Até quando vamos ter que escutar a frase...

13. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Lucas Moraes
lucasdemoraesc

(usa Ubuntu)

Enviado em 22/10/2017 - 17:19h

hrcerq escreveu:

Eu discordo um pouco da sua visão...

Veja só: cracks só fazem sentido em software com licenças restritivas. Em Linux, é muito mais comum o uso de software livre, então isso já elimina boa parte desse problema.

Sim, softwares livres são muito mais populares no Linux do que os proprietários, mas veja bem: Se os sistemas com base Linux começarem a crescer e se popularizar demais, acontecerá o mesmo que aconteceu no Android, uma "invasão" de softwares proprietários...


LMC


  


14. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Hugo Cerqueira
hrcerq

(usa Outra)

Enviado em 22/10/2017 - 20:50h

correalinux escreveu:

[...] Se os sistemas com base Linux começarem a crescer e se popularizar demais, acontecerá o mesmo que aconteceu no Android, uma "invasão" de softwares proprietários... [...]


LMC


Essa invasão de softwares proprietários que você menciona já existe hoje. Muitas distribuições Linux vem cheias deles, e elas tem o seu público. Da mesma forma, existem aquelas que procuram manter apenas software livre em seus repositórios oficiais, deixando a critério do usuário a instalação de software proprietário ou não. Distribuições que tem essa premissa continuarão assim, não vejo por quê mudariam. E aí fica a critério de cada um qual distribuição usar.

---

Atenciosamente,
Hugo Cerqueira


15. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 22/10/2017 - 21:03h

-eu também não tenho nada contra software proprietário
-eu simplesmente uso aquilo que atende minhas necessidades



16. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/10/2017 - 21:12h

clodoaldops escreveu:

-eu também não tenho nada contra software proprietário
-eu simplesmente uso aquilo que atende minhas necessidades

Aproveitando a deixa, clodoaldops, há muito quero te perguntar algo:
Você acredita que o software proprietário avilta contra a liberdade/privacidade do usuário?


Muitos que vivem merecem a morte. E alguns que morrem merecem viver. 
Você pode dar-lhes a vida?
Então não seja tão ávido para julgar e condenar alguém a morte.
Pois mesmo os muitos sábios não conseguem ver os dois lados.



17. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Hugo Cerqueira
hrcerq

(usa Outra)

Enviado em 22/10/2017 - 21:16h

Peraí... eu não disse que não tenho nada contra software proprietário. Disse apenas que as pessoas podem escolher o que querem usar, proprietário ou livre. Pessoalmente, não gosto de licenças restritivas porque elas são, digamos... restritivas. Acho que as 4 liberdades são de grande importância. Elas permitem que o programa seja auditado e aprimorado de uma maneira muito mais ágil. Conforme comentei anteriormente, um dos grandes benefícios do Linux é que o código dele está disponível para quem quiser testar, achar vulnerabilidades e aplicar correções. É isso que faz com que ele evolua tão rápido.

E a liberdade de redistribuição, por exemplo, é o que permite que as distros mantenham seus repositórios. Elas pegam o código fonte, compilam, geram os pacotes e colocam no servidor para quem quiser baixar. Isso não seria possível sem a liberdade de redistribuição. Perceba como as coisas seriam engessadas se só tivéssemos software proprietário como opção.

---

Atenciosamente,
Hugo Cerqueira


18. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 22/10/2017 - 21:27h

Software proprietário não vai contra liberdade pq eu instalo ou desinstalo se desejar
Mas em alguns casos a privacidade pode ser comprometida como usar Google ou mesmo como caso da Lenovo que tempos atrás tinha "software espião" em seus Notebooks
Por isso não faço nada relevante no meu PC como usar cartão crédito e bankline



19. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

LinuxWalker
Delusion

(usa Debian)

Enviado em 22/10/2017 - 22:14h

hrcerq escreveu:
Essa invasão de softwares proprietários que você menciona já existe hoje. Muitas distribuições Linux vem cheias deles, e elas tem o seu público. Da mesma forma, existem aquelas que procuram manter apenas software livre em seus repositórios oficiais, deixando a critério do usuário a instalação de software proprietário ou não.

---
Atenciosamente,
Hugo Cerqueira


Nesse ponto, é lamentável que o usuário final, sem conhecimento técnico, fica entre a cruz e a espada.
Se não escolhe uma distro socada de software proprietário, terá um sistema incompleto, sem suporte a multimídia, entre outros.
Acaba por adicionar repos não oficiais e cai na mesma gaiola.
No caso do fedora, ao adicionar rpmfusion e outros repos ou pacotes através do easylife ou fedy, tem uma distro menos livre que ubuntus. No debian é ainda mais simples, basta adicionar "non-free" ao final de cada linha do sources.list e pronto, vc já tá usando softwares que não são vasculhados pela equipe de segurança da distro.
Acho que a maioria de nós gostaria de usar apenas softwares não-proprietários, mas em desktop/notebooks não vejo pra onde correr.


------------------------------------------------------
Distros: Debian(stable/testing), openSUSE.
DEs: xfce4, Cinnamon.


20. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/10/2017 - 22:34h

clodoaldops escreveu:

Software proprietário não vai contra liberdade pq eu instalo ou desinstalo se desejar

Discordo completamente.
Primeiramente, o software proprietário pode fazer literalmente qualquer coisa com o seu computador. Conhece o warsaw? Esse demônio, uma vez instalado, é um sacrifício para ser retirado.
Se você não tem acesso ao código fonte do programa, como sabe que ele simplesmente foi retirado? Não há como saber.

Mas em alguns casos a privacidade pode ser comprometida como usar Google ou mesmo como caso da Lenovo que tempos atrás tinha "software espião" em seus Notebooks

Não é que ela pode: já é comprometida em todos os casos. Ora, como saberei se o programa faz ou não alguma atividade maliciosa? Você tem o código fonte dele? Pode estudar, usar, modificar e redistribuir? Não, não pode. Ou você confia na benevolência da empresa/programador, ou não usa.

Por isso não faço nada relevante no meu PC como usar cartão crédito e bankline

Correto, mas acredito que o mais "correto" (repare nas aspas) seria não utilizar serviços bancários.

Muitos que vivem merecem a morte. E alguns que morrem merecem viver. 
Você pode dar-lhes a vida?
Então não seja tão ávido para julgar e condenar alguém a morte.
Pois mesmo os muitos sábios não conseguem ver os dois lados.



21. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Hugo Cerqueira
hrcerq

(usa Outra)

Enviado em 22/10/2017 - 23:12h

LinuxWalker escreveu:

Nesse ponto, é lamentável que o usuário final, sem conhecimento técnico, fica entre a cruz e a espada.
Se não escolhe uma distro socada de software proprietário, terá um sistema incompleto, sem suporte a multimídia, entre outros.


Sistema incompleto? Isso é relativo, porque depende do que cada um considera como necessário para um ambiente completo. Suporte multimídia que você citou é possível sim com software livre. O que acontece é que alguns codecs são cobertos por patentes restritivas, mas patentes de software não são válidas no Brasil, então o uso desses codecs está liberado por aqui.

Acaba por adicionar repos não oficiais e cai na mesma gaiola.
No caso do fedora, ao adicionar rpmfusion e outros repos ou pacotes através do easylife ou fedy, tem uma distro menos livre que ubuntus. No debian é ainda mais simples, basta adicionar "non-free" ao final de cada linha do sources.list e pronto, vc já tá usando softwares que não são vasculhados pela equipe de segurança da distro.


Quanto a adicionar repositórios de terceiros, eu acho bastante desaconselhável, mas dependendo de qual for o repositório, pode ter uma credibilidade boa. Easylife e Fedy realmente são umas pragas. Mas o rpm fusion eu já acho razoavelmente confiável. Ele tem dois repositórios principais, o free que só tem pacotes open-source, e o non-free, que tem pacotes com o código publicamente disponível, mas algumas restrições de uso comercial.

Acho que a maioria de nós gostaria de usar apenas softwares não-proprietários, mas em desktop/notebooks não vejo pra onde correr.


No meu trabalho eu nem sempre tenho a opção de usar somente software livre. Para que o trabalho em equipe funcione, é necessário um acordo entre todos sobre o modus operandi, que nem sempre vai privilegiar o software livre. Já no meu computador pessoal eu sou o único responsável por escolher os programas a serem utilizados. Nesse caso, eu uso apenas software livre e não sinto que tenho um ambiente incompleto. Me atende plenamente.

---

Atenciosamente,
Hugo Cerqueira


22. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Lucas Alves Santos
Lwkas

(usa XUbuntu)

Enviado em 22/10/2017 - 23:23h

clodoaldops escreveu:

-até quando Linux começar rodar nativamente todos os jogos tops p/ Windows


+1

A steam já possui diversos jogos para linux, porém ainda falta a compatibilidade com os mais famosos, como por exemplo o próprio LOL, que no linux só é possível jogar a partir de virtualização com o wine....


23. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 22/10/2017 - 23:26h

mithrandir,
-como disse por isso não faço nada relevante meu pc
-como não sou expert em TI nunca conseguiria destrinchar um programa p/ saber se estão me espionando ou não
-mas ultimante tenho mais medo de um noiado me dar um tiro por causa de um celular de menos de mil reais do que ser raqueado




24. Re: Até quando vamos ter que escutar a frase...

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/10/2017 - 23:32h

clodoaldops escreveu:

mithrandir,
-como disse por isso não faço nada relevante meu pc

Não é por isso que você deve utilizar software proprietário. Eticamente e tecnicamente, os softwares livres se mostram melhores.
Como diria o Snowden: "Dizer que não se importa com a privacidade por não ter nada a esconder é o mesmo que não defender a liberdade de expressão por não ter nada a dizer."

-como não sou expert em TI nunca conseguiria destrinchar um programa p/ saber se estão me espionando ou não

Idem. Graças ao crescimento da comunidade do software livre, outros podem fazer essa verificação para você. A enorme maioria dos softwares livres são de boa qualidade/segurança. Em todo caso, você pode escolher não confiar e verificar por si mesmo o que o programa faz.

-mas ultimante tenho mais medo de um noiado me dar um tiro por causa de um celular de menos de mil reais do que ser raqueado

Infelizmente, é a realidade do nosso país. Entretanto, não significa que você deva dar brechas.

Muitos que vivem merecem a morte. E alguns que morrem merecem viver. 
Você pode dar-lhes a vida?
Então não seja tão ávido para julgar e condenar alguém a morte.
Pois mesmo os muitos sábios não conseguem ver os dois lados.




01 02 03



Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts