Como realizar migração de Windows para Linux em uma empresa

Este artigo traz, de forma resumida, os passos para se realizar uma migração de sistema proprietário para GNU/Linux numa empresa sem maiores traumas.

[ Hits: 6.677 ]

Por: Perfil removido em 22/03/2017


Fazendo a migração do sistema proprietário para o Linux



Plataforma do software proprietário (Windows)

O parque de máquinas da empresa usa o sistema operacional Windows, porém, grande parte do parque de máquinas não possui licenças do sistema, foi detectada a necessidade de adotar um sistema operacional livre para gerar economia para a empresa na compra de licenças e, também, trazer mais segurança para a rede de computadores da empresa, pois a maioria dos softwares maliciosos, conhecidos como vírus, foram desenvolvidos para os sistemas operacionais proprietários.

Distribuição Linux Utilizada

A distribuição escolhida para implantação foi o Debian 8, codinome Jessie, com a interface gráfica LXDE. A distribuição Debian é conhecida mundialmente por sua estabilidade, cada pacote do sistema passa por diversos testes. Após 2 anos de testes, é lançada uma nova versão do sistema operacional estável para download. A distribuição Debian tem um ótimo suporte, pois possui uma comunidade de usuários e mantenedores grande.

Dica no início:
  • Faça dual boot.
  • Acostume-se com o Linux aos poucos. Se não for assim, você se frustrará com o Linux, já que é usuário de Windows e a adaptação da sua forma de usar os sistemas pode ser meio difícil, porque você terá que aprender as coisas tentando fazê-las.
  • Estou sendo realista, mas persista!
  • Vale a pena sair do Windows.

Colaboração do amigo toolstore.

Interface Gráfica LXDE

O LXDE (Lightweight X11 Desktop Environment) é um ambiente de área de trabalho extremamente rápido, ágil e poupador de energia. Ele é mantido por uma comunidade internacional de desenvolvedores e vem com uma bonita interface para o usuário. Suporte a múltiplos idiomas, atalhos de teclado padrões e características adicionais, como um gerenciador de arquivos com navegação em abas. O LXDE exige menos da CPU e consome menos memória RAM.

Ele é desenhado especialmente para computadores em nuvem com especificações de hardware limitadas, como Netbooks, dispositivos móveis (ex.: MIDs) ou computadores antigos[3]. Com o sistema operacional rodando sem nenhuma aplicação em execução, a interface gráfica consome somente 120 MB de memória, o que é extremamente baixo se comparado com outras interfaces gráficas.

Ferramentas

Esta seção vem apresentar as ferramentas que deverão ser instaladas e, também, as ferramentas que já vem incluídas no sistema operacional Debian 8 Jessie.

Pacote CIFS-UTILS

O protocolo SMB/CIFS fornece suporte para compartilhamento de arquivos interplataforma com sistemas Microsoft Windows, OS X e outros Unix. Este pacote fornece utilitários para gerenciar montagens de sistemas de arquivos de rede CIFS.

Pacote SMBClient

Samba é uma implementação do protocolo SMB/CIFS para sistemas Unix, fornecendo suporte para compartilhamento de impressoras e arquivos interplataforma com o Microsoft Windows, OS X e outros sistemas Unix.

Este pacote contém utilitários em linha de comando para acessar servidores Samba e Microsoft Windows, incluindo SMBClient, SMBtar e SMBspool. Utilitários para montar compartilhamentos localmente, estão no pacote CIFS-utils.

Tema do Windows 8 para interface LXDE

Este tema tem como finalidade, facilitar a adaptação do usuário com o Linux, pois o tema deixa o sistema bem parecido com o Windows 8. O download deste tema pode ser feito no link abaixo:

FSTAB

O "fstab" (/etc/fstab) é um arquivo presente no sistema operacional Linux, que contém todas as informações sobre mídias e partições do seu computador. Ele é utilizado juntamente com o "mount", que geralmente lê no "fstab", informações como: onde montar a partição X e como montar.

CUPS

CUPS (anteriormente um acrônimo para "Common Unix Printing System", mas agora com nenhuma expansão oficial), um sistema de impressão para sistemas operativos de computador tipo Unix, permite que um computador aja como um servidor de impressão.

Um computador rodando o CUPS, é um hospedeiro que pode aceitar tarefas de impressão de computadores clientes, processá-los e enviá-los à impressora correta; além disso, é possível monitorar impressões, relatar erros de impressões, visualizar relatórios sobre número de páginas impressas, data e horário da mesma.

Compare: Pacote Office X Libreoffice e Outlook X Thunderbird

Sistema de chamados TI - Ocomon

Pacote empresarial - Sistema usado pela empresa (por exemplo) o Apollo, fazer uma versão web, assim diminui com TS e com Windows.

Sistema de hospedagem de arquivos online - Dropbox.

Problemas:
  • Considere o tempo de transição?
  • Considere os problemas durante a transição?
  • Como vai ser feita a transição, de uma vez, ou em partes?
  • Como e quando o sistema antigo vai ser desligado e o novo vai operar a 100%?
  • A equipe de transição recebeu treinamento? Sabem operar o novo sistema? Sabem "ensinar" os novos usuários?
  • Considerou os problemas pós transição?

A não aceitação por parte dos funcionários

Os problemas que podem acontecer nessa transição. Considere o fator humano? A resistência que as pessoas vão ter no novo sistema? A resistência vem por vários meios e motivos, e cabe a você achar eles e propor soluções.

Pensei em um treinamento diferente (puxado para o motivacional) falando sobre a importância da utilização desse novo sistema tanto na empresa quanto na vida (até mesmo pessoal) do funcionário.

O setores de contabilidade, RH e financeiro, precisam de algumas coisas específicas, como sistemas contábeis, que fazem ligação direta com a Fazenda e, infelizmente, muitos de maneira esmagadora, são feitos pro Windows, e em formato proprietário. Tem que ver como a migração desses arquivos vai ser resolvida, diante às novas soluções, pois precisa ter uma compatibilidade entre todos os backups desse setor.

Fora os outros setores, que precisam ter seus backups convertidos, ou mesmo, algum programa que fala a "ponte" para que esses backups fiquem acessíveis.

Pense bem nisso, pois muitas empresas usam programas muito antigos e é um trabalho enorme gerenciar seus backups para novos formatos.

Criar documentação para as pessoas-chaves no processo, pois isso ajuda muito.

Todo o treinamento, os colaboradores vão gastar recursos da empresa. A empresa tem que manter esses colaboradores até que esses custos sejam cobertos.

Se um colaborador sair da empresa após o treinamento, a empresa vai ter que gastar duas vezes praticamente com treinamento.

Realocar um colaborador para outro área, que não tenha se acostumado com o sistema tem que ser estudado, isso funciona, se o colaborador estiver "afim" de sair de sua zona de conforto.

A resistência ocorre mais por desconhecimento e boatos criados pelos próprios colaboradores. Assim, cabe à empresa explicar o que será feito.

Publicações internas na empresa (intranet - Apache), voltada para os colaboradores ajudam também. Aí, já é voltado ao setor de Marketing. Quanto menos resistência tiver e quanto mais informações os colaboradores tiverem e suas dúvidas forem sanadas, menos resistência você terá.

Isso são só algumas coisas que se deve levar em conta em qualquer transição de sistemas.

   

Páginas do artigo
   1. Fazendo a migração do sistema proprietário para o Linux
Outros artigos deste autor

Variety - Instalação e configuração

Procurando software para gerenciar armazenamento... Pensou FreeNAS!

WhatsApp no Debian 8.7.1 via Genymotion

Fontes com filtros LCD no Arch Linux

Xen - xl.conf - Configuração do Host

Leitura recomendada

FOG Project - Configurando meu primeiro servidor de imagens

Instalando Cacti + plugins no Ubuntu 10.10

Explorador de Blockchain do Bitcoin para o Terminal (Bash)

Windows CE/PocketPC com Linux, sim!

Por que não migrar?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por BlackDead em 22/03/2017 - 13:48h

Complicado mesmo seria os usuários que usam o pacote office, essa transição seria muito criticada, pra mim esse é o ponto principal de não conseguir realizar tal atividade.

[2] Comentário enviado por Ghost_Shell em 23/03/2017 - 11:58h


Ótimo artigo midnight :)

Keep it simple stupid!

[3] Comentário enviado por removido em 23/03/2017 - 15:29h


[1] Comentário enviado por BlackDead em 22/03/2017 - 13:48h

Complicado mesmo seria os usuários que usam o pacote office, essa transição seria muito criticada, pra mim esse é o ponto principal de não conseguir realizar tal atividade.


Realmente a maior dificuldade seria a adaptação ao LibreOffice que é bem diferente do MSOffice... Há a alternativa do WPS, mas o LBOffice tem um suporte muito, muito melhor...

[4] Comentário enviado por izaias em 23/03/2017 - 19:04h

Mas a MS é que dificulta tudo descaradamente.
O Libre abre documentos escritos pelo Office, mas o contrário não ocorre.

Existe um protocolo mundial de formato de documentos que a MS se recusa a seguir, tudo para que suas vendas não despenquem.
Seria até óbvio, não? Se o Office aceita a padronização mundial, porque alguém compraria um software tão caro?

*******************************************************
* https://www.linuxcounter.net/cert/620448.png *
*******************************************************

[5] Comentário enviado por thevovo em 24/03/2017 - 15:19h

Péssimo artigo! Parece um draft que foi publicado sem querer!
Texto sem pé nem cabeça, diversos erros e uma abordagem totalmente infantil e despreparada.
O autor, não conseguiu apenas mostrar que não tem o mínimo conhecimento de como funciona um ambiente corporativo. O artigo está totalmente enviesado, e de longe se mostra útil.
Algumas observações:
>> trazer mais segurança para a rede de computadores da empresa, pois a maioria dos softwares maliciosos, conhecidos como vírus, foram desenvolvidos para os sistemas operacionais proprietários. || Segurança para rede independe do SO utilizado e sim de politicas corporativas, firewall, monitoramento, treinamento, etc.

>> Faça dual boot. || 2 falhas aqui: 1) Mantendo o Windows instalado, sua empresa continuará com GAP de licenciamento. 2) O usuário vai continuar utilizando o sistema que é mais confortável para ele, ou seja, continuará no Windows.

>> "... desenhado especialmente para computadores em nuvem..."|| O que seriam computadores em nuvem??

>> "Pacote empresarial - Sistema usado pela empresa (por exemplo) o Apollo, fazer uma versão web, assim diminui com TS e com Windows." || Parágrafo sem sentido algum. Então, junto com a migração, basta a empresa migrar todos os seus sistemas para uma versão web? Realmente muito fácil!!! (aff)

>> A NÃO ACEITAÇÃO POR PARTE DOS FUNCIONÁRIOS || Daqui para baixo, o texto fica simplesmente sem qualquer nexo, totalmente ininteligível. Péssimo uso de acentuação e pontuação. Merece uma revisão completa!

>> "Todo o treinamento, os colaboradores vão gastar recursos da empresa. A empresa tem que manter esses colaboradores até que esses custos sejam cobertos.

Se um colaborador sair da empresa após o treinamento, a empresa vai ter que gastar duas vezes praticamente com treinamento. " || Caro autor, por favor! Releia isso! Não faz sentido e está pessimamente escrito! Esse assunto não cabe em um projeto como esse!

>> "Publicações internas na empresa (intranet - Apache), voltada para os colaboradores ajudam também. Aí, já é voltado ao setor de Marketing. Quanto menos resistência tiver e quanto mais informações os colaboradores tiverem e suas dúvidas forem sanadas, menos resistência você terá. " || Caro autor, no mundo real, qualquer projeto que envolva mudanças para o usuário final, devem estar alinhadas com todos os heads de departamento, principalmente o RH, que é o responsável pela comunicação - isso não é uma tarefa do MKT. Mais uma prova de que o autor não tem domínio algum do que está falando!

Em resumo, é uma pena ver um artigo tão pessimamente escrito aqui no VOL. Os editores do site deveriam tomar mais cuidado com o que é publicado.

Att,
VC





[6] Comentário enviado por removido em 24/03/2017 - 17:28h


[3] Comentário enviado por dfcampos7 em 23/03/2017 - 15:29h


[1] Comentário enviado por BlackDead em 22/03/2017 - 13:48h

Complicado mesmo seria os usuários que usam o pacote office, essa transição seria muito criticada, pra mim esse é o ponto principal de não conseguir realizar tal atividade.


Realmente a maior dificuldade seria a adaptação ao LibreOffice que é bem diferente do MSOffice... Há a alternativa do WPS, mas o LBOffice tem um suporte muito, muito melhor...




Norma brasileira - NBR ISO/IEC 26300:2008 aprovada em Abril de 2008.

http://www.softwarelivre.gov.br/palestras-tecnicas-cisl/ODF_CISLJul_2008.pdf



A Microsoft liberar o SDK OOXML no GitHub sob a licença Apache 2.0.

Agora a compatibilidade do LibreOffice podera ser 100% com Microsoft Office.


http://www.phoronix.com/scan.php?page=news_item&px=MTcyOTg

https://github.com/OfficeDev/Open-Xml-Sdk

https://support.office.com/pt-br/article/Formatos-e-extens%C3%B5es-de-nomes-de-arquivo-Open-XML-5200...


https://pt-br.libreoffice.org/projetos/revista

[7] Comentário enviado por removido em 25/03/2017 - 13:48h

Não discuto com anônimos, gosto de dialogar com pessoas que tenha bom senso.

O funcionamento de um ambiente corporativo é tema de Governança de TI.

Uma boa política de segurança esta relacionado com o Sistema Operacional usado nos computadores em ambiente de rede. Tema muito falado em Governança de TI, Sistema Distribuído e Rede.

Firewall, IDS (Intrusion Detection System) só é uma das camadas de segurança como a escolha correta do Sistema Operacional.

O dual boot ajuda no processo de migração com treinamento mostrando aos funcionários as funções semelhantes dos S.Os. Usado somente na etapa inicial do projeto, o foco é eliminar custo com licenciamento de Windows.

Sugiro a leitura sobre "cloud computing" para quem não sabe o que significa computadores em nuvem.

Sistema web já é uma tendência de mercado vêm ganhando espaço e preferência entre os empresários e gestores de negócios:

- Resultados positivos;
- Ótimo custo-benefício;
- Economia (licenças de Terminal Service e licenças de Windows);
- Dinâmicos - podendo as informações serem acessadas em qualquer lugar, a qualquer momento;
- Baixo custo de manutenção;
- Backups;
- Superam quaisquer expectativas em relação aos sistemas desktop;
- Atualização rápida.

Isso só é algumas vantagens dos sistemas Web.

Artigo fala indiretamente sobre os arquétipos da governança de TI.

Tudo que esta relacionado com o projeto tem importância (custo com treinamento, recursos da empresa, adaptação dos funcionários a nova política da empresa e outros)

Se a política da empresa é migrar de Windows para Linux os funcionários tem que se adaptar a essa nova realidade, chamamos isso de Monarquia de negócio.

Todos devem esta envolvidos no processo de migração principalmente o setor de Marketing,RH e outros.

O apoio do RH da empresa é fundamental (PO7 Gerenciar os Recursos Humanos de TI).

Sugiro para os leigos no assunto a leitura de alguns frameworks: COBIT e ITIL.

[8] Comentário enviado por MasterSystem em 25/03/2017 - 15:55h

Isso é um artigo, sério? Isso não seria nem mesmo uma dica completa quanto mais um artigo. Péssimo conteúdo, inclusive, conteúdo plagiado de comentários feitos por outros usuários em alguns tópicos. Ter esse tipo de "colaborador" é extremamente negativo para VOL como um site respeitado.

_________________________________
Debian GNU/kFreeBSD non-Linux inside
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

[9] Comentário enviado por thevovo em 25/03/2017 - 23:25h

Olá Meia Noite (não sei o seu nome!)!
Muito obrigado por ter tido a gentileza de responder meus comentários e críticas sobre o seu artigo.
Fiz minha réplica dentro do seu comentário e espero continuar o assunto!
Att,
The VOVO!


[7] Comentário enviado por meianoite em 25/03/2017 - 13:48h

Não discuto com anônimos, gosto de dialogar com pessoas que tenha bom senso.

R: Primeiramente, boa noite! Vamos lá, não sou ANÔNIMO! Meu nome é Valdecir Carvalho e você pode facilmente me encontrar no Linkedin se tiver um pouquinho de boa vontade! Vamos lá, qual o seu nome mesmo? Meia Noite? Hummm me soa bastante ANÔNIMO, mas ok! Mais uma contradição.

O funcionamento de um ambiente corporativo é tema de Governança de TI.
R: Sim, prosiga!

Uma boa política de segurança esta relacionado com o Sistema Operacional usado nos computadores em ambiente de rede. Tema muito falado em Governança de TI, Sistema Distribuído e Rede.
R: Ok, concordo, mas não é somente o LINUX que é um sistema operacional seguro correto? Qualquer sistema operacional, se bem administrado, é seguro.
Por favor, pare de soltar "jargões" sem nexo no meio do seu texto. Aprenda seu conceitos primeiro e quando usá-los.

Firewall, IDS (Intrusion Detection System) só é uma das camadas de segurança como a escolha correta do Sistema Operacional.
R: Humm e ai? Mais uma sentença recheada de palavras sem nexo e sem coerência. O que isso tem a ver com o tema do seu artigo? Nada!

O dual boot ajuda no processo de migração com treinamento mostrando aos funcionários as funções semelhantes dos S.Os. Usado somente na etapa inicial do projeto, o foco é eliminar custo com licenciamento de Windows.
R: Errou de novo! E vou dizer porque:
1. Se você continua utilizando o Windows, você continua no dever de estar licenciado. Não é porque o SO está instalado e não utilizado, que você vai deixar de ser obrigado a pagar o licenciamento.
2. Em nenhum momento, você citou no seu artigo, que era temporário. Ok, temporário quanto? Qual é a estratégia de treinamento? Você vai parar o cara, mandar ele dar o boot pelo Linux e mostra a ele como faz? Me desculpe, mas sua linha de pensamento está TOTALMENTE EQUIVOCADA e mais uma vez demonstra que você não tem conhecimento ALGUM sobre o que escreveu.

Sugiro a leitura sobre "cloud computing" para quem não sabe o que significa computadores em nuvem.
R: Ok! Eu sei muito bem o que significa "Cloud Computing" e novamente, o que isso tem a ver com a substituição de SO Windows por Linux em estações de trabalho? Vc vai rodar VDI na nuvem? Se sim, mais uma vez, tudo o que vc escreveu, não serve para nada!

Sistema web já é uma tendência de mercado vêm ganhando espaço e preferência entre os empresários e gestores de negócios:
R: Hummmm OK! Mas novamente, é simplesmente trocar e pronto? Vc levou em consideração custos, sistemas legados, tempo, etc? Mais uma vez NÃO e repito, você não sabe do que está falando!

- Resultados positivos;
- Ótimo custo-benefício; - BASEADO EM QUE? Quais parâmetros vocês está usando?
- Economia (licenças de Terminal Service e licenças de Windows); - Mesma pergunta acima!
- Dinâmicos - podendo as informações serem acessadas em qualquer lugar, a qualquer momento; - Oi???
- Baixo custo de manutenção; - BASEADO EM QUE?
- Backups; - OI de novo??
- Superam quaisquer expectativas em relação aos sistemas desktop; BASEADO EM QUE?
- Atualização rápida. - BASEADO EM QUE?

Isso só é algumas vantagens dos sistemas Web.

Artigo fala indiretamente sobre os arquétipos da governança de TI.

Tudo que esta relacionado com o projeto tem importância (custo com treinamento, recursos da empresa, adaptação dos funcionários a nova política da empresa e outros)
R: FINALMENTE, alguma coisa coerente você conseguiu escrever, MAS em nenhum momento vc leva em consideração esses pontos em seu artigo, o que NOVAMENTE demostra a sua total INCAPACIDADE em escrever sobre o assunto.

Se a política da empresa é migrar de Windows para Linux os funcionários tem que se adaptar a essa nova realidade, chamamos isso de Monarquia de negócio.
R: CHAMAMOS QUEM? Vc levou em consideração as consequências que isso pode trazer?

Todos devem esta envolvidos no processo de migração principalmente o setor de Marketing,RH e outros.
R: Hummm isso eu te falei!

O apoio do RH da empresa é fundamental (PO7 Gerenciar os Recursos Humanos de TI).
R: Mais do mesmo... óbvio!

Sugiro para os leigos no assunto a leitura de alguns frameworks: COBIT e ITIL.
R: O que COBIT e ITIL tem a ver com o assunto do seu artigo?
De exemplos por favor?




[10] Comentário enviado por thevovo em 25/03/2017 - 23:26h

Ótimo artigo?
Meu amigo!!! Por favor, releia o texto e encontre algo com nexo e coerência nesse texto.



[2] Comentário enviado por Ghost_Shell em 23/03/2017 - 11:58h


Ótimo artigo midnight :)

Keep it simple stupid!



[11] Comentário enviado por thevovo em 25/03/2017 - 23:28h

Fico aliviado em ver seu comentário e não achar que somente eu vi a péssima qualidade desse ""artigo"".
Att,
VC

[8] Comentário enviado por MasterSystem em 25/03/2017 - 15:55h

Isso é um artigo, sério? Isso não seria nem mesmo uma dica completa quanto mais um artigo. Péssimo conteúdo, inclusive, conteúdo plagiado de comentários feitos por outros usuários em alguns tópicos. Ter esse tipo de "colaborador" é extremamente negativo para VOL como um site respeitado.

_________________________________
Debian GNU/kFreeBSD non-Linux inside
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨



[12] Comentário enviado por removido em 26/03/2017 - 13:59h

Crítica por crítica e as coisas acabam ficando no vácuo. Portanto, para algo mais concreto e para enriquecer a discussão, sugiro ao amigo thevovo que escreva um artigo mostrando o seu ponto de vista sobre o assunto. Creio que seja a melhor maneira de responder ao artigo do meianoite e, caso isso aconteça, poderemos contar com outro artigo dando-nos uma perspectiva diferente sobre o tema.
---------------------------------------------------------
https://www.linuxcounter.net/cert/619784.png

[13] Comentário enviado por sacioz em 26/03/2017 - 15:06h

Olá :
É vc o plinux ??
Vlw...

[14] Comentário enviado por sacioz em 26/03/2017 - 15:21h

Este artigo promete (após ler os comentários) muito , vamos ver quem mais vai comentar ...!

[15] Comentário enviado por cristhianbini em 31/03/2017 - 10:09h

Pra mim todos os outros problemas de compatibilidade são contornáveis, mas quando se trata dos sistemas e softwares do governo? Atendo diversos escritórios de contabilidade e meu sonho era que todos usassem apenas linux, no caso eu iria de ubuntu!

Infelizmente esse governo não consegue se quer fazer um programa funcionar em rede, sempre tenho que instalar todos os programas cliente por cliente, imagine se um gerador de imposto de renda funcionasse pela rede que mão na roda seria centralizar a base dele no servidor e os funcionários usassem via rede!

Mesmo com o domínio do LINUX em servidores, smartphones estamos nas mãos do windows até que ele se torne OpenSource, o que eu acho que não demora muito!

[16] Comentário enviado por cruzeirense em 03/04/2017 - 16:13h

Artigo semelhante que publiquei em 2009, muita coisa ainda é válida:

https://www.vivaolinux.com.br/artigo/Regras-de-ouro-ao-instalar-o-Linux-em-empresas

[17] Comentário enviado por xjc em 04/04/2017 - 12:00h

O Autor não tem idéia do que é um ambiente corporativo .
Artigo desnecessário e superficial.

[18] Comentário enviado por paulo1205 em 09/04/2017 - 08:17h


[12] Comentário enviado por dfcampos7 em 26/03/2017 - 13:59h

Crítica por crítica e as coisas acabam ficando no vácuo. Portanto, para algo mais concreto e para enriquecer a discussão, sugiro ao amigo thevovo que escreva um artigo mostrando o seu ponto de vista sobre o assunto. Creio que seja a melhor maneira de responder ao artigo do meianoite e, caso isso aconteça, poderemos contar com outro artigo dando-nos uma perspectiva diferente sobre o tema.


Discordo de você. Para criticar um artigo ruim, ainda mais de modo sólido, como fez o “thevovo”, apontando os problemas internos, ninguém precisa ser obrigado a escrever outro melhor. As pessoas têm mais o que fazer.

[19] Comentário enviado por paulo1205 em 09/04/2017 - 08:21h

Sugiro à moderação do site a remoção deste artigo.

[20] Comentário enviado por Superbomber em 16/04/2017 - 19:40h

Acho um exagero a remoção do tópico.

Enquanto o artigo, parece que o usuário tentou refletir dicas que seriam válidas para migrar de sistema operacional em sua casa como se fossem válidas para uma empresa inteira.

Como por exemplo citar o dual boot, ou passar a se acostumar a usar o Linux. (se a pessoa pretende instalar Linux na sua empresa, é para uso dos funcionários e não dele.)

Eu realmente tive a impressão que o autor não sabia do que estava falando, e simplesmente copiou e colou o texto sem nem ao menos ler o que havia escrito.

Realmente nada faz sentido nesse artigo. Creio que quem gostou ou elogiou sequer leu a primeira linha. :)
_______________________________________________

Não sei porque você está lendo isso.


Contribuir com comentário