Como personalizar o seu Blackbox (básico)

Publicado por Enki Ferreira Costa em 15/07/2020

[ Hits: 240 ]

 


Como personalizar o seu Blackbox (básico)



Eu sei que o Blackbox já foi descontinuado desde 2005 mais ou menos, mas quando eu vi essa interface ela simplesmente virou a minha favorita, eu gostei até mais do que a do Unity.

Sem mais enrolação, irei deixar o script que usei, mas primeiramente é necessário localizá-lo em seus arquivos. No meu caso, ele ficou localizado em /etc/X11/blackbox/blackbox-menu. Pode ser que no seu computador esteja em outro diretório.

Para começar a editar, eu digitei:

sudo gedit /etc/X11/blackbox/blackbox-menu

Então abriu o arquivo. O original estava com umas configurações bem básicas, nem havia o terminal (infelizmente eu não tenho o script e muito menos o memorizei):

[begin] (Menu Blackbox)
[submenu] (Internet)
[exec] (Navegador Brave) {brave-browser}
[exec] (Gerenciador de pacotes Synaptic) {synaptic}
[end]

[submenu] (Escritório)
[exec] (Abiword) {abiword}
[exec] (Galculator) {galculator}
[exec] (Gnumeric) {gnumeric}
[exec] (Editor de texto) {gedit}
[exec] (Xcalc) {xcalc}
[end]

[submenu] (Desenvolvimento)
[exec] (Python 3) {python3}
[exec] (Python 2) {python2}
[exec] (Editor de texto) {gedit}
[exec] (QTerminal) {qterminal}
[exec] (LXTeminal) {lxterm}
[exec] (XTerminal) {xterm}
[exec] (UXTerminal) {uxterm}
[end]

[submenu] (Gráficos)
[exec] (Kolour Paint) {kolourpaint}
[exec] (Visualizador de imagens) {lximage-qt}
[exec] (Simple Screen Recorder) {simplescreenrecorder}
[end]

[submenu] (Multimídia)
[exec] (Audacious) {audacious}
[exec] (Media Player) {gnome-mpv}
[end]

[submenu] (Sistema)
[exec] (Controle de volume do PulseAudio) {pavucontrol}
[exec] (QTerminal) {qterminal}
[exec] (LXTeminal) {lxterm}
[exec] (XTerminal) {xterm}
[exec] (UXTerminal) {uxterm}
[exec] (Bluetooth) {blueman-applet}
[exec] (Fcitx) {fcitx}
[exec] (Discos) {gnome-disks}
[exec] (Informações do sistema) {hardinfo}
[exec] (Gerenciador de arquivos PCManFM) {pcmanfm}
[end]

[submenu] (Utilidades X)
[exec] (Xfontsel) {xfontsel}
[exec] (Xman) {xman}
[exec] (Xcalc) {xcalc}
[exec] (Xload) {xload}
[end]

[submenu] (Estilos) {Escolha um estilo...}
[stylesdir] (/usr/share/blackbox/styles)
[end]

[workspaces] (Área de trabalho)
[config] (Configuração)

[submenu] (Encerrar...)
[reconfig] (Reconfigurar)
[exec] (Suspeder) {systemctl suspend}
[exec] (Hibernar) {systemctl hibernate}
[restart] (Reiniciar)
[exit] (Sair)
[exec] (Desligar) {shutdown -h now}
[end]

Grande, não? Sim, são 70 linhas de puro esforço. Eu demorei aproximadamente 7 HORAS pra conseguir pensar em tudo. Mas eu não irei tacar o código e sair correndo só para ganhar pontos e visitas ao perfil. Não, eu irei explicá-lo direito para que você consiga personalizar do seu próprio jeito...

O que são esses comandos

São comandos que irão dar as instruções para o sistema realizar uma certa ação (de maneira resumida).

O que cada comando significa?

[begin]: será o comando utilizado para você escrever o que aparecerá na parte principal da interface, sempre deixando em parênteses. Você pode colocar qualquer nome que ele vai suportar.

[submenu]: será o comando para criar um submenu, um menu que fica dentro de outro. Explicando melhor: sabe aquele "ícone" que quando você passa o mouse por cima, há mais itens nele? Então; é exatamente isso que quero dizer. Se você quiser colocar um nome, é só por o nome entre parênteses. Exemplo:

[submenu] (Utilitários)

Também pode ser usado as chaves se você quiser que o nome anterior não se repita ao nome do título do submenu:

[submenu] (Estilos) {Escolha um estilo...}

[exec]: será o comando para avisar ao sistema que você irá colocar um executável nele. É só colocar esse comando, e entre parênteses, o nome do aplicativo, então entre as chaves ({}), você irá colocar o nome que você coloca no terminal. Por exemplo:

[exec] (Gravador de tela) {simplescreenrecorder}

Bem simples.

[end]: é colocado sempre em submenus, para não cometer o erro de adicionar um submenu dentro de outro submenu por exemplo.

[stylesdir]: é utilizado um diretório específico que irá mostrar os tipos de estilos disponíveis. Por exemplo:

[stylesdir] (/usr/share/blackbox/styles)

[workspaces]: irá mostrar definições das áreas de trabalho do sistema, por exemplo:

[workspaces] (Área de trabalho) # Lembrando que os parênteses significam o nome que será colocado, e essa cerquilha (ou hashtag) é usado para comentar

[config]: irá mostrar as configurações do blackbox, tem o mesmo conceito do comando anterior.

[reconfig]: irá reconfigurar tudo do blackbox, mesmo conceito com comando [workspaces].

[restart]: irá reiniciar o sistema, mesmo conceito com comando [workspaces].

[exit]: irá fazer log off, não irá desligar, mesmo conceito com comando [workspaces].

E isso foi tudo que pude explicar do script, você poderá personalizar à vontade, ou se for mais preguiçoso pode pegar o meu código que nem ligo pra isso, eu quero compartilhar conhecimento, não deixá-lo privado só para mim.

Tenham uma boa quarentena e tchau!

Outras dicas deste autor

Uma dica importante para quem quiser migrar para o Linux

Leitura recomendada

Como verificar senha no shell script

Atualizar Panda antivírus para Linux via script

Habilitando NumLock em todos os terminais na inicialização

Livros de shell script (um é grátis)

myip - Comando que retorna somente o IP

  

Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts