DESTDIR, PREFIX ou INSTALL_ROOT?

Publicado por Fellype em 09/04/2010

[ Hits: 6.276 ]

Blog: http://scidavisbr.blogspot.com/

 


DESTDIR, PREFIX ou INSTALL_ROOT?



Uma das etapas do empacotamento de um software é a criação da árvore de diretórios. Em programas que utilizam o cmake e o autoconf isto pode ser feito usando a opção DESTDIR= ou, quando isto não dá certo, PREFIX= em seguida ao comando make install, como, por exemplo:

make install DESTDIR=/caminho/desejado

Já nos programas que utilizam o qmake (e o autoconf), geralmente é necessário usar a opção INSTALL_ROOT= ou, em caso de falha, PREFIX_ROOT=, como em:

make install INSTALL_ROOT=/caminho/desejado

Mas se não queremos perder tempo descobrindo, por tentativa e erro, qual das opções determinado programa aceita, o melhor é inspecionar o arquivo Makefile procurando nele referências das opções mencionadas, algo do tipo: $(DESTDIR) ou $(INSTALL_ROOT).

Se no Makefile não houver nenhuma menção à maneira como é feita a instalação, siga a "regra":
  • compilou com make (ou cmake/gmake), utilize DESTDIR= ou PREFIX=
  • compilou com qmake, use INSTALL_ROOT= ou PREFIX_ROOT=

Bom, caso nenhuma das alternativas funcione, só resta lamentar e criar a árvore de diretórios na mão.

Espero que esta dica seja útil.

Até breve.

Outras dicas deste autor

Chat do Facebook com o Kopete sem problemas

Sbotools: pacotes em .txz, com o "seu nome" e no lugar que você quer

Criando senhas diferentes para sites diferentes

Navegador links com suporte a imagens (links -g) como usuário comum

Você quer o BrOffice (OpenOffice/LibreOffice) no seu Slackware? Use os buildscripts do SlackBuilds.org!

Leitura recomendada

Erro de chave pública ao atualizar Chrome no Fedora 22

Colocando o Noatun e Kaboodle para tocar MP3 no Fedora

Livre S.O. - Distro nacional entregue em casa

Informações sobre seu servidor no Linux via web

Instalação de template para monitoramento do Samba no CACTI (Debian)

  

Comentários
[1] Comentário enviado por eldermarco em 10/04/2010 - 11:11h

É, eu costumo sempre dar uma olhada no Makefile antes de compilar. Mas o que me deixa P da vida mesmo não é nem criar a árvore de diretórios se for necessário e sim aqueles programas que não vem com uma rotina de uninstall em lugar algum! Se a pessoa instalou a partir dos fontes em vez de gerar um pacote (eu procuro sempre gerar um pacote por esse e outros motivos) ela terá essa agradável surpresa quando quiser remover a bagaça... pelo menos são raros os que fazem isso.

[2] Comentário enviado por albfneto em 11/04/2010 - 02:51h

Dica util, sem dúvida...
eldermarco, é difícil fazer um uninstall completo do que foi compilado "no braço".
difícil em tudo o que é distro...

[3] Comentário enviado por Lisandro em 05/07/2010 - 09:12h

Boa!



Contribuir com comentário