Criando músicas no formato AAC (m4a) utilizando o NeroAac

Publicado por Jeremias Alves Queiroz em 28/01/2011

[ Hits: 6.041 ]

 


Criando músicas no formato AAC (m4a) utilizando o NeroAac



Nem só de Software livre que vive um usuário de GNU/Linux, dependendo do que você tem, gosta ou precisa, por vezes terá que recorrer a software proprietário. Bom, a anos o MP3 vem se mostrado limitado, tanto em qualidade como em recursos. Devido à isso foi criado o AAC ou Advanced Audio Coding, formato este que tem qualidade de sobra, tamanho pequeno e muitos recursos. Para maiores detalhes sobre o formato acesse a wikipédia, quero ser sucinto.

Para ripar uma música nesse formato nativamente no GNU/Linux temos duas alternativas, o Faac e o Nero AAC Encoder. O Faac é um codec livre, porém carece de recursos para seu desenvolvimento, por isso ele não consegue competir com o Nero AAC que é a opção para quem prioriza a qualidade.

Para instalar ele no GNU Linux é muito simples baixe o pacote em:
Depois de baixá-lo, descompacte em alguma pasta. Dentro da pasta você encontrará algum documentos, dentre eles um pequeno tutorial em inglês para uso no Windows, também encontrará duas pastas, Win32 e Linux.

Logicamente a pasta que nos interessa é a pasta Linux. Dentro dela você encontrará três executáveis:
  • neroAacDec
  • neroAacEnc
  • neroAacTag

Marque-os com permissão para execução, e como root copie-os para a pasta /usr/bin:

sudo cp neroAacDec /usr/bin
$ sudo cp neroAacEnc /usr/bin
$ sudo cp neroAacTag /usr/bin


Pronto, o Encoder Nero está instalado no seu GNU/Linux!

Para utilizá-lo é muito simples, digamos que você já tenha uma pasta com alguns arquivos .wav para serem compactados. Entre nessa pasta via terminal, escolha a faixa a compactar e utilize a sintaxe do programa:

neroAacEnc <opções de compressão> -if seuarquivo.wav -of seuarquivo.m4a


Onde:
  • neroAacEnc = chama o programa
  • <opções de compressão> = você pode definir como será seu m4a
  • -if = indica qual será o arquivo a ser comprimido (Input File)
  • -of = indica qual será o nome do arquivo final (Output File)

Sobre as opções de compressão:

O Nero AAC oferece-lhe três formas de compressão:
  • -q = compressão de bitrate variável objetivando um nível de qualidade especificado pelo usuário
  • -br = compressão de bitrate variável com um bitrate máximo definido (semelhante ao codec oferecido pelo iTunes)
  • -cbr = compressão de qualidade constante

-q

Esta, na minha opinião, é a melhor, pois você escolhe entre qualquer valor entre 0.05 e 0.95, onde 0.05 é o nível de qualidade mais baixo e 0.95 é o nível de qualidade mais alto, e o programa trabalha para atingir o nível de qualidade que você estipulou, tentando manter o arquivo com o menor tamanho possível.

Em outras palavras, ele analisa o arquivo original e conforme a intensidade da música ele escolhe o menor bitrate possível, respeitando o nível de qualidade que o usuário definiu. Os audiófilos dizem que utilizando a configuração 0.45 o resultado final é indiferenciável do CD original. Porém o melhor é mesmo experimentar.

Exemplo de uso:

neroAacEnc -q 0.45 -if seuarquivo.wav -of seuarquivo.m4a

-br

Opção de compressão de birate variável, onde o usuário define o valor máximo de bitrate que a faixa alcançará. O usuário pode escolher entre os valores 8000 a 400000.

Exemplo de uso:

neroAacEnc -br 128000 -if seuarquivo.wav -of seuarquivo.m4a

-cbr

Opção de compressão de bitrate fixo, onde o usuário também pode escolher valores entre 8000 a 400000.

Exemplo de uso:

neroAacEnc -cbr 128000 -if seuarquivo.wav -of seuarquivo.m4a

Sobre o Encoder eu terminei por aqui, mas também é possível acrescentar tags à seus arquivos m4a utilizando o neroAacTag.

A sintaxe para utiliza-lo é tão simples quanto para utilizar o Encoder:

neroAacTag seuarquivo.m4a <opções>

Para indicar as opções você deve indicar -meta:<opção>=<dado>.

As opções de metadados são:
  • title
  • artist
  • year
  • album
  • genre
  • track
  • totaltracks
  • disc
  • totaldiscs
  • url
  • copyright
  • comment
  • lyrics
  • credits
  • rating
  • label
  • composer
  • isrc
  • mood
  • tempo

Lembrando que em uma única linha de comando você pode indicar vários tipos de metadados, separando-os com apenas um espaço. Por exemplo:

neroAacTag seuarquivo.m4a -meta:title=título -meta:artist=Artista...

Para finalizar é possível combinar em uma única linha os comandos para compactar o arquivo de música e inserir as tags:

neroAacEnc -q 0.45 -if seuarquivo.wav -of seuarquivo.m4a && neroAacTag -meta:title=Título - meta:artist=Artista...

Vou parando por aqui, esta foi uma visão geral do sistema Nero para a produção de arquivos AAC. Lógico que utilizar esse sistema de forma direta pode ser muito massante, é melhor utilizá-lo em um programa onde o usuário possa inserir um encoder personalizado com suas respectivas opções de uso (como o Rubyripper). Mas algo que é inquestionável é a qualidade do resultado final, eu particularmente acho o NeroAAC superior ao iTunes AAC.

Outras dicas deste autor

Melhorando a velocidade de download do Pacman e do Makepkg no ArchLinux

LightDM: personalizando e instalando o tema do Ubuntu no XUbuntu

Quake 2 no Ubuntu 10.10

AmuleD - Utilizando o Amule como um daemon no Arch Linux

Corrigindo ícones da interface web do Transmission Daemon

Leitura recomendada

Instalando imagem de fundo no grub 2

wmMatrix

Entrevista com Fábio Berbert de Paula (ao vivo)

ArchLinux-BR: Grupo Brasileiro de usuários do ArchLinux

Checagem da segurança de atualização do Debian pelo terminal

  

Comentários
[1] Comentário enviado por boxseo em 19/02/2011 - 04:30h

http://www.dressale.com/high-quality-formal-dresses-c-1.html
Mas algo que é inquestionável é a qualidade do resultado final, eu particularmente acho o NeroAAC superior ao iTunes AAC



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts