Utilizando atributos em partições ReiserFS

Creio que muitos administradores e usuários Linux devem utilizar as vantagens dos comandos 'chattr' e 'lsattr' para definir e listar atributos em arquivos e diretórios. O problema é que originalmente só quem usava EXT2 e EXT3 podia utilizar dessas facilidades, mas agora você aprenderá como utilizá-los no ReiserFS.

[ Hits: 21.722 ]

Por: Carlos Vinícius Braga dos Santos em 30/12/2006 | Blog: http://slaypher.wordpress.com


Finalmente, usando atributos em ReiserFS



Agora que está tudo definido e pronto pra usar, vamos por a mão na massa e entender como funciona o 'chattr' e o 'lsattr' para que possamos usá-los com sabedoria.

chattr

Modifica atributos de arquivos/diretórios. Não confunda atributos de arquivo com permissões de acesso, os atributos são diferentes e definem outras características especiais para os arquivos/diretórios especificados.

chattr [opções] [atributos] [arquivos/diretórios]

Onde:

[arquivos/diretórios]
Arquivos/diretórios que terão os atributos modificados. Podem ser usados coringas. Opções:
  • -R - Modifica atributos em subdiretórios;
  • -V - Mostra detalhes sobre a modificação de atributos.

[atributos]
Os atributos de arquivos/diretórios podem ser especificados da seguinte maneira:
  • + - Adiciona o atributo
  • - - Remove o atributo
  • = - Define o atributo exatamente como especificado

Os atributos são os seguintes:
  • A - Não modifica a hora de acesso de arquivos. Poder aumentar consideravelmente a performance em Notebooks devido a diminuição de I/O no disco rígido. Quando especificada em diretórios, faz com que todos os arquivos e subdiretórios residentes nele não tenham a hora de acesso modificada.
  • a - Append-Only - Arquivos com este atributo podem somente ser gravados em modo incrementais (o conteúdo poderá somente ser adicionado ao final do arquivo). Eles não poderão ser removidos, renomeados e novos links não poderão ser criados para estes arquivos. Em diretórios faz com que os arquivos sejam apenas adicionados. Somente o root pode especificar ou retirar este atributo.
  • c - Permite compactação nos arquivos especificados de forma transparente para o usuário. Durante a leitura, o kernel retorna dados descompactados e durante a gravação os dados são compactados e gravados no disco.
  • d - Este atributo não é usado pelo kernel, mas faz com que o programa dump evitar backup dos arquivos marcados com este atributo.
  • i - Imutável - Arquivos imutáveis não podem ser modificados, os dados também não podem ser gravados para estes arquivos, não podem ser removidos, renomeados. Até mesmo o usuário root não poderá modificar estes arquivos. Em diretórios, faz com que arquivos não possam ser adicionados ou apagados. Somente o usuário root pode especificar ou retirar este atributo.
  • s - O arquivo especificado é marcado como "apagamento seguro"; quando o arquivo é apagado, seus blocos são zerados e gravados de volta no disco (eliminando qualquer possibilidade de recuperação).
  • S - Faz a gravação imediatamente para o arquivo especificado. É como especificar a opção "sync" na montagem do sistema de arquivos ext2, mas afeta somente os arquivos especificados. Não tem efeito em diretórios.
  • u - O arquivo especificado é marcado como recuperável. Quando o arquivo é apagado, seu conteúdo é salvo para permitir futura recuperação.

Os atributos de arquivos/diretórios são visualizados através do utilitário lsattr.

Exemplos:
  • chattr +AacdiSsu teste.txt - Adiciona todos os atributos
  • chattr =ASs teste.txt - Define os atributos para "ASs"
  • chattr +i -A teste.txt - Retira o atributo "A" e adiciona "i"
  • chattr = teste.txt - Retira todos os atributos

lsattr

Lista atributos de um arquivo/diretório. Os atributos podem ser modificados através do comando chattr.

lsattr [opções] [arquivos/diretórios]

Onde:

[arquivos/diretórios]
Arquivos/diretórios que deseja listar os atributos. Podem ser usados coringas.

Opções:
  • -a - Lista todos os arquivos, incluindo ocultos (iniciando com um ".").
  • -d - Lista os atributos de diretórios ao invés de listar os arquivos que ele contém.
  • -R - Faz a listagem em diretórios e subdiretórios.
  • -v - Mostra versões dos arquivos.

Caso seja especificado sem parâmetros, o lsattr listará os atributos de todos os arquivos e diretórios do diretório atual. O lsattr mostrará mensagens de erro caso seja usado em um diretório de pontos de montagem ou arquivos que não sejam ext2.

Exemplo: lsattr -d, lsattr -R, lsattr -R *.txt.

Conclusão e algumas considerações

Agora que aprendemos muito bem como trabalhar com atributos no Linux e principalmente usando o nosso Sistema de Arquivos favoritos, o ReiserFS, podemos definir e gerenciar melhor nossos documentos e diretórios importantes, dando um incremento a mais nas permissões definidas pelo 'chmod'. Mas lembre-se que um Sistema realmente seguro é definido primeiro pela política de segurança adotada pelo Administrador e seus Usuários.

Espero que com muitos usuários que tiveram a mesma dúvida e dificuldade que eu tive em encontrar informações a respeito de como utilizar Atributos em partições ReiserFS possam ter usufruído desse Artigo e perdoar qualquer deixa que eu possa ter escapado.

Bom proveito!

Eu uso Software Legal, e você!?

Referência

Guia Foca Linux:
Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Atributos em partições Linux
   2. Recompilando o Kernel e definindo as configs
   3. Finalmente, usando atributos em ReiserFS
Outros artigos deste autor

Backup automatizado e seguro usando SSH / SCP / SFTP

Você sabe o que é INODE?

Traduzir dicas e mensagens do login

Leitura recomendada

Inserindo o recurso de lixeira no Samba

Entendendo MBR e sistema de arquivos GNU/Linux

Formatando Disquetes

Instalando e gerenciando programas no Linux

Sistema de backup com dar

  
Comentários
[1] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 30/12/2006 - 17:29h

Muito bom cara! Gostei mesmo! Sou usuário do reiserfs e vou fazer as mudanças para usar os atributos ainda hoje. Valeu mesmo!

[2] Comentário enviado por removido em 01/01/2007 - 03:39h

parabens!!!! mto legal!!!

[3] Comentário enviado por coffnix em 01/01/2007 - 22:13h

gostei de ver! muito bom esse artigo.

parabéns

[4] Comentário enviado por anderson_souza em 02/01/2007 - 10:36h

Eh isso ai.

Eu conhecia esses comandos. Mas de tanto sem usar acaba esquecendo de alguma coisa. O artigo me fez lembrar.

O artigo foi bom para quem ja conhecia, e deve ter sido melhor para quem nao conhecia.

OK. muito bom artigo.

[5] Comentário enviado por cytron em 02/01/2007 - 21:47h

Bom cara! Isso vai facilitar muito as coisas em termo de velocidade, dá pra ganhar um bom desempenho no diretório var.

Agora a questão é o seguinte: Será que no proc isso funciona? Tipo -A???

[6] Comentário enviado por slaypher em 19/01/2007 - 14:28h

Olá,

Desculpem a demora em postar mas estive fora por alguns dias.

Primeiramente obrigado pelos elogios e espero que tenham aproveitado bem esse simples artigo, e respondendo a sua dúvida cytron, não é possível atribuir nenhum desses parâmetros aos diretórios:

/proc
/dev
/sys

Se você der o comando:

$ lsattr /

Verá que não é possível trabalhar com esses atributos em cima deles.

[]'s

[7] Comentário enviado por adrianoturbo em 27/06/2008 - 10:41h

Ficou bem claro em seu artigo a diferença entre atributos e permissão,muito bom o artigo.

[8] Comentário enviado por GilsonDeElt em 08/09/2011 - 14:51h

Very good artigo!

Vou testar isso depois, no meu note!
=)


Contribuir com comentário