Rodando aplicações nativas de Windows em Linux pela Web

No artigo deste mês vamos falar sobre como é possível rodar aplicações nativas de Windows em máquinas Linux pela internet. Relatei o processo de instalação e configuração do software usado e como isso pode ser útil para você e para sua empresa.

[ Hits: 51.925 ]

Por: Matheus Santana Lima em 02/03/2007


Terminal Service



Infelizmente hoje não dispomos de nenhum software suficientemente bom o bastante que nos permita rodar com total eficácia programas desenvolvidos em Visual Basic, testei todas as alternativas possíveis, wine, crossover office, mono, e nada, muitos vão dizer:

-"Mas por quê você quer usar programas desenvolvidos em Visual Basic em Linux!?"

A resposta é que hoje nós temos inúmeros softwares desenvolvidos com VB, visual basic é uma das linguagens mais usadas no Brasil e no mundo e se fosse possível rodar programas desenvolvidos em VB em sistemas Linux com um bom desempenho, a migração de empresas e usuários finais poderia ser maior e com mais intensidade.

Em busca de um alternativa viável, acabei por cair nos famosos Terminal Service, como meu objetivo era rodar aplicações visual basic, logo me deparei com as exorbitantes taxas para isso, é taxa para acessar o servidor, taxa pro Windows 2003, o que me fez abandonar esta opção.

Por fim, acabei por encontrar uma outra alternativa ao Terminal Service, a tecnologia chama Go-Global, que usa o protocolo RapidX, baseado na arquitetura X-Window, mas infelizmente é uma tecnologia proprietária e não temos algo que seja software livre que possa substituir, fica aí a dica para quem quiser desenvolver um software parecido.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Terminal Service
   2. Entendendo o Go-Global
   3. Comentário final
Outros artigos deste autor

VNC + Hamachi

Ubuntu Completo e Total

Os segredos da criptografia com o Gcipher

Análise do Syllable, mais um interresante sistema operacional livre

Projeto OpenFarm

Leitura recomendada

Instalando e configurando a placa 3G EVDO da Vivo no Ubuntu 6.06 LTS

Acelerador de conexões dial-up para provedores de acesso

Hugo - Gerador de Site Estático

Mascarando conexões VPN com iptables

Gerenciamento de endereços IP com phpIPAM

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fernandobrito em 02/03/2007 - 17:20h

Aew, otimo artigo
Que achado esse programa, e louco!
Fica perguntas:
Velocidade é boa?
Roda qualquer aplicativo?

Muito massa :P

[2] Comentário enviado por segalla em 02/03/2007 - 19:16h

Oi Matheus,

Minha empresa revende e implementa soluções dos produtos da GraphOn no Brasil, já implementamos vários projetos de acesso remoto via Go-Global para todos os portes de empresas, inclusive fazendo um mix de terminais LTSP acessando aplicações Win32 remotas.

Mas como nem tudo funciona às mil maravilhas, alguns sistemas mal-comportados no Windows apresentam esse mal-comportamento também quando são acessados via Linux. Lembro que o servidor de aplicações pode ser Windows, Unix ou Linux e independente do servidor nativo da aplicação temos clients para Windows, Unix, Linux, Mac e Solaris, além do client em Java que pode rodar em praticamente qq plataforma.

Já homologamos alguns ERPs grandes no mercado como Delsoft, Navision (hj Microsoft) e Datasul, além de vários outros softwares como o Lotus Notes e softwares ERPs para cartórios.

E como o Matheus disse, essa é uma solução proprietária, logo tem custo de licenciamento mas entre todas as soluções possíveis que conheço de acesso remoto o Go-Global se mostrou a mais estável, rápida, simples de implantar e dar manutenção e a mais econômica entre as opções comerciais.

Se alguém tiver interesse em conhecer essa solução me coloco a disposição para tirar dúvidas e ajudar a homologar a solução para seu projeto.

Abraços,

Segalla
[email protected]
http://comendoemsampa.segalla.eng.br

[3] Comentário enviado por zildjian em 02/03/2007 - 22:17h

Mão na roda pra migração pra software livre e pra, de quebra, diminuir custos sem tanto esforço. Valeu

[4] Comentário enviado por telurion em 03/03/2007 - 21:39h

Interessante por permitir o uso de aplicações legadas. Por exemplo, numa rede de computadores vários poderiam ser migrados e um deles permanecer com o Windows -- o que não o impede de rodar o Apache ;)

[5] Comentário enviado por jaca69 em 04/03/2007 - 20:08h

Já avaliei esta solução na empresa que eu trabalho, não tenho o que reclamar da solução. Porém, o grande problema é o licenciamento. Alem, de ter que pagar a licença windows você terá que pagar um licença do go-global, isto para cada terminal.

[6] Comentário enviado por dcbasso em 05/03/2007 - 10:31h

Muito interessante mesmo. Podemos economizar com licença windows nos terminais, e migrar para o linux neste mesmos. Colocar apenas o servidor com windows e pagar o licença do software da forma que seja necessária!
Muito legal mesmo... algo de sentar calcular custos de manutenção para terminais linux (pois acaba sendo mais cara que no win.) e ver se realmente a go-global é confiável. Quem sabe possa até reduzir o tempo de implentação de um software novo ou atualização do sistema contábil (que sempre tem alguma atualização).... jóia mesmo!

[7] Comentário enviado por segalla em 05/03/2007 - 11:16h

Oi dcbasso,

Você acertou em cheio, um exemplo é a parceria que temos com a DPComp que é uma empresa que desenvolve sistemas de contabilidade, muitos clientes da DPComp estão implantando um servidor com o software contábil e Go-Global e mesmo utilizando estações Windows há uma economia pois a atualização do software ocorre uma única vez.

Seguindo a mesma idéia, a mesma solução é implantada pela Siscart (empresa especializada em informatização de cartórios) en vários cartórios.

E o que vocês não estão reparando no título do artigo do Mateus são as duas últimas palavras: "PELA WEB"

O Go-Global consome somente 11Kbps, isso significa que você pode disponibilizar acesso remoto via Web mesmo com conexão dial-up, e com segurança pois toda a comunicação é encriptada em 56bits nativamente.

Abs,

Segalla
[email protected]
http://comendoemsampa.segalla.eng.br

[8] Comentário enviado por AntonioPrado em 05/03/2007 - 12:19h

Afim de poder utilizar aplicações Linux que ainda não dispomos em Windows eu tenho conduzido as empresas a terem dois servidores, 01 com o Server da Microsoft e outro com o Linux.

Configuro o servidor Linux para acessar o Windows utilizando o rdesktop.

As estações utilizão LTSP para conexão com o servidor Linux, podendo então acessar o Windows com um simples click.

O custo para tal cenário é o de licenciamento do Server, que deve ser conduzido para que seja por hardware e não usuário, pois teremos sempre apenas uma máquina (o servidor linux) conectado.

Foi a melhor forma que encontrei de termos os dois sistemas operacionais disponíveis, embora também possa ser havialiado a possibilidade de utilização de wine, VMWare e outros tantos, dependendo do cenário em questão.

Espero ter contribuido em algo.

Parabéns ao Matheus pela iniciativa de relatar sua experiência com a Go-Global, que se apresenta como mais uma alternativa.

Antonio Prado
[email protected]



[9] Comentário enviado por removido em 21/03/2007 - 09:41h

ola

tenho uma duvida...

tenho uma aplicação delphi que usa um exe.

quando mando imprimir ela aparece na tela as impressoras locais

se utilizar isso ele verá as impressoras instaladas no servidor ou na maquina local ???

será que terei que instalar um server printer ???


[10] Comentário enviado por fmackey em 30/03/2007 - 11:15h

meu problema acho q é um pouco diferente, trabalho em uma empresa que faz o sistema de caixa para o habibs, entao em cada habibs sao um computador como servidor e cinco como ponto de venda, entao sao seis licensas do windows, sera q esse go-global pode me ajudar a reduzir custos deixando apenas o servidor como windows????

[11] Comentário enviado por segalla em 30/03/2007 - 12:00h

Oi Fabio,

Com certeza vc terá redução de custo de licenciamento e ainda terá menos custo de manutenção.

Entre em contato conosco para agendarmos uma homologação da sua solução, esse trabalho para homologar sua solução não tem custo e uma vez homologado por vcs, vcs podem implantar sem "surpresas".

Abraços,

Segalla
[email protected]

[12] Comentário enviado por telurion em 31/03/2007 - 12:25h

Jonh Wendell (brasileiro, apesar do nome) é um desenvolvedor do GNOME que assumiu o tsclient, um cliente GNOME do Terminal Services do GNOME. Ele desenvolve o projeto voluntariamente, mas disse que o escolheu devido a necessidades que percebeu em sua prática profissional (em empresa com sofware legado).

http://www.bani.com.br/index.php/2007/03/27/tsclient-novos-rumos/

[13] Comentário enviado por rwagner em 02/04/2007 - 19:43h

A resposta para a duvida sobre impressoras é sim. É um dos pontos fortes do produto. Voce pode utilizar a impressora local mesmo que o programa rode no servidor central.
O GO GLOBAL faz a configuração automática de todas as impressoras configuradas na estação. É mais do que simples, é automático.

Tambem dá a opçao de imprimir em arquivo .pdf e imprimi-lo na estação de forma automática. Esta forma é recomendada quando os arquivos a serem impressos são grandes.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts