Será que a migração do GRUB Legacy para o GRUB2 tem volta? Acredito que não!

Publicado por meinhardt, jorge g em 30/04/2010

[ Hits: 6.362 ]

 


Será que a migração do GRUB Legacy para o GRUB2 tem volta? Acredito que não!



Pelo andar da carruagem, com distros do porte do Ubuntu, detentor da imensa maioria dos usuários Linux embarcando definitivamente no uso do GRUB2 em substituição a versão anterior (GRUB Legacy), dentro de pouco tempo não teremos provavelmente mais a alternativa de uso do antigo e muito mais amigável gerenciador. Vamos sentir saudades dos bons tempos em que bastava fazer a reedição direta do /boot/grub/menu.lst.

São indiscutíveis entretanto as vantagens do GRUB2 sobre a versão anterior e isto tem sido exaustivamente mostrado em várias publicações.

O grande problema tem sido a dificuldade de reconhecimento entre GRUB Legacy e GRUB2, quando ocorre alguma atualização de distro ou você instala alguma distro cujo gerenciador de boot é diferente do anterior instalado no MBR (Master Boot Record), independentemente de qual dos dois seja ele.

Obviamente isto não se aplica àqueles casos onde você tenha apenas uma distro instalada ou eventualmente uma distro Linux em dual-boot com alguma das versões dos Windows. Neste caso, independentemente de ser GRUB Legacy ou GRUB2, durante a instalação a varredura do sistema detecta e configura devidamente sua distro e o Windows instalado sem problemas.

A coisa enrola quando você, como bom Linuxer, usa mais de uma distro Linux.

Se as suas distros Linux usarem a mesma versão de gerenciador de boot, os problemas são menores, pois na instalação o GRUB ao fazer a varredura do seu sistema encontra e configura corretamente as opções de inicialização. Tudo aquilo que estiver presente no seu HD vai aparecer e quase com certeza vai ficar bem configurado, incluindo todas aquelas versões de kernel anteriores a ultima atualização que você fez.

Para evitar a tela de boot com aquela imensa lista de versões de kernel anteriores no caso do GRUB Legacy, bastará reeditar o /boot/grub/menu.lst marcando com o # cada uma das linhas que você não deseja que apareçam na tela.

Caso seja no GRUB2, vai dar um pouco mais de trabalho, onde será necessário inevitavelmente reeditar algumas das entradas existentes nos arquivos de configuração do GRUB2 (/etc/grub.d/arquivos_de_configuração-de-cada-etapa).

Quando as versões do gerenciador forem distintas, um não reconhece o outro e neste caso você vai precisar fazer a reconfiguração "na unha", seguindo as orientações disponíveis em tutoriais e dicas.

Nem o GRUB2 reconhece direto as entradas das distros que usam o GRUB Legacy nem tampouco ao contrário.

A solução e a razão para esta dica é justamente tentar ajudar neste sentido, onde acredito que existam duas alternativas.

Se você desejar pelo menos por algum tempo continuar com as facilidades de reedição do GRUB Legacy, basta instalar apenas distros que ainda usem o mesmo. Caso você já tenha instalado alguma distro que veio com o GRUB2 optando pela instalação do gerenciador de boot no MBR, você deverá reinstalar o GRUB Legacy no MBR. Mais abaixo no corpo desta dica estão as instruções detalhadas sobre como fazer a reinstalação do GRUB Legacy no MBR, em link do Manual do sidux.

Se você quiser ficar em dia e já ir treinando para o futuro, a solução será fazer a migração do GRUB Legacy para o GRUB2 em cada uma das distros que eventualmente ainda não esteja usando a versão mais nova.

Pelo que já pude experimentar, os dois gerenciadores de boot, "não se falam".

Para isto, basta seguir as informações com o passo a passo existente no Manual do sidux, em:
Linux: Será que a migração do GRUB Legacy para o GRUB2 tem volta? Acredito que não!
Posteriormente, o caminho para fazer as alterações e reedições do GRUB2, passa obrigatoriamente pela edição dos arquivos presentes em /etc/grub.d/arquivo_correspondente_a_alteração_desejada, normalmente será o /etc/grub.d/40_custom.

Abaixo segue a lista dos arquivos de configuração do GRUB2 presentes em /etc/grub.d/ com breve descrição de sua função:
  • 00_header:
  • 05_debian_theme: Especifica o fundo, cores do texto e temas
  • 10_hurd: Localiza os kernels Hurd
  • 10_linux: Localiza os kerneis Linux com base nos resultados do comando lsb_release.
  • 20_memtest86+: Se o arquivo /boot/memtest86+.bin existir, ele é incluído no menu.
  • 30_os-prober: Procura por Linux e outros SOs em todas as partições e os inclui no menu.
  • 40_custom: Um 'template' (modelo de documento vazio) para adicionar entradas personalizadas no menu para outros SOs.
  • 60_fll-fromiso: Um 'template' para adicionar entradas personalizadas no menu para fromisos a partir de dispositivos USB/cartões SSD.
  • 60_fll-fromiso não deve ser alterado; use /etc/default/grub2-fll-fromiso

É importante sempre lembrar a recomendação de que o arquivo grub.cfg não deve ser reeditado diretamente.

Depois de feitas as alterações necessárias nos arquivos existentes em /etc/grub.d/ você deve gerar novo arquivo grub.cfg, bastando para isto comandar no terminal:

# update-grub

Além do material apresentado no link acima, ainda no próprio manual do sidux, existem outros itens interessantes para leitura referente aos dois gerenciadores de boot, com o detalhe, tudo em português:
Além do material acima, encontrei também extensa matéria disponível no fórum do Ubuntu com amplas instruções para quem desejar realmente aprofundar os conhecimentos, infelizmente o material é muito extenso para fazer uma tradução rápida e está disponível apenas em inglês.
Será conveniente também a leitura sobre a identificação única de partições (UUID), já que mais cedo ou mais tarde você vai esbarrar em alguma situação em que terá que usá-la:
Outros links interessantes:
Outras dicas deste autor

Lxde no sidux Momos 2009-03 - leveza, riqueza de recursos e performance

Sidux com kernel 2.6.29 atualizado por script smxi

Ativação WIFI Atheros AR5007EG quando ndiswrapper não funciona

Cronograma de lançamento das versões do sidux

LXDE também uma excelente alternativa para netbooks

Leitura recomendada

CPU-G - Obtendo informações do seu hardware

Compilando e instalando o MySQL no Debian com cmake

Instalando Opera no Debian 9 Stretch

Instalando ownCloud no Fedora 21

Gravando imagem ISO com o Brasero (para iniciantes)

  

Comentários
[1] Comentário enviado por moisespedro em 30/04/2010 - 17:34h

Pra mim a migração do grub legacy pro grub2 foi quase tão ruim quanto a migração do KDE 3 pro KDE 4

[2] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 30/04/2010 - 18:10h

Moises,

Embora já esteja ficando mais habituado com o uso do KDE 4, sou obrigado a concordar totalmente contigo. Pra não perder a calma, venho usando alternadamente o KDE 4 e o LXDE que espero melhore algo mais. Ai vou me bandear de vez pro LXDE.
Com relação ao GRUB, acho que não tem volta.

valeu!!

[3] Comentário enviado por drdoom em 01/05/2010 - 08:22h

Acredito que o que restringe muito o desenvolvimento e a popularização do linux é esse complexo de querer agradar todo mundo. Acredito que o pessoal do Ubuntu esteja certo. tem que simplificar as coisas, até as mudanças...

[4] Comentário enviado por albfneto em 01/05/2010 - 11:04h

bom, KDE4 não quebrava a distro, e eu gosto de kDE 4 mais do que o 3...
mas não gosto muito de Grub2, ele não é facil de trabalhar e dá muito problema..
agora, volta não tem... KDE3 também não tem volta, Tecnologia não tem volta, ela só vai pra frente...

O grub2, mesmo que eu não goste, é como carro Flex, um dia todos vão ser assim...

O que minimiza um pouco problema, é que assim como KDE 4, Grub2 também vai ficar mais aperfeiçoado e mais fácil

Grub2, vc ainda vai ter um! srrsrsrsrrsrsrsrs

[5] Comentário enviado por meinhardt_jgbr em 01/05/2010 - 22:59h

Enquanto o GRUB2 não chega no ponto ideal, consegui resolver o meu problema usando o GAG instalado na MBR. Estou preparando um Artigo ou Dica sobre isto e espero termina-lo ainda na próxima semana, com todos os detalhes da instalação e screenshots, para facilitar a vida pelo menos dos iniciantes. Para quem tem mais conhecimento, não terá problema algum na instalação do GAG. Bastará seguir as instruções de instalação disponíveis no site do GAG.

O único detalhe crítico para aqueles que tiverem boot múltiplo, será fazer a instalação do seu GRUB correspondente a cada distro instalada, de dentro da mesma, dentro da partição raiz da distro que lhe corresponde. Feito isto bastará instalar o GAG na MBR e re-iniciar o pc. A primeira tela que aparece já será a de configuração gráfica do GAG. Bastará configurar cada uma das distros com base na lista de partições que tem algum sistema operacional instalado que já foi detectada pelo GAG já que o mesmo vai reconhecer cada uma delas, independente de que tenham GRUB Legacy ou GRUB2.

Já havia lido material sobre o GAG, porém enquanto a reconfiguração do Grub requeria apenas re-editar o menu.lst não vi necessidade de trocar. Agora entretanto, foi a melhor e mais rápida solução que encontrei e o mais importante, já fiz em um Netbook que é mais complicado que outras alternativas de máquina.

[6] Comentário enviado por domendron em 02/11/2010 - 10:30h

Olá a todos,

Após instalar o OS W7 e em seguida o Debian Testing Squeeze, deparei com este problema do GRUB2 em não identificar e listar o primeiro sistema. Irei olhar o material exposto e ficarei agradecido aquele que já tenha um tutorial pronto. Abraços a todos, Domendron.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts