Entenda o XML - Parte 1

A linguagem de marcação extensível (XML) é usada para os mais diversos fins e seu entendimento é relativamente fácil, pois o XML é um formato bastante intuitivo. Neste artigo vou apresentar uma visão geral desta tecnologia, sua importância e alguns exemplos de uso.

[ Hits: 8.285 ]

Por: Hugo Cerqueira em 09/10/2015


O que é o XML



XML significa eXtensible Markup Language (linguagem de marcação extensível, em português). Como diz o nome, é um padrão baseado em marcações, tal como o HTML, porém com a vantagem de ser extensível. Extensível, neste caso, significa que o padrão pode ser usado para múltiplos propósitos.

Há, no entanto, um propósito em comum para todos os arquivos XML: armazenar e/ou transportar dados estruturados, sejam eles quais forem. Em geral, este tipo de documento é bastante intuitivo, e mesmo uma pessoa que não conhece bem o padrão não terá grandes dificuldades para interpretá-lo.

O padrão XML é mantido e recomendado pelo World Wide Web Consortium (W3C). Ele é derivado de um outro padrão, chamado Standard Generalized Markup Language - SGML. O XML foi criado por ser um padrão mais adequado para uso na Web, muito embora não seja usado exclusivamente para a Web.

Por que o XML é importante

Se o homem já passou pela idade da pedra e pela idade do bronze, podemos dizer que hoje está na idade do XML. Boa parte das tecnologias que usamos hoje são sustentadas e movidas pelo XML. Como expliquei no tópico anterior, o XML é um formato que atende a múltiplos propósitos, como processamento de textos, notas fiscais, dados georreferenciados, configurações dos mais diversos sistemas e tudo mais que seja possível imaginar.

O XML pode ser usado para transferir informações de uma pessoa para outra, de uma máquina para outra, de uma pessoa para uma máquina e vice-versa. Por ser independente de plataformas (tanto software como hardware), o XML oferece como uma de suas vantagens a interoperabilidade. Isso significa que um mesmo documento pode ser lido e interpretado por sistemas completamente diferentes, criados com tecnologias diferentes e sendo executados em equipamentos diferentes.

Como o XML funciona

Um arquivo XML é apenas um documento, ou seja, ele em si não faz nada. Mas sua estrutura permite que aplicações interajam com o conteúdo do documento de forma padronizada. Não entendeu? Calma, vou explicar em detalhes.

O W3C mantém a especificação da tecnologia XML (vide referências no fim do artigo). Nessa especificação consta não apenas a sintaxe XML, mas também a maneira como o XML deve ser interpretado pelas aplicações. Essa interpretação deve gerar uma estrutura que obedece o padrão conhecido como Document Object Model - DOM (modelo de objetos do documento, em português).

O DOM é um padrão de acesso e modificação de arquivos XML que pode ser implementado em diversas linguagens de programação, como JavaScript, C++, Java, Python, PHP, Ruby, etc. Ele é representado por uma estrutura de árvore em que cada nó tem atributos e métodos padrão, que o programador deverá usar para navegar pelo documento e modificar sua estrutura.

Como você pode ver, a tecnologia XML é apenas uma especificação, mas na prática ela funciona por meio das aplicações que fazem uso dessa especificação.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. O que é o XML
   2. Exemplos de uso do XML
Outros artigos deste autor

Acessibilidade na Web

psql - Conheça o básico

Aprisionamento Tecnológico

Entenda o XML - Parte 3

Entenda o XML - Parte 2

Leitura recomendada

Entenda o XML - Parte 2

Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação

Acessibilidade na Web

Symbaloo para uso em Química e Pesquisa Científica

EditorConfig - Padronização de código para seus projetos

  
Comentários
[1] Comentário enviado por lopesjv em 10/10/2015 - 11:27h

Essa linguagem é incrível, assim como o HTML e CSS dá para usar onde menos se esperar
Até o menu do gerenciador de janelas Openbox é feito utilizando XML


Contribuir com comentário