MS-X, DOS, Windows e finalmente Linux: História da evolução da informática e pessoal

Algumas opiniões pessoais sobre Linux ao longo do tempo, dentro da experiência pessoal de uma pessoa ex-usuária de Windows. O que foi ganho, perdido e como adaptei à este fascinante mundo novo.

[ Hits: 42.558 ]

Por: Diogo G. Zanetti em 07/04/2004 | Blog: http://exadmax.googlepages.com


O príncipio de tudo



Não estou escrevendo mais um texto para falar como Windows é ruim e Linux é bom, gostaria de deixar isto bem claro. Seria hipocrisia pois ainda utilizo Windows de vez em quando, em casa para jogos que somente no Windows rodam e assim vai...

Quando comecei no mundo da informática tinha 6 anos, estava com meu tio na casa de sua namorada, onde o irmão dela tinha um computador, nunca vi na minha vida.

Quando olhei aquela maravilha, o cara digitava umas coisas e o computador respondia. Meu, que coisa incrível, que máquina inteligente! (Fantasia de criança né). Era um MS-X (Olha o X da Microsoft), vi o jogo Elevator Action e um de uma aranha, era carregado via fita K-7 e eu achava que aquilo só prestava pra música (alguém deve se lembrar de um programa da USP que transmitia esses programas por rádio).

Bom, nunca mais tive essa chance, mandei aos 8 anos até uma carta (não e-mail isso não existia) pro Porta da Esperança, pedindo um computador.

Fiquei extremamente viciado no videogame decorrente a isso (o que explica a facilidade que tenho em um computador), até quando finalmente aos meus 14 anos, em 1994, ganhei o meu primeiro computador, um XT!!! Pensaram que foi um 486?

Lindo, não tinha disco rígido, mas eu tinha uns disquetes com DOS, a cada bolachão que eu ganhava ficava mais e mais contente, poxa um Xcopy é melhor que um copy, Wordstar que lindo, tem comandos de formatação, manjava DOS pra caramba, sabia até de cór a tabela ASCII. Ganhei então um TK-85, com livro e tudo, programava uma tarde inteira, para sair um programa de desenho no televisor que soltava no máximo 8 quadrados, eita resolução baixa....

Então finalmente, após alguns atos terroristas, como jogar coca-cola no teclado do XT que me dava choque, ganhei em 1996 um 586!

Entrei pra era Windows...

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. O príncipio de tudo
   2. Entra o Windows
   3. Linux, a batalha para funcionar em casa
   4. Conclusão
Outros artigos deste autor

Jakarta JMeter - Testando o desempenho de seus sites

Convertendo softwares utilizando OpenOffice e Java

Linux e jogos, um mercado em expansão

Transformando seu Windows em um quase Linux

Tranformando Ubuntu Breezy em Ubuntu Dapper

Leitura recomendada

Projeto Xen - Visão Geral

Linux prestes a ganhar novos adeptos

Consumo de memória dos ambientes gráficos no Arch Linux

Software Livre X Microsoft

Pirataria - aliada da Microsoft?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mandrake89 em 08/04/2004 - 10:42h

Parabéns pelo artigo cara... Me identifiquei muito com ele...

Passei pelo o que vc passou... primeiramente pelo espanto.. Sistema Operacional instalado a partir de um unico diskete... mentira.. num é naum... era o Debian (em suas primeiras versões, uns 6 anos atras acho) dava boot pelo diskete, ele particionava, instalava a base, o minicom e o dselect... 72 horas depois (com um modem USRobotics 14400) tava tudo instalado... WindowMaker, Enlightenment, KDE, Gnome, Netscape 3... Maravilha!!! Num dava pau... Lembro-me até hoje... estava andando pela rua quando vi numa banca de jornal um cd preto, Conectiva 3 acho, o famoso O GUARANI.. instalação mais fácil, visual, lindo....

Uso em casa e no trabalho.. Me converti quase que totalmente, pois no serviço tenho um dominio w2K com isa server rodando.... um lixo... e não consigo fazer aplicações para internet (red-carpet, up2date, wget, apt-get) rodar por causa do firewall, falta o cliente... Mais creio que junto com a comunidade VOL consiguirei fazer funcionar e migrarei a empresa inteira para Linux...


Realmente meu parabéns, tenho certeza que não serei o unico a se "emocionar" com seu artigo, relembrando dos velhos tempos, das boas brigas e da satizfação de ver rodando depois de muito trabalho.

Mandrake

[2] Comentário enviado por jeffersonsfelix em 10/04/2004 - 22:50h

Legal o artigo cara... Lembrei igualmente da luta inicial q travei com o pinguim, e olha que era o CL3 da PC Master, foi a maior falação na epoca... nao consegui fazer funcionar quase nada, nem modem nem som só o video funcionava.... mas agora as coisas mudaram... com KDE3 e OpenOffice o Windows ficou pra tras, nem o utilizo mais...
Espero um dia que o meu local de trabalho migre para o LInux... mas isso requer muita luta! afinal sou funcionário público e isso depende do barbudo lá em cima! Mas as coisas estão melhorando por lá, rancanram as carissimas licensas do Office para o OpenOffice.. devagar vai iondo!

Falow ae Diogo e galera da Comunidade...

[3] Comentário enviado por jeffersonsfelix em 10/04/2004 - 22:53h

Legal o artigo cara... Lembrei igualmente da luta inicial q travei com o pinguim, e olha que era o CL3 da PC Master, foi a maior falação na epoca... nao consegui fazer funcionar quase nada, nem modem nem som só o video funcionava.... mas agora as coisas mudaram... com KDE3 e OpenOffice o Windows ficou pra tras, nem o utilizo mais...
Espero um dia que o meu local de trabalho migre para o LInux... mas isso requer muita luta! afinal sou funcionário público e isso depende do barbudo lá em cima! Mas as coisas estão melhorando por lá, rancanram as carissimas licensas do Office para o OpenOffice.. devagar vai iondo!

Falow ae Diogo e galera da Comunidade...

[4] Comentário enviado por elcioa em 16/04/2004 - 11:52h

Parabéns pelo artigo Diogo !
Também passei por muito doque você experimentos nesses últimos anos... Utilizo o Linux (Fedora Core) em meu notebook há 3 anos (ná época ainda Red Hat e antepassados), sofri em todas as instalações, de maneira decrescente pois a medida em que as distribuições evoluiam e meu hardware não mudava passei a encontram os drivers com mais facilidade. Hoje utilizo o Linux em casa (note) e brigo com o pessoal do serviço para sair do Windows 2000. Nada contra o OS do Bill, só que essa semana perdi mais de 6 horas com um virus que invadiu nossa rede e detonou os windows.... Nessa hora ninguem lembra que os servidores linux ficaram intactos... E é claro... para nos que trabalhamos com o DOS e os micros antigos (TKs CPs, MSXs - alias sou colecionador dos mesmos) nada como um console bash !!! Liberdade ! Abra as asas do Pinguim sobre nós !!!! Elcio A. São Paulo - SP

[5] Comentário enviado por io em 28/05/2004 - 21:01h

Não vou nem falar pra não "riscar" esse artigo. 10. Perfeito. O melhor que li aqui no site.

[6] Comentário enviado por emerleite em 18/10/2004 - 22:45h

Eu acabo de instalar o linux pela primeira vez. o kurumin. Eu aprendi informática num XT nas deliciosas linhas de comando. Entrei também na era windows com o 3.1, 3.11, 98, 2000, e por fim o XP. E agora to entrando no linux por estar cansado de windows dando pau e tudo amarrado sem vc poder configurar do jeito que quer e também cheio de retalhos esse SO. Cansei. "Agora é Linux." lembrando a campanha "Agora é Lula" hehehe e o Barbudo ta incentivando o Software Livre. Obrigado amigos e parabéns pelo artigo.

[7] Comentário enviado por crudo em 10/11/2004 - 06:57h

achei uma grande merda! me perdoe.. ;)
mas voce quer facilidade, falta de percepção
do que está acontecendo e tudo ja pronto..
infelizmente a coisa nao funciona assim, hoje há sim,
distribuições que facilitam tudo, como o mandrake...
eu acho que o linux não é só um sistema pra usar seus
aplicativos como o windows, o linux te exige que voce
o estude mas em troca te da mais de 8 opções no minimo
pra o que você quiser fazer ;) mais rápido, com o processamento
e o controle de memória melhor do que o windows ;)

¢rudo

[8] Comentário enviado por instantware em 11/03/2005 - 18:59h

Esse artigo é perfeito, só que ao invés de começar com um MSX, começei com um PC 286, mas acaba sendo o mesmo trajeto de sistemas: DOS -- Windows 3.11 - Windows 95 - 98 e Linux!

[9] Comentário enviado por raffaelfasan em 23/04/2005 - 00:08h

muito bom o artigo, 10! parabens! e bela historia ;)

[]'s

[10] Comentário enviado por jllitvay em 24/05/2005 - 11:36h

Show de bola!! lembra a história de muita gente aqui. Eu comecei com o AppleII. :D

[11] Comentário enviado por rescbr em 15/11/2005 - 11:10h

Eu achava o linux uma m*, até mexer em um. Conectiva 8. O único da série que compilava direito... No meu PC P3 funcionou tudo, mas quando eu troquei pelo P4, todo off-board, só o video funcionava... Aí eu desiludi e mandei tudo pro saco...
Ano passado, eu baixei um linux e instalei no VMWare do windows (2003, nao suporto o XP)... mexi e a vontade de ter um sistema não-remendado voltou, baixei o Gentoo, e cá estou.

[12] Comentário enviado por duccorrea em 21/12/2005 - 11:43h

MS X HB 8000!! alguém teve? huahuahua tinha uns games massa p a época, tudo como o nosso amigo disse: fita k-7 (aceitava tbém uns cartuchos). E as publicações da época?! vinham com código p digitar. Horas e + horas de digitação e pronto: o famoso "Letreiro digital" tão usado na década passada como protetor de tela do Windows!!!......
Lembranças de bons tempos onde os "pc's" (como se fosse culpa deles...) não travavam...

[13] Comentário enviado por GilsonDeElt em 06/01/2007 - 18:33h

Muito bom seu artigo!
Minha história não é tão longa, mas têm altos e baixos como a sua.
Comecei pesquisando, há pouco mais de um ano, na escola (é, eu não tinha PC em casa. Este é meu primeiro PC). Cheguei a conclusão de que ter um PC com Linux não era má idéia. Depois de um ano pegando no pé da minha mãe, compramos este PC. É um Celeron D 2.26 GHz, 256 MB RAM, todo on-board, com um Conectiva instalado. Escolhi Conectiva porque era o único em português que eu conhecia. Ao ligar o PC notei que ele foi todo fuçado para que qualquer um conseguisse instalar e usar. As primeiras decepções vieram quando tentei instalar programas a partir do código-fonte. Nem o ./configure terminava. Depois de fuçar um bocado, descobri que o Conectiva 10.1.1 (Versão OEM Neo PC, aconselho a não usar) não vem com a GLIBC, necessária para compilar programas. Instalei a GLIBC, mas não adiantou. Resolvi instalar outro Linux (RWindows, nem pensar!). Numa loja com cara de banca de revista vi uma revista com o Slackware 11. 3 CDs, +de 3GB de programas. Comprei a revista alguns dias depois. Ao instalar, descobri que meu modem não tinha o driver. Reinstalei o Conectiva. Algum tempo depois, resolvi instalá-los em dual boot. Depois de dois dias quebrando cabeça, consegui. Mais reinstalações foram necessárias (deletei acidentalmente o root do Slackware, fiz Kernel Panic no Conectiva...), e agora estou aqui.
Ainda uso o Conectiva às vezes (internet mais rápida, Kopete funciona...), mas o principal motivo para mantê-lo no meu PC é a facilidade de uso para meus irmãos (montagem automática de mídias removíveis, MPlayer pra ver vídeos baixados do Youtube).
Tenho usado o Slackware pela vontade de aprender a configurar meu Linux, pelos novos programas e pela possibilidade de compilar programas a partir do código-fonte.
Há um longo caminho a ser seguido, onde novas experiências serão vividas. Quando eu tiver algo de novo a dizer, deixo um novo comentário.

Falou!

E, mais uma vez, parabéns pelo artigo!

[14] Comentário enviado por acfmoc em 12/02/2008 - 00:52h

Tb tive um MSX (aliás, ainda tenho guardado) foi meu primeiro computador e segui uma trajetória parecida com a sua. Me desliguei totalmente do rWindows em Dezembro de 2007. Comprei um computador Dell inspiron sem SO... tentei instalar o Win XP e não funcionou. Entrei em contato com o suporte Dell e fui informado que a linha Inspiron só aceita windows vista. Instalei e achei uma grande B*$%@. Foi então que resolvi fazer uma tentativa com o linux. Instalei o kurumin e praticamente tudo funcionou, exceto a placa de som yamaha. Mais estou pesquisando e tenho certeza q muito em breve coloco tudo nos eixos... Parabéns pelo artigo e boa sorte...

[15] Comentário enviado por leandrorocker em 17/04/2008 - 14:12h

Artigo fantástico e divertídissimo de se ler! Parabéns!

[16] Comentário enviado por millemiglia em 21/05/2010 - 10:48h

Legal seu artigo. Fiz quase o mesmo trajeto embora tenha começado em um XT com DOS 3. Depois segui para o Windows 3.11 For Workgroups que eu usava em rede com dois computadores na minha locadora de vídeo. Atualizei para o Windows 95 (com 13 disquetes originais) e depois para o Windows 98. Também usei o Windows 98SE nos micros da locadora. No micro de casa cheguei a usar o 2000 Professional, o 2003 Server, o XP e atualmente tenho instalado o Windows 7 (em italiano) porque meu filho ainda gosta de alguns jogos do Windows.
Minha experiência com o Linux começou com uma versão que instalava em partição FAT, o WinLinux 2000 (baseado no Slackware 7). Depois instalei Conectiva 5 e seguintes (6 ao 9) e a partir daí meus micros sempre passaram a ser dual boot.
Usei durante muito tempo Mandrake (8.1 a 10), experimentei Red Hat 9 (da qual não gostei), Ubuntu 5.04 (também não gostei na época pois não consegui configurar minha conexão internet) e acabei ficando com o Kurumin 6 que depois atualizei para o 7.
Meus notebooks antes do atual também eram sempre dual boot (o penúltimo era Windows 2000 Professional/Kurumin 7). Meu note atual veio com o Linpus Linux instalado mas eu logo formatei e instalei o Ubuntu 8.10 (que já foi atualizado desde então e já está rodando o 10.04).
Desde março do ano passado só uso o Linux no meu notebook e não sinto falta de quaisquer programas Windows.
O caminho foi longo e houveram alguns desastres (como quando tentei instalar o Conectiva 3) mas sem dúvida foi e é muito interessante aprender um sistema operacional que dá mais liberdade ao usuário.


Contribuir com comentário