Slitaz Linux, uma distro pequena mas...

Você conhece o Slitaz? É uma distribuição Linux minimalista, sua imagem possui menos de 30 mb. Porém você se engana quando imagina que o Slitaz é mais uma distro com recursos mínimos, oferecendo somente interface texto e poucas ferramentas. O Slitaz possui interface gráfica! E uma bela interface por sinal...

[ Hits: 16.217 ]

Por: Bilufe em 26/10/2008 | Blog: https://www.vivaolinux.com.br/~bilufe


Slitaz Linux



Quando você coloca o CD para rodar a imagem se expande para cerca de 95 mb, após iniciar você estará em um ambiente gráfico agradável e fácil de usar. Resultado da união do gerenciador de janelas OpenBOX e o LXde, este último fornece o painel e algumas ferramentas para o sistema. Rodei esta distro no Virtualbox para conhecê-la melhor.

O Slitaz é pequeno pois é resultado de uma combinação de ferramentas leves e um kernel pequeno. Ao invés de oferecer vários utilitários do sistema, o Slitaz usa o Busybox para oferecer os utilitários básicos; ao invés de utilizar um X repleto de drivers e extensões, só é oferecido funções mínimas. Os scripts de boot também são pequenos e carregam poucos serviços.
Slitaz Linux

O que o Slitaz oferece

O que é possível ter em menos de 30 MB? O sistema carrega o OpenBox, o LXpanel (do ambiente LXde), ele usa o kernel 2.6.25.5, as bibliotecas do GTK+ e o X.org 7.3. Inclui auto-detecção de hardware para placas de som e rede e configura o X com várias resoluções de tela durante o boot.

Dentre os programas estão disponíveis o navegador web Firefox, um cliente de e-mail (Ghost in the Mail), organizador pessoal (Osmo), LeafPad (editor de textos), Galgulator (calculadora), anotações (Notecase), cliente de FTP (gFTP), cliente IRC (LostIRC), editor de imagens (mtPaint), visualizador de imagens (GPicView), editor de áudio (mhWaveEdit), interface de desenvolvimento (Geany) e outros pequenos programas.

Também estão inclusos ferramentas para gravar CDs e compactação de arquivos. Também existem entradas no menu para serviços online, como o Wikipédia e o Jamendo.

O SliTaz vem com um instalador, uma ferramenta de compilação (tazwok), um programa que permite ao usuário remasterizar o CD (tazlito) e outro que cria uma imagem para instalação em dispositivos USB bootáveis (tazusb). O site do projeto oferece boa documentação, fórum e listas de email, além de uma interface de navegação pelos pacotes.

Um servidor Lightppd está incluso e um cliente/servidor SSH (dropbear), facilitando a vida de quem deseja tornar o Slitaz um servidor.

Como é a área de trabalho? É fácil usar?

O Slitaz apresenta uma área de trabalho com alguns ícones, um painel na base e quatro áreas de trabalho virtuais. A decoração dos widgets (botões dos aplicativos) é fornecida pela biblioteca GTK e a decoração das janelas é realizada pelo OpenBOX.

Em resumo, a área de trabalho é muito semelhante ao que você já está acostumado a ver no Linux e no Windows.

Existem ferramentas que facilitam o uso do sistema, veja:
  • Um gerenciador de pacotes próprio, facilitando a instalação e atualização de pacotes.
  • O gerenciador de arquivos é o pcman, muito semelhante ao conhecido Nautilus.
  • Uma ferramenta para gerenciar os dispositivos, permitindo facilmente montar e desmontá-los com alguns cliques.
  • Ferramentas para configuração de rede e internet.
  • Ferramentas para configurar a aparência e o comportamento da área de trabalho.
  • Ferramentas para gerenciar tarefas, informações de hardware, entre outras.

Durante o boot o Slitaz pergunta qual a linguagem do sistema você deseja usar, qual modelo de teclado e a resolução da sua tela.

Em resumo, o Slitaz é fácil de usar, mas possui algumas limitações das distros minimalistas, como por exemplo um pequeno repositório de pacotes. Porém as vantagens são maiores que as desvantagens; se você possui um computador antigo, recomendo o Slitaz. O grande problema do Slitaz é a quantidade de memória para boot do CD: 128MB, mas se você possui uma SWAP talvez o problema esteja resolvido.

Onde adquirir: Site oficial do Slitaz
Referência: Guia do Hardware: SliTaz Linux 1.0, a menor distro do planeta

   

Páginas do artigo
   1. Slitaz Linux
Outros artigos deste autor

Por que a interface Unity é melhor que as interfaces do Windows 7 e MacOS X

Minha experiência com Linux

Usando joysticks em jogos que não possuem opção para utilizá-lo no Linux

O Filho à Casa Torna

Trabalhos gráficos no Biglinux

Leitura recomendada

Storj - Armazenamento na Nuvem utilizando a tecnologia Blockchain

O que fazer com o BASIC LINUX

Festival: O sintetizador de voz para Linux

Uma pequena análise do Gentoo Linux

NagVis - Gestor de mapas pra lá de especial

  
Comentários
[1] Comentário enviado por ylagooo em 26/10/2008 - 18:15h

Parabéns...

E ao linux, mais uma prova de liberdade...

O que significa Slitaz?

[2] Comentário enviado por GilsonDeElt em 26/10/2008 - 19:06h

Gostei, cara!
Congratulations pelo artigo!...

Só não digo que vou testar já pois baixar 30 MB pela net discada é foda =)

Mas é bom saber que há um novo Linux na área dos minimalistas

E o quê significa Slitaz?

[3] Comentário enviado por zoby em 26/10/2008 - 23:30h

Legal o artigo. É sempre bom saber dessas pequenas distros. O fato dela requerer 128 Mb de RAM é quase um impeditivo p/ micros antigos. Aliás, não conheço nenhuma distro moderna que supere win 95-98 em micros c/ 16-32 Mb de RAM.

[4] Comentário enviado por bilufe em 27/10/2008 - 19:15h

Conforme estava visualizando a documentação desta distribuição, existe possibilidade de usar menos RAM, basta passar o parâmetro "slitaz loram" no gerenciador de boot.
Quanto ao nome, não consegui identificar o significado.

Além disto, para elaborar o artigo usei uma máquina virtual (o VirtualBox), mas resolvi testar o LiveCD dando boot real no computador. Reconheceu todo o meu hardware, com excessão do mini-modem USB.

[5] Comentário enviado por Teixeira em 27/10/2008 - 23:43h

O site oficial diz que existem mais de 440 pacotes disponíveis para essa distro.
Conforme já comentei na minha dica, a distro pode ser pequena, mas seus requerimentos não são nada modestos.
Quanto ao nome, acho que SliTaz tem algo a ver com SLIM. Não sei ao certo.

[6] Comentário enviado por RWEU em 28/10/2008 - 13:58h

Boa tarde srs,

Eu conheço a Distro, queimei um Live CD logo assim que a bichinha saiu, testei e achei-a muito legal, reconheceu todo o meu hardware sem pestanejar e já saiu funfando na net sem nenhuma configuração que eu tenha feito.

Uma distro muito boa para , por exemplo, caregar num pendrive, ou mesmo instalar no HD

Blz

[7] Comentário enviado por kaifas em 29/10/2008 - 01:28h

Simple
Light
Incredible
Temporary
Autonomous
Zone

[8] Comentário enviado por artus.rocha em 03/03/2009 - 01:45h

OI!
Um comentario ,meio atrazado,mas...
É só para mencionar que o Slitaz esa vindo ( pelo menos na ultima versão ), com suporte parcial ao português, e ao teclado abnt2.
É só selecionar as opções que aparencem durante o boot.
O site do Slitaz também possui uma versão em português, e é pt_BR, ou seja parace que está se formando uma comunidade nacional em torno do projeto.

E como citado num comentario acima, a exigencia dos 128m, é só na configuração padrão, que pode ser alterada com parametros no bootloader, o Slitaz pode rodar até em 10m. Pesquise por flavors no site do Slitaz. Flavors são versões modificadas, do sistema, existem dirversas versões flavors disponiveis no site, incluindo versões de consumo minimo de memória (slitaz-loram-cdrom-sqfs.iso para 10m). O usuario também pode usar a ferramenta tazlito para gerar seu flavor, pode até mesmo envia-la para o projeto para analise e eventual insersão desta flavors no repositorio oficial.

Sem duvida esta é uma das distros mais interessantes que apareceram nos ultimos temos, e com
certeza tem um futuro promissor.

[9] Comentário enviado por edersonhonorato em 23/04/2009 - 16:57h

Muito boa essa distro!
Bem melhor e mais bonita que o Dansmall Linux.
A quantidade de ferramentas de configuração é muito boa e pelo fato de vir com aplicativos novos como o firefox minefield (4.0). Chega espantar tantos aplicativos em somente 30MB...

Ótimo trabalho da equipe do Slitaz Linux.


Contribuir com comentário