PROXMOX Overview - Virtualização Leve e Eficiente

O presente artigo tem o propósito de introduzir e elucidar o leitor, a respeito da ferramenta PROXMOX nas rotinas de administração de sistemas virtualizados; tendo em vista que não serão abordados muitos detalhes a respeito da ferramenta mas, somente uma visão geral sobre sua instalação e uso.

[ Hits: 9.628 ]

Por: Lucas Roberto Daldegan em 22/12/2017 | Blog: http://lucasroberto.com


Uso da ferramenta



Com o nosso servidor instalado e configurado, podemos acessá-lo informando seu IP no browser usando o protocolo HTTPS na porta 8006, ou então diretamente pela linha de comando. Para os amantes do terminal, existe na Wiki do Proxmox uma lista de comandos disponíveis:
Para os exploradores que ainda não desenvolveram tanta intimidade com a linha de comando, ou apenas preferem uma GUI, informe o IP do servidor instalado no browser de sua preferência usando o padrão:
  • https://192.168.0.50:8006
  • Ou: https://ip.de.seu.servidor:8006
  • Ou: https://dns.de.seu.servidor:8006

Assim que acessado, será exibida uma tela de login. Nela, por padrão, você por logar usando os dados do usuário root. Após o login, uma série de opções são exibidas na tela para você.

Ao lado esquerdo são exibidos os servidores em seu "Datacenter". Caso você opte por configurar um cluster, todos os seus servidores do cluster ProxMox serão exibidos ali. Assim que você clica sobre um destes servidores, são exibidas as estatísticas do mesmo (Summary), como uso de RAM, Disco, tráfego de rede e etc. Também é possível logar no console do servidor através do menu "Shell" ou "Console" assim como é possível gerenciar as configurações do sistema no menu "System", buscar por updates, configurar as opções de Firewall, discos, backup em volumes do disco local, remotos ou externos, de acordo com sua disposição para configurá-los, entre outros.

No canto superior direito, encontramos os botões para criar VMs (Máquinas Virtuais propriamente ditas) e CTs (Containers, que funcionam de forma semelhante, mas nos permite um gerenciamento muito mais dinâmico e em média, consome menos recursos, possibilitando um desempenho mais satisfatório em comparação às VMs). Ao clicarmos em qualquer uma das duas opções, uma janela é apresentada com as configurações de sua VM ou CT. Tudo de forma muito intuitiva e prática. No caso da criação de um CT, será necessário realizar download de um template para instalação.

Para isto, expanda o seu servidor (lado esquerdo da tela) e selecione o storage "templates". Já, ao lado esquerdo, selecione "Content" e será disponibilizado um pouco mais acima o botão "Templates". Ao clicar sobre ele, será exibida uma lista de templates disponíveis para download, todos para uso em containers (lxc) - eles são atualizados constantemente. O Ubuntu 17.04, por exemplo, lançado "recentemente" está disponível para download. Após a realização do download da distribuição desejada, clique sobre "Create CT" e siga os passos da instalação (nada complexos) selecionando o template baixado.

Ao concluir as configurações do CT, uma tela de log será carregada e assim que a mensagem "TASK OK" for exibida, o seu container estará disponível para uso, bastando apenas dar um clique com o botão direito sobre o objeto e selecionar "start". Feito isto, o CT será iniciado. No mesmo menu do clique-direito, é possível logar no console do servidor virtual, sem nenhum esforço ou ferramenta extra. A partir disto, todas as configurações no CT podem ser feitas normalmente.

Obs.: é possível que nesta etapa seja necessário habilitar o uso de pop-ups na página.

Cluster

Por fim, a configuração de um cluster é extremamente simples, assim como todo o uso do ProxMox. Acessando a linha de comando de seu servidor use o seguinte comando:

# pvecm create cluster_name

O comando criará um cluster com as configurações padrões. Após a criação, é possível verificar o status do cluster através do comando:

# pvecm status

Caso deseje adicionar mais um servidor ProxMox ao cluster, basta usar o comando "pvecm add IP_do_servidor_alvo". Por exemplo, se desejamos inserir o servidor de IP 192.168.0.70 no cluster, usamos:

# pvecm add 192.168.0.70

Feito isto, será necessário informar os dados para a conexão remota entre os servidores e se tudo estiver de acordo, o servidor será incluído no cluster e em segundos já estará disponível para gerenciamento na mesma tela do browser que estávamos acessando anteriormente. NÃO É NECESSÁRIO REINICIAR NENHUM SERVIÇO!

Encontramos maiores informações aqui:

Conclusões

O uso da ferramenta é extremamente simples. Com um pouco de paciência para a leitura de sua documentação, é possível, em pouco minutos, configurar um servidor confiável e com uma disponibilidade muito alta, tendo em vista a leveza e simplicidade nas configurações. Para administradores mais avançados, é possível personalizar a ferramenta de acordo com o necessário, caso tudo o que a ferramenta disponibilize ainda seja pouco.

Mais informações sobre a ferramenta podem ser encontradas no site e na Wiki dos caras, inclusive, além do uso da ferramenta, me baseei nestes sites:
Artigo de 2011 no CooperaTI:
Caso tenha gostado ou achado interessante, podemos conversar mais sobre o assunto ou até escrevermos mais sobre o mesmo. Espero que o artigo sirva para instigar vocês a buscar sobre a ferramenta e quem sabe até a usá-la. Qualquer ganho de tempo/desempenho no dia-a-dia faz toda a diferença.

Obrigado a todos e estou à disposição para maiores esclarecimentos e contribuições.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Uso da ferramenta
Outros artigos deste autor

Automatizando relatórios GLPI usando PHP e Shell Script

Apache - Compartilhamento de Recursos - VirtualHosts

Leitura recomendada

Compiz Fusion no Ubuntu

Reconhecimento de síntese por voz no GNU/Linux

Instalando VirtualBox 4.0 no CentOS 5.5

Formatando fontes no openoffice

Como criar uma distribuição GNU/Linux com o SUSE Studio

  
Comentários
[1] Comentário enviado por elderjmp em 27/12/2017 - 15:41h

Uso aqui no trabalho em dois servidores, mas só o básico ainda (só VMs). É uma ótima ferramenta. Parabéns pelo artigo.

[2] Comentário enviado por sergeimartao em 28/12/2017 - 14:25h

Overview bem interessante sobre o proxymox.

Ia começar a testar, mas fiquei com o pé atrás depois que li que a versão gratuita é liberado apenas o repositorio de teste e que não é recomendado para ambientes de produção.

Vocês utilizam qual versão? é estável?

vlw

[3] Comentário enviado por removido em 07/01/2018 - 18:41h

"ProxMox é um ferramenta de virtualização de código aberto, ou seja, totalmente gratuita,"

Se nem o Software Livre é necessariamente gratuito, imagine software de 'Código Aberto'.

[4] Comentário enviado por altairmsouza em 10/01/2018 - 14:40h

Lucas, parabéns pela contribuição.

Em laboratório usei o ProxMox, agora é colocar em produção com alta disponibilidade.

[5] Comentário enviado por robsonpc em 09/02/2018 - 19:44h

Bom artigo! Só completando, o único aplicativo que consegui para gerar um pendrive bootavel com ele foi o Etcher.
Valeu!

[6] Comentário enviado por lrobertodaldegan em 04/04/2018 - 17:12h


[2] Comentário enviado por sergeimartao em 28/12/2017 - 14:25h

Overview bem interessante sobre o proxymox.

Ia começar a testar, mas fiquei com o pé atrás depois que li que a versão gratuita é liberado apenas o repositorio de teste e que não é recomendado para ambientes de produção.

Vocês utilizam qual versão? é estável?

vlw


Eu mudei de setor no início do ano, mas antes de sair estávamos usando a versão 4.4, se não me engano.

[7] Comentário enviado por elderjmp em 04/04/2018 - 18:56h


[2] Comentário enviado por sergeimartao em 28/12/2017 - 14:25h

Overview bem interessante sobre o proxymox.

Ia começar a testar, mas fiquei com o pé atrás depois que li que a versão gratuita é liberado apenas o repositorio de teste e que não é recomendado para ambientes de produção.

Vocês utilizam qual versão? é estável?

vlw


versão: 5.1-46


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts