Aos que estão começando...

fco

Neste artigo pretendo dar, o que julgo ser, alguns conselhos úteis aos que estão começando no Linux através da porta mais óbvia e simples: as distros amigáveis.

[ Hits: 15.215 ]

Por: Francisco Ambrozio em 28/09/2007 | Blog: http://franciscoambrozio.wordpress.com


Principal



Felizmente vemos uma expansão muito grande do Linux. E isto se deve em grande parte às distribuições friendly-users (as amigáveis, na qual pouco [ou nada] se gasta em matéria de configuração e ajuste).

Não quero aqui desaprovar esta tendência. Acho, pelo contrário, que a porta da frente do mundo Linux deve ser esta mesma. Tampouco é minha intenção dar a entender que distribuições amigáveis são ruins e que Linux tem que ser difícil. Está não é a questão.

É claro que é muito interessante instalar uma distribuição Linux e logo de cara já sair usando - sem precisar, por exemplo, gastar dias para configurar a placa de vídeo e não conseguir fazer subir o ambiente gráfico.

O que quero propor - e acredito que muitos irão concordar comigo - é: NÃO FIQUEM NO BÁSICO!!! Qualquer distribuição Linux te dá oportunidade de descobrir um mundo novo de descobertas e conhecimento.

Então, o que segue é o que acho ser alguns conselhos interessantes aos que estão ingressando neste maravilhoso mundo da liberdade.

Bom, a primeira coisa a ser dita, e talvez a principal, é que a informação é a arma do negócio (é isto mesmo, eu não errei na digitação). Informação é importantíssimo em um sistema que irá exigir muito de você. Sendo assim, se você não tem o costume ou não gosta de ler, aprenda! Aqui vale uma nota: nem toda a documentação Linux está traduzida, então, se você não manja muito de inglês, arrume um dicionário!

Outra coisa é: aprenda (e se acostume) a usar a linha de comandos. Pode não parecer, mas esta é a maneira mais fácil, rápida e eficiente de você manipular seus arquivos no Linux - especialmente os de configurações e/ou administração de seu sistema.

Você está usando um sistema GNU/Linux! Então, aprenda o que é GNU e donde veio o Linux. Não se contente em ser um mero usuário, adira à causa do Sofware-Livre.

Conheça a FHS - Filesystem Hierarchy Standard (Sistema de Hierarquia de Arquivos Padrão). O que é cada diretório, para que que serve.

Aprenda a utilizar bem um editor de texto - digo: vi, nano, mcedit... não o gedit ou kedit.

Saiba usar o chmod, chown, chgrp, umask. Mount, umount, sistemas de arquivo.

Acostume-se a lidar com os arquivos de configuração - diretório /etc. Analise-os, tente entendê-los e se necessário mude-os. Não deixe que o medo te impeça de mexer em seu sistema. A melhor maneira de aprender é justamente esta - fuçando! Desde que você mantenha bons registros do que está fazendo, se fizer algo que não deveria, você pode consertar. - É claro que a cautela de manter um backup de seus arquivos pessoais e dos importantes é muito bem-vinda.

Acabou a mamata de instalar programas só clicando em NEXT, NEXT, NEXT, I AGREE, FINISH! Uma das realidades mais duras para quem está iniciando no Linux é descobrir que instalar algo é um pouco mais complicado do que isto. Por isso, conheça seu Gerenciador de Pacotes, saiba usá-lo com eficácia.

E quando for lidar com um tarball (pacotes de extensão .tar.bz, .tar.bz2... que precisam ser compilados), depois de extraí-los, analise os arquivos que estão no pacote. Embora a maioria se resolva pelos comandos ./configure, make e make install nem sempre vai ser assim. Todos arquivos deste tipo vêm com instruções, leia-as (a maioria [senão todos] está em inglês, lembra do que eu disse acima sobre um dicionário...

E se, for mesmo à velha maneira (./configure, make, make install), saiba o que cada uma destas coisas faz. Se der problemas você estará apto a resolvê-los. Por exemplo, se o configure acusou algum erro, adianta dar o make depois? Como resolver o erro em questão? E se o erro for durante o make?

E quando problemas cabeludos surgirem, em primeiro lugar tente lidar com eles sozinho. Sim, sim, você agora faz parte da comunidade Linux, onde inúmeras almas boas estão dispostas a te ajudar, mas tente primeiro... Leia os manuais. Pesquise. Você irá descobrir que outras pessoas já passaram pela mesma coisa, ou então, vai descobrir excelentes matérias que podem te ajudar a resolver seu problema. Só depois que já tiver esgotado todos os seus recursos pessoais, aí sim, peça ajuda. E mesmo quando pedir ajuda não significa que seu problema irá ser solucionado imediatamente. E é aqui que segue outro (importante) conselho: tenha paciência!!! Resista a tentação de ter uma recaída e voltar aquele S.O. fácil, baseado em Janelas. Vá fazer outra coisa, esfrie a cabeça, volte ao computador depois... Com o tempo as coisas se resolvem!

Enfim, estas são algumas linhas que acho serem úteis para fazê-los entender que a partir de agora o poder está em suas mãos. Queira usá-lo, saiba usá-lo, use-o.

E quero terminar com as palavras de Linus Torvalds: "O código aberto é um modelo sobre como fazer coisas, e eu acredito que este é um jeito muito melhor de fazer as coisas. O código livre vai tomar conta do mercado não por causa de nenhuma 'batalha', mas simplesmente porque jeitos melhores de fazer as coisas eventualmente tomam o lugar de métodos inferiores".

É isto aí,

Um abraço a todos.

Francisco Ambrozio.
[email protected]

   

Páginas do artigo
   1. Principal
Outros artigos deste autor

Gerenciamento de pacotes no Slackware Linux

Criando pacotes no Slackware Linux

Leitura recomendada

Palavras, expressões e celebridades do mundo do software livre

Guia (nem tanto) Introdutório do Linux II

Resumo LPI 102: Tópico 108 - Serviços Essenciais do Sistema

Escolha da distribuição GNU/Linux ideal

Porque se aventurar no Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por nicolo em 28/09/2007 - 11:01h

?comentario=Intuitivamente é fácil concordar com todos os bons conselhos, aliás úteis. Ocorre que a grande maioria de usuários não tem a menor intenção de se aprofundar. Não há duvida que para utilizar o Linux com o seu potencial é preciso um conhecimento até de linha de comando. O ciclo do aprendizado para o usuário mais jovem, digamos em formação é mais fértil e professoralmente concordo que deva aprender com mais cuidado e profundidade. O ciclo de aprendizado para quem já virou a curva do calombo é mais imediatista. Virar a curva do calombo não depende só da idade, mas do conhecimento anterior.
Quem estava confortável com windows e não é da área de informática move-se muito lentamente. Quem, além disso, já não é "aluno" quer resultados rápidos e muito práticos. As pessoas aprendem informática por motivos diferentes: para não ficar para trás, por modismo, ou por diversão. Muitos aprendem apenas o suficiente para rodar o programa profissional. Nas empresas só o pessoal da TI tem acesso de root ou administrador, o resto aperta botões.
É vital para o Linux facilitar a vida da maioria silenciosa. Esse é o segredo do tio Gates.

[2] Comentário enviado por fabioeit em 28/09/2007 - 11:26h

Concordo com o autor do artigo e também com o comentário acima. Eu sou praticamente um apertador de botões, mas tenho interesse em me aprofundar no Linux. Quem é que não quer sair das chatisses do windows com suas milhares de janelas de erro fatal. Jà pensou na profunda inspiração da palavra FATAL, ou seja já era, morreu não tem saída! Eu quero a liberdade, mas com certeza não são todos que querem usar o Linux e se aprofundar. Todo o incentivo é super válido e mostrar que o Linux tem suas dificuldades não é desistimulante, não, isso é mostrar que o Linux é livre e tem seu preço, mas é LIVRE. Parabéns pelo o artigo e pelo comentário. Sou iniciante, e como eu tem muitos querendo aprender mais.

[3] Comentário enviado por douradoinfo em 28/09/2007 - 11:28h

Seria interessante que vocês que já têm mais experiência na área sugerissem aquilo que acham fundamental para quem está começando a nível de literatura mesmo. Eu, por exemplo, tudo que preciso tenho que indagar aqui. Consegui instalar o Ubuntu 7.04 (se não me engano), mas fico me perguntando se tenho que baixar mesmo todas as atualizações que o Gerenciador disponibiliza ou alerta. Algumas verifico que são para o KDE e eu uso o Gnome. É mesmo necessário? O que fazer para eliminar a mensagem de alerta e descartar aquela atualização? São pequenos exemplos clássicos de quem está começando. Só tem uma coisa: estou começando, mas daqui não saio mais.
Parabéns pelo artigo. Um abraço!

[4] Comentário enviado por fulllinux em 28/09/2007 - 12:26h

Francisco,

Concordo contigo em suas palavras, seu artigo é totalmente sem qualquer tipo de ofensas. Porem acredito realmente na famosa Engenharia Social, porque não existe patch para ignorância humana! Assim como você, tambem não digo que Linux é facial, mas fica muito mais dificil se não nos dermos oportunidade de aprende-lo.

Recentemente escrevi algo que considero ser um complemento a esse seu artigo e vou deixalo como fonte de pesquisa aqui tambem.
http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=7151

Belo artigo, parabéns.

[5] Comentário enviado por kosmus_mt em 28/09/2007 - 12:55h

*douradoinfo
Tenha certeza que quem sabe um pouco mais sugere coisas boas.
Quero deixar aqui um convite pra um projeto que eu vou lançar dentro de um mês ou dois (depende do trabalho e faculdade me darem tempo).
Meu Projeto irá justamente fornecer essa lacuna que foi mencionada.

Quanto ao Xico, cara sempre ativo aí na comunidade. Interessante tua posição quanto aos nossos novos camaradas da comunidade. Sejam bem vindos.
E tbm, pro Xico, fica o convite pro meu Projeto.


[]'s
Mathias

[6] Comentário enviado por pardalz em 28/09/2007 - 12:59h

excelente.. dica.. vo favorita para manda pros meus amigos que estão iniciando tambem(como eu)

[7] Comentário enviado por illusion em 28/09/2007 - 13:24h

Concordo contigo. "O proficional executa, o bom profissional faz", não basta conseguirmos trabalhar com o linux como acontece com o windows, mas sim entendermos como funciona. Foi assim que me tornei um bom desenvolvedor, não me satisfazia com a solução encontrada, mas sim como a solução foi feita, vou além da ferida, vou na raíz da coisa, é isso que me torna um profissional diferenciado, ou seja, mantenho convicção do que digo, pois sei como ele trabalha. Também sou iniciante no mundo linux, e ando tomando uma surra com o meu ubuntu e minha placa de vídeo ATI, para fazer funcionar o compiz-fusion, mas em compensação o que eu venho aprendendo é algo fabuloso!

Quero deixar um ditado para a comunidade, ele me estimula todos os dias: "Ele não sabia que era possível, foi lá e fez!"

Parabéns pelo artigo!

[8] Comentário enviado por tenchi em 28/09/2007 - 13:58h

Até acho um texto animador, mas vejo que nem odo mundo quer ser - com razão - um geek em informática. Quando isso acabar, o Linux ficará realmente popular.
Não sei se sua popularidade será boa ou ruim. Acho que será ruim no dia que lançarem o Timberlake Linux ou RBD Linux.
A maioria das pessoas quer um sistema que funcione exatamente como elas queiram. Eu uso o Linux e seu aplicativos por causa disto. Funciona como eu quero. No meu caso, funciona bem com toda sua complexidade. Mas há pessoas (a maioria) que querem que o sistema funcione de forma simples. Elas não sabem resolver os problemas mais complicados. Ela quer, no máximo, problemas simples ;-)
O windows atualmente ocupa este lugar na vida da maioria das pessoas: Funciona do jeito que as pessoas querem. Mas no caso, as obriga que todas queiram a mesma coisa.
Eu também sou muito criticado quando reclamo do excesso de facilidades no Linux. Mas não reclamo das facilidades em si, pois elas são muito bem vindas, mas, muitas vezes, dos problemas que estas facilidades possam trazer, como falhas de segurança, mais bugs, e a substituição à antiga forma de fazer as coisas (quando os homens eram homens e compilavam seus próprios programas rsrs).
E o Ubuntu é a distro que mais tem conseguido fazer isto. Ela é certamente a mehor para o usuário iniciante (descobri que não era iniciante quando o excesso de facilidades começou a me impedir de utilizar o computador da maneira que queria). Mas, enfim. São ossos do ofício ;-)

Resumindo: falei muito e ao mesmo tempo nada. Mas bom texto. Continue assim.

[9] Comentário enviado por rafael martins em 28/09/2007 - 17:45h

Bom artigo. O administrador precisa exercitar mais a sua "curiosidade" em entender o porquê das coisas e como elas funcionam. Informação tem em larga quantidade em todo lugar, cabe a nós transformá-la em conhecimento. O trabalho de pesquisa é fundamental para o aperfeiçoamento.

*Pesquisem!
*Desenvolvam!
*Estudem!

[10] Comentário enviado por f360c4 em 28/09/2007 - 17:49h

otimo artigo.
mas veja bem . . . usuario que é usuario não sabe fazer outra coisa a não ser = MSN = SKYPE = ORKUT = INTERNET = PAPEL DE PAREDE ETC.
kra usuario é usuario, acho que um usuario LINUX não tem que ficar aprendendo certas tarefas.
as coisas são assim.
o q tem q mudar é o linux parar com essa mesmo q so administradores podem mexer, ou usuario avançados. se não não consegue chegar aos desktops .. . não consegue mesmo . . .

USER é USER tem q entrar na net, MSN, SKYPE, ORKUT, BOLINHA, FRESCURINHAS e etc.
quem quer aprender e quer se tornar alguem realmente bom neh algo pra não ter q ficar pagando pra resolver problemas etc etc.ESTUDE.
mas USER é USER

[11] Comentário enviado por tuti em 28/09/2007 - 20:24h

cara parabens vc pensou naqueles q mais precisam de ajuda,por exemplo eu , usei o windows desde o 95,comecei com o linux faz 2 meses estou na minha segunda distro . Mais quando comecei com o linux percebi q era um analfabeto em informatica ,é isso q o windows faz, nos torna analfabetos e o linux nos faz voltar as origens pelo menos eu voltei ,porque meu primeiro contato foi com informatica foi modo texto o DOS, então cara e isso ai, essa e a receita dar atençao aos q estão começando,assim a comunidade linux vai crescer cada ves mais .....

[12] Comentário enviado por removido em 28/09/2007 - 20:29h

Olá,

Infelizmente isso é uma verdade. Para usar Linux a pessoa deve se
tornar um "especialista". Mesmo essas distros mais amigavéis vão
precisar de alguma manutenção.

Mas, o desafio de aprender mais é válido como desafio pessoal de cada um. O importante é você saber seus limites e ir superando sempre mais.

Quem não gosta de ler (muito) não se arrisque a usar Linux.

Bom artigo.

======================================
Apenas comentando a frase do comentário do amigo fulllinux.
======================================

"Porem acredito realmente na famosa Engenharia Social, porque não existe PATH para ignorância humana!

Acredito que você queria dizer PATCH!


PATH = Caminho, trajeto....
PATCH = Remendo, pequeno conserto...

Apenas para diferenciar corretamente...

[13] Comentário enviado por f_Candido em 28/09/2007 - 23:30h

Belo Artigo. Bem inspirante, vale a pena perder noite em claro, somente pra configurar algo.
Parabéns

[14] Comentário enviado por removido em 29/09/2007 - 11:07h

Interessante seu artigo, alguns pontos q observei: a maioria das "escolas" de Informática não ensinam informática e sim Windows, pelo menos a maioria das escolas aki na cidade q moro é assim, então alguns conceitos tbm deveriam mudar, minha irmãzinha esta aprendendo informática, mas quando chega aki em casa adora os jogos q tem no Linux. O uso do Linux atrai o usuário para mais conhecimento, mesmo q algumas distros não precisem de execução de muitos comandos, mas a diferença é q se dá algum erro no Windows de ficar fechando programas ou coisas assim o usuário só tem 3 alternativas:

1º - é vírus !
2º - reinstale o programa
3º - formate o pc e instale todo o sistema de novo

No Linux isso é bem diferente, quando dá algum erro temos a comunidade toda, fora www.google.com.br q nos ajuda.
Acho q uma dica pra quem tá començando é, sempre pesquise várias distros antes de começar e nunca fica em uma só teste ao menos 3 ou 4, opções não vão faltar. =)

[15] Comentário enviado por ocrama em 29/09/2007 - 18:07h

Muito bom este tópico!!!
Já tinha começado usar linux, quando aparecia os problemas não gostava por ser muito difícil para achar os programas. Vendo como esta as coisa, nas escolas de informática, cursos e etc, quando falar em linux parece que é um coisa do outro mundo ( também como vai querer mudar um sistema fácil de mexer para um difícil, isso que o pessoal pensa), eu pensava assim, estava fazendo um curso de redes, e nosso "prof" falava que nós ensinar como usar o linux, quando fala assim ninguém sabia o que era ( eu cheguei a usar o ubuntu, como citei acima, não quis mais por causa do problema), no final disto nem nós ensinou...
Já fui atrás de informação sobre o linux, e agora quero entrar de corpo, quero aprender mexer mesmo, como citado acima, temos que ir fundo no problema e saber resolver, para um dia saber os problemas e ter um conhecimento, para dizer o linux é bom....
Agora que estou migrando de volta para o linux, quero aprender o debian por ser um sistema bom, não desmerecendo os outros sistema linux, cada um tem que achar o seu sistema...
Já estamos cansado do Windows, sempre a mesma coisa, nunca surge nada de bom sempre a mesma coisa, e coisa nova é linux, além de ser muito viavél para certo consumidor que nem sabem que estão usando linux...
Quero aprender muito sobre o linux, não me importo perder 2,3,4 hora para aprender linux....

Sou novato no linux...

[16] Comentário enviado por edupersoft em 30/09/2007 - 09:05h

Outro dia, uma colega, estudante de direito, chegou do trabalho as 23:00 e foi fazer um trabalho para a faculdade, disse que no segundo parágrafo do trabalho o seu MS-Word apresentava uma daquelas mensagens bacanas e fechava. Resultado não conseguiu entregar o trabalho no dia, ainda precisou chamar um técnico a sua casa para verificar o que aconteceu, evidente que ele não sabe o que aconteceu e para resolver o problema reinstalou o Ms-Word. Não preciso dizer que esta minha colega é uma usuária, não administra nada no seu computador. Porque não recomendar o Linux para ela? Afinal no Linux as coisas raramente param de funcionar do nada, ela também não teria problemas de vírus ou spy, ela sabe o que precisa só precisa que funcione. Quando ela trocasse de computador, provavelmente ela entraria em uma loja e sairia com outro equipamento linux rodando tudo o que ela precisaria, pacotes offices, softwares de fotografia, leitores de email, navegadores de web, MSN etc, pagando um valor consideravelmente menor e poderia fazer atualizações automáticas de tudo isso. Quando ela precisar realizar tarefas administrativas ela pode chamar o técnico, da mesma forma que faz hoje, que pode ajudá-la sem sair de sua casa, de uma forma segura via ssh. Acho que este artigo não serve para ela, mas é fundamenta para o técnico, que na pior das hipótese saberia o que aconteceu no computador dela e se por ventura um dia o BrOffice parasse de funcionar, não seria do nada, teria uma explicação. Entre ela e o técnico existem diversos usuários cada um em um nível diferente de comprometimento com tarefas administrativas e cada tem necessidade de conhecer mais ou menos tudo o que o artigo propõe. Esta é minha opinião. A para completar meu pai é um verdadeiro analfabeto digital, o que vocês recomendariam para ele começar?

[17] Comentário enviado por ocrama em 30/09/2007 - 12:34h

edupersoft!!!
Eu ouvi uns comentário que o ubuntu lançou uma versão parecida com o windows, seria o ubuntu 7.0 se não me engano.
O ubuntu é construída através do debian....

Meu conselho é quer linux, começa pelo ubunto que vai gostar...

Espero ter ajudado!!!

[18] Comentário enviado por ocrama em 30/09/2007 - 12:34h

edupersoft!!!
Eu ouvi uns comentário que o ubuntu lançou uma versão parecida com o windows, seria o ubuntu 7.0 se não me engano.
O ubuntu é construída através do debian....

Meu conselho é quer linux, começa pelo ubunto que vai gostar...

Espero ter ajudado!!!

[19] Comentário enviado por ul1sses em 30/09/2007 - 17:28h

edupersoft, não importa se é no Windows, no Linux ou em outro qualquer. Se tu és um usuário final, você nunca vai saber por que um programa deixou de funcionar ou apresentou erro.

[20] Comentário enviado por luan tavares em 30/09/2007 - 20:53h

Artigo interessante,pena que nem todo mundo tem interesse em se aprofundar tanto no Linux assim a maioria so quer um sistema pronto e funcional como e no Windows.

[21] Comentário enviado por luan tavares em 30/09/2007 - 20:53h

Artigo interessante,pena que nem todo mundo tem interesse em se aprofundar tanto no Linux assim a maioria so quer um sistema pronto e funcional como e no Windows.

[22] Comentário enviado por edupersoft em 01/10/2007 - 07:46h

Colega agradeço a preocupação, mas a história do meu pai era só uma piada, evidente que existem distribuições linux para ele. Concordo com você ul1sses, usuário final não vai saber o que aconteceu, mas no windows, provavelmente ninguém vai saber, agora no contexto da história que coloquei para você um profissional linux teria condições de saber o que estava pegando, dizer para ela o que aconteceu e como evitar, seria assim que ele resolveria o problema.

[23] Comentário enviado por removido em 01/10/2007 - 10:15h

Boa véio. tu se saiu bem nesse Artigo... bom memo hein... rsrsrs...

vai pros favoritos... =)

[24] Comentário enviado por adrianoturbo em 01/10/2007 - 14:44h

Excelente artigo parabéns bem esclarecedor e sem querer desmerecer nenhuma distribuição ou nível de conhecimento.
Extremismo da minha parte que me desculpe os idealistas "Enquanto estiver usando Windows Microsoft não passará de um usuário ,mas quando conhecer Linux será administrador"

[25] Comentário enviado por removido em 01/10/2007 - 17:07h

Ótimo artigo!!
Com certeza tudo o q está escrito no artigo me ajudou mto quando migrei e vai ajudar aqueles q estão migrando para o mundo LIVRE.

Parabéns velho, show de bola!

[26] Comentário enviado por pc.debian em 01/10/2007 - 17:19h

Gostei da matéria, pois o meu pesamento é identico, gostaria de ter com o slackware, pois nele quase tudo é configurado na mão. Instalei algumas versões sem saber o que fazer. Fiz um de administração de Sistemas Linux usando a distribuição Debian, mas não fiz o básico sobre linux por isso conheço muito pouco a parte grafica do mesmo.

[27] Comentário enviado por cruzeirense em 02/10/2007 - 14:32h

Na minha opinião vai chegar o dia em que o cara não vai precisar aprender nada para operar uma máquina com linux. Fiz um teste aqui com um amigo que nunca usou linux, só windows, e nunca instalou nenhum sistema operacional. Ele acabou de instalar o kubuntu na máquina dele sem dor de cabeça, com apenas 35 minutos. Ao invés de sonhar que as pessoas aprendam linux, sonho com o dia que linux vai ser tão ou até mesmo mais fácil que o Windows, mesmo que demore um pouco...

[28] Comentário enviado por flpe007 em 02/10/2007 - 15:06h

Muito bom!!!
gosto da idéia de ver as coisas se ajeitando, com vc tomando conta vendo a evolução de uma instalação que está causando dor de cabeça, aquela configuração que parece ser impossivel sendo feita e assim ateh mesmo compartilhada com pessoas que pensam desta forma!!!
parabéns pela suas linhas!!!
hehehe

[29] Comentário enviado por dan_trash em 02/10/2007 - 16:05h

Caro Xico_Ambrozio gostei muito do seu texto. Concorto com muito. Não li todos comentários, mas palpitarei também. Usuários de computadores, ao meu ver, são dois: os não sabem nada (mesmo no win) e os fuçadores (no win). Se o cara é fuçador no win será um bom usuario gnu/linux caso contrario continuará pagando para os outros resolverem seus problemas independentemente do SO.

[30] Comentário enviado por E.taffarel em 16/11/2007 - 10:56h

Gsotei muito da matéria. Já comecei a mexer no Debian, e to me quebrando, mas sempre uso o google para tentar achar uma resposta.
Infelizmente muitas pessoas não se preocupam em resolver os seus problemas, e partem para a coisa mais fácil, que é perguntar para alguém, e esse alguém resolve o problema.
Resultado, sempre precisará perguntar de novo, pois não sabe o que fazer e nem como foi feito.


Contribuir com comentário