Integração Windows & Linux com Samba

Vamos conhecer neste artigo a origem, instalação, configuração e objetivo do software Samba. Artigo com o objetivo de demonstrar a funcionalidade do software Samba e suas principais características, para iniciantes e experientes.

[ Hits: 42.173 ]

Por: Flávio Secchieri Mariotti em 05/03/2008 | Blog: http://flaviosmariotti.blogspot.com/


Configuração do smb.conf



O Samba pode ser configurado de inúmeras formas, adequando-se a praticamente qualquer tipo de ambiente, pode ser usado como servidor de arquivos, impressão ou até mesmo ambos.

O arquivo é divido em seções tais como [global], [home] e [printers] que podemos destacar como as mais importantes.
  • [global] os parâmetros passados para essa seção definem o comportamento do aplicativo.
  • [home] são definidas as permissões padrão para os diretórios de usuários quando montados a partir de computadores em rede para usar os recursos de compartilhamento.
  • [printers] temos a definição de permissão de acesso as impressoras compartilhadas pelo servidor Samba.

Vamos montar um arquivo para entender melhor como funciona esse software.

# vi /etc/samba/smb.conf

[global]
   Workgroup = GRUPO
   Hosts allow = 10.0.0. 127.0.0. 192.168.1. 192.168.2.
   Server string = Servidor Samba
   Printcap name = /etc/printcap
   Load printers = yes
   Log file = /var/log/samba/log %m
   Max log = 50
   Debug level = 1
   Security = server
   Password server = 127.0.0.1
   Encrypt passwords = yes

Vamos agora entender o que significa esses parâmetros, quais comportamentos foram definidos e algumas outras opções de configuração.
  • Workgroup: Este parâmetro define o nome do grupo de trabalho.
  • Host allow: Neste parâmetro definimos as máquinas ou grupo de subclasses que terão autorização para conectar a este servidor.
  • Server string: Define o nome do servidor Samba.
  • Printcap name: Especifica o direcionamento do arquivo de define as impressoras.
  • Load printers: Esta diretiva sinaliza ao servidor Samba para realizar a carga automática da lista de impressoras ao invés de optar pela carga individual de cada uma delas. Esta lista é obtida do arquivo printcap.
  • Log file: Cria um arquivo log especificando todos os usuários que conectaram a este servidor, descrevendo todas as solicitações feita pelo o mesmo.
  • Max log size: Define o valor máximo em KB que o arquivo log pode ter.
  • Debug level: Define o nível de debugação do arquivo log, o recomendável é um, temos como opção 0, 1 e 2.
  • Security: Este é um parâmetro muito importante, pois define o modo de segurança em que o servidor Samba irá operar. As opções possíveis são share, user e server. Na opção share, o cliente se autentica separadamente para cada recurso que desejar acessar. A senha é enviada para cada solicitação de acesso. Já na opção user o cliente envia o nome do usuário e a senha, sendo assim neste momento o servidor ainda não sabe qual a solicitação, sendo que se o usuário for validado ele terá acesso conforme as definições de acesso do seu próprio usuário. A opção server envia o servidor de senhas para identificação, assim podendo usar os usuários de outros servidores como SMB.
  • Password server: Este parâmetro será usado somente no caso do security ser definido como server, assim aqui definimos o endereço IP do servidor SMB que irá autenticar os usuários.
  • Encrypt password: Define se as senhas serão transitadas usando o critério de criptografia.

Com esses parâmetros podemos compreender os principais recursos da sessão [global], vamos agora compreender como compartilhamos um diretório, usando a sessão [home].

Vamos criar um diretório a ser compartilhado.

# cd /
# mkdir flavio


Agora vamos configurar o smb.conf para compartilhar o diretório criado acima.

# vi /etc/samba/smb.conf

[flavio]
   Comment = estou compartilhando este diretório
   Browseable = yes
   Writeable = yes

Existem diversos parâmetros que podem ser usados para uma melhor customização do seu compartilhamento, usamos três dos principais parâmetros da sessão [home], o parâmetro de comentário, o parâmetro que define se o diretório poderá ser visualizado e a parâmetro que define se poderá ser escrito algo sobre ele.

Na sessão de impressora, caso o servidor seja um servidor de impressão, vamos definir a mesma de forma que libere todas as impressoras para uso na rede, tal qual definida no parâmetro host allow na sessão [global].

# vi /etc/samba/smb.conf

[printers]
   Comment = todas as impressoras
   Path = /var/spool/samba
   Browseable = yes
   Guest ok = yes
   Writable = no
   Printable = yes

Assim definimos que todas as impressoras instaladas no servidor serão usadas e visualizadas na rede.

Conclusão

Podemos concluir então que para montar um servidor Samba basta alterar poucos parâmetros do software, claro que este artigo não aborda todos os recursos do aplicativo, mas certamente alguns principais parâmetros de configuração para subir um servidor Samba.

Amigos, espero que tenham gostado, qualquer sugestão ou dúvidas posso ser constatado no meu email [email protected] ou no meu blog:
Bom divertimento e até a próxima.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Como surgiu o Samba?
   2. O pacote Samba
   3. Configuração do smb.conf
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Migrando servidores Linux para autenticação LDAP

Gerando arquivos PDF através do SAMBA

Configurando Samba e Windows XP

Ferramenta samba-vscan: antivírus nos compartilhamentos do Samba

Enrolado para configurar o Samba? Chame o SWAT

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Pianista em 05/03/2008 - 11:45h

Curto e grosso! otimo artigo! Parabéns!

[2] Comentário enviado por cassimirinho em 05/03/2008 - 11:55h

Valeu flaviao...

[3] Comentário enviado por cjba em 05/03/2008 - 14:24h

VALEW!!!... VO PRECISA MUITO DISSO, POIS SOU INICIANTE!!!!

[4] Comentário enviado por jeferson_roseira em 05/03/2008 - 15:14h

Cara muito bom o artigo

parabéns

Estou no aguardo dos outros artigos para adm de redes

[5] Comentário enviado por cassimirinho em 05/03/2008 - 15:17h

Flávio, fiz os testes com o smb.conf que você me enviou e não consegui acessar.
É visualizado no ambiente de rede do windows xp como media em servidor linux, mas ao tentar entrar fala que não tenho acesso e blá blá blá

[6] Comentário enviado por laudir_pinheiro em 05/03/2008 - 15:39h

Cara um dos melhores artigos , Parabéns véio...

[7] Comentário enviado por elfou em 06/03/2008 - 13:09h

Good man, isso é muito bom, curto e claro.

[8] Comentário enviado por marujo em 06/03/2008 - 20:03h

rpz.. legal o artigo, mas assim ficou faltando algumas coisas que eu considero importante, vou complementar com alguns poucos pormenores... Amigo "cassimirinho", vc nao teve permissao por que precisa especificar a permissao tbm no diretorio criado no sistema, o samba gerencia parcialmente o acesso a diretorio, para solucionar seu problema, eh possivel por exemplo usar...

#chmod 660 -R dir_criado

Ou ainda mudando o dono do diretorio, caso tenha sido criado com root, e ainda especificado no smb.conf na tag security como share, e colocar ainda nas configuraçoes de diretorio algumas outras tags especificas para compatilhamento completo,como foi colocado(guest ok = yes) por falar na tag security, ainda eh possível usar ADS, para inserçao do samba em um dominio AD(Active Directory Win3k), ou ainda Domain para inserçao do samba em um dominio Samba/PDC Linux... Logico que para uso dessas, eh preciso configurar o smb.conf adequadamente para este fim, enfim, sao soh ratificaçoes importantes que acho que ajudarao no artigo...

[9] Comentário enviado por flavio.mariotti em 06/03/2008 - 21:32h

Olá amigos,

Primeiramente quero agradecer a participação de todos tanto com elogios, criticas e sugestões, saibam que todos são muito bem recebidos.

Sobre esquecer de alguns detalhes na verdade não é bem esquecer, mas tento em meus artigos focar as principais funções.

Bom complementando o comentário do marujo no caso podemos também tratar a permissão do diretório classificado na security como share da seguinte maneira.

No lugar de:

[flavio]
Comment = estou compartilhando este diretório
Browseable = yes
Writeable = yes

Incluir os seguintes parâmetros.

[flavio]
Comment = estou compartilhando este diretório
Path = /flavio
Browseable = yes
Writeable = yes
Force user = root
Force group = root
Create mask = 0666

Assim estamos forçando o acesso com o usuário root e determinando as permissões do diretório.

Qualquer duvida podem entrar em contato pelo MSN encontrado no meu blog. http://fsmworldlinux.blogspot.com

Atenciosamente,
Flávio Secchieri Mariotti
Analista de Sistemas

[10] Comentário enviado por comfaa em 02/10/2008 - 09:30h

maneiro esse artigo cara, parabéns

[11] Comentário enviado por flavinho0o em 03/10/2008 - 10:35h

Um bom artigo, me auxiliará na implantação de um servidor de arquivos e usuario.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts