Como a Tecnologia pode ajudar a Democracia?

Este artigo vai tratar de vários casos de mudanças políticas causadas pela Tecnologia e mostrar um estudo de caso baseado no Brasil de hoje, que vive a mais conturbada crise política de sua História.

[ Hits: 7.008 ]

Por: Edvaldo Silva de Almeida Júnior em 02/05/2016 | Blog: http://emeraldframework.net


Alguns exemplos da Antiguidade



Temos o costume de achar que a Tecnologia é Apolítica, e em certo sentido é mesmo. Mas não podemos negar que ela tem causado mudanças políticas sérias.

E para quem acha que é apenas coisa da "Primavera Árabe" para cá, uma surpresa: a influência da Tecnologia nos processos políticos é muito mais antiga que isso.

Este artigo vai tratar de vários casos de mudanças políticas causadas pela Tecnologia e mostrar um estudo de caso baseado no Brasil de hoje, que vive a mais conturbada crise política de sua História.

As espadas de ferro eram frágeis e quebradiças. Impérios que mantinham seus exércitos com armas de ferro passaram a perder mais e mais batalhas para os que dominavam a tecnologia do bronze, uma liga de cobre e estanho. Produzir bronze não era algo fácil. Aliás, não é ainda.

Precisa-se extrair o estanho da Cassiterita antes de poder misturá-lo ao cobre fundido para fazer o bronze. Pode parecer tudo muito rudimentar para os dias de hoje, mas para a época tratava-se de um profundo esforço tecnológico. E esse esforço tecnológico influenciou completamente a distribuição do poder naqueles tempos remotos.

Mais para frente na história a popularização do uso da pólvora e das armas de fogo foi um fator decisivo para o fim do sistema feudal. Vamos entender o que houve.

Naquela época, os nobres eram as pessoas que tinham por profissão a guerra. Ao contrário do que muitos pensam, não bastava possuir a terra e tudo que nela havia, inclusive as pessoas. Era preciso defender esta terra e estas pessoas. Este era o pacto feudal.

O camponês trabalha e o nobre o protege, dá segurança contra bandidos e salteadores, mantém as estradas seguras e evita que as aldeias sejam invadidas.

Para isso o nobre se ocupa desde cedo no aprendizado das artes bélicas. Ele pratica com espadas e lanças, ele aprende a montar e a usar uma armadura no combate. Essas habilidades eram exclusivas da nobreza. Mas a tecnologia da produção de pólvora e de armas de fogo fez com que qualquer pessoa pudesse lutar. As balas furavam as armaduras e nem todo sangue azul mantinha os ocupantes destas vivos.

Não se precisa de um treinamento de uma vida para carregar um mosquete e puxar o gatilho. Por isso, pode-se ter exércitos de plebeus. E a Revolução Francesa mostrou que plebeus podem dominar exércitos da nobreza facilmente. Foi a proibição de armas para os camponeses, sobretudo armas de fogo, que fez com que o Shogunato Tokugawa mantivesse o poder no Japão por mais de trezentos anos e assim mantivesse vivo o regime feudal naquele país.

Mas recentemente a tecnologia da fusão nuclear não apenas definiu o destino da II Guerra Mundial, mas criou duas superpotências antagônicas que durante décadas se enfrentaram silenciosamente, instigando guerras em países pequenos para testar os limites uma da outra, mas sem nunca desejar um confronto definitivo.

Sim, se não tivemos uma terceira guerra mundial iniciada pelos Estados Unidos e pela extinta União Soviética, foi graças à tecnologia nuclear. Os dois lados sabiam que uma guerra seria fatal para a humanidade como um todo. Não haveria ninguém com condições de reinar sobre os escombros, porque quase todos estariam mortos e os escombros seriam altamente radioativos.

A esta altura, depois de ler esses três parágrafos, você deve estar se perguntando: "O que será que tudo isso tem a ver com Linux? Por que esse cara postou esse artigo aqui?"

Eu explico, se tiver um pouco mais de paciência e passar para a próxima página.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Alguns exemplos da Antiguidade
   2. A Primavera Árabe e as manifestações no Brasil
   3. Software Livre e Democracia
   4. Um estudo de caso
Outros artigos deste autor

KDE em um PC "primitivo"

Instalando o Fedora Core 5 via NFS

Software Livre e o Código de Defesa do Consumidor

Programação (I) - Planejamento e Otimização

Instalando Slackware "na marra"

Leitura recomendada

Segurança de Web APIs Distribuídas

Começando com Ruby

Começando com Ruby

Segurança de Web APIs Distribuídas

Implantação de um Sistema de Workgroup Open Source

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 02/05/2016 - 07:22h

Edvaldo sempre com ótimos artigos! Parabéns e boa sorte ao projeto.

[2] Comentário enviado por xerxeslins em 02/05/2016 - 14:46h

Muito interessante e inspirador.

Vou pensar em uma maneira de contribuir com a democracia também.

Parabéns pelo artigo.


--
# epro mix-in +no-systemd
Linux user #455427
https://goo.gl/uu8OUX

[3] Comentário enviado por luiztux em 02/05/2016 - 15:15h

Ótimo artigo. Estupendo. Parabéns.

O que dizer? Simplesmente maravilhoso. Nos incita a fazer algo, a realmente fazer algo.

A questão das grandes empresas de tecnologia deixarem o "caminho livre" para o FBI e o Governo Americano, no geral, está relacionada àquela velha frase: se os olhos não vêem, o coração não sente. Sendo assim, se as pessoas não souberem disto (que é o que acontece), está tudo muito bem, cada um continua com tua vida.

Agora responda-me uma coisa: com esta CPI de crimes cibernéticos rolando pra lá e pra cá no Congresso, você não teme que teu projeto seja censurado de alguma forma? Sabe que eles taxam os desenvolvedores (e aqui me incluo) de criminosos que criam "ferramentas computacionais utilizadas para a prática de ilícitos no ciberespaço." Isto é retirado do texto desta CPI. Neste contexto, teu projeto estaria na mira deles fácil, fácil, o que é uma verdadeira lástima, visto que eles destorcem tudo da forma como querem.

-----------------------------------''----------------------------------
Computer users fall into two groups:-
those that do backups
those that have never had a hard drive fail.

[4] Comentário enviado por removido em 02/05/2016 - 18:58h

Primeiramente, gostaria de ressaltar que não se trata de fusão nuclear.
Trata-se de fissão nuclear. Fissão é partir o átomo.

Partículas quebradas que acertam outros átomos, que são partidos em seguida.
Reação em cadeia.
Fusão seria unir átomos.

Alguém disse que é vantajoso porque deixa menos lixo radiativo espalhado.

A grande preocupação da maioria do povão é ir trabalhar.
Ninguém quer esquentar a cabeça.
É só botar alguém lá para se virar e está tudo certo.
Igual técnico de futebol.
É por isto que clubes como Portuguesa-SP e Guarani-SP chegaram onde chegaram.

Se for para o político não dar certo, é só dar um boicote.
Como acontece agora.

Faz uns meses que houve uma votação sobre criação de comitês de cidadãos com poderes legislativos sobre a governança municipal.
Os direiteiros não aprovaram. Um dos argumentos é de que essas pessoas estariam sendo pagas para fazer o que alguém tivesse interesse.
O detalhe é: quem tem tempo para se prestar a reuniões municipais? É quem tem isto por ocupação.
No caso o Brasil teria um mecanismo igual ao que foi criado em Cuba e outras republiquetas sinistras.

O povo escolhe candidato por escolher. Nada lhe é cobrado.
Se escolhe, também é pelo mais simpático, bonitinho. Nada lhe é cobrado.
O povo de passeata tem tempo livre.
Será que encher o saco via telefone ou e-mail compensa?
Ou será melhor querer aparecer?
Se o e-mail pode ser filtrado e o telefone pode ser desativado?

Deram um jeito rapidinho de resolver o problema de passe livre para estudantes.
Este foi o catalisador dos protestos. Foi um movimento organizado.
Se não tiver alguém organizando vira micareta.
Um telefona para o outro:
_ E aí? Vai no protesto domingo?
_ Não, tô sussa. Vou pegar praia.

Agora uma coisa que me intriga: se o voto é secreto, como posso eu cobrar algo sem revelar meu voto?

Eu não acredito que colocando alguém em um suposto cargo dê certo.
A estrutura está viciada. Quem entra sempre tem que dançar conforme a música.
Eu já contei uma história antes e vou relembrá-la:

Havia um vereador de uma cidade aqui perto que foi eleito por partido de esquerda.
Quando o cara entrou, alguém do meio me disse algo:
_ Se fulano não se enquadrar vão dar um jeito nele.

Dito e feito: em dois anos saiu por decoro parlamentar.
E não soube de ser reeleito de novo.
Quem assiste novela das nove sabe que tem um vereador isolado na história.
Vamos ver se na história alguém tenta dar um jeito nele.
(É só novela, essas coisas não acontecem na vida real ><).

Na Antiguidade governantes eram deuses.
(Bem, no Japão parece ter algo assim).
Se eu tivesse nascido nessa época eu seria ateu.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
# apt-get purge systemd (não é prá digitar isso!)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden

[5] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 02/05/2016 - 23:16h

Respondendo por partes:

xerxeslins, se quiseres participar do Portal Democracia, seja como desenvolvedor seja contribuindo com artigos, o espaço está ao seu dispor.

luiztux, sim, eu já pensei nessa possibilidade... a questão aqui é jogar com o marketing, usar o jogo deles! Eu pretendo fazer uma campanha para o lançamento do portal e chamar a atenção da imprensa. Já consegui até o apoio de uns dois ou três congressistas. Depois disso tornar-se público, ficará difícil (impopular) para eles boicotarem o Portal Democracia. Pelo menos é o que espero.

listeiro_037, gostaria de ressaltar que existem as duas coisas: fusão nuclear (https://pt.wikipedia.org/wiki/Fus%C3%A3o_nuclear) e fissão nuclear (https://pt.wikipedia.org/wiki/Fiss%C3%A3o_nuclear). Ressalto também que antes de criticar é bom estudar. No tocante ao restante, discordo de quase tudo que disse. Mas, como sou democrata, respeito profundamente seu direito de pensar como pensa, nesse estilo de "deixa como está para ver como é que fica" ou "nada adianta". Penso diferente e atuo com base no que creio. Como a sua filosofia é de não-ação, creio que a longo prazo meu método tem mais chance de fazer algo positivo. Quanto a eles desativarem telefone e caixas de email... isso pode acontecer, mas jogarei o jogo deles: mostre isso ao povo e faça-os impopulares por fazê-lo.

Obrigado a todos pelos comentários.


Ed de Almeida, MSc (Math)
http://rubyofftherails.blogspot.com

[6] Comentário enviado por sacioz em 03/05/2016 - 12:51h

Olá a todos :
Procurando com passos de algodão , sem ferir ninguem , expor algo : Os que realmente podem fazer algo , fazem . O que eu posso , faço . Uma sugestão a quem ainda não viu : O discurso de João Goulart , no comício da Central em '64 . Ouçam que bem no fim , antes do video ser cortado ele menciona : " vamos lutar pela reforma agrária " e " vamos lutar pela reforma tributária " , ai o vídeo termina . Antes de tentarmos acabar com essas urnas safadas que todos sabem que são facilmente fraudadas , lutemos por uma reforma tributária que realmente dê fôlego a todos nós . Agora , lembrem-se que a reforma agrária ainda não saiu do papel engavetado . Imaginem a tributaria .
Desculpas pelo excesso e entusiasmo .
Sacioz...)))

[7] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 03/05/2016 - 13:30h

sacioz, de fato o Brasil precisa de uma reforma tributária e de uma reforma agrária. Só que nunca nos modelos que os comunistas/socialistas querem. Quando era professor em 2004 acompanhei um grupo de estudantes em uma visita a um assentamente com ONZE ANOS. Eles nunca tinham tirado uma colheita da terra nesse tempo, mais de uma década. Simplesmente viviam dos financiamentos anuais do Banco do Brasil para a safra que eram gastos em construção de casas, de bares, montagem de pontos comerciais. Já haviam fundado (e afundado) cinco cooperativas, porque sempre que uma cooperativa ficava suja no BB eles fundavam outra e seguiam pedindo dinheiro para a safra que não saia. Quanto à reforma tributária, eles sempre a querem para ferrar conosco.


Ed de Almeida, MSc (Math)
http://rubyofftherails.blogspot.com

[8] Comentário enviado por removido em 03/05/2016 - 18:39h

Gostaria de lembrar que não disse que fusão não existe.
Senão eu nem teria me dado ao trabalho de me referir.
Eu me referia mais às bombas usadas.
Mesmo nas bombas de hidrogênio ocorrem (primeiro) uma fissão.
Daí esse desencontro.

Agora voltando ao termo Política, eu já participei de algumas atividades de protesto, que se revelaram inócuas.
Sobre não concordar, eu causo esse efeito mesmo. Eu só vou acreditar em algo que pode ser mudado quando eu ver mudar.
E não é "deixa como está", tenho quase certeza que mudando o governo, que são favas contadas, protestos e investigações pararão.

Desejo boa sorte a todos e que eu esteja enganado. Mas essa sensação de déjà vu é mais forte que qualquer esperança mais ingênua.
Que digam os boias-frias que não tem o tempo para se preocupar com estas coisas.

(marquei seu artigo com +)

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
# apt-get purge systemd (não é prá digitar isso!)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden

[9] Comentário enviado por hrcerq em 03/05/2016 - 23:26h

Aí está mais um excelente artigo.

Parabéns pela ótima contribuição, tanto do artigo, como do projeto. Também acredito que uma participação mais ativa na política é o único jeito de promover as mudanças que precisamos, e também acredito neste papel da tecnologia dentro da democracia, que você menciona.

Como diz um velho ditado, cujo autor agora não me recordo, "loucura é fazer a mesma coisa várias vezes e esperar resultados diferentes". Portanto iniciativas que visem tornar o povo mais politizado e consciente são sempre válidas. Para mim cidadania é justamente isso: ter essa preocupação com todos, zelar pelo bem comum. E fazer uso da tecnologia para isso é mais do que plausível, é um dever que todos temos enquanto cidadãos.

---

Atenciosamente,
Hugo Cerqueira

[10] Comentário enviado por enzomatroska em 10/05/2016 - 11:29h

Adorei seu artigo. Muito sensato e coerente. Parabéns! Ainda sou novo nesse mundo de tecnologia mais me sinto beneficiado pelo seu projeto e pretendo acompanhar esse portal.
A cada dia vemos mais a necessidade de uma renovação na política nacional. Eu as vezes fico extremamente surpresa com a "leiguisse" de alguns do poder público no que diz respeito também a tecnologia. Tivemos recentemente o exemplo do bloqueio do whatsapp que sinceramente só demonstra o quanto os políticos desse país são primitivos e não entendem sequer sobre política de privacidade. Apoiei com todas as forças a postura da empresa. Está na hora de pensarmos em uma bancada Tecnológica na câmara não acham? seria bem mais útil que a tal da evangélica(sem preconceito). Enfim, fica aí pra se pensar.
Eu gostaria de saber sua opinião sobre este assunto....

[11] Comentário enviado por EdDeAlmeida em 10/05/2016 - 11:55h

Poxa, obrigado! Sinto-me honrado!

Sobre a Bancada Tecnológica, acho uma ideia maravilhosa. Sua ideia pode ser um dos caminhos para mudar os destinos da espécie humana, conciliando dois fatores fundamentais nessa nossa era: política e tecnologia!

Você já leu "Duna", do Frank Herbert? Se leu me perdoe por fazer um breve resumo. Trata-se de uma ficção ambientada lá pelo ano 24000+, quando a humanidade já se havia espalhado pelo universo. Estabeleceram uma sociedade feudal, com senhores mandando em cada planeta. Há muito mais que isso na história, mas o aspecto que me fez lembrar a sua proposta é que havia duas sociedades muito influentes nesse mundo do futuro. Uma era religiosa, formada pelas "monjas" chamadas de Bene Geserit. Elas representavam o que hoje conhecemos como religião ou espiritualidade, focando na melhoria dos seres humanos nessas áreas. A outra era a Corporação Espacial, formada pelos navegadores. Como a sociedade humana estava espalhada no universo, as interações dependiam de quem soubesse usar a tecnologia para navegar em tempo hábil de um planeta a outro, evitando as imensas distâncias espaciais. Para fazer isso eles trabalhavam na expansão da mente por recursos artificiais como mutações controladas. Eu não consigo pensar em coisas como o Google Glass sem lembrar disso e a sua proposta me fez também pensar no assunto.

A tecnologia, hoje vital para a humanidade, precisa mesmo ter um papel mais influente na condução dos assuntos humanos. Sem isso certas tecnologias ficam nas mãos de políticos e magristrados sem qualquer formação tecnológica, que nem entendem o que pode e o que não pode nessa área.

Acho que vou fazer um artigo sobre isso! Obrigado!

Ed de Almeida, MSc (Math)
http://rubyofftherails.blogspot.com


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts