Instalando fontes da Microsoft em distribuição RPM

Publicado por Luís Fernando C. Cavalheiro em 22/01/2013

[ Hits: 5.173 ]

Blog: https://github.com/lcavalheiro/

 


Instalando fontes da Microsoft em distribuição RPM



Prezados, aqui vai mais uma dica do dino turrão lcavalheiro para os usuários de distribuições RPM.

A dica de hoje fala sobre as fontes da Microsoft, aquelas que deixam a Internet com a "cara dela". Falo de Arial, Times New Roman e outras tantas que a gente vê por aí nos principais sites de hoje em dia.

Para os puristas, sinto muito, mas a família Liberation é feia que dói.

Nas Debian-like, tudo se resume a instalar um pacotinho chamado (normalmente) ttfmscorefonts, mas nas distribuições RPM não é tão simples assim. Graças ao projeto Core fonts, temos como chegar a um nível de facilidade parecido com esse aí.

Vamos começar com a instalação do que você vai precisar:

# yum install rpm-build* cabextract ttmkfdir wget

Após instalar tudo isso, e ainda como root, vamos baixar o spec para a criação do pacote ".rpm" necessário para a instalação:

# wget http://corefonts.sourceforge.net/msttcorefonts-2.5-1.spec

Obs.: Verifique, de vez em quando, o site do projeto para ver se houve atualizações no arquivo ".spec".

Após pegar o spec e ainda como root, para criar o pacote de instalação rode:

# rpmbuild -bb msttcorefonts-2.5-1.spec

Espere um pouco e depois disso, instale o pacote com o comando:

# yum install ~/rpmbuild/RPMS/noarch/msttcorefonts-2.5-1.noarch.rpm

Não importa a pasta em que você baixar o ".spec", o pacote sempre será criado no diretório rpmbuild no diretório de usuário do root (/root).

Depois disso, é correr pro abraço!

Outras dicas deste autor

Abrindo aplicativos gráficos como usuário root logado como usuário comum sem kdesudo ou gksudo

Plugin Pipelight no Fedora 20

Desativando "saudação de três dedos" (Ctrl+ Alt+Del) em distribuições que usam Upstart

Use o Google Hangouts diretamente no terminal

Guia pós-instalação do Fedora 21 Xfce Spin

Leitura recomendada

Instalando o Lotus Notes Client 8 via modo gráfico no KUbuntu 8.04

O que fazer após instalar LMDE 2

Grid Window no Xfwm4 (Xfce) - Em sistemas que aceitem PPA

Como deixar um usuário oculto no login

Modo Clássico no Ubuntu 11.10

  

Comentários
[1] Comentário enviado por eldermarco em 22/01/2013 - 15:55h

É uma boa prática de empacotamento construir pacotes com privilégios de usuário comum e não de root. Afinal, se alguma coisa der errada (como um rm -rf em um lugar errado), o sistema inteiro não irá para o brejo. No mais, está tudo beleza! Essas fontes fazem bastante falta. Sem elas, as páginas da web ficam feias pra burro.

[2] Comentário enviado por lcavalheiro em 22/01/2013 - 16:42h

Infelizmente o rpm-build só roda como root, então nem tem como ;-)

[3] Comentário enviado por eldermarco em 22/01/2013 - 16:58h

Tu tentou rodar ele como usuário comum e deu algum erro? Se sim, poderia postar aqui?

[4] Comentário enviado por lcavalheiro em 22/01/2013 - 18:51h

Ele reclama que só podo rodar como root

[5] Comentário enviado por eldermarco em 22/01/2013 - 19:34h

Isso é estranho, já que vai contra as boas regras de empacotamento. Talvez seja necessário criar um ambiente para a criação de pacotes com o rpmdev-setuptree, mas não irei ir além disso, já que este não é esse o objetivo da dica. Eu só queria mesmo fazer uma observação. :)
Assim que me sobrar um tempo maior, irei tentar escrever uma dica ou artigo sobre a criação e reempacotamento de software para o fedora.

Ótima dica! =)

[6] Comentário enviado por pinduvoz em 22/01/2013 - 19:53h

No Debian temos o "fakeroot" para criar pacotes. Não tem algo parecido para rpm?

[7] Comentário enviado por lcavalheiro em 22/01/2013 - 19:57h

Eu também achei estranho, eldermarco, mas como no Slack você só cria pacote como root mesmo então eu não me melindrei. Valeu o aviso, vou procurar e qualquer coisa eu posto por aqui. Nas Debian-like tem o fakeroot, como o André lembrou, mas não sei o equivalente nas .rpm.

[8] Comentário enviado por eldermarco em 22/01/2013 - 20:34h

@pinduvoz,

Tem sim. O fakeroot é uma dependência para o pacote rpmdevtools, que contém várias ferramentas úteis para a criação e verificação de pacotes rpm criados. Mas o rpmbuild em si não necessita de privilégios de root, já que ele instala os arquivos do pacote num diretório onde o usuário possui privilégios de leitura e escrita (normalmente o diretório ~/rpmbuild/BUILDROOT, gerado pelo rpmdev-setuptree, que citei mais acima). Depois disso, ele seta as permissões de maneira adequada e gera o rpm a partir da árvore criada.


@lcavalheiro,

Pois é, assim que instalar o fedora 18 eu irei testar isso. Aqui no fedora 17 ele não dá esse erro. Por default, ele cria o diretório ~/rpmbuild e faz todo o serviço lá dentro. Sinistro... :)



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts