O Filho à Casa Torna

Minha primeira distribuição foi o SUSE 9.2 no ano de 2006, mas depois dela parti para outras aventuras e fui cativado pelo mundo Ubuntu-based. Mas agora resolvi experimentar o openSUSE 15.1 Leap. Como será que o mundo SUSE está após tanto tempo?

[ Hits: 1.728 ]

Por: Bilufe em 19/06/2020 | Blog: https://www.vivaolinux.com.br/~bilufe


Retornando para casa



Neste mês resolvi voltar às raízes, como o SUSE Linux se tornou uma distribuição comercial voltada para o mundo dos negócios, baixei o openSUSE Leap 15.1. E agora vou relatar o que achei da distribuição após cerca de 13/14 anos sem usar algo do mundo SUSE Linux.
A instalação ocorreu super bem, optei por usar o que é fornecido por padrão. A única dificuldade que tive foi com relação à configuração de rede, não sabia que havia duas opções, e que uma delas desativa o network-manager (tão necessário para notebook e wifi). O resultado foi que eu não tinha wifi após a instalação, mas felizmente consegui usar o poderoso YaST para conectar no wifi e descobri como habilitar o network-manager pelo YaST também (uma maravilha).

O consumo de memória, mesmo com o KDE, estava muito bom: menos de 500 mb, e me entregando até algumas tranqueiras que não preciso deixar habilitado (bluetooth é um exemplo, considerando que o notebook não tem esse hardware). Fiquei impressionado com a fluidez e com o baixo consumo de memória do KDE. Eu estava usando o Xubuntu 20.04 com a doca Plank e o menu Xfdashboard e estava com um consumo de memória bem próximo a 500 mb.

O YaST é realmente impressionante. Não precisei nenhum comando no terminal para adicionar novos repositórios, nem para instalar qualquer novo software. Mas mais impressionante que o YaST é o serviço de software que há no site do openSUSE. Lá pude encontrar novos repositórios e instalar softwares que eu tinha dificuldade de instalar no Xubuntu 20.04, como o Wiithon. Eu possuía o Wiithon instalado no Xubuntu 20.04 e funcionava, me deu trabalho para instalá-lo, mas numa atualização do sistema o software Wiithon deixou de funcionar. Um dos motivos para buscar outra distribuição foi exatamente a complexidade de instalar softwares que não estão nos repositórios do Ubuntu, nem estão disponíveis em Flatpak e Snap.

Esperava encontrar um openSUSE pesado, lento e devorador de memória, e com dificuldade para encontrar meus softwares favoritos (alguns bem difíceis de rodar numa instalação atual do Ubuntu e seus derivados) mas encontrei um software muito polido que entrega um sistema leve, econômico em recursos, fácil de configurar e com um site de software exclusivo que entrega muitos aplicativos, inclusive aqueles que eu acreditava que não iria encontrar. Terminal pra quê? openSUSE tem o YaST que torna o terminal praticamente desnecessário. É claro que não vou abandonar o terminal, algumas tarefas são bem mais rápidas nele (para quem sabe o que fazer).

Estou feliz por à casa tornar, por ver que o openSUSE me tirou do mundo do Ubuntu. Achei que jamais usaria uma distro RPM novamente, mas o openSUSE 15.1 Leap mostrou que veio para ser o desktop perfeito para mim.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. A primeira experiência até chegar ao Ubuntu
   2. Retornando para casa
Outros artigos deste autor

Aventuras do Mint Linux 10 em um computador antigo

Software livre e o Windows

Rodando o Windows 3.1 no Linux

Usando joysticks em jogos que não possuem opção para utilizá-lo no Linux

LibreOffice Writer 5 vs. Microsoft Word 2010

Leitura recomendada

Fazendo uma conexão bridge no VirtualBox

Copie/Cole conteúdo do terminal para o X e vice-versa

XFCE 4.4 - Desktop alternativo a dupla KDE/Gnome

O quê que há velhinho?!

Ambiente gráfico LXDE

  
Comentários
[1] Comentário enviado por dcsdarlan em 19/06/2020 - 14:44h

" Terminal pra quê? openSUSE tem o YaST que torna o terminal praticamente desnecessário"
Pegou pesado aí... hehe
Mas, bom artigo. =]

[2] Comentário enviado por Fabio_Farias em 19/06/2020 - 14:50h

.

[3] Comentário enviado por madrugada em 19/06/2020 - 16:39h

Em casa estou usando o 15.2 Beta, a atualização do 15.1 para o 15.2 foi suave. Tudo funcionando como deve.

[4] Comentário enviado por willian.firmino em 19/06/2020 - 18:09h

Eu comprava a revista PC Master que por um período se chamou Linux PC Master. Comecei com Conectiva 8, depois Red Hat 8 e então Slackware 9 " uso o Current hoje", openSUSE meu primeiro teste foi no
Leap 15, gostei bastante. Uso a 15.2 no PC do trabalho hoje.

[5] Comentário enviado por removido em 21/06/2020 - 11:22h

o openSUSE é uma excelente distribuição, utilizo ela a quase 5 anos e uma excelente distribuição, muito estável e o trabalho que eles fazem com o KDE e fantástico.

[6] Comentário enviado por pinduvoz em 27/06/2020 - 02:21h

OpenSuse é uma bela distro e o KDE Plasma é um excelente DE.

Não fosse o processo judicial eletrônico e suas dificuldades fora do mundo Debian, eu usaria OpenSuse.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts