Usando partições e sistemas de arquivos

Este artigo está dividido em quatro partes: Introdução sobre partições e sistemas de arquivos; Criando partições e sistemas de arquivos; Montando e desmontando sistemas de arquivos; Gerenciando partições e sistemas de arquivos.

[ Hits: 127.942 ]

Por: Cristian Alexandre Castaldi em 02/01/2006


Montando e desmontando sistemas de arquivos



3.1. mount


O comando mount é usado para montar arquivos de sistemas no Linux, ou seja, ele é utilizado para montar um dispositivo na hierarquia do sistema de arquivos do Linux podendo aceitar outros casos de uso. As opções mais usadas são:
  • -a Monta todos os dispositivos especificados no arquivo /etc/fstab que não tem a opção noauto selecionada.
  • -r Monta o sistema de arquivos com permissão somente de leitura.
  • -w Monta o sistema de arquivos com permissão de leitura e gravação.
  • -o Especifica as opções de montagem. Elas podem ser: auto, noauto, ro, rw, exec, noexec, user, users, nouser, sync, async, dev, nodev, suid, nosuid, defaults, remount, atime.
  • -t tipo - Especifica o tipo de sistema de arquivos do dispositivo. Eles podem ser: adfs, affs, autofs, coda, coherent, cramfs, devpts, efs, ext, ext2, ext3, hfs, hpfs, iso9660, jfs, minix, msdos, ncpfs, nfs, ntfs, proc, qnx4, reiserfs, romfs, smbfs, sysv, tmpfs, udf, ufs, umsdos, vfat, xenix, xfs, xiafs.

Vamos a um exemplo prático, a sintaxe é a seguinte:

mount opções dispositivo diretório

# mount -text3 /dev/sdb3 /mnt/particão1

Com o comando "df" podemos ver o dispositivo /dev/sdb3 montado no diretório /mnt/particão1 e o espaço utilizado pelo sistema de arquivos, mais adiante veremos as suas funcionalidades. Observe:

# df -h
Filesystem	Size	Used	Avail	Use%	Mounted on
/dev/sda3	1.4G	62M	1.2G	5% 	/
/dev/sda1	45M	5.9M	37M	14%	/boot
/dev/sda5	3.7G	659M	2.8G	19%	/usr
/dev/sda6	463M	38M	402M	9%	/var
/dev/sda7	942M	17M	877M	2%	/tmp
/dev/sda8	3.1G	33M	2.9G	2%	/home
/dev/sdb3	463M	8.1M	431M	2%	/mnt/particão1

Para montar partições Windows:

# mount -tvfat /dev/hdb3 /mnt/windows98
# mount -tntfs /dev/hdb4 /mnt/win2000


(serve p/ XP e Windows 2003)

Para montar o CDROM:

# mount -tiso9660 /dev/cdrom /cdrom

(ou /mnt/cdrom)

Para montar unidades de disquetes:

# mount -text3 /dev/fd0 /floppy

(ou /mnt/floppy)

3.2 umount


O comando umount é utilizado para desmontar os dispositivos montados pelo comando mount. Ele pode ser usado com as seguintes opções:
  • -r Em caso do umount falhar remonta o dispositivo com permissão somente de leitura.
  • -a Desmonta todos os dispositivos listados no arquivo /etc/mtab, que é mantido pelo comando mount como referência de todos os dispositivos montados.
  • -t tipo Desmonta somente os dispositivos que contenham o sistema de arquivos especificado.
  • -f Força a desmontagem do dispositivo.

Vamos ver como ele funciona:

# umount /mnt/particão1
# df -h
Filesystem	Size	Used	Avail	Use%	Mounted on
/dev/sda3	1.4G	62M	1.2G	5% 	/
/dev/sda1	45M	5.9M	37M	14%	/boot
/dev/sda5	3.7G	659M	2.8G	19%	/usr
/dev/sda6	463M	38M	402M	9%	/var
/dev/sda7	942M	17M	877M	2%	/tmp
/dev/sda8	3.1G	33M	2.9G	2%	/home

3.3 /etc/fstab


O arquivo /etc/fstab é usado pelos sistemas Linux para determinar onde as partições são montadas e qual o ponto de montagem de cada uma, automaticamente, na inicialização do sistema operacional. O arquivo /etc/fstab possui os parâmetros sobre as partições que são lidos pelo comando mount. Ele é composto e dividido da seguinte maneira:

Dispositivo (Primeira Coluna) - Partição a ser montada. Ex: /dev/hda2

Ponto de Montagem (Segunda Coluna) - Especifica o diretório em que a partição será montada. Ex: /mnt/particão1.

Tipo (Terceira Coluna) - Determina o tipo de sistema de arquivos que será usado na partição a ser montada. Pode ser: ext2, ext3, reiserfs, msdos, vfat, iso9660, nfs, ntfs, swap, proc entre outras.

Opções (Quarta Coluna) - Especifica as opções usadas com o sistema de arquivos. Pode ser:
  • auto - Especifica que o dispositivo deve ser montado na carga do sistema.
  • noauto - Especifica que o dispositivo não seja montado na carga do sistema.
  • ro - Especifica que o sistema de arquivos será montado com permissão somente de leitura.
  • rw - Especifica que o sistema de arquivos será montado com permissão de leitura e gravação.
  • exec - Especifica que o sistema de arquivos será montado com permissão de execução de arquivos.
  • noexec - Especifica que o dispositivo não seja montado com permissão de execução de arquivos.
  • user - Permite que qualquer usuário monte o sistema de arquivos, mas proíbe outros de desmonta-lo.
  • users - Permite que qualquer usuário monte e desmonte os sistemas de arquivos.
  • nouser - Especifica que somente o superusuário pode montar e desmontar os arquivos de sistema.
  • sync - Habilita a transferência de dados síncrona no dispositivo.
  • async - Habilita a transferência de dados assíncrona no dispositivo.
  • dev - Dispositivo especial de caracteres.
  • suid - Habilita que os executáveis tenham bits do suid e sgid.
  • nosuid - Especifica que os executáveis não tenham bits do suid e sgid.
  • defaults - Especifica as opções de montagem como rw, suid, exec, auto, nouser e async.

Freqüência de Backup (Quinta Coluna) - O comando dump consulta o arquivo etc/fstab para saber quais sistemas de arquivos devem ser copiados. Se for 1 ele faz o backup se for 0 ele assumirá que o sistema de arquivos não precisa ser copiado.

Checagem de disco (Sexta Coluna) - Determina se o dispositivo deve ou não ser checado na carga do sistema pelo fsck. Se for 0 o sistema de arquivos não será checado, o número 1 deve ser usado para checar a partição raiz ( / ) e a partir do 2 em diante depois do sistema raiz, ou seja, os outros sistemas de arquivos devem ter esse campo a partir de 2 fazendo seqüência de acordo com o número de partições que você quiser montar.

Observe um exemplo do arquivo /etc/fstab:

# <Sist. Arq.>  <Ponto Mont.>   <tipo>  <opçõess>  <dump>  <passo>
/dev/sda3  /        ext3    errors=remount-ro  0  1
/dev/sda2  none     swap    sw                 0  0
proc       /proc    proc    defaults           0  0
/dev/fd0   /floppy  auto    user,noauto        0  0
/dev/cdrom /cdrom   iso9660 ro,user,noauto     0  0
/dev/sda1  /boot    ext3    defaults           0  2
/dev/sda5  /usr     ext3    defaults           0  2
/dev/sda6  /var     ext3    defaults           0  2
/dev/sda7  /tmp     ext3    defaults           0  2
/dev/sda8  /home    ext3    defaults           0  2

Para finalizar, vamos adicionar uma das partições criadas anteriormente para ser montada automaticamente, em um determinado diretório, na inicialização do sistema.

# vi /etc/fstab

Na última linha do arquivo adicionei a seguinte entrada de dados:

/dev/sdb2   /mnt/particão1   ext3   defaults      0   3

Quando o sistema for inicializado a partição será montada automaticamente, observe a saída do comando "df -v":

# df -v
Filesystem  1k-blocks   Used      Available    Use%   Mounted on
/dev/sda3   1438920   62472     1303356      5%    /
/dev/sda1   46636      5986       38242     14%    /boot
/dev/sda5   3842376   674044   2973144     19%    /usr
/dev/sda6   474443      38429     411517      9%    /var
/dev/sda7   964500      16440     899064      2%    /tmp
/dev/sda8   3296840   32828     3096536      2%    /home
/dev/sdb2   1968620   32828     1835788      2%    /mnt/particão1

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Criando partições e sistemas de arquivos
   3. Montando e desmontando sistemas de arquivos
   4. Gerenciando partições e sistemas de arquivos
   5. Bibliografia
Outros artigos deste autor

Sistema de boot, níveis de execução e shutdown

Gerenciando quotas de disco

Lynis: Sistema de auditoria e segurança para Linux

Trabalhando com shell e variáveis de ambiente

Autenticando usuários

Leitura recomendada

Convertendo Sistemas de Arquivos

RAID, tudo que você precisa saber

Entendendo as permissões de arquivos (chmod)

Trabalhando com init no Debian

Montando partições NTFS no Fedora 3 através do Captive

  
Comentários
[1] Comentário enviado por halquimista em 02/01/2006 - 08:59h

Parabens pelo artigo! Acabo de esclarecer muitas dúvidas minhas em relação a partições! Principalmente na configuração do fstab!
Parabens!!!

[2] Comentário enviado por agk em 05/01/2006 - 09:17h

Olha fazia tempo que não via artigos tão bem escritos, você está realmente de parabéns. Apesar de se obter essas informações em man pages, esse artigo reune e explica uma série de detalhes referentes a particionamento e montagem das partições.
Eu sempre tive dúvidas em relação a quais opções usar no fstab, após ler o artigo ficou bem mais claro. Mesmo assim, ainda tenho algumas dúvidas, não sei se cabe perguntar aqui, mas vamos lá.
No caso específico de dispositivos usb, como eu faço a configuração deles no fstab, essa é uma dúvida antiga que tenho, considerando que já consegui fazer com que os dispositivos montem automaticamente, mas apenas o usuário root tem permissões de leitura/escrita.
Acredito que seja algum problema de configuração no fstab, mas como configurar isso?
Eu utilizo assim no fstab:
none /proc/bus/usb usbfs defaults 0 0

Quando um dispositivo usb é inserido o usbfs cria o dispositivo em /dev, então presumo eu que esse dispositivo deva ser criado com permissões suficientes para que os usuários "comuns" do sistemas possam acessá-los.
Eu tentei diversas configurações, todas sem sucesso:
none /proc/bus/usb usbfs uid=0,devgid=100,devmode=077,umask=0000 0 0
none /proc/bus/usb usbfs default,devuid=1000 0 0
none /proc/bus/usb usbfs uid=0,devgid=1000,devmode=0660 0 0
none /proc/bus/usb usbfs devmode=0666 0 0

Tem alguma forma de se especificar as permissões para a criação de devices através do fstab?
Bem o artigo está excelente, desculpa o tamanho do comentário.
Se alguém puder me ajudar, desde já agradeço, [ ]'s.

[3] Comentário enviado por crildo em 09/01/2006 - 23:14h

agk tente essa entrada no /etc/fstab

none /proc/bus/usb usbdevfs users,ro ou rw 0 0

Para maiores informações dê uma olhada nesse site aqui:
http://www.linux-usb.org/USB-guide/x173.html

[4] Comentário enviado por capeleiro em 12/01/2006 - 13:29h

Cara.
Parabéns.
Realmente um excelente arquivo, prático e de bom entendimento, para mim que sou iniciante no Linux , foi um achado. Realmente estes são so tutoriais que valem a pena ser lidos .
Valeu,
Abraços.

[5] Comentário enviado por removido em 22/01/2006 - 13:52h

Aí Crildo mandou bem nesse artigo, além de muito bem escrito e elaborado explicou muito bem deixando claro para muita gente que necessita desse artigo. Espero que continue assim; logo vou escrever meu primeiro artigo para a comunidade e vou me espelhar no seu belo trabalho para não fazer feio. Fui.....

[6] Comentário enviado por DHRS em 08/06/2006 - 10:40h

Buenas. Colega!

Parabéns mesmo, como já colocado pelos colegas acima. Este artigo informa a todos de uma maneira clara e simples, assim as dúvidas podem ser esclarecidas de formarápida e fácil.

Um grande Abraço. []'s-Gurizito-

[7] Comentário enviado por Skilo em 04/07/2006 - 14:45h

Ei cara, realmente o artigo esta bem esclarecedor, parabéns.

Agora queria lhe pedir uma ajuda com relação ao servidor de arquivos que alguns amigos meus estão montando:

eles conseguiram instalar o slack 10.2 em um dos 3 hds SCSI e agora os outros dois hds não estão visiveis na interface gráfica do slack, o=como eu faço para poder enxergar os outros hds para fazer o espelhamento?

[8] Comentário enviado por carlinux em 01/11/2006 - 09:18h

Cara esse seu artigo me ajudou muito nesse início de convivio com Linux, me tirou diversas dúvidas a respeito de partições!!!!!!!!!!!!!


Abraço

[9] Comentário enviado por pbasque em 04/01/2007 - 11:52h

crildo , parabéns. Ficou shou o artigo. uma leitrua bem clara e compreensilvel.

Só uma problema pelo qual estou passando, precisei trocar o hd de um cliente por conta do espaço em disco insuficiente. Adicionei um disco novo de 80 GB Tenho um RH9 instalado devidamente no hda
hda1 = /boot
hda2 = /
hda3 = /home

porem tem um outro disco de 40 " meu antigo disco" instalado na secondary master

seria meu hdc, e esse disco é quem esta instalado a algum tempo atraz, com todo o sistema, tbm é um RH9, com Grub partionado da mesma maeira que o de 80 Gb.
O que não estou conseguindo fazer é montar esse disco de 40

tentei
" mount /dev/hdc2 /mnt/disco-antigo "
" mount /dev/hdc3 /mnt/disco-antigo "

mas não montou
A secondary está funcionando com certeza
acho q está faltando algo na sintaxe, tentei colocar no final "-ext3"
OBS todas as portições estão formatadas como EXT3

Se alguem tiver uma dica agradeço.

até mais e obrigado.

[10] Comentário enviado por rbn_jesus em 23/03/2007 - 17:04h

Estou com um problema em LVM, creio que vc possa me ajudar...
tenho uma configuração lvm em apenas 1 dispositivo, da seguinte forma:
xda1 - /boot - ext3
xda2 - lvm (lvm1 - / - ext3; lvm2 - swap)

como recupero as informações da 1ª partição do lvm neste despositivo?

[11] Comentário enviado por lucasa em 21/06/2007 - 14:29h

Estou querendo criar uma partição escondida (hidden) do tipo Fat32.
Mas procurei na internet e não achei como criar este tipo de partição, só com o uso de programas proprietários como o Partition Magic.
Meu objetivo mesmo é conseguir montar as partições escondidas no linux em um HD USB, mas que estas partições escondidas não possam ser detectadas por meu aparelho de DVD com entrada usb.
O problema é que o dvd não pode tratar dispositivos com mais de uma partição.
Obridado por qualquer informação. Sou um usuário avançado mas não sei o q fz :-/.

[12] Comentário enviado por icefusion em 22/10/2007 - 15:37h

Muito bom artigo brother....parabéns mesmo.....continue assim...

[13] Comentário enviado por fasseabra em 23/09/2008 - 22:34h

Mto bom - estou estudando p/ um Concurso e ja me abriu bem a mente.
É isso ai - Vlw


Contribuir com comentário