Como tornar o Linux mais comercial em pequenas e médias empresas

Este artigo se concentra mais no aspecto comercial do que técnico. Nele discutiremos algumas aplicações que podem se transformar em propostas e consequentemente projetos Linux envonvendo programadores, administradores de sistemas e redes.

[ Hits: 25.523 ]

Por: Fernando Ferreira de Andrade em 25/02/2004


Introdução



Em meu primeiro artigo para esta comunidade, pretendo escrever algo mais comercial e não técnico, porque isso? Bem, as qualidades do Linux, não preciso citar aqui, mas como posso fazer com que um dono de pequena e média empresa que geralmente não sabe nada de informática saiba isso também? Existem muitas coisas que tornam esta tarefa difícil, vou citar alguma delas:

1. Pequenas e médias empresas quase nunca tem um profissional responsável pela área de informática, sendo assim quase sempre fazemos negócios com os donos delas, que nem sempre possuem conhecimento de informática.

2. A desculpa de que o Linux é gratuito também não funciona muito, pois essas empresas usam muitos softwares piratas e a fiscalização em cima disso em empresas deste potencial é quase nula.

3. Quando essas empresas possuem sistemas de gerência instalados, geralmente os sistemas são feitos em linguagem Visual Basic com banco de dados Access, por serem mais baratos e simples. Mais um obstáculo para o Linux.

4. Colocar Linux como firewall também não convence muito, já que dados dessas empresas não valem muito, a ponto de não se justificar tal investimento.

5. O pensamento de donos de empresa geralmente são do tipo: está funcionando? Por que trocar? Pra que investir em informática? Etc...

Essas e outras barreiras prejudicam a entrada do Linux e da gente também, já que gostamos de trabalhar com Linux. Após terem lido o texto acima, devem estar me perguntando, então como posso ganhar dinheiro com Linux nessas empresas? Agora é que entra a parte comercial do Linux a qual pretendo detalhar.

Existem diversas situações em que podemos incluir o Linux nessas empresas, rodando com o Windows e os substituindo aos poucos claro, exemplo:

1. Hoje em dia quase todas as pequenas e médias empresas informatizadas possuem mais de dois computadores, sendo que quase sempre não estão ligados em rede. Opa, aí está uma chance de fazermos uma proposta, ligar os computadores em rede. Bom, até agora nada de Linux. Posso ganhar dinheiro interligando computadores e compartilhando arquivos e impressoras, solução péssima para quem é programador, mas já é uma entrada no mercado, ainda sem Linux na solução é verdade, mas tudo começa daqui, veja só o próximo passo.

2. Agora a empresa já compartilha dados, impressoras, internet, porém não compartilha o seu sistema, ele é feito em Visual Basic e Access, portanto não é um sistema de rede. E agora? Agora é a alma da proposta, um sistema semelhante feito em PHP com MySQL, Apache e Linux é a solução. Com esse sistema você terá mil motivos para convencer o dono da empresa a implementá-lo, como:
  • Sistema multiplataforma, eficiente e barato e que ainda pode ser compartilhado na rede e com a vantagem de não usar programas clientes e sim apenas um browser.
  • Agora já se pode falar em não se ter softwares piratas na empresa, pois já foi corrigido o grande problema, que era o sistema antigo da loja.
  • As atualizações e correções do sistema também são mais rápidas, já que não preciso compilar e nem instalar todos os programas clientes de novo.
Entre outras coisas mais que podemos falar, vai variar de empresa para empresa.

3. Se a empresa não possui um acesso direto à internet, é hora de tentarmos convencê-los a ter uma conexão ADSL, pois atualmente é a maneira mais rápida e barata de acesso. Quem sabe aí não entra um firewall em iptables? Se falar que o firewall pode ser um 486 jogado no canto do depósito, as chances são grandes não acham?

Com uma solução simples como essa, conseguimos serviços para profissionais de redes, programadores, administradores de sistemas, profissional de segurança, além de desenvolver nosso lado consultor e comercial, já que temos um excelente produto que é o Linux, porém ainda não sabemos vender nosso peixe como Bill Gates faz com Windows e seus produtos.

Essa solução, também é uma excelente proposta para empresas que ainda estão começando a se informatizar.

Espero ter conseguido mostrar uma visão comercial para nosso sistema preferido, se alguém tiver mais idéias ou quiser me corrigir em algo, por favor compartilhe suas informações, elas valem muito para nossa comunidade Linux.

Obrigado

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Store Procedures com Transaction no MySQL

Leitura recomendada

Software Livre e a liberdade de compartilhar

O que ainda falta pra você abandonar o Windows de vez?

Introdução ao Protocolo Internet - IP

Microsoft anuncia em sites Linux

Não confie em ninguém!

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 25/02/2004 - 05:31h

Olá Fernando, muito boa sua visão comercial sobre o Linux. O mercado de pequenas e médias empresas é um nicho que tem um potencial enorme para nós, profissionais do mundo do software livre. Muitas pessoas que não são do ramo de informática, mas que são bem informadas comentaram comigo que já ouviram falar do Linux e suas palavras são sempre as mesmas: "Ah, Linux não é o sistema operacional do futuro, aquele que vai acabar com o Windows?!". Isso já é um baita avanço no "marketing" do sistema operacional, porém ainda é enorme o número de pessoas que nem sabem do que se trata o Linux.

Talvez fosse uma boa começarmos a compartilhar material sobre "motivos para se migrar para Linux". Se alguém tiver alguma contribuição de material desse tipo é só entrar em contato. Estou pensando inclusive em criar um material sobre esse assunto aos moldes de um roteiro para palestras, alguém se habilita?

[2] Comentário enviado por cedrimendes em 25/02/2004 - 18:08h

tambem gostei muito da materia, pois realmente precisamos mostrar as vantagens do linux ao mundo comercial e comecarmos a incetivar a implantacao de novos sistemas operacionais principalmente quando se trata de algo livre sem nenhuma barreira comercial.
Esperamos colaboracoes de outras pessoas que se enteressem pelo assunto e queiram nos ajudar nessa causa.

cedrimendes@netsite.com.br

[3] Comentário enviado por IloveLinux2004 em 26/02/2004 - 00:22h

A entrada de Linux em empresas desse tipo implica muito em eles pensarem que o Linux é dificil, complicado e nisso nem pensar na idéia de implantar um sistema novo no trabalho. O Linux é a moderna plataforma dos computadores....e tem um potêncial enorme, porém como no artigo fala sobre isso, é o problema de não ter um profissional de informática que sabe disso para passar ao dono da empresa. Eu já vi muitas micro-empresas que usam o Windows 95. Porcaria.....
Pra se dar bem, precisa se modernizar, se atualizar, pro trabalho render.
E o ponto de aplicar novas soluções em informática é um ponto que devemos sempre levar em consideração.

conexaolinux2004@ig.com.br

[4] Comentário enviado por ygorth em 26/02/2004 - 15:55h

Muito bom seu artigo. Estou colocando uma empresa para funcionar baseado em software livre, mesmo com a experiencia que tenho seu artigo me fez lembrar de estrategias interessantes para se comecar.
Obrigado!

[5] Comentário enviado por vanervainer em 29/02/2004 - 01:11h

Eu acho que este eh o lugar (pequenas e médias empresas) onde o Linux melhor se encaixa, já que estas não tem muito dinheiro para investir nem em hardware nem em software, porém acho que uma grande barreira a ser vencida é a questão da compatibilidade...Eu presto serviço para uma clínica e todos os softwares que a clinica utiliza são baseados em Windows e não tem versões para outros Sistemas Operacionais e infelizmente estes softwares não podem ser desenvolvidos por nós...já que são softwares de terceiros...
Agora um outro ponto interessante a ser colocado no artigo é o ganho em serviços que se pode ter com o LINUX, uma solução que não "custa nada", por exemplo podemos ter um serviço ssh rodando para que sejam feitos reparos remotamente com um "custo zero"...

[6] Comentário enviado por mabreu em 03/03/2004 - 01:33h

Primeiramente parabéns pelo artigo.
Um argumento que, na minha opinião, pode ser utilizado junto às pequenas e médias empresas é com relação aos vírus. Eu acredito que nenhum dono de empresa queira ficar dias, ou sequer horas, sem poder utilizar o seu computador ou sua "redezinha" por causa de um vírus que alguém recebeu por e-mail e que contaminou todas as máquinas. Se argumentarmos que no Linux mais de 99% dos vírus são inócuos, acredito que seja um ponto a mais para o SL. (Lembro que mesmo assim é interessante instalar um antivirus no Linux)
Um segundo ponto a ser realçado seria a estabilidade, pois quem não fica irritado quando aparece aquela mensagem "Esse programa executou uma operação ilegal e será fechado"? Quando o usuário pergunta o que aconteceu, nós respondemos: "Roda o programa novamente que funciona", "Dá um boot que resolve". Não é assim? Qual o usuário que não está cansado de ouvir isso? Isso quando ainda assim não pergunta o por que disso acontecer?
Se cada um de nós pensar um pouco mais vamos encontrar vários argumentos para a utilização dos SL's e, somando todos os argumentos, vai ficar evidente o por que de sua utilização.
Abraços a todos.

[7] Comentário enviado por jonnywolker em 07/04/2004 - 13:15h

Bom show de bola em tudu a ve

pois aki na empresa todos os Pc estao em linux

[8] Comentário enviado por Lessel em 04/05/2004 - 10:13h

Bom artigo. Parabens!
Todos nós com o minimo de informação do que é o SL ou GNU/Linux sabemos das suas vantagens e potencialidades que os mesmos oferecem.
O maior problema é mais culpa do sistema . Como exemplo a maioria dos utilizadores de PC querem ligar á net, consultar o seus mail e pouco mais.
O maior problema falo por exemplo do sistema aqui em Portugal mas penso que se poderá alargar a outros países (excepto numa Alemanha pelo que conheço) é os provedores de Internet nos seus pacotes de oferta de modem utilizarem quase exclusivamente modem para win , depois o apoio a cliente linux não existe a desculpa é que necessitam de por mais pessoal com conhecimentos Linux e isso é despesas desnecessárias porque não dão lucro. Penso que este é talvez o maior entrave á implementação do linux nas empresas. Existe uma casamento nebulado ( pra não dizer descarado) destes provedores com a M$ . Como exemplo migrei pura e simplesmente para linux ( no meu caso SuSE) o apoio da Portugal Telecom igual a 0 , mas depois estou dependente do software de gestão comercial de Linux em PT e tenho que me ficar com uma partição em win só para este software.
Resumindo enquanto ouver empresas fornecedoras que só pensam em tirar lucros chorudos vai ser mais dificil . Só nos resta a cada um de nós utilizadores de linux fazer markting e provar que as distris Linux são mais vantajosas e mais produtivas e convidar clientes e amigos a por em prática este SO.
Saudações de Portugal

[9] Comentário enviado por subcode em 07/05/2004 - 19:39h

bela discussão.... :)
eu acho q para o pinguim emplacar de vez no mercado desktop (sim, pois na questão de servidores não tem o q falar) ainda falta um pouco...
por exemplo eu, como consultor autônomo, "perdi" a chance de fazer uma migração TOTAL na rede de um cliente simplesmente porque os softwares disponíveis para o segmento (agência de publicidade) como: sodipodi e o próprio gimp, deixaram à desejar frente aos "rivais" disponíveis para windows.
este é só um exemplo mas a coisa é mais ou menos por aí.
o triste da história toda é que essas pequenas e médias empresas das quais estamos falando, só vão dar valor às nossas palavras (sobre segurança, firewall, etc.) a hora em que sofrerem um grande transtorno causado por um vermezinho qualquer que derrubou a sua "rede" baseada em windows.
na minha opinião segurança é coisa BÁSICA em QUALQUER rede....
pôxa, nem que eu tivesse uma quitandinha de bairro eu não gostaria que dados como: fluxo de caixa, controle de estoque, controle de cheques, etc.) ficassem à mercê da molecada na internet....
e, sinceridade, invasão por netbios até criança de 5 anos faz...

[10] Comentário enviado por thefaker em 18/05/2004 - 19:28h

Gostei da matéria, trabalho de consultor Linux à alguns meses e como todos descreveram aqui o grande problema são os softwares, tem muita coisa boa no GNU/Linux mais os softwares desenvolvidos para Windows ainda são melhores.

Estou com um problema em uma empresa para migrar o software deles feito em Delphi para Kylix, sendo que eles usam um banco de dados Paradox, estou passando tudo para MySQL, mais estou encontrando dificuldades.

Já peguei um cliente que era apaixonado por Dreamweaver e Fireworks, tive que deixar uma estação em Windows para ele usar os programas.

[11] Comentário enviado por gransoft em 23/05/2004 - 16:13h

ARAGUARI-MG, 23 de maio de 2004.

Prezados Srs.,

O uso indiscriminado de S.O. e Aplicativos não oficiais por Pequenas Empresas, tende a esbarrar em outra situação prevista na Legislação: O PED, ou "Emissão de Documentos Fiscais por Processamento Eletrônico de Dados" exige identificação do Hardware, do S.O., do Aplicativo e seu Responsável Técnico.

Com a obrigatoriedade do uso do ECF p/Cupons Fiscais, e a geração do arquivo de movimentação fiscal para o SINTEGRA, a situação atual, bem apresentada pelo Fernando, tende a se modificar.

Qual Contador, Empresário ou Administrador de Empresas que apresentará à Adm.Fazendária informações sobre produtos não oficiais ?

Quem poderá garantir que, agora, a Microsoft, perdendo espaço entre os Servidores de Rede e Desktops para o GNU/Linux, não acionará os Órgãos competentes exigindo maior empenho na fiscalização de Softwares, utilizando-se desta informação/declaração dos próprios usuários ?

Verdade seja dita, explícita e sustentada:

- As diligências fiscais locais sobre uso de Softwares Piratas somente tem sido realizadas sob denúncias, e quando o fiscalizado "dá IBOPE";

- A última fiscalização aqui no Triângulo Mineiro, realizada pela ABES, pareceu mais um "lobby" com os distribuidores oficiais locais, que faziam contato por telefone com empresários, alertando sobre a tal fiscalização e suas conseqüências, oferecendo descontos especiais na aquisição do Windows XP, mesmo para os que já usavam Windows 98 não oficial. Atingidas as metas de vendas...

Vamos analisar os próximos acontecimentos. Atualmente, acompanho cada capítulo da "Novela TEF". Se alguém se interessar pelo assunto, trata-se de matéria para um Artigo inteiro.

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

http://www.gransoft.com.br
gransoft@zipmail.com.br

[12] Comentário enviado por mandrake89 em 25/05/2004 - 08:22h

Bom galera... também tenho minha opinião... Aqui na empresa onde trabalho.. o SO é tudo pirata.... nosso Sistema de Gestão é o Microsiga... Também existem Softwares de Bancos... Após várias e várias reuniões com a alta gerencia... decidimos fazer "testes" com o pinguim.... Nas estações... Pois o Servidor é a unica coisa legalizada aqui... Comecei pelo Fedora Core... pois já tenho uma certa familiaridade com o Red Hat.. Fiz a instalação e botei pra roda... Rodou perfeitinho.... Não tive problemas com o Firewall (ISA Server)... Comecei então a entrar em contato com os Bancos para saber onde baixar o software deles para a plataforma Linux... Daí começou minha decepção... Eles não tem plataforma Linux... e pior... o Wine não roda os programas deles....

Então foi aí que toda a esperança se foi... Não tenho como migrar toda a rede para Linux por causa dos bancos....

Eu acho que a gente se conscientizando do Software Livre já é um começo.. Mais o MUNDO precisa se conscientizar também.... caso contrário sempre vai haver impecílhos para o Software Livre.. Vai sempre ter alguem arranjando alguma maneira de barrar o crescimento do Software Livre...

Abraços

Mandrake89

[13] Comentário enviado por removido em 02/07/2004 - 17:44h

Sou iniciante em Linux (menos de uma semana), mas leio muito a respeito dele e do Software Livre em geral. Minha opnião é que o Linux (e todo o conceito de Software Livre) só vai realmente conscientizar toda a população quando grandes empresas como Macromedia, Adobe, entre outras desenvolvedoras começarem a investir na produção de seus softwares para a plataforma Linux também. Pois muitas pessoas ficam presas ao Windows por precisarem utilizar programas como Fireworks, Dreamweaver, Flash, Phosothop, entre outros como os dos Bancos citado pelo Mandrake89.

Eu mesmo nunca deixarei de usar o Windows enquanto eu precisar do Flash, Fireworks e Pohotshop, pois para programar o Linux é perfeito. Uma outra desvantagem é em questão de navegadores (browsers), pois nenhum se compara ao Internet Explorer em questão de compatibilidade com scripts, principalmente os client-sides.

Bom, creio que ainda dependemos dessas grandes desenvolvedoras para que o Linux realmente comece a ser aceito por todos. Mas aos poucos estamos conseguindo, eu mesmo sou um exemplo disso,q ue estou utilizando o Linux a menos de uma semana.


Essa é minha opnião!

Abraços!

[14] Comentário enviado por nico_di_mafre em 08/07/2004 - 09:46h

Achei o seu artigo muito interessante, acabou me dando algumas opções, p/ trabalhar, pois me formo Técnico em Informatica Especializado no S.O. GNU/Linux, pelo Colégio XXV de Abril das Faculdades Integradas Fafit-Facic em Itararé.Por aqui ser uma cidade pequena (ñ minuscula) e de interior, ñ sabia como começar a trabalhar com o Linux, mas agora tenho mais de ummotivo, p/ dar aos clientes, pois a prefeitura já é Linux, e algumas empresas estão pretendo migrar tb.
A proposito! estou em boas mãos, um de meus professores, foi um dos fundadores da Conectiva S.A.!!!

[15] Comentário enviado por joaocosme em 09/07/2004 - 18:19h

muito bons os motivos para nos infiltrarmos nessas empresas... quase chorei de tão emocionado!!! hehehe
valeu mesmo continue escrevendo mais sobre o tema.... sério mesmo

[16] Comentário enviado por kketati em 20/07/2004 - 00:48h

Este seu artigo, trata na realidade de um problema, que nós profissionais da área de computação, temos que enfrentar constantemente. Convencer alguém, que não entende de computação, que o linux é um sistema mais robusto, seguro, confiável e mais barato que os outos sistemas, tem sido mais difícil que a construção e a migração de um sistema proprietário para um livre. Mas apartir deste artigo, temos argumentos suficientes para deixarmos a desculpa de lado e mostrarmos ao povo quem é o LINUX.
Parabens!:)

[17] Comentário enviado por bfreire em 09/08/2004 - 13:39h

não acho que estes argumentos sejam suficientes. O dono que pequena empresa pode usar access e ASP e continuar pirateando. Acho que o mais importante, seria a ciencia de saber que não possui software ilegal. isso é interessante.


[18] Comentário enviado por nico_di_mafre em 02/09/2004 - 16:50h

Essa idéia pode ser umas das varias alternativas, pois uma das finalidades do linux é diminuir os gastos e almentar os lucros.

[19] Comentário enviado por rmd em 08/09/2004 - 22:48h

Muito bom seu artigo, e tem tudo a ver, já fiz um trabalho de uma rede pequena em um escritório de advocacia.
E assim vai indo. Parabens!!!

[20] Comentário enviado por kpanic em 21/09/2004 - 11:41h

Achei um excelente artigo, entretanto é importante ressaltar que um software em visual basic não possue os códigos fontes aberto como o php, das soluções de criptografia de código php que conheço ainda não encontrei uma que me convença. O que falta na verdade são as software-houses desenvolverem soluções multiplataforma, para que ele possa rodar em qualquer SO, não só em windows ou linux. Tem empresas que nem migraram suas aplicações para windows, imagina linux... contudo, estamos no caminho certo...Parabéns...

[21] Comentário enviado por bestmoor em 27/09/2004 - 19:13h

Muito boa sua matéria, voce tocou em um ponto que todos se esquecem com certeza o que freia o linux em pequenas e medias empresas são os programas piratas , porisso quando dizem "vamos acabar com a pirataria" não sabem o quanto isso ajudaria a comunidade linux...
bestmoor....

[22] Comentário enviado por apscherbach em 28/09/2004 - 17:03h

Realmente, a mentalidade dos donos das empresas e também dos funcionários viciados em windows e seus derivados são grandes impecílios para a disseminação da cultura open source. Mais ainda, existem "evangelizadores" do windows. Semana passada assisti uma palestra que o tema era "Redes para micro e pequenas empresas". Pois o camarada vendeu o windows, dizendo, ainda por cima, que o firewall do windows xp, que não sei de tal versão era de graça... Pior, essas pessoas falam para empresários, pequenos, médios, grandes, gente que conhece pouco, ou nada, de informática e ficam "maravilhados" com as possibilidades do windows, quando erroneamente comparados com o linux.
Sobre o artigo, não concordo que o firewall deva ficar jogado num canto do depósito, ele, por ser um 486 digamos, velho e mais sensível, deve ter as mesmas "mordonias" e cuidados que os servidores e máquinas da empresa.

Scherbach

[23] Comentário enviado por silvioreis em 15/11/2004 - 20:12h

Fernando,

Se o dono da empresa usa software pirata e ainda tem 486, como você pretende convencê-lo a gastar com pessoas se ele não abre a mão para equipamentos e para programas que mantém a empresa funcionando?

Um erro comum é achar que a pirataria é por causa dos preços absurdos das licenças de software cobradas pelos fabricantes de software (Microsoft, Anti-virus e softwares contáveis).

A Itautec vende um servidor simples já com o Windows 2003 e IIS, ISAServer e SQLServer, com 5 licenças de clientes por R$4800,00. Esse servidor atende a empresa por no mínimo 4 anos, ou seja, R$100,00 por mês.

Se essa empresa comprar 5 computadores com Windows XP Pro, Office 2003 Standard e Antivirus completo, vai custar cerca de 3600,00 por computador, que também vão durar pelo menos 4 anos. Totalizando 5x3600,00+4800=22800,00 ou R$475,00 por mês em equipamentos e softwares legalizados.

Se usasse só software livre poderia ter uma economia de cerca de R$10000, mas teria que contratar alguém bom para configurar o software livre de forma correta e não apenas o "garoto do 402" que sabe tudo de computador como ele vai fazer com o Windows.

Sinceramente, você acha que esses R$10mil de economia vão parar no seu bolso? Não. Ele vai querer que você faça isso pelo mesmo preço do "garoto do 402", se você não aceitar ele usa pirata e coloca o "garoto do 402", que era a idéia dele desde o inicio.

Sabe o que eu acho que deve ser feito com essas empresas e essa mentalidade? Nada, deixa que eles se ferrem sozinhos.

E que conhece e gosta de Software Livre deve fazer o quê? Seguir o caminho de quem entende de SL. Estude e seja profissional, aprenda inglês de verdade, faça uma boa faculdade (que tal se matar de estudar e passar para uma publica para qualquer de exatas noturno?), procure estágios em empresas médias e grandes e siga feliz.

E quando o dono da pequena empresa te enrolar para te dar uma nota fiscal porque o "sistema está fora do ar" chame a policia e exija a nota fiscal.

[]´s

[24] Comentário enviado por edreer em 17/11/2004 - 10:27h

Olá, gostei muito do seu artigo, pois lendo ele, consegui visualisar claramente a empresa em que trabalho, pois a visão deles é igual a que você comentou: "Se está funcionando porque trocar?". Isso é uma visão ignorante, pois pelo menos na minha opinião, com o linux, funciona bem melhor e sem muita manutenção, diferentemente daquele outro sistema operacional concorrente, o da bandeirinha colorida!!!!!

[25] Comentário enviado por ComeQuieto em 20/12/2004 - 22:28h

Eu acho, que a empresa pode até ter um gasto com o profissional para instalar o SL, mais depois acabo!!!

Se o computador não explodir, ou ele não logar como root e der um rm -f, pode durar pra sempre..

Bastando atualizar o hardware... Pois os dados principais e configurações no Linux ficam no /home, e podemos coloca-lo em outra partição ou outro hd...

Então ele gasta agora e depois pode ter gastos insignificantes com manutenção.

Falow..

[26] Comentário enviado por Sergio_OC em 22/12/2004 - 22:30h

silvioreis acho que todos tem direto a uma opinião... porém felizmente não são todos os empresários que tem esse ângulo de visão, estou cansado de ver empresários de pequenas e médias empresas gastando suas fichas com novas tecnologias de rede por exemplo, e mantém o mesmo 486 como estações. O caso é que o raciocínio deles tem alguma lógica se levar em conta que se na empresa 30% ou 40% dos usuários rodam apenas planilhas de cálculo ou editores de texto e softwares que consomem poucos recursos (no caso do depto. pessoal, secretárias e depto. de telemarketing/marketing) e como nem todo empresário pensa como empresário e sim como administrador, temos eu diria, toda a chance de ganhar dinheiro com esse tipo de empresa.
Acho que seu calculo não está muito de acordo com a realidade do mercado, já que se vc pagar os 475,00 p/ mês, com as taxas de juros vigentes no mercado brasileiro (suponho que vc esteja no Brasil) vc conseguiria pagar em umas 60 vezes, pois não conheço nem uma empresa que financie computadores em 48 vezes sem juros. E mais um detalhe a ressaltar é que se vc cobrar o mesmo que o seu amiguinho do 402 cobra, vc mostra definitivamente o quanto vc é profissional.

Eu ainda não sou da área de GNU, mas me interesso muito pelo assunto, já que vejo o futuro dentro do bolso do pingüim.

Nas linhas que o mercado se expande, a não ser que tenhamos uma revolução com algum sistema operacional novo e espantoso, o que muito duvido, o candidato preferido na briga é o LINUX.

Cuidado com sua visão sobre como convencer os seus clientes de hoje a gastar, pois eles podem ser os seus mesmos clientes de amanhã.

Sergio OC.


[27] Comentário enviado por fernandoamador em 23/12/2004 - 00:29h

Ótima apostila

[28] Comentário enviado por r0g1 em 23/12/2004 - 21:18h

Tbm Gostei muito do artigo acho que realmente esse é umas das opções que temos para de alguma maneira conseguir entrar nas pequenas e médias empresas.

Parabéns!

[29] Comentário enviado por thiagoabb em 04/01/2005 - 18:43h

Realmente muito bom esse artigo.

Obrigado !

[30] Comentário enviado por daniellibanori em 18/01/2005 - 05:42h

Silvio Reis

Tem um ponto crucial que vc não levantou, no final das contas, quem optou pela migração acabou ganhando
- maior estabilidade
- maior produtividade
- mais segurança
- menor custo em manutenção
Seus calculos não levaram em conta o "custo Windows". Ou vc acha que não custa dinheiro para a empresa:
- travadas do windows
- os boots diários
- o tempo perdido atualização do anti-virus
- rodar o anti-virus
- vira e meche o anti-virus não funciona e os computadores sem infectam
- os funcionarios precisam estar treinados para utilizar o anti-virus corretamente

[31] Comentário enviado por raffaelfasan em 18/02/2005 - 00:02h

concordo com o controlc, meu pai tbm esta colocando uma empresa para funcionar baseado em software livre, mesmo com a experiencia que temos seu artigo me fez lembrar de estrategias interessantes para se comecar. vlw mesmo!

[32] Comentário enviado por armendes em 15/03/2005 - 13:15h

Caro amigo, o pensamento de quem tem empresa é este mesmo.
Eu sou adpeto de software livre, acho que vai crescer muito e vai dar muita dor de cabeça para a Microsoft ainda, só que é como muitos aqui disseram ainda falta muitas coisas serem desenvolvidas para facilitar, mas isto esta sendo feito aos poucos, e só depende do nos.
ex: softwares de banco, migração dos emails que hoje esta no outlook para um email livre, entre outros, são muitas as barreiras ainda em termso de estação, mas em termso de servidor estamos bem e caminhado para otimos e logo excelentes.
eu mesmo preciso migrar as estações da empresa onde trabalho, mas muitas nao posso devido varios fatos ja citados.
Abraço a todos.


[33] Comentário enviado por ustrucx em 18/03/2005 - 23:45h

Adorei o artigo!!!
Um dos mais legais (não técnico) que já ví.

[34] Comentário enviado por atavares em 17/04/2005 - 20:26h

gostei do dialogo sobre o Linux em pequenas e medias empresas, estou acabando de instalar um sistema num pequena quase media e o maior interesse pelos proprietarios da empresa pela instalação do Linux é que os funcionarios teram menor capacidade de alterar, configurar o windows, como por exemplo colocando um disquete e instalando um programa de bate papo, fazer download de musicas e assim por diante, acreditando que como não tem muito programas disponiveis no mercado e nem na internet muita disponibilidade para o Linux os funcionarios ficam com o computador apenas para atender as necessidades primarias da empresa. Sobre os bancos é uma realidade ai coloquei aquele 486 citado pra fazer isso, com windows, ou seja os melhores ficaram com Linux e o mais fraquinhos com o windows para realizar trabalhos pequenos. Também gostaria de salientar que acostumado em programas em delphi e agora em Kylix, os acessos a arquivos além de ficarem mais rapidos ficaram mais confiaveis, dados nos arquivos que estavão errados (campos numericos), que o windows simplesmente passava por cima, qd convertidos para o Linux, logo foi indicado como defetuosos e finalmente qd da instalação do linux nas maquinas, descobertas que CPUs não eram efetivamente as marcadas, ou seja, remarcadas, que o windows não detectava nenhum erro, mas travava muito. Acho que a experiencia que tive nessa empresa valeu muito para demonstrar a garantia e a estabilidade do Linus além do sossego de não se preocupar toda vez que liam no jornal da pressão externa sobre a pirataria no Brasil.

[]s.

[35] Comentário enviado por xnardelli em 03/05/2005 - 14:08h

Você está correto em seu artigo.
O fundamental do sistema linux, também, é apreciarmos a prata da casa.
O Brasil encabeça a disputa mundial de desenvolvimento de softwares, pois detemos de um grande potencial nesta área, e, o mais importante, estamos seguindo o caminho do software livre.
Agora, cabe educar a população deste avanço, ao demonstrar interesse pelo que o brasileiro pode fazer, jamais desmereçendo o desenvolvimento praticado por outros países, mas, enaltecendo nossa pátria.
O mais importante no sistema linux é a não submissão a uma única idéia. É o mesmo que assistir a um único canal de televisão. Sempre a mesma metodologia, mudam-se as cores, as figurinhas, mas o local e a maneira de fazer é a mesma. Chama-se de preguiça mental.
Por que não utilizar um diretório chamado /home e ficar utilizando sempre a maldita pasta Meus Documentos???
Isso, caros senhores, é a parte importante do negócio. Mostrarmos capacidade de independência, de aprendermos novas maneiras de chegar a um objetivo; o Linux é mais que um sistema operacional, é uma maneira de pensar diferente. E pensar leva a desenvolvimento.
Portanto, devemos fazer o comerciante, o empresário a pensar... e ainda de quebra um sistema útil, agradável de usar, legalizado, e, como todos sabemos, mais eficiente.

[36] Comentário enviado por omega_indigo em 05/05/2005 - 18:17h

Caros membros do VOL,

Concordo com os comentários acima, pois e muito dificil mudar a cabeça de quem ja tem um sistema em Clipper, delphi, VB, numa base Windows. A meu ver, a saída é começar desenvolver os mesmos sistemas que já existem para Windows. A bases de dados desses programas utilizam o DBF, que podem ser convertidas facilmente para o Linux. A questão é estudar esse campo para podermos assim, usar o linux da melhor maneira possivel.
Essa e a minha opiniao.
Valeu galera!

[37] Comentário enviado por aldyr em 13/11/2005 - 11:12h

Caros Colegas,

Este artigo esta muito bom e representa a realidade, estou escrevendo minha monografia em cima deste mesmo tema "Implantação de Software Livre em Pequenas e médias empresas", existem muitas barreiras de fato como descritas acima, e ao longo desse estudo, 2 anos, concluí que a implantação só será um sucesso se vc estiver munido de uma equipe, desde o hardware ao software, implantar uma solução por completo incluindo o treinamento, não adianta ir la instalar e abandonar o usuário, vcs sabem que poucas pessoas detém conhecimento sobre informática, aí ela sente dificuldade não tem força de vontade de pesquisar e quer voltar para o sistema antigo uma vez que por natureza somos remitentes a mudança. A solução esta em criar equipes, junte ai seus amigos e identifique cada vantagem, delegue função, cada um cuidando de uma parte nao sobrecarrega e cria um ambiente profissional e não queima o software livre, como tenho visto por aí, muitos lugares que entrevistei tinham um grande potencial de implantação, mas veio um antes e fez o serviço mal feito "Fogo Amigo" e queimo o filme, daí reconquistar é um trabalho árduo. Dificuldades existem mais nada que uma boa pesquisa não possa fornecer subsídios para resolver o problema.

[38] Comentário enviado por pitt3r_p4rk3r em 02/12/2005 - 17:03h

Realmente...

Ele tratou de um assunto que é muito sério pra existência do Linux...

Como implementar isso numa pequena empresa....

Putz... muito foda mesmo...

Sem contar que...
Os grandes "fodões"(charlatão/ões) falam... a instala windows ai... todo mundo sabe mexer... facil de usar... e tal...

é muito foda trabalhar sério quando tem alguem que não tem vergonha na cara e vende "soluções" meia boca...

Vou mais adiante...
sei que no Brasil o povo não vai preso tão facil....
Mais deveriam ir todos akeles que vendem CDs piratas do softwares Proprietários... não é possível que o governo não ve... em toda esquina tem um CAMELO VENDENDO WINDOWS XP E OFFICE 2003!!! Basta querer prender....

Isso nos ajudaria muito na divulgação de verdadeiros softwares....

E ajudaria tb a quem é dono de um software proprietário...

[39] Comentário enviado por systemcrash em 20/12/2005 - 14:45h

acredito que com a chegada de sistema com uma rica interface gráfina como o Kurimin e outros trarão as pessoas a uma nova realidade de sistema operacional.

[40] Comentário enviado por ulbj05 em 06/01/2006 - 13:00h

Parabens pelo artigo...está muito bom mesmo.

A minha opinião é parecida com a de muitos aqui. Nós temos sim de fazer propaganda do Linux com os empresarios de pequenas e médias empresas. Eles precisam conhecer as caracteristicas do Linux para não ficar falando mau sem saber ao certo se o Linux tem ou não um recurso especifico que ele encontra no Windows. Minha dúvida é somente uma:

Como uma pessoa pode sobreviver unicamente desenvolvendo para Linux? Eu pergunto isso porque sou programador e desenvolvo para Windows mais em casa utilizo Linux e estou testando as ferramentas de desenvolvimento para Linux para saber como elas são. Eu sou completamente a favor de qualquer pessoa que utilize Linux desenvolver ou fazer parte de um projeto Open-Source e produzir Software Livre. Mas paralelamente a isso, como que ela pode viver se o fruto do seu trabalho é dado de graça? Não me entendam mau. Eu sou a favor de se criar um projeto de SL mas o desenvolvedor deve participar de no mínimo 2 projetos...um SL e outro com um outro tipo de licença que permita vender pois senão o desenvolvedor vai acabar tendo de parar o seu projeto de SL para poder se sustentar!!!

Alguém me falou uma vez que para viver de programação em Linux, só se vc trabalhar em empresas grande como a Connectiva. Será? Será que não existe Softwares Houses menores que produzam software Linux e pague a seus desenvolvedores por este trabalho?

É isso. Só uma pergunta para ficar no ar....se alguém quiser comentar???!!!

Muito bom artigo....Falou!!!

[41] Comentário enviado por apscherbach em 06/01/2006 - 13:24h

Caro ulbj05, talvez vc esteja confundindo Software Livre com software grátis...
Existem muitas formas de ganhar dinheiro com SL. Uma delas é treinamento. Viver de SL exige que vc, através de serviços, como implantação, o próprio treinamento, suporte, e outros, ganhe seu dinheiro. Assim não precisa cobrar pelo desenvolvimento. Vc também pode vender o software que desenvolve, mas deve entregar o código-fonte e dar total liberdade a quem comprar, como específicado pela GPL. Tenho uma versão em português da GPL, se tiver interesse entre em contato. Um amigo me enviou e não sei onde obtê-la, mas o google está aí... :)))
Sobre as software houses, exite as Solis (www.solis.coop.br), uma cooperativa que desenvolve SL, dá uma olhada lá no site. E sim, creio que ela pague seus desenvolvedores... :)))
Abraço,
Adriano Scherbach

[42] Comentário enviado por igorbrunol em 25/05/2006 - 14:19h

Bom, primeiramente quero parabeniza-lo pelo otimo Artigo, e acho q tbm poderíamos mostrar o lado em que o LINUX pode está ligado pelo "resto da vida" ao contrario do windows que nao auenta nem 3 meses.

[43] Comentário enviado por freeosbr em 02/06/2006 - 12:39h

Outra forma extremamente barata e funcional para micros e pequenas empresas é utilizar o LTSP, onde se investe uma quantia razoável no servidor e os terminais podem ser uns pentium 100 da vida, totalmente obsoleto para windows, mas que funciona muito bem nesse sistema.
Com apenas R$ 5.000,00 você pode ter um servidor bom e mais uns 6 ou mais terminais para os funcionários usarem. Acho que mais barato que isso vai ser difícil de achar.
Tenho uma sala de acesso à internet em Ramos no Rio de Janeiro usando este sistema e posso dizer que é extremamente funcional, sendo que em uma das máquinas eu cheguei a usar um pentium 233 mmx com 32 MB de RAM sendo que 4 eram compartilhados com o vídeo.
Escrevi até um artigo para o jornal que minha mulher trabalha para divulgar a idéia.
E neste campo abre-se espaço para uma vasta gama de profissionais ligados à área.

[44] Comentário enviado por fernandobatista em 24/06/2006 - 17:43h

Todo o problema basicamente se consiste na cultura digital que se impôs. Quando iniciei meus estudos sobre informática, só se falava em DOS, Windows e Microsoft. SO como Unix, Xenix, OS/2, Mac, eram ofensas aos profissionais da área. Hoje está realidade está mudando e precisamos nos impor como pudermos. Não digo que devemos radicalizar, afinal cada empresário e administrador manda em sua empresa e é mais fácil trocar um consultor ou funcionário que o sistema todo. Mas quando chamados a opnar, utilizemos os SL, se não for possível utilizemos então programas que facilitem a portabilidade. Passei um bom tempo estudando como fazer isso no Delphi com Firebird e hoje é possivel. Ao poucos iremos abrir os olhos das pessoas a nossa volta para entenderem que Linux é simplesmente Linux.

Fernando Vicente Batista
Luis Eduardo Magalhães-BA
Linux não é um somente um SO, é um modo de vida!

[45] Comentário enviado por flaviohssantos em 09/07/2006 - 21:50h

Existe um livro muito bom sobre o assunto.

Título: Migrando de windows para linux
Sub-título: Como se livrar da Microsoft e usar um sistema mais estável, robusto, seguro, legal e GRATUITO!
Autor: Iberê M. Campos
Editora: Brasport

[46] Comentário enviado por wandersoninf em 06/08/2006 - 22:45h

Kara essa matéria é simplesmente fantástica....meus parabéns...

[47] Comentário enviado por yetlinux em 02/10/2006 - 22:20h

O que ouço dizer é queno mercado está em falta um tipo de profissional chamado de "Consultor de Migração".

O conselho para se vacinar contra charlatão é procurar a participação dele em comunidades open source. Por exemplo: MySQL, Postgres, Samba, LDAP, Cups etc.

Comunidades e listas de discussão inclusive.

Sobre sistemas em Clipper, há solução sim. Se você tiver os códigos-fonte dos sistemas, melhor. Pode recompilá-los com um compilador adequado como o XHarbour. Caso contrário rode o sistema com o DOSEmu ou com o Wine que também aceita programas para DOS.

[48] Comentário enviado por daniel.linux em 29/09/2007 - 12:04h

achei muito interesante isso.
pois hoje para convencer alguem a comprar uma coisa que é de graça é difícil, pois eles sabem que o sistema é de graça, mais nao sabem que nos cobramos para implementa-lo, ai começa o problema.
interesante também seria mostrar ao cliente facilidades como: openoffice que não deixa nada a declarar, nis e nfs para em qualquer maquina que ele logar receber as configurações de usuario dele. essas pequenas coisas que gente que não entende se apega. de preferência procurar dele o que ele sente carência para usar contra ele essa dependeência.

daniel matos


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts