Entenda o XML - Parte 1

A linguagem de marcação extensível (XML) é usada para os mais diversos fins e seu entendimento é relativamente fácil, pois o XML é um formato bastante intuitivo. Neste artigo vou apresentar uma visão geral desta tecnologia, sua importância e alguns exemplos de uso.

[ Hits: 8.675 ]

Por: Hugo Cerqueira em 09/10/2015


Exemplos de uso do XML



As possibilidades de uso do XML são inúmeras, limitadas quase que somente pela imaginação. Por este motivo não poderei citar todos os casos de uso deste padrão. Ainda assim vou citar alguns exemplos relativamente conhecidos. Talvez você se surpreenda ao ver o quanto o XML faz parte do seu dia a dia.

Open Document Format (ODF): formato de documentos abertos para aplicações de escritório. Os arquivos ODF (ODT, ODS, ODP e ODG) nada mais são do que um pacote contendo arquivos XML, que determinam a estrutura do conteúdo do documento. Exemplos de aplicações que interpretam e trabalham com esses documentos são LibreOffice e Apache OpenOffice.

Scalable Vector Graphics (SVG): formato aberto para desenhos e gráficos vetoriais. Exemplos de aplicações que interpretam e trabalham com esse tipo de XML são Inkscape, Corel Draw, Adobe Illustrator e a maioria dos navegadores Web modernos.

Really Simple Syndication (RSS): formato para agregação de conteúdo Web, usado por programas agregadores para acompanhar blogs e sites de notícias. Exemplos de ferramentas que interpretam e trabalham com esse tipo de XML são Liferea, Akregator, Mozilla Firefox e Mozilla Thunderbird.

Electronic Publication (ePub): formato amplamente utilizado para livros eletrônicos (e-books). Exemplos de ferramentas que interpretam e trabalham com esse tipo de XML são Calibre, Google Books, Amazon Kindle e Apple iBooks.

Nas referências cito uma página da Wikipédia contendo uma longa lista de usos do padrão XML. Além de todos esses tipos de XML, a linguagem também é frequentemente usada como complemento para o HTML, provendo o conteúdo da página dinamicamente.

É importante lembrar que embora existam aplicações para trabalhar com tipos específicos de XML, todo XML pode ser aberto por um simples editor de texto, já que é um arquivo de texto simples. Em algumas situações, isso pode ser bastante útil.

Conclusão

Não é difícil perceber a versatilidade da linguagem XML. Há inúmeras aplicações que trabalham com esse padrão e muitas ainda continuam surgindo. Portanto entendê-la é fundamental para desenvolvedores e também muito útil em outras profissões de TI, já que muitos arquivos de configuração de sistemas são XML.

Como sugere o título deste artigo, esta é apenas a parte 1. No próximo artigo vou explicar as regras básicas do padrão XML.

Referências


Página anterior    

Páginas do artigo
   1. O que é o XML
   2. Exemplos de uso do XML
Outros artigos deste autor

Entenda o XML - Parte 3

Entenda o XML - Parte 2

Modelos de Negócio para o Software Livre

psql - Conheça o básico

Acessibilidade na Web

Leitura recomendada

Instalando plugin do Java no Firefox 0.8

Instalando Adobe Flash 10 em distros amd64 (Ubuntu, Mandriva, Fedora)

EditorConfig - Padronização de código para seus projetos

Symbaloo para uso em Química e Pesquisa Científica

Entenda o XML - Parte 2

  
Comentários
[1] Comentário enviado por lopesjv em 10/10/2015 - 11:27h

Essa linguagem é incrível, assim como o HTML e CSS dá para usar onde menos se esperar
Até o menu do gerenciador de janelas Openbox é feito utilizando XML


Contribuir com comentário