A essência de ser Livre

Muitas pessoas e empresas estão migrando para o software livre buscando a ferramenta ideal para suas necessidades, seja ela a área que for, mas sempre buscando o melhor cu$to benefício. Neste nicho o software Livre vem conquistando adeptos a cada dia que passa, isso porque entenderam a essência de serem livres...

[ Hits: 8.481 ]

Por: Juno Kim em 22/08/2007 | Blog: http://www.kim.eti.br


A essência de ser Livre



Ser livre (em tratando-se de software) está muito mais além do que simplesmente instalar o Linux em sua máquina! Ser livre é buscar novos desafios, é contribuir com a sociedade, é promover soluções que inovam, é não ter medo de compartilhar seus conhecimentos seja com quem for; afinal ser livre é poder... é ter poder..., poder de ter um código aberto e não ter medo de usá-lo para sua segurança. Parece estranho, mas é porque nos deparamos com um dos maiores paradigmas do mundo da informática:

"Como posso proteger minha máquina ou minha empresa com um software de código aberto?"

Eis aqui mesmo a resposta: Todos contribuem para fazermos do "Pinguim" um sistema robusto e poderoso, pois muitos engenheiros de software, cientistas da computação, especialistas de segurança e até mesmo "hackers" têm se dedicado à isso. Cansamos da hegemonia e dos valores abusivos cobrados por um software proprietário, de suas ações de marketing para nos prender à ele, de ter o código fechado que desrespeita as leis do comércio e do consumo e até mesmo das instituições de segurança e principalmente por ser ditadora e demodê. Claro que estou falando da Microsoft!

Eis alguns exemplos:
Não podemos entrar no mérito da comparação do sistema operacional da Microsoft com o Linux, temos que em primeiro conhecer os princípios que os regem.

Vamos observar aqui somente o software livre! Os softwares proprietários da Microsoft vocês mesmos tirem suas conclusões.

- Não é porque compramos um CD/DVD do Windows na banquinha do marreteiro e pagamos R$ 10,00 que somos "livres"!?!?!

Para você entender a "A essência de ser Livre", requer mudança de paradigma, ou seja, você tem que estar aberto à uma nova concepção de software, e ter muita vontade de ler.

"Em suma ser Essencialmente Livre é ter a capacidade de entendimento do seu problema e resolvê-lo de forma eficiente e eficaz".

Isso tudo encontramos no "DNA" do Linux!

Segue alguns dos principais links de referência:
Para aqueles que estão começando no mundo "Livre", recomendo conhecer as distros clássicas:
"Dominar o Linux é ser essencialmente Livre"

Espero ter mostrado à alguns o caminho das pedras e ter esclarecido outros.

   

Páginas do artigo
   1. A essência de ser Livre
Outros artigos deste autor

Configurando o proftpd com autenticação de usuário pelo passwd

Computação Distribuída com TORQUE Resource Manager

Computação Distribuída com TORQUE Resource Manager - Parte 2

Leitura recomendada

Porque tanta gente não usa o Linux? Será que o Linux é ruim mesmo?

Por que o Linux é uma melhor opção comparado ao Windows?

Marketing, o mal necessário

Microsoft anuncia em sites Linux

O papel do Linux na Telefonia Móvel Mundial

  
Comentários
[1] Comentário enviado por MrBorgesSSA em 22/08/2007 - 09:12h

Artigo com argumentos vazios.

Quer dizer que o linux é seguro pois: Todos contribuem para fazermos do "Pinguim" um sistema robusto e poderoso, pois muitos engenheiros de software, cientistas da computação, especialistas de segurança e até mesmo "hackers" têm se dedicado à isso. ?????????? - Quer dizer que na M$ não tem nada disso ??? Piada.

"Em suma ser Essencialmente Livre é ter a capacidade de entendimento do seu problema e resolvê-lo de forma eficiente e eficaz".

Isso tudo encontramos no "DNA" do Linux! - Blá blá blá...

Por ser ditadora e demodê. - Mias blá blá bá!

[2] Comentário enviado por cruzeirense em 22/08/2007 - 09:17h

Cocordo com MRBorgesSSA,
Argumentos vazios, e não acrescentam em nada...

[3] Comentário enviado por marcio68almeida em 22/08/2007 - 10:47h

Todo o artigo não serviu nem mesmo de introdução ao assunto que, na realidade, é muito mais complexo do que isso...
"Ser livre é não estar preso nem mesmo ao pensamento de liberdade".

[4] Comentário enviado por cvs em 22/08/2007 - 10:54h

Na verdade o que eu entendo por ser livre é, posso fazer o que eu quiser, falar o que eu quiser, usar o que eu quiser que não vai haver ninguém querendo me regular.

Isso é ser livre. Agora se for conceituar isso na area tecnologica, ser livre "informaticamente" seria usar softwares de codigo aberto, sotwares livres. Diga-se de passagem, usa-los da forma que eu bem entender, sem ninguém pra regular isso.

O seu "Essencialmente Livre" é perfil de desenvolvedor, porque um usuario comum pode ser muito bem livre e não resolver problema algum, apenas usar as ferramentas livre e não depender de licença nenhuma.

Acho que você deveria ter lido mais a respeito do assunto pra poder discorrer melhor.

[5] Comentário enviado por adrianoturbo em 22/08/2007 - 10:55h

A essencia de ser livre é distinguir a relação entre software proprietário e software livre ,o "entendimento" que você mesmo prega no seu artigo vai além de saber resolver um problema de forma eficiente ,começa por uma série de fatores desde de cooperação e solidariedade de pessoas profundamente envolvidas no compromisso de transformar o software livre numa realidade que todos possam usar com responsabilidade .
E com relação as patentes que a Microsoft detêm não é de hoje que a mesma pratica esse tipo de ato aliado a monopolização de seu sistema,mas felismente temos o livre árbitrio a liberdade de escolha de acordo com nossas necessidades.

[6] Comentário enviado por elgio em 22/08/2007 - 11:34h

Pois é.

Falou em valores (R$) e o software livre não tem nada a ver com isto.

Acredito que o melhor mesmo, mas o melhor mesmo é ler o manifesto GNU e o Catedral e Bazar.

A propósito: o termo livre é tão confuso que existem até divergências entre os "livres". O pessoal do Free BSD, por exemplo, não considera o Linux como livre (pois, segundo eles, existe restrições à liberdade: tu não pode usar o Linux em um produto fechado, não livre)

É quase discussão sobre religiosidade ou time de futebol...

[7] Comentário enviado por elgio em 22/08/2007 - 11:36h

Se me permite publicar links meus aqui, tenho os dois textos (manifesto GNU e Catedral e Bazar) traduzidos em minha página (não fui eu quem os tradizi):

http://gravatai.ulbra.tche.br/~elgio/ulbra/gnu/
http://gravatai.ulbra.tche.br/~elgio/ulbra/catedral/index.html

[8] Comentário enviado por InFog em 22/08/2007 - 11:59h

O autor deveria ter lido mais sobre o assunto... mas é um bom artigo, para mostrar para os iniciantes e dizer: Seu objetivo não é esse, você tem que fazer o que quizer e sem criticar a MS. A MS tem o seu modo de negócio e o GNU tem outro.

Bem. esse artigo está muito "oco"... e até mesmo prolixo, sugiro que o autor repense algumas coisas...

InFog

[9] Comentário enviado por juno em 22/08/2007 - 13:18h

Olá Pessol ,
O instuito do artigo foi mesmo promover esse tipo de debate e crítica; percebo que não pensei na publicação do artigo para falar à todos; desenvolvi o tema pensando em um público alvo iniciante , pois vejo aqui no VOL muitas pessoas que precisam de uma força.

E quero dizer que a MS tem uma equipe de desenvolvimento sim, mas que quem compra os seus produtos à pagam!
Enquanto que no Linux temos o conceito de comunidade !

Concordo com o CVS um usuário pode ser livre apenas utilizando o sistema open, mas acredito que ele vai ter ou teve o propósito de resolver o problema de licenciamento de sua empresa com o software livre e não precisou programar uma linha de código!

Percebo também que não consegui ser claro, pois quando disse resolver o problema de forma eficaz estava pensando em tudo; de forma global.
Que servisse para toda a situação.

Quis escrever este artigo com a verdadeira amplitude de liberdade.

Mas valeu pelas críticas e estou a repensar e o próximo artigo farei de forma a atingir toda a comunidade .

Abraços à todos ... Estou aberto às sugestões e críticas !!!

[10] Comentário enviado por pink em 22/08/2007 - 13:57h

Parabéns por ter epressado sua idéia "essência" rsrs
A filosofia GNU/Linux vai muito além dos softwares para computador, ela muda a visão do mundo. Liberdade não tem preço, por isso que o nosso querido pinguim é um free software. Acredito que essa seja a essência de ser livre...
Abraço, Michele.

[11] Comentário enviado por tiagotavares em 22/08/2007 - 16:43h

E aí Juno, blz?

Consegui captar aquilo que vc propôs no artigo, mas deveria ter se organizado melhor para passar isto para os leitores e também ser mais claro. Acho que você usou mais sentimento do que razão para escrever! Hehehe

Abraços!

[12] Comentário enviado por M4iir1c10 em 23/08/2007 - 02:01h

Ser livre e a perfeita harmonia entre voce o seu computador e o seu software, proporcionando a voce oque voce quer na hora que voce quiser sem conflitos... ou seja se voce quer usar o seu computador para editar videos, voce pode fazer isso sem se preocupar se o programa que voce esta usando tem limitacoes ou nao...
No caso da M$ voce tem um programa que se for demo vai criar 20% do trabalho que voce fez ou se fazer completo vai ter uma marca d'agua ridicula no meio da tela, se vc optar por um trial ele vai rodar legal por 15 dias ou 1 mes depois disso ADEUS Programa!!! se for Shareware e a mesma coisa ou nao tem todas as funcoes do programa completo, caso vc opte por comprar o programa integral ele vai custar o olho da cara e depois disso tudo vai bem, ate voce querer salvar o video naquele formato Mp4 ou Mpeg ai o programa que se diz completo vai dizer que voce tem que baixar um plugin para poder salvar no formato que voce quer, e adivinha??? vc tem que pagar por esse plugin, agora se voce quer ser "Livre" disso (notem as aspas), baixe um programa pirata que funciona como o completo, so nao faz registro e update.... se voce fizer... quem sabe vai ter uma estrelinha azul no canto da tela te acusando "PIRATA!!!!"...

Por esses e outros motivos que eu digo ser Livre e ter paz entre voce seu computador e o seu software.

[13] Comentário enviado por removido em 23/08/2007 - 07:16h

legala iniciativa, mais em vez de manda mais um trabalho "linux melhor que windows", demostre isso com tutoriais para melhorar seu desempenho e segurança, pois quem curte mesmo o linux, não precisar ler um blablabla para saber que windows é um lixo

[14] Comentário enviado por wilber em 26/08/2007 - 22:52h

Senhores gosto de Linux e sou um defensor de que os dois sistemas,
podem coexistir de maneira pacífica, porém precisam mudar a idéia de
que o Linux é um sistema. O Linux é uma parte muito importante do
desse sistema que tiveram a infelicidade de noemarem de "Sistema",
quando na verdade o Linux é somente o núcleo do sistema, núcleo esse
que não tem serventia nenhuma caso não seja acompanhado por outros
aplicativos. O nome correto do sistema é GNU/Linux, para os que não
sabem GNU é o conceito de ser livre e Linux o núcleo deste sistema.
Da mesma forma existe o GNU/Hurd núcleo que foi desenvolvido pela
comunidade amante do software livre. Por este motivo não chame de sistema Linux, mas de sistema GNU/Linux ou GNU/Hurd.

E me desculpem Trabalho com tecnologia e precisamos lembra que a alguns anos atrás a Microsoft já foi ignorada pela apple/mac e pela quase morta novell, sendo que este último foi uma potência na área de serviço de rede. A Microsoft é uma empresa séria apesar dos preços exorbitantes com certeza, mas se você precisa do suporte deles e paga por isso tem o auxílio, o projeto fedora só existe pois o pessoal da RedHat não é generoso e ama a comunidade eles gostam de dinheiro.
A idéia é bem simples, deixo o sistema livre e pego as melhorias dele
e aplico no pacote fechado, desta forma ganho oferecendo solução mais
rápida e atendimento diferenciado para que adquirir o pacote fechado com suporte.
Acho que precisamos sim unir conhecimento e força de vontade para ver
todos os "analfabetos" digitais ter acesso as vantagens que essa tecnologia nos proporciona e motivar os outros que não gostam de tecnologia a aprender a utilizar com mais sabedoria o que já sabem e não ficar atacando essa ou aquela empresa. Tenho vários colegas que agem dessa forma, atacam tanto a Microsoft e GNU/Linux.

Peço desculpa se minha forma de pensar agredir alguém mas trabalho com tecnologia e defendo a melhor forma como ela é empregada.

Grato.

[15] Comentário enviado por rwpatriota em 27/08/2007 - 12:06h

Acho que precisamos focar em melhorar o sistema que gostamos de usar, e deixar de proferir ataques do tipo "X é melhor que Y".

No melhor estilo: "Live and let Die"

Abraço.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts