Linux e Windows - Prós e Contras

Neste artigo, abordarei (expondo minha opinião) um tema que é tabu, principalmente para os usuários domésticos: "O
uso do Linux".

[ Hits: 21.283 ]

Por: Phillip Vieira em 10/04/2012


Introdução



Vamos começar este artigo, com algumas perguntas e respostas:

1- Por que meu computador novo veio com Linux?

Além de incentivos do Governo, muitas empresas que comercializam computadores, viram que com o Linux, o usuário pode ter um Sistema Operacional original e sem gerar custos para o cliente final.

Sendo assim, fecham parcerias com empresas de software, como a Canonical, que é a responsável pela Distribuição Linux Ubuntu, para produzir seus computadores com a distribuição Linux já pré-instalada, ou até mesmo, já produzem suas próprias distribuições.

2- Mas também, posso comprar meu computador novo com uma versão do Windows original e pré-instalada, certo?

Sim, porém é uma versão do Windows com muitas limitações, como por exemplo, limite de abertura de janelas (5), não poder ingressar seu computador em uma rede com domínio. E até mesmo, por causa da licença, não poder utilizá-lo em ambientes corporativos.

3- Tudo bem, mas eu já estou tão acostumado com o Windows... será que não vou ficar perdido no Linux?

Tudo na vida é um aprendizado, você não nasce sabendo de tudo, aprendemos a andar, falar, escrever, etc. Na Informática em geral, também necessitamos de aprendizados, vamos a alguns exemplos:

Quando você utilizava o Windows 98-SE, as 'coisas' eram de um jeito. No Windows XP, já mudou algumas coisas, no Windows Vista, teve uma mudança radical, e no Windows 7, nem se fala... Então, de uma certa forma, você aprendeu novas coisas e se adaptou a ela.

No Linux é a mesma coisa, porém (para o usuário doméstico), o Linux basicamente não mudou (em termos de botões, como fazer as coisas, etc), mas mudou para melhor, em segurança estabilidade. E continua mudando (e crescendo), a cada dia.

4- E se, no mesmo computador, eu quiser utilizar o Windows e Linux? Eu posso?

Sim, pode. Você pode instalar o Windows e depois Instalar o Linux normalmente. Basta que, na hora em que você ligar o seu computador, seja escolhido o Sistema Operacional neste caso, Windows ou Linux.

Temos ainda outra forma de testar:

Baixando um arquivo ".iso" (totalmente gratuito), e gravando-o em um CD-R/DVD-R ou Pendrive, e realizando o Boot pelo mesmo. Assim, você poderá testar uma distribuição Linux sem alterar em nada no seu HD, ou seja, onde estão salvos seus arquivos e dados.

Se você quiser testar um agora, basta ir até os sites:
Ou, você ainda pode utilizar uma versão (bem resumida) online (em inglês): http://www.ubuntu.com/tour/en
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Comparações
   3. Conclusão
Outros artigos deste autor

Samba - Dançando conforme a música

Recuperando dados do Windows usando um live-CD

Iptables - Segurança total para sua rede

Squid + Iptables - Combinação Infalível

Instalando o Linux Fedora 8 no Notebook Positivo v53

Leitura recomendada

Por que uso Linux?

Traduzir dicas e mensagens do login

Multiboot pelo pendrive usando grub2: instalando várias distros a partir de uma unidade de armazenamento móvel

Promoção RedBug + Viva o Linux

Criando um LiveCD do FreeBSD

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Miqueloti em 10/04/2012 - 11:04h

O artigo foi legalzinho de ler, porém no entanto eu sempre discordei em partes se o Linux é realmente um sistema de fácil utilização doméstica...

Digo isto porque o fator popularização conta muito para que um usuário doméstico sem conhecimentos de informática sinta-se "a vontade" na utilização do sistema, pois sempre tem um(a) coleguinha que irá emprestar aquele programinha que faz uma coisinha específica, ou aquele joguinho legal que tem no trabalho e quando o indivíduo tentar rodar o executável para windows, irá se frustrar ao saber que seu sistema "não pode" rodar o programa.

Obviamente sabemos que existe para a maioria dos casos alternativas opensource ou freeware para a maioria dos programinhas do cotidiano, e quem tem um pouquinho mais de experiência até desenvolverá sua própria solução. Em casos extremamente difícies poderíamos utilizar o wine para rodar um determinado software, e no pior do pior dos casos poderíamos usar uma VM para rodar o windows dentro do linux. A questão é, até o usuário atingir este nível de utilização no sistema, muito provavelmente ele já correu de volta para o windows.

Outro fator importante para a não popularização do linux pelo menos em território nacional, a maioria dos incluídos digitais são jovens que costumam ter contato com jogos eletrônicos. Diz pra um moleque de 15 anos que ele não irá poder jogar o novo FPS do momento que cospe sangue por não sei quantos orifícios do corpo diferentes quando mata o inimigo se ele usar linux, mais pelo menos ele poderá jogar o que for possível seguramente... Ele na mesma hora vai rir e falar que prefere formatar o pc dele de 2 em 2 meses por conta dos malwares que adquiri pirateando os jogos...

No final das contas, nos dias atuais, pelo menos para quem tem um pouco de bagagem em informática, os 2 sistemas atendem em quase tudo.

Exemplo disso é como eu me viro no meu trampo. Com o meu chefe, eu conheci e me apaixonei pelo Cygwin (um POSIX que pode ser integrado ao windows que nos trás como beneficio o nosso maravilhoso shell para o mundo da microsoft), e através dele posso fazer tudo o que antes eu estava limitado com o windows. Toda vez que tinha que manipular arquivos gigantescos tinha que fazer um script em php, agora basta um comandinho para resolver meus problemas. Ainda não experimentei, mais dizem que é possivel com o cygwin, além de rodar terminal, rodar ambientes como Gnome, KDE etc dentro do windows. Não sei a quantas anda esta parte da interface gráfica, mais como o cygwin é muito popular mundo a fora, tenho certeza de que é perfeitamente possível obter o melhor do linux sem nem mesmo precisar sair do windows (e vice versa também).

Porém é como disse. É necessário conhecimentos... Entre todos os sistemas pelo windows ser o mais popular, é mais fácil para o cara que não sabe nada.

[2] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 11:24h

Em partes concordo com vc Miqueloti, mas não pelo fato que vc colocou sobre a "não facilidade" do Linux, temos que entender que facilidade é a questão de manipular o S.O. em um modo geral, como instalar programas, utilizar progras, etc.

Com relação a jogos, isto é o de menos, pois acredito que o maior uso dos computadores não sejam para jogos mas sim para outros fins.

Neste artigo eu não quero convencer ninguém a usar o Linux, mas sim, mostrar as pessoas que o Linux não é nenhum "bicho de sete cabeças" e nem é inferior ao Windows, pelo contrário é muito superior, o problema é que muitos desenvolvedores não querem programar para Linux achando que não vão ter lucros...

Acredito na liberdade de escolha de cada um e acho que as pessoas deveriam conhecer o Linux antes de falar que ele é ruim...

Obrigado pelo comentário.

[3] Comentário enviado por smallboy em 10/04/2012 - 12:04h

Gostei dessa frase " Simples, porque as pessoas não gostam, ou não querem aprender coisas novas. Preferem ficar acomodadas em um Sistema Operacional mais popular e que já foi embutido em sua cultura digital, mesmo que isto não seja tão seguro... " sou iniciante em linux, mais estou gostando, os comandos te vician bom eu gosto pelo menos e acho o linux seguro sim, porém ele não e livre de virus como disse, sim ele pode pegar mais só se o usuario entrar como root e instalar um aplicativo que tenha um software mal intencionado ai sim caso contrario usando como se diz apenas como user nao corre este risco, não tenho nada contra quem usa windows e linux porem cada um tem suas vatagens e desvantagens ou seja nem nós seres humanos somos perfeitos temos falhas, bom é isso gostei do artigo.

[4] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 12:19h

Obrigado pelo Comentário olivercld!

Mas para esclarecer, quando eu digo vírus, quero dizer que todos sem excessão são feitos para Windows e suas plataformas, devido a sua fragilidade.

Para o Linux não seria vírus mas sim rootkits, que podem ser facilmente "bloqueados" com boas práticas de segurança.

Os rootkits geralmente vem imbutidos por trás de algum arquivo (que raramente alguém irá abrir), ou então por alguma falha de software, por isso é sempre bom manter o S.O. atualizado e os programas também, assim evitamos falhas de segurança, que no Linux é descoberta muito mais rápido devido aos seus milhões de colaboradores.

[5] Comentário enviado por Automake em 10/04/2012 - 12:41h

Existe sim vírus para Linux como o Bliss,kaiten,staog e o rootkit de kernel,o rootkit de kernel altera os binários do sistema e ganha acesso de root,descobri o Staog na Wikipedia,digite no google Staog e você verá que o Staog foi o primeiro vírus criado para Linux,e ele foi descoberto em 1996.Fora isso podemos dizer que o Linux é leve,robusto,seguro, estável,transparente,confiável,flexível,customizável e grátis,tá bom ou quer mais.

[6] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 12:47h

Certo Sr.Unix, mas como vc mesmo disse, o Staog é de 1996, um pouco velho não?
Será que alguém ainda "cai nessa"?

Temos que entender que a "contaminação" é bem diferente e o termo vírus não faz parte do vocabulário *NIX.

Rootkits existem como eu disse acima, porém como eu também disse depende mais de você...

[7] Comentário enviado por Automake em 10/04/2012 - 12:50h

Existe cerca de 863 vírus para Linux,a diferença não é que o Linux é imune a vírus,é que os vírus até hoje não obtiveram sucesso no Linux.

[8] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 13:04h

Na minha opnião se não se tem sucesso logo não existe...

[9] Comentário enviado por Automake em 10/04/2012 - 13:19h

O Linux é seguro,o seu sistema de permissão é altamente avançado.

[10] Comentário enviado por luiztomaz28 em 10/04/2012 - 14:22h

Pessoal, boa tarde, também discordo e concordo em partes.
Sou apaixonado com linux, como servidor, e em alguns casos. Não dispenso o windows. Facilidade, menos trabalho, e sinceramente prefiro sofrer menos é claro, e ganhar mais. Windows me da retorno.
Outra; existe virus para linux sim, poucos, concordo. Agora pergunta os desenvolvedores mundo unix, o cara já sofre com o sistema em si, vai querer sofrer mais para desenvolver virus para um sistema que uma minoria usa. Gente como disse uso linux, como servidor dns, servidor email, servidor web, então gosto do linux, configuro deixo lá, evito mexer porque se não da merda, sofro, há como sofro. Agora no mundo gente rola grana e muita grana, donos de empresas, quer que o funcionário trabalhe, não quer ficar dependendo de uma simples aplicação não funcionar, porque não instala aqui, ali, ele prefere instalar o velho windows de preferência pirata, baixa qualquer aplicação na internet, com pouco ta tudo funcinando. Virus hoje em pc, é o minimo, formatar, instala uma vm. Vai ter 200 ou + pc com ubutum dentro de uma empresa, e vai treinar gente para usar, um bom profissional para cuidar, vê se sua empresa vai para frente. Gente a microsoft ta muito na frente, mas muito mesmo, por isto ela está onde t hoje. Vou ser sincero com vocês tem cada ferramenta, são caras, más para quem pode pagar, é muito fino. Agora estamos falando de quem pode pagar. Parabéns pelo artigo Phillip Vieira.
Boa tarde a todos.

[11] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 14:40h

luiztomaz28 talvez o que falte é incentivo, pois geralmente não temos muitos profissionais em Linux, então quando um diretor de empresa "bate de frente", ele não tem argumento...

Agora só não entedi a parte: "Agora pergunta os desenvolvedores mundo unix, o cara já sofre com o sistema em si, vai querer sofrer mais para desenvolver virus para um sistema que uma minoria usa."

Não entendi a parte do sofrer?

Sofrer porque?

Treinar para usar o Ubuntu?

Meia hora de "mexida" a pessoa vai usar o que precisa para trabalhar, foi justamente o que eu disse, as pessoas são muito acomodadas com o que tem.

E "Gente a microsoft ta muito na frente, mas muito mesmo, por isto ela está onde t hoje" a maior parte foi tirada de roubo de informações e para completar eles tem um código super porco... Além do alto consumo de recursos físicos.
Além disto, a Própria Microsoft já está vendo que com o Open Source ela pode continuar lucrando e a mesma vem contribuindo com alguns projetos Open Source liberando alguns de seus códigos, além de estar melhorando a integração com o *NIX como pode ser visto no Server 2008.

[12] Comentário enviado por luiztomaz28 em 10/04/2012 - 14:53h

phrich. Realmente o ser humano quer facilidade, ele é preguiçoso de natureza. As coisas hoje acontece muito rapido, quando diz sofrer foi justamente ai. Pega um programadar para prataforma windows, e pega um para linux, coloca os dois para desenvolver a mesma aplicação para os seus respectivos sistema. Qual você acha que vai acabar primeiro. Não sou programador. o codigo do windows é sujo, não saberia te dizer. Mas quando disse que a microsoft ta na frente não é puxando saco, digo por grandes corporações. trabalho hoje em uma empresa que somente em um site nosso temos 1500 usuários. você acha que o samba daria conta? Acho que nem se chamasse o cara do linux. Eu não colocaria. Agora como disse, gosto do linux, uso linux, agora tem que separar, apenas não concordo de falar que windows é ruim, linux é melhor, acho todos 2 tem mercado, o linux vem melhorando muito, e vai crescer mais. Mas falta profissional, e repito, porque o povo é preguiçoso, programar em linux tem que amar a profissão, é pouco retorno. Por isto usei o termo sofrer. Foi mal.
Obrigado.

[13] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 15:25h

Bom luiztomaz28, com relação a quem vai acabar primeiro, o Programado Linux ou o Programador Windows? Isto é uma pergunta que ninguém irá saber lhe responder, pois vai depender de muitos fatores, do tipo, conhecimento, agilidade, responsabilidade, criatividade, etc, mas isto é idependente de S.O.

Grandes corporações também utilizam o Linux, como por exemplo a IBM, Casas Bahia, Lojas Renner, Banco do Brasil e muitas outras, elas economizam em tempo e dinheiro, para se ter uma idéia o Banco do Brasil economizou Milhões em Software e tem um dos caixas eletrônicos mais rápidos.

Quando vc quis dizer site, vc quis dizer site de site (rodando alguma aplicação) ou ou Domínio tipo como o AD do Windows?

Respondendo:

O SAMBA daria conta como o PDC sim, porém ele não é tão flexivel como o AD do Windows.

Já em termos de sites (como o IIS da Microsoft) o Apache dá de 1000 a 0 no IIS sendo mais estável, leve e seguro do que o IIS, outra opção também para quem não gosta do Apache é o Lighthttp, que se eu não me engano é usado no Youtube.

Quanto ao programar em Linux tem que amar a profissão o mesmo é feito em "C" e "C++" que roda em qualquer plataforma, assim como vc pode programar em Python para Windows ou para Linux ou em Assembly ou em Pascal ou em PERL, isso tudo depende do que vc quer fazer e para o que vai fazer.

Eu sempre utilizo os 2, mas quando posso criar um ambiente único, dou preferência ao Linux, por me dar menos dores de cabeça do que o Windows além de não ter que pedir aos donos da empresa para gastarem uma quantia significativa em novos softwares e S.O..

Bom, como eu disse no artigo, eu respeito a escolha de cada um e acho que devemos sempre analizar o que é melhor para cada situação.

[14] Comentário enviado por brizao em 10/04/2012 - 19:32h

é essa falta de AD que o samba na maioria das vezes não é adotado nas empresas, ficar controlando por registro do windows é nada comparado ao GPO do AD, mas quem sabe o samba 4 não resolva isto.

Vejo o linux como um sistema que a longo prazo reinará, não só por ser gratuito, mas a preocupação em facilitar a vida do usuário final está se tornando realidade, vejam o Ubuntu, Android por exemplo, imagina se tivesse a mesma evolução rápida do Android só que nos Desktops ao invés desses linux ruins que vem quando compramos as máquinas em supermercados... o Windows domina nessa facilidade, como disseram acima, pegou o Windows, instalou o steam ou baixou tal jogo pirata e pronto, ta funcionando... trojan, spyware é o de menos já que hoje em dia esses antivirus gratuitos dão conta.

quem trabalha com os 2 sabe q numa empresa, um não vive sem o outro, sempre haverá os softwares de gestão que só funcionam em Windows, ah mas e o banco do brasil?? sim, investir em software livre pra eles foi mais vantajoso e uma empresa pequena, comércio e afins? raramente se acha uma solução linux barata... digo isso pq cada dia mais tem softwarezinhos em VB em access que controlam mtos comércios e micro empresas por ai...

agora falar em mudar a consciência das pessoas em valorizar software livre e tal, falar isso pra um adolescente ou uma pessoa mais velha, pouquíssimas irão dar ouvidos...

se não conseguimos mudar a forma de pensar dos eleitores, imagina pra software livre, é um processo lento que levará gerações...

[15] Comentário enviado por ezequiel.ezb em 10/04/2012 - 20:26h

Boa, curti o artigo, por outro lado eu esperava uma abordagem mais profunda do assunto...

[16] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 20:56h

brizao, a idéia não é convencer e sim mostrar o que as pessoas não conhecem e encorajá-las a conhecer, entender e experimentar softwares livres, livrando-se um pouco de que tudo gira em torno do Windows.

trance4life, obrigado, porém o artigo original era um tanto maior, porém eu achei que ele ficou um pouco massante de ser lido, e como eu gosto de coisas simples e objetivas, preferi reduzir o seu tamanho, mas prometo que caso eu volte a escrever sobre este assunto, abordarei mais fundo o assunto ok?

[17] Comentário enviado por izaias em 10/04/2012 - 21:17h

Com vai, Phillip.

Esteja á vontade para produzir um artigo no tamanho que achar necessário. Não se atenha com detalhes, a Moderação cuida disto.


Com relação a seu trabalho, acredito que tenha sido imparcial.
Mesmo falando mais do Linux, em nenhum momento você foi tendencioso.

O que é muito bom para eliminar qualquer queixa da concorrência. rsrs


Parabéns!
Ótimo trabalho!

[18] Comentário enviado por aristidesbneto em 10/04/2012 - 21:37h

Minha opnião...
Linux já esta se tornando um sistema conhecido por muitos... aquele usuário doméstico que usa o computador com windows somente para jogos, bate papo e navegação na internet já ouviu falar do sistema Linux, mesmo nunca tenha visto, ou mexido. Mas para esse usuário "leigo" mudar para o sistema Linux será muito dificil se ele levar para o lado dos jogos, principalmente os jogos.
O Linux é um sistema muito simples de mexer sim, de fácil adaptação... depende muito do que a pessoa precisa, existem varios softwares no linux que podem substituir os programas do windows, e que vc nem irá sentir falta de usar o windows. Mas o que ainda mais pega são os jogos, não por parte do sistema linux e sim dos proprios fabricantes dos jogos que desenvolvem somente para windows.
Concordo em dizer que linux não é um sistema dificil de se mexer e muito menos que não satisfaz as necessidades dos usuarios!!!
Bom artigo...

[19] Comentário enviado por cruzeirense em 10/04/2012 - 23:09h

Prezado Philip,

"Na minha opnião se não se tem sucesso logo não existe..."

Declaração muito infeliz, todas sabemos que o linux não tem sucesso nos desktops, se não tem sucesso...

[20] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 23:09h

Obrigado izaias, o meu problema é o modo de escrever, gosto sempre de ser o mais breve possível rsrsrs, mas na próxima tento deixar de lado um pouco o meu lado "prático".

abneto concordo com vc em 100%, acredito que as empresas de Jogos não desenvolvam para Linux com medo de perder capital, mas acredito que eles poderiam vender cópias dos jogos para versão Linux, pois nada impede que eles vendam e mantenham o código proprietário, até porque, o que vemos muito por ai é a pirataria... Acho que se fossem reduzidos impostos, as empresas (e nós profissionais) teriamos menos problemas com pirataria.

No demais, obrgado a todos pelos comentários e por contribuir com conhecimentos a toda a comunidade.

[21] Comentário enviado por phrich em 10/04/2012 - 23:17h

cruzeirense pelo contrário, em algumas pesquisas que eu realizei (por conta própria) no ano passado, vi que a aceitação em Desktops Linux tem crescido, aos poucos mas tem crescido.
Quando falamos sobre "sucesso", não foi sucesso no caso do "vírus" citado sucesso de conhecimento, mas sim sucesso em sua "aplicação", sendo assim o Linux tem tido sucesso sim em Desktops, até porque é um projeto ativo e sempre constante, diferente do vírus citado.

Eu particularmente sempre que posso, crio iniciativas de incentivo ao uso do Linux em Desktops e explico suas "vantagens e desvantagens", tornando-o assim mais conhecido e tendo mais "sucesso" em seu uso para os usuários domésticos.

[22] Comentário enviado por alefesampaio em 11/04/2012 - 00:19h

Tenho uma coisa a dizer sobre artigo "Ótimo".. agora sobre aplicativos para ambos os programas posso garantir que os mesmo software que usamos no windows podem ser encorados genéricos para linux.

[23] Comentário enviado por igor_rocha em 11/04/2012 - 05:20h

Minha opinião:

Linux - Servidores, Computação em Geral, Hackers, Crackers, estudantes, desenvolvedores.

Windows - Preguiçosos e usuários comuns, algumas facilidades quanto a gestão, isso já na área de Servidores, o AD por exemplo.

Enfim a existência de ambos é necessária, e já a utilização vai da necessidade de cada um.

[24] Comentário enviado por nicolo em 11/04/2012 - 08:13h

Alguns profissionais de informatíca, se apegam ao Linux resultando um pensamento grupal de devotos de um ídolo ou do medo de ser xingado.
Seria mais lucrativo aos profissionais a frieza do cérebro, em lugar das paixões do coração.

O Linux, enquanto GNU-LINUX é tecnicamente uma obra de grande relevância.
As distros, enquanto montadoras de software são, do ponto de vista de marketing e GERENCIAL, uma bagunça, onde sobram as variedades e faltam padrões mínimos de disciplina.

Distros são produtos de massa e os doutos gerentes da distros tem a visão dos poetas. Isso é bom para a arte e uma catástrofe empresarial.

A competência gerencial e de marketing, para entender o cliente, transborda na Microsoft e é um deserto nas instituiçõs que administram as distros. Quando a coisa cresce é imperativo para a continuação do crescimento um mínimo de competencia gerencial- empresarial.
Por exemplo: O carrinho de bananeiro do velho Matarazzo não teria se transformado em uma mega grupo empresarial se o vecchio comendatore não fosse um gênio empresarial. O mosquitinho Linux não vai se transformar num "SO for human beings" não tiver um mínimo de competência empresarial e gerencial nas distros.

[25] Comentário enviado por nicolas.cb em 11/04/2012 - 08:51h

Desktop Linux avançará quando se estabilizar no mercado coorporativo.
Mas aí envolve muitas questões...

Cito duas:

1 - Tirar a ideia do JANELAS dos funcionários (Para evitar chamado de usuário perguntando cadê o botão iniciar).
2 - Compatibilidade com serviços prestados a outras empresas, equipamentos e etc. (Ex. Trabalho em uma empresa que dá suporte a PABX Siemens, TODOS os softwares que aqui utilizamos, nenhum é compatível com Linux, a dificuldade ficaria maior por conta desses detalhes e convenhamos que o Wine é um quebra-galho pra se fazer em casa);


[26] Comentário enviado por alefesampaio em 11/04/2012 - 11:00h

Engraçado nicolas.cb o que o Linux tem com isso ? vocês são clientes que pagam pelo software exija dela software compatível com Linux.

Porque Linux tem muito software compatível PABX só que especifico e visa atender as demandas mais quando se tratam de especificação devem se compra da empresa que estar desenvolvendo por exemplo trabalho em supermercado onde utilizamos Linux na frete de loja para vender esse software foi feito sobre medida para essa empresa assim devem proceder quem querem software específicos velho ditado "Tor Pagando" deve prevalecer neste casso.

[27] Comentário enviado por removido em 11/04/2012 - 11:03h

Se alguém tivesse dado mais atenção ao kurumin quando este estava no auge, a história poderia ter sido outra.

Mas a cada ano a coisa melhora. Está tudo ficando mais bonito, mais estável, mais usável e com mais suporte e opções.

O KDE e o GNOME de cinco anos atrás são irreconhecíveis se comparados com o qua há hoje.

A Corel turbinou o desenvolvimento do Wine, que consegue maravilhas.

Agora existem meios de se rodar outro S.O. de forma embutida, como o projeto Xen, KVM, Qemu, VirtualBox, tudo uma maravilha!

A surpresa maior seria se um dia incorporassem formato de executáveis "PE" nativo no kernel e implementassem parte do Wine no próprio Kernel.

Abusando ainda mais: imaginem o Linux como um canivete suiço rodando tudo que é coisa de outros sistemas nativamente?

Um começo menos ousado seria o estudo dos sistemas DOS para rodarem nativamente.

Seria melhor criar interrupções postiças de redirecionamento ou indo como implementação de módulo com algum hack daria mais certo?

Falando à parte da serventia, como exercício teórico seria interessante.

[28] Comentário enviado por phrich em 11/04/2012 - 11:44h

bakunin, acredito que o Linux seja como "Matrix", quando vc vê a verdade, tudo se torna fácil...

nicolas.cb, para o Linux entrar em Desktops corporativos, basta a iniciativa de pessoas e empresas de softwares, que no momento é o maior obstáculo.

alefesampaio, concordo com vc, acredito que se as empresas que compram softwares exigissem software para Linux, eles não iriam querer perder cliente.

Listeiro 037, O Kurumim foi um bom projeto, todavia acho que faltou um pouco mais de criatividade com o passar do tempo, acho que por isso que o projeto foi meio que abandonado pelos usuários, ainda mais com a chegada do Ubuntu...

[29] Comentário enviado por albfneto em 11/04/2012 - 14:00h

concordo com o artigo, gostaria de comentar apenas sôbre os vírus.
o artigo trata de linux no desktop.
em um desktop, os vírus linux são práticamente sem importância.
Os rootkits linux são bastante raros. em 5 anos de linux, jamais ví um, ou recebi um!
aqui no vol, conheço só um caso, veja este post e os links dele:

http://www.vivaolinux.com.br/topico/Linux-cientifico/antivirus-pra-linux

mesmo assim era um servidor e não um desktop.


[30] Comentário enviado por removido em 12/04/2012 - 11:30h

Respondendo a phrich: O Kurumin foi encerrado quase na mesma época, mas um pouco antes do Ubuntu virar febre.

O mais importante do projeto era que ele procurava ser usável nos computadores brasileiros.

A começar pelo softmodem. Prá quem não conhecia como fazer aquela coisa funcionar, com suporte diverso e com a fama de sistema difícil, foi uma maravilha!

Não tinha nenhum magnata excêntrico alavancando pelo que eu saiba.

E se a Canonical tiver que mudar de política?

Será que acontecerá o que acontece com os projetos em que uma empresa deixa o projeto como livre, depois cria um produto pago e por fim retira o apoio quando está bem maduro e com a tecnologia dominada?

[31] Comentário enviado por matiasalexsandro em 14/04/2012 - 13:19h

bom artigo, também passo por isso mas é por causa de sites como VOL que ainda da causa linux.

[32] Comentário enviado por paulorvojr em 16/04/2012 - 00:12h

Mudar o nome do site para VIVA A DISCUSSÃO WININUX.....

Sem ler o artigo, pelo trabalho que deve ter dado, eu o parabenizo, sempre é bom se expressar. Obrigado pela contribuição

Mas por favor, continue com os outros temas que você ja fez brilhantemente... eu, você e muitos, vamos criar artigos de serviços, servidores, softwares....

querem discussão? vão pra fórum que o pariu. =D, fórum é lugar de discussões.

@paulorvojr


[33] Comentário enviado por alefesampaio em 17/04/2012 - 21:56h

paulorvojr pelos seus artigos escritos neste site a qual sou um grande leitor... mais não posso deixar de questionar sua atitude ate porque artigo não e o seu.. esse tipo de questionamento e debates só demostra os conhecimentos nítidos de cada um... uma coisa que podemos questionar são os artigos agora questionar as discussões que são aberta pelo artigo e no mínimo anti-ético.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts