Linux, sem exageros

Uma visão de alguém que é defensor do Linux, mas enxerga "o mundo como ele é", ou pelo menos, "como ele está"... Espero contribuir para o site, para o Linux, para a democracia em geral!

[ Hits: 8.872 ]

Por: Fernando Tietê da Silveira Fragoso em 28/02/2011 | Blog: http://fernandoty71.wordpress.com/


Linux, sem exageros



Olá a todos!

Sem pretender escrever alguma coisa muito aprofundada sobre o Linux, resolvi escrever algumas pequenas linhas sobre ele, que é um sistema operacional concorrente dos Windows, totalmente gratuito e que realiza (quase!!!) todas as funções possíveis no seu concorrente billgâtico (relativo ao Bill Gates, rsrs).

Eu tomei contato com o Linux por volta de 1996, e ele já tinha um certo desenvolvimento, mas ainda não era como hoje, com muita coisa - mesmo - igual ao Windows.

Sempre fui meio nerd e isso me ajudou a gostar do Linux, já que o Windows tinha praticamente abolido os comandos na telinha preta com o cursor piscante. E o Linux trouxe isso de volta pra mim...

No entanto, quando eu cansava de "nerdizar", eu desencanava e voltava ao Windows como um verdadeiro filho pródigo. Enfim, não pretendo, hoje, neste texto, ensinar o pessoal que vier ler e que entende muito de "computadores" o que é o Linux e como ele funciona etc, mas, hoje, ele está muito melhor.

São várias as versões disponíveis do mesmo sistema operacional, chamadas distribuições, e, na minha humilde opinião, a distribuição chamada Ubuntu, que se encontra na versão 10.10, é a mais automática, mais prática, mais "Windows like" que existe. Neste completo Sistema Operacional temos de tudo: editores de texto, imagens, "PhotoShop", msn, skype, firefox etc, neste quesito – de "uso comum" de um computador - eu posso dizer, daí digo com todas as letras, o Linux tem TUDO igual (ou que é extremamente parelho).

No quesito "jogos" dá um certo trabalho, mas hoje, muuuuuito menos do que no passado, é possível jogar muitos (eu não arriscaria dizer todos) dos jogos "da moda"!

Terrivelmente triste é a realidade que me faz lamentar a impossibilidade de rodar o Microsoft Flight Simulator (qualquer das melhores e últimas versões) no Linux, o que me impede de abandonar a Windows family num futuro tão próximo (a não ser que descubram como rodar o FS no Linux e divulguem amplamente).

Só por comentar, se tiver alguém aqui que saiba que existe o FlightGear, que não me venha com comparações, por gentileza... ;-/

Parênteses fechado, há algumas dores de cabeça chatinhas no Linux, que dizem respeito à compatibilidade de alguns (diversos, muitos, váaarios) elementos de hardwares (placas de som, de vídeo, de captura de TV, scanners, impressoras, e que por isso, eu considero que irritam até as pedras, e que, por conseguinte, justificam o título do meu texto.

Afinal, admiro o Linux, profundamente, mas não a ponto de defendê-lo cegamente, como muitos fazem, e, principalmente, porque não vejo como abandonar o Windows, justamente por essas razões acima expostas.

É certo que a cada nova versão do Windows - estamos agora neste tal Windows 7, muita coisa fica sem suporte, tal como no Linux, mas é incomparavelmente mais rápido o surgimento de algum "fix" nele do que no Linux. Bem, não esqueçamos que eles praticamente aboliram a Gameport... que Deus a tenha!

Outro ponto a se anotar é a dificuldade para alguém configurar uma impressora/scanner no Linux. E isso, se for HP (a única que cria menos problemas)... dá uma dor de cabeça e eu nunca fui louco de garantir que em 100 vezes, 100 impressões seriam obtidas... Só faço uma ressalva porque eu nunca quis me matar para entender como se processa, de verdade, a impressão e o escaneamento do Linux. De repente, a coisa evoluiu... hehe... Na verdade estou brincando, nessa parte, pois dá, sim, para usar scanners e impressoras, desde que, não tão pré-históricos, bem como, nem tão moderníssimos...

Enfim, cheguei a conclusão de que, para um usuário comum, o Linux é absolutamente igual e tão funcional quanto o Windows para quem não quer ousar com aplicativos e hardware, e só precise de um computador que execute o básico (Office, internet e multimídia "simples").

Para os que, tal qual a minha pessoa, gostam de perder tempo (gostam e podem) compilando drivers, módulos, e o próprio kernel (coração de qualquer sistema operacional), o Linux é um oceano de possibilidades.

Em compensação, para quem não gosta, não tem tempo, ou simplesmente não quer ter esse tipo de dor de cabeça, Linux é sinônimo de Tsnami mental!

Por enquanto, é só... pessoal!

Não quero, com o texto acima, que ninguém se ofenda, hein? É só uma opinião que, mais ou menos nos termos acima, eu já havia coloca no meu blog pessoal, e que usei para estrear aqui!

Um abraço a todos os que, como eu, seguem o @linux, dentro e fora do @Twitter, dentro e fora da Matrix, rsrs ;-)

Fernando Tietê da Silveira Fragoso.

   

Páginas do artigo
   1. Linux, sem exageros
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Conseguindo o reembolso da licença do Microsoft Windows

Ressuscitando os 386 e 486 da vida com Linux

O que é Software Livre?

Usando o cURL - Client URL

Festival: O sintetizador de voz para Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Coconuts em 28/02/2011 - 16:49h

Na minha modesta opinião seu texto está simplemente PERFEITO. Amo o Linux, mas o amor não pode ser cego.

[2] Comentário enviado por Dav1d em 28/02/2011 - 17:26h

Bom texto, só não gosto quando usam o termo "photoshop" mesmo entre aspas(mas entendi o que você quis dizer), pois se alguém que está disposto a migrar lê isso, pode achar que o photoshop funciona no Linux(mesmo via Wine, só versões antigas ou mais novas com desempenho sofrível) ou existe um concorrente que faça tudo que o photohop faz, o que no caso do GIMP é uma verdade parcial, ele é útil e faz tudo que um usuário comum precisa, mas pra quem trabalha com edição de imagens e/ou já usou o photoshop profissionalmente, sabe que ele ainda precisa evoluir pra se tornar um substituto perfeito.

Mesmo pra quem vai usar pra coisas básicas, é necessária uma adaptação para a interface do programa, então ele é um editor de imagens, assim como o Photoshop, mas não é e nem tenta ser(importante dizer isso) o Photoshop.

Uso somente Linux(Debian pra ser mais exato) há 4 anos e como sempre preferi jogar nos consoles, nunca nem precisei do Windows em dual-boot, minha multifuncional da HP funciona tranquilamente, inclusive é detectada automaticamente, já é meio antiga e foi a única que usei na minha máquina, então nunca tive problemas nessa área.

Acho que o principal se você quiser usar Linux é aproveitar a troca de computador, quando for comprar uma máquina nova, sempre pesquisar por fabricantes que têm bom suporte, nessa área eu fiz isso e nunca tive dor de cabeça.

O mais importante mesmo para o novato em qualquer sistema operacional é entender que não dá pra fazer as coisas da mesma forma, mas existem alternativas que produzem o mesmo efeito.

[3] Comentário enviado por radisson em 28/02/2011 - 21:24h

Uso o linux há mais de 10 anos, e continuarei a usar por muito tempo. Hoje, sinto dificuldades e preguiça de usar windows, fico sem paciência para procurar o site do fornecedor do software, baixar e por fim instalar os programas no windows. No linux faço tudo com poucos cliques, e nem sei o site do fabricante do software. No desktop, Tio Bill venceu a batalha.

Mas o futuro está nos dispositivos móveis, e nesse universo o linux, já está consolidado através do android. Para as plataformas móveis o monopólio talvez seja invertido, com as plataformas livres, tendo mais espaço que o modelo proprietário. Como o android não é apegado a um único dispositivo e o que determina a penetração de um celular é o seu preço, vislumbramos um futuro, com uma força, muito, mas muito maior das plataformas abertas, que as opções proprietárias. O terreno da batalha agora é outro, e nós estamos ganhando!

[4] Comentário enviado por alefesampaio em 28/02/2011 - 22:42h


Cara realmente não estou entendo muito os últimos artigos postado no viva o Linux .
Ainda vejo com certa incoerência no seu texto sua afirmação de “Linux sem exageros”

Primeiro. todos usuários Linux tem o dever de ser exagerado no tocante a defesa dos bons costumes o Linux e padrão de desenvolvimento para nos e para as futuras gerações.
Segundo. Se considerado “nerd” não conseguir instalar qualquer tipo de Hp acho um pouco exagerado sua colocação.
Terceiro. Se todo usuários Linux forcem exagerados não estavam escrevendo tanta abro binha como tenho visto nos últimos tempos e claro com devidas exceções posso afirma que seria muito interessante para novos usuários apre derem como Linux funciona, postarem formas de mostra os novos usuário as alternativas de quebrarem as algemas do software pago.

Resumo: Todo usuário Linux tem o dever defender o Linux mesmo parecendo exageros sabe porquê? Veja tirem suas próprias conclusões.
http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/04/presidente-da-microsoft-critica-banda-larga-e-proteca...

eles defendem essa droga de sistema operacional. Porque nos não podemos também?...

também refaço as palavras ditas por você “Não quero, com o texto acima, que ninguém se ofenda, hein? É só uma opinião”.....





[5] Comentário enviado por f_tyet em 28/02/2011 - 23:55h

Amigo, alefesampaio:

Recebo com muito respeito tudo o que você disse. Acolho e vou refletir em cima muitas coisas que você disse.

Só queria esclarecer pra você e pra os demais que lerem o texto, para que o leiam com atenção.
Por exemplo:

Quando eu me referi à dificuldades com impressoras, scanners e multifuncionais, eu cometi uma falha, pois havia muito tempo q eu não tentava instalar uma HP em qquer distro linux, e só usava uma multifuncional Lexmark que até o Slackware 12.1 não consegui fazer reconhecer (mas não reconheceu nem no Ubuntu 10.10).
De fato, o texto ficou "desatualizado", pois qdo eu instalei a multifuncional HP Photosmart C4280 (só precisei baixar e instalar o hplip no Slack, pois no ubuntu, já foi reconhecida por padrão, na instalação) tive o maior prazer em ver, tanto no Slack (13.1) quanto no ubuntu 10.10, o scanner e a impressora funcionarem sem estresses.

Feita essa ressalva, eu repito o trecho escrito "a dificuldade para alguém configurar uma impressora/scanner no Linux. E isso, se for HP (a única que cria menos problemas)", eu quis dizer que Lexmark e Epson eu nunca tinha visto (nos modelos q eu tentei) funcionar no linux... só sabia que a HP tinha o hplip e q este, desde que não fosse uma impressora/multifuncional muuuito recente, tinha bom suporte no linux. A ressalva "E isso, se for HP", não quis dizer que eu, "nerd", via dificuldades na instalação de uma HP, eu a citei como exceção à dificuldade que EPSON e Lexmark me apresentaram.

Sou defensor do linux, e deixo claro no texto. Sou de tendência política voltado para a esquerda, e o linux tem tudo a ver com isso. Liberdade das amarras do software proprietário é o q o monopólio da tecnologia (grande trunfo dos poderosos capitalistas e neoliberais) mais teme, pois isso significa acesso, para o povo, a "armas" tão poderosas quanto as nucleares, químicas, biológicas... vide o caso do Assange e seu site "weakleaks".

E por último, mas não menos importante, se linux é sinal de liberdade, eu acho muito mais plausível que os usuário - aliás, qualquer um - seja livre para só usá-lo, NÃO usá-lo, usá-lo em dualboot... enfim, tudo isso, para não cairmos num processo de imposição do Linux, o que seria um verdadeiro contrassenso, e, mais ou menos, o que o PT fez com a chegada ao poder, passando a incorrer nos mesmos erros dos que eles criticaram tanto tempo.


Realmente, meu texto não havia ficado claro quanto a estes pontos que, agradecendo de coração a você @alefesampaio (o arroba antes do nome é uma gracinha minha, por conta de ser eu twittero viciado - me sigam @fernandoty71, rsrs), me foram alertados agora.

Um abraço a todos!

Fernando.

[6] Comentário enviado por levi linux em 01/03/2011 - 09:15h

De fato há alguns pontos do artigo que precisam ser atualizados. Mas parabéns pela lucidez e bom senso, pois o fanatismo não leva a nada. Embora só use linux atualmente, deixar o windows foi muito dificil, pois sou músico e há uma carência muito grande de softwares avançados para linux nessa área, sei que a culpa não é do LINUX, mas como trabalho com isso tenho que ter um computador com o windows.
Parabéns.

[7] Comentário enviado por nicolo em 01/03/2011 - 11:26h

Em termos de desktop, para uso geral, a parte de scanner do Linux ainda está deficiente abaixo do aceitável. Há muito hardware não suportado.
A impressora dá para selecionar uma que tenha driver antes de comprar, se comprar no escuro o risco é alto.

Meu querido Linux, NO DESKTOP´, está com síndrome de caranguejo: Três anos atrás abandonei o windows com as versões Ubuntu 8.04 LTS, slackware 12 e maravilhas. Com as novas versões voltei ao Windows 7 legítimo com nota fiscal.

As incompatibilidades, de Linux com programas Linux aumentaram (vmware-player, googleearth- são umparto para instalar e o primeiro não funciona mais). O Linux deu outra guinada para os servidores em detrimento do desktop.
Há uma tal de LSB3 que briga com uma tal de LSB4.
O multimedia andou para trás, está mais bagunçado do que estava antes. Um servidor briga com o outro e a liberdade é tanta que não se respeita nada.
O cryptsetup, orgulho do kernel, não funciona mais, era uma brisa.
O Flash atual é melhor que o antigo, mas é produzido pela adobe.
Meu querido Linux está sofrendo de bakunismo, ou se desinteresse pelo desktop.

Quem tiver um lapso de sinceridade reconhecerá que: No multimedia o Windows está na frente, apesar de algumas maravilhas do opensource: Rosegarden, por exemplo.

[8] Comentário enviado por ricardoolonca em 01/03/2011 - 17:23h

Em termos de usabilidade para o usuário final, os dois sistemas operacionais estão em pé de igualdade.

Dei um treinamento para alguns adolescentes internos da antiga Febem. Eles nunca tinham mexido com computador. Instalamos o Windows, navegamos na Internet, usamos o Msn, instalamos o Office, ouvimso música e vimos uns filmes. Depois fizemos o mesmo com o Linux Ubuntu.

Ao final do treinamento tinha um questionário que eles preenchiam, e uma das perguntas era "Qual sistema você achou mais fácil de usar?" A maioria dos alunos respondeu que o ubuntu era mais fácil.

Pode que ser para casos específicos, como músicos, ou artistas de modo geral, não achem no Linux as ferramentas necessárias do Windows. Mas isso é um caso a parte. Para a grande maioria das pessoas o Linux poderia sim substituir plenamente o Windows.

[9] Comentário enviado por alefesampaio em 01/03/2011 - 17:32h

Acredito "LeviLinux" olha acredito que falta informações mas que existe software de musica bem similares ao do windows existe
veja que bandas como "Muse", "Banda Rolestones" usam software livre nas suas produções de gravação. nem precisa dizer se ficou bom essa alternativa. uma boa de uma olhada na central de programas do ubuntu la coloque o nome "Muse" agora como qualquer coisa nova você deve estudar cada uma ferramenta para ver em que parte ela te agrada. Muitas vezes as formas de conhecimento são resumida.

nicolo: Desculpe a minha sinceridade acho que retrocedeu mesmo foi sua mente ela devem estar atrofiada pelo simples fator que nem um kernel, retrocede veja que Microsoft começou a desenvolver Windows em setembro de 1981 o Linux foi 1990. Mesmo windows 7 sendo essa evolução que tanto você afirma ele ainda não conseguiu chegar nem perto do linux nos seguintes aspectos

1º Segurança dele e uma droga vírus utilizam essa plataformas alias o Windows e um "Vírus" ou não? ai algum critico podem dizer mas windows e um sistema muito usado por isso que existe vírus nele... A é então porque Servidores que são 99% linux não vivem com Vírus?.

2º Interface gráfica ainda usada no windows 7 e o que nos usuários descartamos no Linux a muito tempo e só chegaram a isso no windows 7 porque roubou códigos Opensources.

3º se comparado sistema de gerenciamento de memória, Hd, e Núcleo de processo de programas instalação de Drives ai sim o Linux estar anos Luz na frete do Windows.

Resumo: Agora a falta de Coragem, atrofiar do celebro, hoje seja a principal arma dos Americanos e da Microsoft contra países tais como Brasil.


[10] Comentário enviado por draggom em 02/03/2011 - 08:19h

Estes artigos em que os companheiros usam gnu/linux e fazem questão de mostrar as falhas ou criticarem o sistema, não ajudam nem acrecenta nada, é cada artigo, um pior do que o outro, todos nós já sabemos onde o linux tem que melhorar e os companheiros já estão trabalhando para resolver estes problemas, vamos contribuir de alguma maneira, ficar escrevendo artigos idiotas não dá. Já estou cansado, quer escrever até por vaidade, crie um artigo tecnico.

[11] Comentário enviado por nicolo em 02/03/2011 - 11:44h

alefesampaio:
Minha mente não retrocedeu, você é que nunca se preocupou em olhar para o cenário global.
Não confunda a estrutura robusta de servidor, que eu reconheço que o Linux evolui horrores,
com as variedades de suporte para desktop.
São coisas muito diferentes. Se fosse fazer uma escala de adequação ao que o usuário deseja (e isso é o oposto ao que o administrador de sistema pensa) o Mac estaria no topo da escala.
Na área multimedia o Mac reinou absoluto em imagem.

Dizer que o Linux é o tal em multimedia, sem olhar para resto é no mínimo achar que a baleia voa porque chega à superfície do mar.
Não reconhecer que o sistema de som do Linux é uma bagunça é dizer que o Uruguai é bem organizado, sem nunca ter ido à Europa.
Tente configurar o Jack no ubuntu 10.1 - Faça mesmo no ubuntu 8.04. Conseguiram dar marcha à ré sim Senhor!
Depois de configurar tente conectar o Jack aos devices e programas. Tente nas duas versões.
Andaram para tras, tentaram inventar e meteram os pés pelas mãos virou zorra sim Senhor!

Dizer que o windows é isso ou aquilo não conserta a porcaria que fizeram no Linux -DESKTOP.
Dar uma de aveztruz e enfiar a cabeça no burado , fecha a mente.

[12] Comentário enviado por killerbean em 03/03/2011 - 13:07h

Sim, não podemos ser cegos. Mas o dito 'problema para configurar impressoras no artigo', não está exatamente correto. Ao menos em distros que visam o usuario final, é muito mais fácil de usar. Todas impressoras que pluguei (novas e velhas) funcionaram sem nada eu fazer. O maximo q tive q fazder foi instalar o driver da HP pra o scanner da multifuncional funcionar. Este é um ponto bem positivo. Ao contrario de webcams, por exemplo, que ou funcionam mto bem, ou nao dão nem sinal de vida.

E aos comentarios nicolo, não entendi o ponto. Diz que o Linux vez merda no dektop, ou a Ubuntu ? Se o multimedia é tão ruim, por que empresas e estudios grandes usam ele para produção de seus videos ? Será que não é ruim para certas coisas, e o melhor para outras ? A necessidade é que faz o melhor SO, e não uma comparação a um olhar curto e grosso.

[13] Comentário enviado por Teixeira em 03/03/2011 - 23:54h

Não devemos ser tão fanáticos, porém temos de aprender a USAR e a defender a usabilidade do Linux.

Existem comercialmente DEZENAS de sistemas operacionais conhecidos apenas por corporações e seus respectivos funcionários onde - até mesmo por imposição - não se depende de Windows (nem de Linux).
Tudo o que se faz por intermédio de uma ferramenta (ou sistema operacional) pode perfeitamente ser feito com o uso de outra ferramenta.

Conheço uma pessoa que faz convites de casamento e folders, capas de CD e DVD, produtos gráficos enfim, usando o MS-Paint e o Word (!!!!!), enquanto outros defendem ardentemente o Corel Draw! como sendo o ÚNICO aplicativo que permite fazer desenhos...
Ele simplesmente não tinha dinheiro para comprar o Corel, nem máquina suficiente para rodá-lo.
Aí foi experimentando daqui e dali, e se adaptou muito bem, por sinal.
Essa mesma pessoa faz edição de video com qualidade acima da média, utilizando-se de uma porção de ferramentazinhas consideradas "meia-boca" pela multidão de fãs do Pinnacle e de outros aplicativos consagrados.

Portanto, tudo depende do artista, do profissional, do usuário.
Conheço pessoas que são capazes de transformar um pedacinho de jornal em arte. Sendo um papel mais nobre, então, vira origami.
Ao mesmo tempo, tem pessoas que não conseguem se ajeitar com metros de papel apropriado em um banheiro...

As suítes de escritório open source atendem MUITO bem a 99% dos usuários que tenham necessidades medianas, e a suíte da Microsoft nesse caso não é TÃO melhor assim, pois são pouquíssimos os usuários avançados que conseguem tirar o máximo proveito de um texto do Word ou de uma planilha do Excel.
A grande maioria nem sequer sabe fazer uma planilha, nem sequer uma simples fórmula, e nem se lembra mais do que seja uma "regra de três".
TUDO o que um usuário comum É CAPAZ DE FAZER pode perfeitamente ser feito por quaisquer outras ferramentas, sejam open source ou não.
Já tivemos no mercado grandes editores como Word Star, Carta Certa, Word Perfect, e grandes planilhas como Lotus 123 e Quattro Pro.
Alguns desses, considerados unanimemente por seus usuários na época como sendo inegavelmente os melhores do mercado.
Aliás, no tocante a planilhas, leio, modifico, atualizo e retorno no Calc planilhas elaboradas no Excel sem dificuldade alguma para mim, meus associados ou clientes. E são planilhas COM MACROS. Apenas que foram feitas por alguém que aprendeu a "elaborar planilhas", e não a simplesmente "usar o Excel". Pode parecer que é a mesma coisa, porém a diferença é muito grande.
Particularmente, acho que o Excel tem algumas comodidades a mais, mas dá para se usar perfeitamente uma planilha daquelas "antigonas" do DOS em modo texto, que funciona do mesmo jeito, mesmo estando limitada a 256 colunas e 256 linhas.
Na prática, ninguém precisa mais do que isso.
Se precisar, será uma exceção, e não a regra.
Muitos dizem que o Word tem "melhorado" a cada lançamento. Eu não consigo ver tais "melhorias", exceto as de natureza cosmética. Se antigamente alguém poderia compor um livro no Word (um grande feito, sem dúvida), hoje em dia continua podendo, sem que tenha melhorado nada nesse sentido. É simplesmente a mesma coisa.
Na minha opinião a melhor versão do Word foi a 6.0 (windows 3.11 e 95), leve, rápida e poderosa, que produzia textos grandes com arquivos pequenos e compatíveis e onde se podia criar uma célula de tabela em degradê. As versões mais modernas são "comedoras" de memória e recursos de CPU e não conseguem fazer alguns pequenos truques.
Para se ter uma idéia, tivemos de simplesmente quadruplicar a memória do computador para poder rodar o Word 97 sem erros.

Muitos argumentos usados por windowsistas e linuxistas são "furados" e determinados apenas por uma "paixão ardente" pelo seu sistema operacional predileto.
Linux pode em boa parte dos casos ser usado com vantagem sobre o Windows. Contudo, Windows tem sua própria área de atuação onde certamente se destaca.
Poderia ser melhor? Sem duvida. E nossa reclamação é exatamente essa: Que "poderia" ser mas "não é", e que certas deficiências - que todo produto está sujeito a ter - já deveriam ter sido sanadas há muitos anos atrás.
Enquanto isso, temos sido vítimas de "vaporware" ("steamware"), promessas vazias que vão ficando esquecidas no passado.
E é exatamente por isso que somos exigentes com relação ao Linux.
Para ser "a mesma coisa", não tem graça nenhuma. Ou é melhor, ou então deve desistir, abandonar o mercado.
Um sistema que tem tantos voluntários no mundo inteiro e que não desistem, certamente tem o seu valor.

[14] Comentário enviado por raulgrangeiro em 04/03/2011 - 14:30h

Amigo, sou usuário do Ubuntu. Esta foi minha primeira distribuição linux, eu gosto muito e não pretendo deixar. Concordo com você na parte que diz respeito a não defender cegamente, por exemplo, meu pai trabalha com o windows, em especial o office, não posso dizer pra ele usar Linux, porque todos nós sabemos que o OpenOffice tem algumas incompatibilidades com o Office da Microsoft. Mas para um usuário como eu, gosto muito de Linux, pois gosto de acessar internet sem vírus, ouvir música gravar Cds e DVDs e etc.
Linux é muito bom, está crescendo e quanto mais melhor! Apoio o software livre. E acho que se todos nós contribuirmos com o nosso conhecimento para ajudar outras pessoas, todos poderão usar o sistema que mais cresce sem nenhum problema!

Até mais! Artigo muito bom!

[15] Comentário enviado por Teixeira em 05/03/2011 - 09:23h

Eu discordaria levemente no que diz respeito ao OpenOffice "ter incompatibilidades com o Office da Microsoft".
A verdade é que o Office da Microsoft é incompatível consigo mesmo: A cada nova versão ele se torna incompatível com as versões anteriores, forçando o usuário a fazer upgrade para que simplesmente possa abrir arquivos. Um documento com a extensão .DOC gravada hoje não pode de forma alguma ser lido por uma versão do Word recém abandonada.
Os usuários devem usar alguns truques: Fazer tudo o que desejarem dentro de seu software supostamente "moderno", porém gravar em formato compatível, tipo Windows 95, por exemplo.
Dá para usar TODOS os tipos de arquivos, inclusive os .RTF, que podem ser lidos e modificados por qualquer outra versão do MS-Office ou do OpenOffice ou do BROffice.
Outra coisa: Um arquivo .TXT deveria ser nada mais nada menos que um arquivo .TXT ou seja, segundo o repertório ASCII.
No entanto a Microsoft "melhora" (tradução: torna incompatível) até mesmo esse tipo de arquivo.
Dá para conviver pacificamente usando arquivos gravados aqui e lá.
É só procurar aprender um pouco mais e ter cerca de 2 segundos de paciência.

[16] Comentário enviado por odone.machado em 10/03/2011 - 09:58h

Sobre a notícia do link:

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/04/presidente-da-microsoft-critica-banda-larga-e-proteca...

Sou obrigado a concordar com ele em parte, embora seja a favor do sofware livre.

O Estado deve ser neutro no que toca às escolhas e assuntos privados de uma forma geral.

Fica até meio hipócrita da parte do governo, pregar o uso do software livre enquanto o próprio não abre mão do windows e do M$ Office em vários setores pagando o alto custo das licenças com nosso dinheiro.

[17] Comentário enviado por Jade_rj em 12/03/2011 - 18:14h

Conheço Linux há muitos anos, meu ex-marido gostava e estava sempre se atualizando, mas eu mesma nunca tinha usado. Comprei um computador há alguns meses e ele veio com o Ubuntu instalado. Mas eu ainda estava fiel ao Windows, por praticidade, preguiça, etc. Sou apenas usuária embora tenha um conhecimento um pouco avançado. Então instalei o hd da máquina antiga e continuei usando o Windows. De umas semanas para cá a máquina deu pau e eu não consegui mais instalar o Windows. Passei então a usar o Ubuntu.
Estou gostando, como alguém disse nos comentários, para usuários simples ele funciona muito bem! Confiquei internet, uso torrent, msn, e estou gostando. Mas de vez em quando eu fico sem entender algumas coisas, como por exemplo, ele me avisou de umas atualizações, eu instalei e ele mudou toda a interface!! Mudou o layout todo e algumas funções sumiram!!
E eu fico com medo de futucar muito e perder coisas. Outra coisa que me deixa intrigada é a instabilidade, de vez em quando o navegador fecha na minha cara, o reprodutor de filmes não abre, ou abre e fica escondido e quando eu mando abrir de novo ele diz que já está aberto...
Meu objetivo nesse site foi justamente acompanhar foruns pra me inteirar um pouco mais, porque não há coisa mais chata do que depender de técnicos de informática cada vez que há algum probleminha no computador.
Gostei muito desse artigo e espero ler muito mais para me educar!

[18] Comentário enviado por rberaldo em 15/03/2011 - 03:49h

Eu escrevi uma resposta pra esse artigo dia primeiro. Acho que tá valendo: http://www.cabaladada.org/2011/03/linux-sem-choro-nem-vela/

[19] Comentário enviado por lxer em 04/04/2011 - 03:08h

Utilize o x plane, (ele é proprietario mas isso não deve ser problema se vc utiliza o flight sim),possui mais de 60 gb de mapas de terrenos, funciona em windows linux e mac.
Possui homologação para treinamento pela afa e nasa alem da anac e tambem funciona com projetores.É muito mais realista (colisão com passaros calculo das areas de asas e hélices)e também tem suporte para torre de comando.
http://www.x-plane.com/

Ps:Se precisar de mais softwares de aviação tem esse documento aqui: http://tldp.org/HOWTO/pdf/Aviation-HOWTO.pdf
Se vc trabalhar em escolas de aviação ou com simuladores grandes olhe tambem o
projeto magenta.

[20] Comentário enviado por EltonRPL em 07/04/2012 - 18:27h

Muito bom o artigo!!!


Contribuir com comentário