇÃO: para estabelecer as mesmas prioridades acima no CentOS, edite os repositórios da distro (o arquivo "CentOS-Base.repo") como na imagem abaixo:
Linux: Apresentando agora o Scientific Linux
Os outros repositórios, os extras, são os mesmos e ficam como aqui explicado.

Multimídia

Agora que você tem as fontes, instale o que precisar em matéria de multimídia usando o mesmo esquema indicado para o CentOS, que é fazer uso o PackageKit- gstreamer-plugin, que já vem instalado. Mas se não vier, faça:

sudo yum install PackageKit-gstreamer-plugin

Obs.: "P" e "K" são letras maiúsculas.

Recomendo ainda, que você instale o "gecko-mediaplayer" para poder assistir vídeos no Firefox, como na imagem:
Linux: Apresentando agora o Scientific Linux
A instalação do VLC também é recomendada:

sudo yum install vlc
Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Generalidades
   2. Instalação e configuração do ambiente desktop
   3. Repositórios extras e multimídia
   4. Aparência e efeitos
Outros artigos deste autor

Cadê minha área de trabalho?

GNU/Linux: O que é e quem pode usar?

Colocando novos ícones no "Acer Desktop" (Acer Aspire One)

A distribuição Slackware Linux

Apresentando o CentOS - The Community Enterprise Operating System

Leitura recomendada

MP3 no Linux

Usando o Firefox 3 sem perder alguns programas do Acer Aspire One

Convertendo sistemas físicos em máquinas virtuais

Metisse (3D Desktop): Um novo conceito de interface gráfica!

Trinity Rescue Kit - Poderosa distribuição Linux para recuperação de disco entre outras funções fantásticas!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por eldermarco em 04/11/2011 - 10:08h

Bom, muito bom. A parte boa é o tempo de suporte e o fato de ainda ter o gnome 2 =)

[2] Comentário enviado por MoisanielMoraes em 04/11/2011 - 22:26h

Muito bacana o artigo. Infelizente o uso dessas ferramentas livres, para computação cientifica em muitos lugares, faculdades do Brasil, ainda é pequena ou desconhecida, a divulgação é sempre bem vinda. gostaria também de adicionar, o spin do fedora, para projetos eletronicos. é isso ai!

[3] Comentário enviado por izaias em 04/11/2011 - 23:12h

Será esta a distribuição Linux que a NASA usa? Pode ser.

Muito bom, Pinduvoz.

[4] Comentário enviado por removido em 05/11/2011 - 20:02h

kkkk Linux para todos os gostos

[5] Comentário enviado por willian.firmino em 05/11/2011 - 22:08h

Se tratrando de Linux A NASA utiliza o Red Hat Enterprise Linux e o Fedora extensivamente uma pesquisa no google demostra isso.

[6] Comentário enviado por removido em 07/11/2011 - 18:52h

Também estou utilizando uma das copias do RHEL.

Parabéns pelo artigo!

[7] Comentário enviado por removido em 07/11/2011 - 19:01h

PArabens pelo artigo!
Ainda não testei o Cientific Linux, mas assim que estiver tempo vou baixa-lo.

Sera que o Repo RPMFusion funciona na Scientific Linux ?? No CentOS ele funciona!

[8] Comentário enviado por pinduvoz em 07/11/2011 - 20:24h

RPMFusion é para Fedora.

Para os "Red Hats" os repos são:

- rpmforge

- epel

- atrpms

- elrepo

Eu uso os três primeiros.

[9] Comentário enviado por removido em 07/11/2011 - 21:31h

Sim, eu sei que são para Fedora, mas tambem para RHEL e CentOS.

Veja este no próprio site do RPMFusion:
http://rpmfusion.org/Configuration

http://download1.rpmfusion.org/free/el/updates/testing/6/i386/
http://download1.rpmfusion.org/nonfree/el/updates/testing/6/i386/

Mas parece que tem que ter o repo 'epel' habilitado.


[10] Comentário enviado por pinduvoz em 07/11/2011 - 21:48h

Acho que não se deve usar o RPMFusion, já que seguindo o link que vc passou vi que ele precisa de pacotes do EPEL-testing, cujo uso não é recomendado.

Todo o conceito dos clones do RHEL se perde quando vc usa pacotes possivelmente instáveis, como os o do EPEL-testing.

[11] Comentário enviado por removido em 07/11/2011 - 21:54h

OK, pinduvoz
Quando tinha usado no CentOS não qualquer tive problema.

Obrigado pelo esclarecimento, estou baixando o Scientific LInux.

VLW!

[12] Comentário enviado por removido em 03/07/2012 - 01:02h

Eu colei esse .fonts.conf da pág. 4 num sistema aleatório e terei que decifrar o que foi que ele fez com as fontes.
Esse sistema científico interessou-me. Gostaria de saber se há muitos "recompilados" do RH semelhante aos remasterizados de algumas distros.

[13] Comentário enviado por eldermarco em 03/07/2012 - 08:26h

@Listeiro 037, há também um spin do fedora (usando o KDE) que segue essa linha, dá uma olhada: http://spins.fedoraproject.org/.

[14] Comentário enviado por pinduvoz em 04/07/2012 - 14:55h

Os clones do Red Hat EL não são remasterizações. São sistemas construídos a partir do código fonte da Red Hat e quase cópias bit a bit do RHEL.

Esses clones são SL, CentOS, PUIAS e Oracle, apenas.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts