Como liberar espaço em partições cheias no Mandriva Linux

Publicado por Alberto Federman Neto. em 21/04/2010

[ Hits: 9.670 ]

Blog: https://ciencialivre.blog/

 


Como liberar espaço em partições cheias no Mandriva Linux



Às vezes ocorre que as partições Linux podem encher, lotar, e você começa a receber mensagens de pouco espaço.

Se você demorar para resolver o problema, seu Linux pode "travar" ou ter lentidão ou mau funcionamento e será necessário liberar mais espaço, o que só poderá ser feito reinstalando a distro ou apagando arquivos, o que é um processo arriscado em Linux:
Uma das distros onde isso ocorre com mais frequência é Mandriva, por dois motivos. Porquê principalmente as versões "Free" e "Powerpack" são muito grandes, com muitos pacotes instalados.

Outro motivo é que pelas características de sua programação, o Mandriva grava muitas configurações, pacotes etc na pasta de usuário, no diretório /home, e não só no diretório raiz.

Na figura 1 por exemplo, vê-se uma partição /home (sdb11) de Mandriva, totalmente cheia. Note que a partição raiz (sdb10) está até mais vazia!
Linux: Como liberar espaço em partições cheias de Mandriva Linux.
A maneira ideal de evitar isso é já instalar o Mandriva usando uma partição /home muito grande, a maior possível, mas se seu Mandriva já está instalado e funcionando, há uma outro método de resolver.

Primeiro, faça backup de todos os dados importantes que tiver. Operações com partições sempre envolvem certo risco, depois acesse o site:
E baixe o particionador bootável do GNOME, o GParted Live CD, a ISO, e queime em um CD, como você faria com uma distro.

Importante utilizar as versões de GParted Live mais recentes ("stable" ou mesmo a "testing"), pois as antigas não reconhecem Ext4 e podem dar problemas graves no redimensionamento de partições xfs. Veja:
Dando boot com o CD do Gparted, todas as suas partições estarão desmontadas e isoladas, pois você estará totalmente fora dos seus sistemas operacionais, o que é uma segurança adicional.

Ao dar o boot, você enxergará imediatamente a partição que está cheia (figura 1).

Usando a própria interface gráfica intuitiva do Gparted, cuidadosamente mova a sua partição para a direita ou para esquerda (se necessário) e depois a redimensione, aumente.

No meu caso, a partição sdb8 praticamente vazia foi deletada, a partição raiz do Mandriva (sdb10) foi movida para a esquerda, e finalmente a partição /home cheia (sdb11) foi movida para a esquerda e aumentada à direita.

Depois de iniciadas, as operações não pedem mais serem interrompidas, e nem ocorrerem quedas de energia ou desligamento do micro, ou as partições serão danificadas.

Em meus testes, notei que este processo é grandemente dependente da memória RAM do computador (quanto mais, melhor e menos demorado), principalmente nas fases de leitura e escrita dos dados.

Para segurança, não acumule a operações, faça sempre uma por vez, esperando completar, por exemplo, não marque para mover e redimensionar. Primeiro mova, complete e depois redimensione. Isto é particularmente necessário em micros com pouca memória.

Esses processos demoram bastante. Cerca de 60 Giga de dados, demora mais ou menos meia hora, mesmo em meu computador atual, com 8 Giga de RAM.

Depois de completadas as operações, feche o Gparted e faça reboot no computador, para acessar seu Mandriva já com a partição aumentada e pronta para uso.

Esta dica serve para outros Linux também, embora o problema ocorra muito mais em Mandriva do que em outras distros.

Também serve para Windows, para as partições NTFS, mas é conhecido que o redimensionamento de partições Windows é mais sujeito a problemas, mais arriscado.

Além disso, se você estiver usando Windows Vista ou Seven, não mova, formate e nem tente mexer no espaço "não alocado" que pode existir no começo do disco (figura 1). Ele é reservado pelo Windows e se modificado, vai perder o boot e o Grub, não conseguindo mais acessar nenhuma partição e nenhum sistema operacional de seu disco rígido.

Boa sorte!

Outras dicas deste autor

Como criar DVDs, SVCDs e VCDs no Linux

Sabayon Linux - Usando os dois instaladores gráficos, tanto Rigo como Sulfur

GkrellM - Um Monitor Completo

Fazendo "chroot" facilmente

Executando Dolphin e Editores de Texto como Root no KDE 5

Leitura recomendada

Criando e excluindo partições NTFS

Arch Linux - Resolvendo Problemas de Montagens de Discos

Problemas na instalação do Mandriva a partir de um mirror local

Ubuntu 6.10 e Grub ERRO 18: trocando para o LILO

Servidor NFS no OpenBSD

  

Comentários
[1] Comentário enviado por pinduvoz em 22/04/2010 - 23:15h

Amigo Alberto, vc já testou o Bleachbit?

Eu usei o Bleachbit ontem no Ubuntu Lucid, atualizado a partir do Karmic, e, para meu espanto, foram removidos 700 MB de lixo.

Teste e veja o que vc acha dele.

Abraço.

[2] Comentário enviado por pinduvoz em 22/04/2010 - 23:18h

http://vivaolinux.com.br/dica/Bleachbit-Linpando-o-SSD-do-seu-Linpus-AA1/

Eu tinha esquecido da dica acima.

[3] Comentário enviado por albfneto em 23/04/2010 - 01:19h

vou experimentar bleachbit.

[4] Comentário enviado por pinduvoz em 23/04/2010 - 23:19h

Então...

gostou?

[5] Comentário enviado por albfneto em 25/04/2010 - 02:57h

sim eu gostei... instalei ele no Mandriva e no OpenSUSE novos que estou testando.
nãoa achei para sabayon e nem pra gentoo, mas vou tentar compilar...



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts