Inicialização e interrupção do sistema (Debian)

Tenho visto muitas dúvidas e perguntas sobre como colocar um script ou um aplicativo para iniciar no boot. Tenho visto algumas respostas que apesar de funcionarem, não creio que sejam a melhor alternativa para alguns casos. Por isso resolvi escrever esse artigo, tentando explicar o processo de inicialização e interrupção do Linux.

[ Hits: 38.885 ]

Por: Geraldo José Ferreira Chagas Júnior em 02/04/2008 | Blog: http://prginfo.blogspot.com


Introdução



A distribuição

As informações contidas neste artigo são referentes a distribuição Debian. Isso não significa que não funcione em outras distribuições, porém nem todas usam o mesmo processo de inicialização, algumas usam o mesmo paradigma porém mudam os diretórios ou os nomes dos scripts.

Sendo assim, se o que for escrito for entendido, será possível manipular o processo de inicialização de uma grande variedade de sistemas do Linux. Como é o caso do Red Hat / Fedora que basicamente altera apenas o path dos arquivos que aqui serão mostrados, ou o caso do BSD onde o processo de inicialização varia de uma forma mais acentuada.

Inicialização do PC

Os PCs se iniciam examinando o primeiro setor do primeiro cilindro da unidade de inicialização, executando o código lá encontrado. É dessa forma que os gestores de início como o Lilo e o Grub são carregados, eles são gravados nesta parte do disco sendo assim executados e cumprindo suas funções. Esta forma de inicialização também é usada em outros hardwares e versões do Unix. A unidade de inicialização e a ordem de busca, dos dispositivos, a ser seguida, caso o código de início não seja encontrado, normalmente é configurada na Bios do equipamento.

A inicialização do Linux

No boot do Linux, após o Kernel ser carregado, é usado o init, além de uma estrutura de diretórios de script associados parecida para iniciar a execução do sistema e os processos de carregamento.

Vale lembrar que apesar desse método estar se tornando padrão no mundo Linux - por ser fácil, poderoso e flexível - algumas distribuições, principalmente distribuições antigas, ainda usam esquema de inicialização diferentes. Apesar de diferentes muitas vezes eles mantém uma semelhança, como é o caso do OpenLinux, que usa um sistema de inicialização onde a diferença está apenas nos nomes dos scripts.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Processo de inicialização
   3. Diretórios rcX.d
   4. Níveis de execução
   5. Como interromper o sistema
   6. Notas finais
Outros artigos deste autor

X Window, Controladores de Janelas e Ambientes Desktop

Instalando e configurando o aMule (Debian)

Linvox - Sistema Linux voltado para deficientes visuais

Configurando Servidor de Nomes - DNS (Debian)

Vírus de computador e criação de um vírus em C/C++ (parte 1 - básico)

Leitura recomendada

Por que há mais vantagens em usar o Linux

O incrível universo das PPA's do Ubuntu

Como gerenciar permissões no Linux

Instalando Free Pascal Compiler no Ubuntu

O Projeto GNU e o Linux: Uma combinação de sucesso

  
Comentários
[1] Comentário enviado por exercitobr em 03/04/2008 - 08:55h

Muito interessante e bem explicado, parabéns!

[2] Comentário enviado por Andre_A_Ferreira em 03/04/2008 - 09:18h

?comentario=Excelente contribuição, as vezes precisamos entender simples funcionamento para desenvolver complexos sistemas.
Parabéns.

[3] Comentário enviado por brnlino em 04/04/2008 - 12:53h

Show de bola esse seu Artigo,
ainda irei criar uma artigo nesse nivel.


Parabens mesmo.

[4] Comentário enviado por .pedrao em 23/07/2008 - 09:07h

Muito bom mesmo cara...aliás, muito bom é pouco, eu tava precisando muito destas informações e tava difícil de encontrar...
Brigadão ae.. de verdade!!! XD


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts