Comparando desempenho de distros, arquiteturas ou ambientes gráficos - Método universal

Este artigo reporta um método universal para comparar desempenho de distros, ambientes gráficos e arquiteturas (32 e 64 bits), operando em condições de controle de variáveis, através do uso de boot em ambiente live-DVD.

[ Hits: 13.596 ]

Por: Alberto Federman Neto. em 29/05/2015 | Blog: https://ciencialivre.blog/


Discussão e conclusão



G. Discussão

Os sistemas Linux antigos de 32 bits, não reconheciam acima de 3 gigas de RAM. Para que reconhecessem, era necessário instalar um Kernel PAE:
Nos Linux novos, inclusive no Ubuntus posteriores ao 12.10, já há esse reconhecimento:
Distros de 32 bits, ainda são recomendadas para computadores com pouca memória RAM, abaixo de 4 Giga. Por isso, o ideal seria testar os dois Ubuntus, 32 e 64 bits, num computador com apenas 2 Giga de RAM, mas eu não tenho mais nenhum computador assim.

Também, alguns usuários e profissionais de TI reportam que aumentar muito a RAM não teria tanto efeito sobre a performance, exceto em certos jogos de 64 bits:
Comparei os resultados obtidos com 32 bits (Página 5, item D) e com 64 bits (Página 5, item E).

Em meus experimentos, notei muita diferença quando a CPU foi estressada (D.8 e E.9).

Em 32 bits, o micro ficava muito lento e praticamente não usável e em pouco tempo, cerca de 5 gigas da RAM (de 16) eram utilizados.

Em 64 bits, não. O micro não fica tão lento, fica usável e apenas cerca de 3 Giga de RAM são gastos. Inclusive, foi possível completar o trabalho "estressante", em batch (em 64 bits) sem precisar matar o processo.

Uma observação que a mim surpreendeu. Visualmente, o boot do live-DVD de 32 bits é consideravelmente mais rápido que o boot do DVD de 64 bits, além de que, aparentemente, o DVD de 64 bits é lido muito mais.

Esse fenômeno também é conhecido para Windows:
Atribuo isso a dois fatores: sistemas de 64 bits devem precisar mais RAM para carregar que os de 32 bits, além de que os programas de 64 bits são maiores, ocupam mais espaço e sabe-se que a leitura do HDD, ou do DVD, são relativamente lentas e funcionam como um "gargalo de funil" para os dados:
Eu selecionei testes e fiz experimentos onde 64 bits, me pareceu ter desempenho bem superior a 32 bits:
  • Teste Smallpt (valores menores são melhores) (Unidade: Score) - (241 (Ubuntu 32 bits); 133 (Ubuntu 64 bits).
  • Teste X264 (valores maiores são melhores) (Unidade: Frames por Segundo) - (105.99 (Ubuntu 32 bits); 120.76 (Ubuntu 64 bits). Condições padrão, sem OpenGL e sem modificar o driver de vídeo.
  • Teste C-Ray (valores menores são melhores) (Unidade: Segundos) - (57.83 (Ubuntu 32 bits); 34.07 (Ubuntu 64 bits).
  • Teste OpenSSL (valores maiores são melhores) (Unidade: Sinais por Segundo) - (122.03 (Ubuntu 32 bits); 505.20 (Ubuntu 64 bits).
  • Teste FFTE (valores maiores são melhores) (Unidade: MFLOPS) - (NÃO OBTIDO (Ubuntu 32 bits); 3816.25 (Ubuntu 64 bits).

Em Ubuntu 32 bits, não pode ser obtido o resultado do teste. Ele trava, não sei por que, tentei duas vezes.

Contudo, para comparar, um valor de literatura é: 1657,49 (para Ubuntu 13.04):
Mas, saliento que existem alguns testes Phoronix onde a performance seria praticamente igual. Exemplos: Tesseract (cálculo de hipercubo) e Xonotic (um jogo)
Interessante citar outros resultados obtidos pela própria Phoronix e outras empresas ou sites, tanto com Ubuntu 14.04, como com Ubuntu 14.10 e em micros semelhantes aos que eu usei:

Conclusão

Como se opera em somente em live-DVDs, sem instalar nada, disso implica poder-se controlar vários fatores e variáveis que poderiam influenciar, como programas instalados, HDD etc.

Distros diferentes, ambientes gráficos diferentes, 32 bits com 64 bits podem então ser facilmente comparados. Alguns exemplos, para que possa ser entendido:

Aqui no artigo, no método, dois Ubuntus, ambos com Unity, ambos na mesma versão, foram usados em boot live. Com isso, a única característica diferente, um é 32 bits e o outro, é 64 bits. Então pode ser comparados.

Num outro exemplo, suponha: se você usar 2 live-DVDs de Linux Mint, ambos 64 bits. Poderá comparar a característica diferente. Um é Cinnamon e o outro é MATE Desktop. Saber qual o mais leve.

Terceiro exemplo: duas distros, ambas 64 bits, ambas com KDE. Uma, Mageia e outra OpenMandriva. Saber qual dos dois é o mais pesado.

O método aqui proposto trabalha sempre em ambiente live-Boot, com a maior parte das variáveis iguais, controladas, assim, seria um método UNIVERSAL para testar distros.

E não é necessário instalar a distro no disco rígido, nem isso deve ser feito.

Assim, as variáveis de ambiente nas duas distros, nas duas arquiteturas, ou nos dois ambientes gráficos testados, serão praticamente as mesmas, em tudo comparáveis. Uma característica só poderia ser testada como um único fenômeno independente.

Sobre os resultados que obtive, pelo menos nas condições que experimentei e estudei, em micros com muita RAM, 64 bits parece ser bem vantajoso em relação à 32 bits, embora o boot possa ser algo mais lento em 64 bits.

Pelo que conferi em literatura, certos jogos e softwares gráficos tem desempenho parecido em 32 e 64 bits, mas sempre que estão envolvidas grande número de operações matemáticas pesadas, 64 bits parece ser bem mais vantajoso.

O ideal seria testar em computadores 64 bits de pouca memória RAM, mas não tenho como fazer isso no momento.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Procedimento prático
   2. Introdução
   3. Materiais e métodos
   4. Preparativos para realizar os experimentos
   5. Experimentos, testes e resultados
   6. Discussão e conclusão
Outros artigos deste autor

Symbaloo para uso em Química e Pesquisa Científica

Regulando o desktop para trabalhar em máxima performance

Como usar o Bugzilla do Sabayon

BOINC - Computação distribuída e aplicações científicas

Trabalhando com boot duplo ou múltiplo: estação para testes de sistemas operacionais

Leitura recomendada

Configurando o Vivozap HUAWEI EC325 no Linux

Usando um adaptador USB bluetooth no Slackware 10.2

Instalação da placa PXE Intelbras

Solução de problema em placa de rede Davicom Semiconductor (qualquer distro)

Custo-benefício dos computadores - Avaliação elementar

  
Comentários
[1] Comentário enviado por izaias em 29/05/2015 - 14:17h

Mais um grande artigo do mestre Alberto.

Favoritado!

[2] Comentário enviado por xerxeslins em 29/05/2015 - 14:50h

Interessantíssimo!

:)


--
Só digo uma coisa: num digo é nada. E digo mais: só digo isso.

[3] Comentário enviado por clodoaldops em 29/05/2015 - 16:52h

Vai ter muita gente usando este artigo para tese de mestrado em TI.
Eu só uso 32bits no netbook pq o processador é 32bits.
Belo trabalho!

[4] Comentário enviado por PX em 02/06/2015 - 17:12h

Legal, adoro beachs, faltou só testar o famigerado dual-channel rsrsr, queria saber se muda tanto com ou sem dual.
Quanto a memória RAM acho que muito ou pouca não modifica a performance por si só mas sim a latência e frequência e também o tipo - ddr2 para ddr3 tem bastante diferença ao meu ver - das mesmas assim como o dual channel, a menos que sejam jogos ou aplicativos "pesados" como Tera e Photoshop que possuem em ordem texturas e filtros aos montes.

Tem também o superpi:

versão linux >> http://ubuntuforums.org/showthread.php?t=60264

versão windows >> http://www.superpi.net/Download/


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts