GNU/Linux, um projeto de sucesso (parte 1)

Quero agradecer ao portal VOL (Viva o Linux) por essa grande oportunidade. Esse artigo tem por objetivo divulgar o software livre e ao mesmo tempo mostrar que ele é funcional, quebrando paradigmas anti-software livre gerado pela oposição na sociedade. Aqui veremos desde a história do sistema operacional Linux como também os comandos e dicas. Seja bem vindo ao mundo do software livre.

[ Hits: 10.874 ]

Por: TITUX em 03/05/2010


A história do Linux



A origem

Antes de começarmos a falar de Linux e seu criador Linus Benedicts Torvalds, é bom que conheçamos um pouco sobre o Unix e sua versão gratuita de código aberto para PCs, o Minix. Ele foi a base para o desenvolvimento do Linux. Minix é um clone de código aberto pequeno e leve do Unix que foi desenvolvido pelo grande Andy Tannenbaun, um professor de sistemas operacionais da universidade de Helsinque, ele criou o sistema operacional para seus alunos utilizarem no aprendizado de sua cadeira. Seu código fonte é aberto e disponível para download em http://www.minix3.org. Qualquer programador experiente pode fazer alterações e redistribuir livremente (sem cobrar claro, exclusivamente de uso educacional), facilitando o estudo do Unix em casa.

É bom saber também que o Minix embora clone do Unix teve todo o seu código completamente escrito do (zero). Ele não contém nenhum código da AT&T (detentora do engenho), por isso ele pode ser distribuído livremente.

Um jovem universitário, corajoso e talentoso Linus Benedicts Torvalds

Quando se fala sobre Linux entre os entendidos, o nome a ser citado em algum momento da conversa sempre é Linus Benedicts Torvalds, inclusive o próprio nome Linux é derivado da junção de Linus + Unix. Linus foi um estudante da universidade de Helsinki, na Finlândia, em 1991. Ele por hobby decidiu criar um sistema operacional mais poderoso que o Minix, então para divulgar sua ideia ao um grupo pela Usenet (uma espécie de antecessora da Internet). Veja a mensagem de Linus:

"Você sente falta dos dias do Minix/1.1 quando homens eram homens e escreviam seus próprios drivers? Você está sem nenhum projeto legal e está ansioso para mexer num sistema operacional que você possa modificar para atender às suas necessidades? Você está achando chato quando tudo funciona no Minix? Não ficar mais a noite inteira tentando arrumar um programa legal? Então esta mensagem pode ser para você. Como eu disse há um mês (?) atrás, eu estou trabalhando numa versão grátis dum similar para o Minix, para computadores AT-386. Ela finalmente atingiu o estágio onde já é usável (apesar de talvez não for, dependendo do que você quer), e eu estou a fim de colocar (online) o código fonte para uma distribuição melhor. É apenas a versão 0.02 (com mais um patch), mas eu já rodei bash/gcc/gnu-make/gnu-sed/compress dentro dela..."

Linus Torvalds 10/05/1991 às 09h24min: 25
Referência: http://www.linux.org/info/linus.html

Então ele disponibilizou o código fonte do kernel (núcleo do sistema operacional) na internet pelo seu FTP para que todos os interessados pudessem baixar livremente. Linus continuou trabalhando até que em 1994 disponibilizou uma versão estável do kernel, a 1.0, hoje estamos na versão 2.6 (que avanço não?), parece pequeno, mas não é não, grandes mudanças ocorreram e estão ocorrendo e o sistema operacional se torna cada vez melhor, mais rápido, estável e compatível com os hardwares diversos.

Afinal, o que é Linux?

Sistema operacional gratuito de código aberto, uma reimplementação das especificações POSIX (padronização da IEEE - Instituto de Engenharia Eletro Eletrônica), para sistemas extensão System V e BSD. Isso significa que o Linux é bem parecido com Unix, mas não é Unix, foi baseado e teve seu código fonte completamente escrito do (zero).

Mas porque gratuito?

Muitas pessoas por preconceito e falta de conhecimento da filosofia open source discriminam o software pelo simples fato de ele ser gratuito. Se soubessem a riqueza que há neles jamais pensariam assim ou até mesmo se soubesse que muitas engenhocas estão sendo gerenciadas por software livre nesse exato momento, algumas delas são:
  • Dispositivos móveis
  • Servidores de diversas categorias e plataformas de hardware
  • Firmwares (software embarcados)
  • Estações gráficas
  • Vídeo-games
  • Computadores populares (baixo custo)
  • Compiladores
  • IDEs de desenvolvimento

Mr. Linus quando intencionou construir um sistema operacional livre, nunca quis ganhar dinheiro com ele, mas sim construir um sistema operacional para uso doméstico voltado a desenvolvedores em plataformas Minix/Unix. Porém a coisa estourou de tal forma que invadiu o mundo inteiro, o desenvolvimento coletivo da comunidade open source cresceu estrondosamente e com isso propagou muito conhecimento que aprimorou, contribuiu e acelerou a propagação da informática no mundo. Agora Linus Torvalds coordena e gerencia todo o desenvolvimento do Linux.

Licença GPL, o que é?

Linux foi patenteado sob licenciamento GPL (General Public License), isso significa que ele é de domínio público e não pode ser comercializado como Microsoft Windows que ainda tem seu código fonte em poder da mesma (fechado).

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. A história do Linux
   2. Projeto GNU, um agente concentrador
   3. Sobre o autor
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Compilando e instalando programas com o apt-build

ASTNAGIOS 2.0 + FAN - Solução completa para monitoramento

Usando G4U, ProFTP e DHCP para clonar partições pela rede

Compilação distribuída usando o distcc

Instalação do Wonderland Server

  
Comentários
[1] Comentário enviado por brian_ch em 04/05/2010 - 01:19h

Bom artigo para quem está chegando ao mundo do GNU\Linux, mas só fazendo uma correção, na 1ª pagina você diz :
"Linux foi patenteado sob licenciamento GPL (General Public License), isso significa que ele é de domínio público",
na verdade, os softwares livres não estão em domínio público,(segundo Stallman no documentário Revolution OS, isso acontece justamente para que alguém não pudesse mudar um pouco o software e o tornar proprietário) eles são licenciados pela GPL, ou seja, tem uma licença.
E na seção "Afinal, o que é Linux" você disse que era um S.O., e na verdade ele é só o kernel, como você explicou depois no artigo, acho que aí já devia estar explicito isso.

[2] Comentário enviado por Teixeira em 04/05/2010 - 12:17h

Confirmando as palavras do colega Brian, é necessário conhecermos a diferença entre as diversas modalidades de licenciamento:

Shareware: trata-se de uma forma de distribuição de um determinado software pago que poderá ser testado pelo usuário (e eventual comprador) durante algum tempo.
Alguns produtos shareware têm limitações ou expiram após algum tempo, enquanto outros não;

Trial: Versão limitada de um produto, distribuída para finalidades de teste, e geralmente com um prazo de validade muito curto.

Freeware: Produto distribuído gratuitamente pelo desenvolvedor, mediante declaração nesse sentido. Um freeware pode ser usado livremeente, porém ainda assim mantém seu cpyright e não pode ser modificado por terceiros.

Licença GPL: Trata-se de uma licença pública geral onde o código pode ser baixado, usado, modificado e passado adiante desde que sob a mesma modalidade de licença. Tem como objetivo disponibilizar um projeto e permitiar que o mesmo seja aperfeiçoado em bem de uma coletividade.

Domínio Público: Um produto entra em Domínio público de duas formas: Automaticamente, após a caducidade de suas patentes. Isso no caso de marcas e patentes de indústria e comércio. No caso da propriedade intelectual, o autor deverá declara publicamente que tal prouto passa a ser de domínio público, podendo ser usado - mas não modificado, etc. - por todos.

Abandonware: Essa modalidade supõe-se que seja associada aos produtos pretensamente "abandonados" por seus desenvolvedores.
No entanto, isso não existe legalmente.
Por exemplo, o MS-DOS e o Windows 3.x são tidos como "abandonware" (pelo fato de não terem mais o suporte de parte de seus desenvolvedores).
Mas esses produtos, como tantos outros, NÃO FORAM DISPONIBILIZADOS PAA DOMÍNIO PÚBLICO.
Potanto a sua utilização sem uma licença (que eles simplesmente não concedem) pode ser considerada como pirataria.

Existem até produtos (bastante raros) que foram tão detonados pela pirataria, que seus desenvolvedores resolveram abandoná-los de fato, porém disponibilizando-os para uso e domínio público.

[3] Comentário enviado por edson.vetorial em 05/05/2010 - 08:29h

Olá Pessoal, agradeço a cooperação de todos, ao contrário de uma pessoa que entrou para me ofender mas o moderador tirou o comentário dele, Obrigado moderador.
Gostaria de arrumar esses erros que cometi, confesso que não sei muito mas estou aqui para aprender com vocês, existe uma forma de re-editar o artigo?


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts