Apresentando a programação orientada a objetos

Este artigo visa a apresentar o conceito da orientação a objetos, não restringindo-se a uma linguagem de programação específica.

[ Hits: 7.874 ]

Por: - em 21/12/2018


Public, private, get, set e this



Public e private são os modificadores de acesso em POO. Ao definir um atributo ou um método como "public", significa que tal dado pode ser modificado e/ou usado fora da classe assim como dentro dela. Já com "private", o dado só poderá ser modificado e/ou usado dentro da classe.

Geralmente, os programadores definem os atributos de uma classe como privados e os métodos como públicos. Para haver a manipulação das atributos de um objeto fora da classe, são usados os métodos get e set. O primeiro para obter o valor de uma atributo, e o segundo para definir. O get é um método do mesmo tipo do atributo, e retornará o valor dele, e o set é um do tipo void, que terá em seu final uma instrução que modificará o valor da atributo de acordo com o parâmetro recebido. Em ambos os métodos, usa-se o this.

O this é usado para fazer referência à classe. Exemplo: em um método há uma variável local chamada "tamanho", coincidentemente mesmo nome de uma atributo da classe. Para diferenciar a variável "tamanho" presente internamente nesse método do atributo presente em toda a classe, usa-se o this. Em C++, é this->atributo e em Java e muitas outras linguagens, this.atributo. O this também pode ser empregado para localizar métodos.

Não é sempre que o uso do private e do public para respectivamente atributos e métodos ocorre, mas é uma prática comum entre os desenvolvedores. Suponha que haja uma classe Banco com o atributo flutuante saldo, a booleana logado e dois métodos: getSaldo() e setSaldo(flutuante saldo), com essa classe seguindo a lógica mencionada. Nos dois métodos, os quais são as únicas estruturas que podem ser usadas fora da classe, pode-se usar estruturas condicionais dentro deles para checar se o usuário tem permissão para tal atividade, por exemplo verificando se ele está logado, o que de certa forma enriquece o código e pode garantir maior segurança.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Construtores, herança e polimorfismo
   3. Public, private, get, set e this
Outros artigos deste autor

Compilando o Kernel Linux

Guia de Instalação do Arch Linux

Guia de Instalação do Ubuntu

Guia para iniciantes no Linux

Linguagens de programação: o que são e quais existem?

Leitura recomendada

O programa INIT

OpenMPI - Instalação de uma aplicação paralela

Falha de planejamento no uso de softwares livres nas escolas públicas

AutoCAD 2007 vs. DraftSight v1r3.1 2013

Exaile! O substituto do amaroK para Gnome

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Gustavo_fm em 23/12/2018 - 13:38h

Muito útil o artigo. Conseguiu me explicar algo que sempre tentei entender mas nunca consegui. Obrigado pela contribuição !

[2] Comentário enviado por leo_linux_br em 06/01/2019 - 10:05h

Mim ajudou bastante!Obrigado.

[3] Comentário enviado por Nick-us em 07/03/2019 - 03:30h

Parabéns pelo artigo. Também achei muito útil sua forma de exemplificar as coisas!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts