Estudo comparativo de alguns gerenciadores e aceleradores de download

O presente artigo traz um estudo comparativo de alguns dos principais gerenciadores e aceleradores de download.

[ Hits: 50.422 ]

Por: Alberto Federman Neto. em 02/06/2010 | Blog: https://ciencialivre.blog/


Análise dos resultados e discussão



A) Instalando FITYK

Para a Análise Matemática (agradecimentos a Marco Aurélio Sichirolli Lavrador, Prof. da USP, Matemático) dos Dados, foi usado o pacote de ajuste de curvas FITYK.

Embora não estivesse previamente instalado no Mandriva, foi usada a versão 0.8.9, rodando direto a partir do Live CD do Linux Científico Brasileiro (da Universidade de Rio Grande), Poseidon 3.1.

Desejando instalar a versão nova (0.9.2, de 7/5/2010 ou seus "nightly builds"), procure-a nos repositórios (por exemplo, existe no Portage do Gentoo) ou baixe-a para sua distro, a partir do endereço:
ou usando o código-fonte compilável da própria Home-Page, ou baixado via SVN e instalado com os comandos:

cd /
$ cd /home/Desktop/usuario/pacotes
$ sudo svn co https://fityk.svn.sourceforge.net/svnroot/fityk/trunk fityk
$ cd fityk
$ sudo chmod +x autogen.sh
$ sudo sh autogen.sh
$ make
$ sudo make install


A instalação necessita dos pacotes dependências xylib e gnuplot/.

O FITYK é um pacote livre e de código aberto, fácil de usar, para ajuste de retas e curvas Analíticas ou para aplicações científicas.

B) Plotando os dados:

Para avaliação (Figura 1) as velocidades médias de download em função do tempo (para todos os protocolos de download usados, exceto os pouco reprodutíveis como Orbit e GGet) foram tabeladas e depois plotadas no FITYK.

No eixo vertical (y), o tempo, de 0 a 10 minutos e no eixo horizontal (x) as velocidades (em Kb/ps).

Por Análise Matemática, verificou-se que após a estabilização da velocidade (entre 255 e 366 Kb/ps) o tempo de download se torna uma função aproximadamente linear da velocidade, ou tendendo a ser linear fora dos extremos da faixa (como representado na Figura 1, em Branco).
Linux: Estudo comparativo de alguns gerenciadores e aceleradores de download.
Por outro lado, em velocidades baixas ou não estabilizadas, abaixo de 155 Kb/ps e principalmente entre 230 e 254 Kb/ps, o download é extremamente sensível e intervém um grande número de fatores variáveis inter-relacionados e dificilmente isoláveis (visível na Figura 1, em Vermelho).

Aplicou-se à plotagem, por tentativa e erro, vários tipos de curvas para encontrar o ajuste melhor e verificou-se que a mais próxima, com menores erros, é uma função tipo Lorentziana (na Figura 1, em Amarelo, e abaixo, próximo ao eixo horizontal, em Vermelho), como é comum acontecer com outros fenômenos multivariáveis.

Neste distribuição de Cauchy-Lorentz ocorre a existência apenas de uma "região de probabilidade, ou de uma densidade de probabilidade", necessariamente sem média e nem desvio padrão definidos, ao contrário das distribuições normais mais comumente encontradas na prática como a Linear e a Gaussiana.

Em distribuições Lorentz, torna-se inútil calcular uma média ou desvio padrão.

Para corrigir a curva, buscar os pontos melhores, reduzindo o número de pontos errôneos e descartando as medidas menos exatas, foi aplicado um método tipo Simplex (Algoritmo Nelder-Mead.

Métodos Simplex são recomendados principalmente para processos com grande número de variáveis não controláveis, como é o caso dos downloads.

O Simplex ajustou a curva com diferença entre a curva grosseira média e a ideal de apenas 9,7 X 10 a -5, com uma confiabilidade aceitável para um Simplex, de 86,9 %.

A Figura 2 mostra (em Verde) a curva depois de corrigida pelo Simplex:
Linux: Estudo comparativo de alguns gerenciadores e aceleradores de download.
c) Análise e discussão:

Estes dados sugerem, como esperado, que o tempo de download é variável e muito instável quando a velocidade não é constante. Quando ela se estabiliza, o tempo de download se torna mais constante tendendo o download a ser mais rápido quanto maior a velocidade.

Vê-se também que os diversos protocolos e métodos de download, seja em Windows como em Linux, podem ser comparados.

Ainda observando-se os downloads, pode-se ver que os aceleradores de download não são muito eficientes em banda larga, ao menos nas condições dos experimentos.

Por exemplo o clássico wget, gerencia os downloads com velocidade comparável aos aceleradores.

Testes com Internet discada não foram feitos, pois não possuo no computador, no momento, modem para conexão discada.

Os auxiliares (gerenciadores e aceleradores de download), observados do ponto de vista semi-quantitativo, são similares em performance e eficiência, com pequeno favoritismo de Aria2 e Prozilla, ligeiramente mais rápidos.

Os resultados não conclusivos de Orbit e de GGet podem não indicar ineficiência desses aceleradores, mas simplesmente que a Rede poderia não estar estável no momento do download. Contudo, para uma avaliação mais rigorosa, outros testes deverão ser feitos, usando somente esses dois aceleradores, comparando-se com condições não aceleradas.

Cabem aqui observações acerca do Filezilla. Este é um interessante cliente FTP a moda antiga, que loga o usuário como anônimo, usando o endereço de email completo como senha. Clientes como esse eram muito usados nos primórdios da Internet, quando quase todos os downloads eram feitos a partir de servidores FTP.

Outra observação decorrente de meus Experimentos, é que ao menos nos espelhos do Gentoo na UNICAMP, não há grande diferença de velocidade entre entre os servidores FTP e os HTTP. Antigamente, os servidores FTP costumavam ser mais rápidos.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução, recursos computacionais, materiais e métodos
   2. Gerenciadores e aceleradores de download testados
   3. Resultados. Auxiliares de download para Windows
   4. Resultados. Auxiliares de download para Linux
   5. Análise dos resultados e discussão
   6. Conclusão
Outros artigos deste autor

Sabayon completo, personalizado e portátil, em pendrive de boot

Utilização de Webcams Antigas no Sabayon Linux com Kernel 5.7 - 2020

Alternativas ao Google - Sites de busca e motores de procura

Como criar pacotes para o Gentoo ou Sabayon Linux

Fish - Um shell fácil de usar

Leitura recomendada

Configurando sua placa wireless no Linux

SIPREV - Gestão RPPS

Rodando aplicações nativas de Windows em Linux pela Web

EyeOS - Mini Sistema Operacional nas Nuvens

Roteando duas sub-redes com servidores

  
Comentários
[1] Comentário enviado por julio_hoffimann em 02/06/2010 - 08:18h

Parabéns Alberto!

Um dos melhores artigos que tive a oportunidade de ler aqui no VOL desde o meu cadastro. Muito bom o detalhamento dos materiais usados no estudo, os tópicos muito bem encadeados e o enfoque científico que você deu foi demais. A comunidade poderia seguir esse estilo de artigo pois é muito mais elucidativo e não deixa dúvidas de que o VOL é um dos melhores sites, se não o melhor site brasileiro de conteúdo profissional no mundo Open Source.

[2] Comentário enviado por rrafael em 02/06/2010 - 09:37h

Muito bom mesmo!! Fiz o testa em minha rede e esta aprovado.

[3] Comentário enviado por isaque_alves em 02/06/2010 - 09:51h

Informação assim sempre é bem vinda e merece aplausos.

Ótimo estudo, e finalmente, dados que podem ser usados para desmitificar os 'aceleradores de download'.

[4] Comentário enviado por dbahiaz em 02/06/2010 - 18:22h

Velho, muito bom os testes...Parabéns!

Ps: os links dos arquivos e do site speedtest esta quebrado, não conseguir acessar.

[5] Comentário enviado por removido em 02/06/2010 - 21:24h

Alberto, confirmo o que o Dbahiaz disse com relação aos links.

Instalei o DownThemAll depois de suas avaliações, e como você disse, para quem tem banda larga é um excelente add-on para a raposa. Perfeitamente configurável. Nota 99,99 por causa dos links quebrados. :)

Parabéns pelo artigo Alberto, mais uma vez arrebentou!!!

[6] Comentário enviado por cvv em 03/06/2010 - 23:30h

Não li o estudo, li apenas a conclusão.

Mas tenho o Free Download Manager e Orbit, uso Windows XP Professional 32 bits SP3, e nunca ouve, pelo menos percebitível, diferença alguma entre os dois.

Uso os dois simplesmente por um ter recursos que o outro não possui. Por exemplo, o Orbit é excelente para baixar vídeos, porém, o FDM é mais configurável, pois tem botões que ajustam a conexão à três estados distintos.

Portanto, quando preciso baixar algo grande, prefiro o FDM, pois se alguém aqui em casa reclamar da rede, posso ajustar meu consumo com apenas um clique. Mas quando vou baixar um vídeo, uso o Orbit já que é mais confortável.

abraços

[7] Comentário enviado por raulgrangeiro em 04/06/2010 - 10:12h

Muito bom! Foi um bom estudo!

[8] Comentário enviado por Teixeira em 05/06/2010 - 13:44h

Albfneto mais uma vez de parabéns.

[9] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 07/06/2010 - 15:08h

Alberto,

Nos velhos tempos de windows e conexão discada, fazia sentido pelo menos para o meu caso o uso de aceleradores de download como o DAP.

Ao passar de vez para o linux, passei também a usar apenas uma conexão por vez para não sobrecarregar os servidores, seguindo a recomendação geral das distros Linux. Achei muito interessante seu artigo, principalmente por demonstrar que no caso de conexões banda-larga não ocorrem grandes diferenças.

Isto até faz sentido porque, nos tempos de conexão discada, até mesmo o uso do ping para manter a conexão ativa provocava grandes diferenças na velocidade de download, mesmo sem estar usando algum acelerador de download.

Atualmente, no caso das conexões 3G, talvez volte a ser aplicável algum acelerador. Tenho notado que as conexões 3g sofrem do mesmo mal que as velhas conexões discadas, onde em alguns momentos o provedor simplesmente nos "esquece". Por esta razão usando o ping para "chamar" a conexão de volta, tem demonstrado ser uma boa alternativa.

Excelente artigo!!

[10] Comentário enviado por albfneto em 08/06/2010 - 17:18h

ERRATA DO ARTIGO:

1) Sôbre os links quebrados, faltou o fechamento do código HTML da URL.

Onde se lê:

"Velocidade checada, no dias das medidas, pelo método do site http:www.speedtest.netSpeed-Test. "

O correto é:

"Velocidade checada, no dias das medidas, pelo método do site [url:http://www.speedtest.net] Speed-Test [/url]. "

portanto para acessar, clique em http://www.speedtest.net

2) Sôbre os links quebrados dos arquivos, no texto está citado...

trata-se dos Stages de Gentoo, do dia 20 de Abril, os que foram usados nos testes no dia, portanto, como os Stages de Gentoo mudam diáriamente, é óbvio que os do dia 20 de Abril, não existem mais, são obsoletos!

quem reproduz os testes do artigo, deve empregar os Stages atuais!

[11] Comentário enviado por albfneto em 24/03/2011 - 18:44h

COMPLEMENTOS DO ARTIGO:


Atualizado em 16 de Setembro de 2013:

1) Um novo gerenciador de downloads que estou testando, WX Download Fast:

http://dfast.sourceforge.net/index-br.html

2)FatRat é um gerenciador completo, que pode baixar desde ISOs, até torrents e arquivos de RapidShare, Megaupload etc...

http://fatrat.dolezel.info/

3) Este é um outro artigo, aqui do VOL, sôbre gerenciadores de downloads:

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Um-tour-pelos-gerenciadores-de-downloads-uploads-do-Linux

4) Este é o meu outro Artigo, sôbre Acelerador de Downloads FlashGot e outros:

http://www.vivaolinux.com.br/dica/FlashGot-Usando-aceleradores-de-download-sem-precisar-de-linha-de-...

5) Este é novo, o FlareGet:

http://www.vivaolinux.com.br/dica/FlareGet-O-Orbit-do-GNULinux

6) Semelhante ao FlareGet, mas funciona em todas as distros: XDM -Xtreme Download Manager:

http://sourceforge.net/projects/xdman


Contribuir com comentário