Como personalizar o seu Blackbox (básico)

Publicado por Enki Ferreira Costa em 15/07/2020

[ Hits: 431 ]

 


Como personalizar o seu Blackbox (básico)



Eu sei que o Blackbox já foi descontinuado desde 2005 mais ou menos, mas quando eu vi essa interface ela simplesmente virou a minha favorita, eu gostei até mais do que a do Unity.

Sem mais enrolação, irei deixar o script que usei, mas primeiramente é necessário localizá-lo em seus arquivos. No meu caso, ele ficou localizado em /etc/X11/blackbox/blackbox-menu. Pode ser que no seu computador esteja em outro diretório.

Para começar a editar, eu digitei:

sudo gedit /etc/X11/blackbox/blackbox-menu

Então abriu o arquivo. O original estava com umas configurações bem básicas, nem havia o terminal (infelizmente eu não tenho o script e muito menos o memorizei):

[begin] (Menu Blackbox)
[submenu] (Internet)
[exec] (Navegador Brave) {brave-browser}
[exec] (Gerenciador de pacotes Synaptic) {synaptic}
[end]

[submenu] (Escritório)
[exec] (Abiword) {abiword}
[exec] (Galculator) {galculator}
[exec] (Gnumeric) {gnumeric}
[exec] (Editor de texto) {gedit}
[exec] (Xcalc) {xcalc}
[end]

[submenu] (Desenvolvimento)
[exec] (Python 3) {python3}
[exec] (Python 2) {python2}
[exec] (Editor de texto) {gedit}
[exec] (QTerminal) {qterminal}
[exec] (LXTeminal) {lxterm}
[exec] (XTerminal) {xterm}
[exec] (UXTerminal) {uxterm}
[end]

[submenu] (Gráficos)
[exec] (Kolour Paint) {kolourpaint}
[exec] (Visualizador de imagens) {lximage-qt}
[exec] (Simple Screen Recorder) {simplescreenrecorder}
[end]

[submenu] (Multimídia)
[exec] (Audacious) {audacious}
[exec] (Media Player) {gnome-mpv}
[end]

[submenu] (Sistema)
[exec] (Controle de volume do PulseAudio) {pavucontrol}
[exec] (QTerminal) {qterminal}
[exec] (LXTeminal) {lxterm}
[exec] (XTerminal) {xterm}
[exec] (UXTerminal) {uxterm}
[exec] (Bluetooth) {blueman-applet}
[exec] (Fcitx) {fcitx}
[exec] (Discos) {gnome-disks}
[exec] (Informações do sistema) {hardinfo}
[exec] (Gerenciador de arquivos PCManFM) {pcmanfm}
[end]

[submenu] (Utilidades X)
[exec] (Xfontsel) {xfontsel}
[exec] (Xman) {xman}
[exec] (Xcalc) {xcalc}
[exec] (Xload) {xload}
[end]

[submenu] (Estilos) {Escolha um estilo...}
[stylesdir] (/usr/share/blackbox/styles)
[end]

[workspaces] (Área de trabalho)
[config] (Configuração)

[submenu] (Encerrar...)
[reconfig] (Reconfigurar)
[exec] (Suspeder) {systemctl suspend}
[exec] (Hibernar) {systemctl hibernate}
[restart] (Reiniciar)
[exit] (Sair)
[exec] (Desligar) {shutdown -h now}
[end]

Grande, não? Sim, são 70 linhas de puro esforço. Eu demorei aproximadamente 7 HORAS pra conseguir pensar em tudo. Mas eu não irei tacar o código e sair correndo só para ganhar pontos e visitas ao perfil. Não, eu irei explicá-lo direito para que você consiga personalizar do seu próprio jeito...

O que são esses comandos

São comandos que irão dar as instruções para o sistema realizar uma certa ação (de maneira resumida).

O que cada comando significa?

[begin]: será o comando utilizado para você escrever o que aparecerá na parte principal da interface, sempre deixando em parênteses. Você pode colocar qualquer nome que ele vai suportar.

[submenu]: será o comando para criar um submenu, um menu que fica dentro de outro. Explicando melhor: sabe aquele "ícone" que quando você passa o mouse por cima, há mais itens nele? Então; é exatamente isso que quero dizer. Se você quiser colocar um nome, é só por o nome entre parênteses. Exemplo:

[submenu] (Utilitários)

Também pode ser usado as chaves se você quiser que o nome anterior não se repita ao nome do título do submenu:

[submenu] (Estilos) {Escolha um estilo...}

[exec]: será o comando para avisar ao sistema que você irá colocar um executável nele. É só colocar esse comando, e entre parênteses, o nome do aplicativo, então entre as chaves ({}), você irá colocar o nome que você coloca no terminal. Por exemplo:

[exec] (Gravador de tela) {simplescreenrecorder}

Bem simples.

[end]: é colocado sempre em submenus, para não cometer o erro de adicionar um submenu dentro de outro submenu por exemplo.

[stylesdir]: é utilizado um diretório específico que irá mostrar os tipos de estilos disponíveis. Por exemplo:

[stylesdir] (/usr/share/blackbox/styles)

[workspaces]: irá mostrar definições das áreas de trabalho do sistema, por exemplo:

[workspaces] (Área de trabalho) # Lembrando que os parênteses significam o nome que será colocado, e essa cerquilha (ou hashtag) é usado para comentar

[config]: irá mostrar as configurações do blackbox, tem o mesmo conceito do comando anterior.

[reconfig]: irá reconfigurar tudo do blackbox, mesmo conceito com comando [workspaces].

[restart]: irá reiniciar o sistema, mesmo conceito com comando [workspaces].

[exit]: irá fazer log off, não irá desligar, mesmo conceito com comando [workspaces].

E isso foi tudo que pude explicar do script, você poderá personalizar à vontade, ou se for mais preguiçoso pode pegar o meu código que nem ligo pra isso, eu quero compartilhar conhecimento, não deixá-lo privado só para mim.

Tenham uma boa quarentena e tchau!

Outras dicas deste autor

Uma dica importante para quem quiser migrar para o Linux

Leitura recomendada

Comentando várias linhas em scripts bash

Instalando Firefox Quantum no Deepin OS

Twittar via terminal no Linux

Renomeando em massa sem precisar instalar comandos adicionais

JailSYS - Facilitador para sistemas em Jaula

  

Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts