Venha pro lado de cá!

Este texto era para ser um comentário ao artigo "Falta de padronização no Linux", mas ficou tão grande que resolvi publicá-lo em forma de artigo.

[ Hits: 7.395 ]

Por: Nelson Teixeira em 21/06/2010 | Blog: http://www.alemdoobvio.com


Nosso jeito



NOTA: Este é um artigo-resposta ao texto: Falta de padronização no Linux

Volta e meia aparece um artigo por aqui onde o autor diz estar (ou quer fazer parecer estar) do lado do Software Livre, mas critica pontos cruciais e acaba dizendo:

"Por isso que a galera volta pro Windows"

... como se quisesse convencer o pessoal do SL a fazer as coisas ao jeito MS.

A imagem que isso passa é de alguém que gosta mesmo é de usar Windows porque se acostumou a ele, portanto se for feito daquele jeito "não precisa pensar" e não está se importando com as questões que fazem o SL ser tão importante, como a segurança do que está sendo executado, a não dependência tecnológica, a cooperação, entre outras. Sem isso o SL não é nada! É só mais um software em uma enorme gama de softwares e não a mudança no mundo que quem acredita mesmo em SL quer ver.

A crítica às muitas formas de fazer as coisas é uma dessas falácias. A multiplicidade de distribuições que fazem coisas de formas diferentes, longe de ser um defeito, é uma enorme qualidade, é a liberdade de cada um de fazer as coisas da forma que acha adequada, pois temos a liberdade (ao contrário do Windows) de escolhermos o padrão que achamos mais certo.

Podemos, por exemplo, escolher entre o jeito Slack, Debian, Ubuntu ou Gentoo de fazer as coisas. Ao contrário disso, o usuário Windows tem que fazer as coisas do jeito da Microsoft. É isso e acabou. Sem negociação. Você não pode criar o projeto "Windows MyWay" com seu jeito de fazer as coisas.

No Linux, quem quer uma distribuição que cuide das coisas pra você, usa Ubuntu, quem quer compilar e fuçar tudo, usa Slack, quem prefere estabilidade nos pacotes, usa Debian, quem quer coisas compiladas diretamente para sua plataforma, usa Gentoo. Existem distribuições dedicadas à educação, pesquisa forense, multimídia, produção gráfica, computadores antigos, entre centenas de outras. Temos isso no Windows? Isso é um defeito? Claro que não é.

Quem vem para o Linux tem que entender de uma vez por todas o seguinte: infelizmente temos, na área de informática, a situação de uma empresa que conseguiu impor ao mundo uma certa forma de fazer as coisas e infelizmente a maioria de nós ainda não chegou ao ponto de entender que é preciso não ser acomodado, se acostumar às mudanças, que é preciso não resistir a elas e abraçá-las, que é necessário se preocupar com as grandes questões humanas.

É preciso pensar, estudar, avançar. Isto precisa ser contínuo. Não é que você vai estudar aqui uma coisa e depois acabou. A evolução e o estudo são contínuos. Se você se acostumou a fazer as coisas de um jeito, lembre-se que sempre vai ter que aprender a fazer de outro, porque só há uma coisa presente no universo que jamais mudará em todos os tempos e todas as eras: é a permanente mudança de todas as coisas.

Estamos em uma sociedade que evolui. Evolução precisa de mudanças. Mudanças precisam que a gente coopere. Se a gente ficar criando caso, elas demoram mais. E demorando mais só pioramos a situação. Vamos de uma vez por todas sair de cima do muro. É mais útil uma pessoa estar do lado de lá (porque pelo menos a gente do lado de cá, sabe com o que conta), do que dizer que está do lado de cá e ficar dizendo que é melhor estar do lado de lá. Isso atrapalha.

Ou nós somos a favor do jeito MS de fazer as coisas, ou nós somos do SL. Não tem essa história do melhor dos 2 mundos. A batalha é entre a visão consumista e a visão cooperativa. E este mundo necessita mais do que nunca de que entendamos que não existe ninguém "especial" que precisa mostrar pras "pobres pessoinhas" como devem usar seus computadores ou viver suas vidas e por isso tem o mérito de receber um fluxo de dinheiro do resto do mundo e esconder como fazem as coisas pra poder botar a sujeira embaixo do tapete.

O que existem são seres humanos pensantes, com uma capacidade incrível, que foram doutrinados a não pensar. Precisamos caminhar para uma sociedade onde todos pensem criticamente e onde todos entendam que ao invés de receber pronto, precisam cooperar uns com os outros.

Quem sabe abraçando esta visão arrumamos alguma coisa pra fazer e deixamos de pensar em besteiras como ser melhor que os outros, fazer a guerra ou construir estúpidos brinquedos atômicos pra matar quem achamos "inferior a nós". Quem sabe assim conseguimos avançar o pensamento de uma humanidade ainda tão bestificada.

Deixemos de comparações entre o que está morrendo e a nova forma de fazer as coisas. Pra frente é que se anda.

   

Páginas do artigo
   1. Nosso jeito
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Projeto OpenFarm

As vulnerabilidades do IRC

Instalando o Automatix no Debian Etch

GNU Emacs, o primeiro GNU

Vyatta, o concorrente livre dos roteadores Cisco

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 21/06/2010 - 12:07h

Concordo com você, como disse no artigo que você referenciou, a padronização existe sim, os comandos GNU são os mesmos em todas, agora querer que todas as distros sejam iguais é um caso a parte.

O camarada tá lá usando o M$, tem que se conformar com aquele visual (o máximo que pode fazer é instalar um mega-pack pra mudar o visual, do contrário é aquilo mesmo), tem que correr atrás de atualizações de programa, conviver com travamentos, spywares e outros bichos e ainda assim vive feliz.

Quando conhece a liberdade, reclama da diversidade, ora querer que Debian, Slack e Gentoo sejam iguais é querer demais

viva a diversidade!

e a liberdade de escolha...

[2] Comentário enviado por davidsonpaulo em 21/06/2010 - 12:54h

Fantástico! Me coloco de pé para aplaudir esta brilhante resposta a esta que é uma das críticas mais estúpidas ao software livre, a chamada "falta de padronização". Parabéns pelo texto.

[3] Comentário enviado por igoiglesias em 21/06/2010 - 13:23h

Muito bom o artigo , concordo com vc ....XD

[4] Comentário enviado por Teixeira em 21/06/2010 - 13:27h

Nós os seres humanos somos uns eternos insatisfeitos:

Queremos rodar o compiz a todo vapor, que o KDE seja leve, que nossa memória de 512MB faça o nosso Celeron agir como um foguete, que Ubuntu tenha características do Red Hat e que a Slackware seja igual ao Debian.
Queremos que todos os perifericos já venham com drivers.
E também queremos que windows seja o melhor sistema operacional do mundo.

Tem gente que manda blindar automóveis 1.0 e até conversiveis (um conversível blindado é algo meio inimaginável, mas que EXISTE!!!!!!)

Ou seja, nosso desejo de personalização é infinito.
Até mesmo o windows gostaríamos que tivesse cores diferentes, que o browser tivesse barras diferentes, bla, bla, bla...

[5] Comentário enviado por albfneto em 21/06/2010 - 13:51h

é isso. Boa resposta.
Quando o Linux for uma coisa toda padronizada, Ubuntu será igual ao Slackware ou ao Gentoo ou ao Debian, e muitas distros terão acabado, e grande parte da Beleza do Linux e sua Liberdade de Escolha poderá ter sido perdida para sempre.
é porisso que aqui existem Ubuntuzeiros, usuários de Fedora ("Fedorentos"??? rsrsrsr), Debianistas, Suseiros, Gentoístas, nossa Insigne moçinha, Aline, Usuários de Sidux, Sabayoneros como eu.

o próprio VOL. Para quê fazer Dicas ou Artigos, se todo Mundo instalar tudo igual, em qualquer Linux?

[6] Comentário enviado por izaias em 21/06/2010 - 14:00h

Pessoal, o autor do tópico criticado quis dizer sobre uma padronização dentro de cada distro. Individualmente e referente a ela.
Eu mesmo sou a favor da padronização individual e referente a cada distro.

[7] Comentário enviado por cruzeirense em 21/06/2010 - 14:05h

Prezado Nelson Teixeira

Achei o artigo da falta de padronização melhor e mais coerente que o seu.
A falta de padronização é um ponto negativo sim. Não estou falando o que eu acho, estou falando o que os números provam:

Windows Padronizado 88 x 1 Linux despadronizado.

Eu já conheço linux a mais de 10 anos e sempre escuto esse papo de que o Windows é uma bosta, não é seguro, etc.. Mas ele continua sendo mais utilizado por todos.
Ou será que você vai falar também que todo mundo é 88% são burros e apenas 1% raciocina?

Lembre que em uma sociedade, para cooperar, você tem que fazer o seu papel.

Vou te dar um exemplo:

O dono de uma oficina mecânica precisa de um programa para controle de serviços e cadastro de clientes. Então ele procura um programador que desenvolve o programa e paga por isso. Suponhamos que o carro do programador dê defeito. Ele vai procurar o mecânico e vai pagar por isso.

Cada um tem que fazer o seu papel e receber por aquilo que faz. É isso que mantem a sociedade capitalista funcionando. (não venha me dizer que o modelo comunista é melhor)

Agora você pega um sistema operacional que está aí a mais de 15 anos e não cresce no mercado e coloca a culpa disso nas pessoas que tem preguiça de usar? Adivinha o que vai acontecer? As pessoas vão continuar com preguiça de usar, porque um mecanico prefere consertar carros do que mexer com computador, um padeiro prefere fazer pão, o dono do boteco prefere vender pinga...

Acho que o linux tem que mudar sim... e mudar principalmente a mentalidade dos usuários. Enquanto agente não aceitar que alguma coisa está errada vamos continuar perdendo de 88 a 1.

Abraço,

Renato

Ps. Uso o Windows como sistema principal sim, o ubuntu é secundário, e uso mais por curiosidade...

[8] Comentário enviado por removido em 21/06/2010 - 14:16h

Cara fantástico o seu artigo, não existe falta de padronização no linux por conta que cada distribuição tem sua particularidade.
Parabéns...

[9] Comentário enviado por rodrigocontrib em 21/06/2010 - 14:49h

Oi Nelson,
Cara, acho que você fala coisas que fazem sentido e outras não.
Creio que o fato das pessoas quererem uma unica maneira de fazer as coisas deixa tudo muito limitado,isso é preguiça!
Contudo não devemos travar uma luta contra a MS,isso alem de deixar a MS mais forte tiraria o foco dos nossos colaboradores.
Ex:
A MS lança um sistema que fala "Ligue para microsoft" melhor e mais barato.
Os Devs do SL lançam um sistema que fala "Ligue para microsoft" mais barato e melhor "Open Source".

Entende o que é ruim em uma guerra comercial?!
Nos viveriamos ao redor da microsoft,tentando sempre melhorara o que eles lançam,mesmo se eles lançarem uma besteira sem sentido nenhum.
Como o nome Diz SL é Liberdade e nunca na historia a guerra traz liberdade.
Acredito tambem que a padronização é ideal,contudo quando se tem opções. A padronização de varios sistemas é uma forma inteligente de garantir a estabilidade dos serviços sem deixar a variedade deles.
Outra coisa interessante é a interação entre tecnologias,pois isso me deixa livre para usar Unix,Gnu/Linux,Microsoft,Android em um sistema de cooperação e melhoria de resultados.

Eu particularmente Gosto de linux para Firewall e Proxy e MS para E-mail e BD.O que realmente importa é o objetivo e não o software isso o "SL" nos deu de presente.

Saude Amor e Paz
















[10] Comentário enviado por Athunye em 21/06/2010 - 17:28h

Acho quem vir aqui no VOL 'falar mal' do GNU/Linux vai ser sempre recebido a pedradas.

Acho também que o artigo 'falta de padronização no linux' foi mal interpretado.

Por que a pasta Desktop tem que ficar mudando de nome ?

Por que 'x' fica em /usr/share/ em uma distro, e em /usr/local/share/ em outra ?

Por que gvim é gvim numa distro, vim-X11 na outra, vim-gtk na outra, vim-gnome na outra e até mesmo vimx (para chamá-lo via linha de comando) ?

Por que o programa 'rename' do debian, se chama 'rename' (e aceita perl regexp) e no arch linux o 'rename' é outro programa, e o 'rename' do arch (que aceita perl regexp) na realidade se chama 'prename' ?

Porque algumas distros vem com o arquivo ~/.profile configurado para ler o ~/.bashrc no login, e outras não ?

Que já precisou compilar um programa que não está nos repositórios e tem que instalar as dependências primeiro sabe como não é tão simples assim. Se o cara nunca usou linux, nem sabe o que é 'dependência'. Se já usou uma distro, e vai instalar as dependências com os nomes que ele usava na outra distro, ferrou. Os nomes desse tipo de pacote muda muito de uma distro pra outra.

Eu sei que cada distro tem os seus motivos pra nomear as coisas do seu modo, mas isso não deixa de ser uma barreira para o crescimento do linux no desktop.

Por que o usb/dvd/cd monta em lugares diferentes em várias distros? Esta é uma pergunta comum nos canais irc que frequento: "Onde o sistema 'abre' o meu pendrive ?" Não é só no canal ubuntu-br. Até em canais de distros mais 'avançadas' eu vejo esta pergunta. Já usei ubuntu, debian, gentoo, e hoje em dia uso o arch linux como desktop.

Eu sei resolver problemas simples que acontecem no windows e no linux (nunca toquei em nada da apple), mas não sei concertar o meu carro. Quem faz isso pra mim é o mecânico.

Contudo, quero deixar claro que na minha opinião, não é por 'falta de padronização' que o linux desktop não avança. Isto é apenas um mero detalhe. O que realmente falta é MARKETING.

[11] Comentário enviado por dbahiaz em 21/06/2010 - 17:37h

Tem pontos que concordo com o artigo, e outros que não dá... quando você diz que não existe o melhor dos dois mundos, você deixa de lado a liberdade de escolha, como disse o rodrigo.root.rj, o que importa é como se alcança objetivo final, pois,no mundo SL não existe solução pra tudo(infelizmente), assim como no mundo MS não existe. Por outro lado esse papo de padronização é sem logica, eu acho que no mundo Linux não há espaço para padronizar nada, o meu padrão que faz sou eu, já que sou livre e é isso que acredito.

[12] Comentário enviado por removido em 21/06/2010 - 18:18h

Muito cuidado amigo. Até certo tempo os flames ficavam restritos aos comentários e ao fórum, será que eles irão evoluir para artigos agora?

Quando um autor acaba sendo infeliz (embora eu não ache que ele tenha sido infeliz, ele só se expressou errado), eu não acho legal mover meio mundo pra acusar o erro dele, os comentários no artigo dele já deveriam ser suficientes.

Esse tipo de atitude não leva a lugar algum, não ajuda ninguém. Enquanto isso, temos dezenas de perguntas no fórum que acabam ficando sem respostas, e você aí, se dedicando à escrever um artigo para rebater um outro autor que foi infeliz?

Eu compreendo o seu sentimento, pois queremos defender o nosso amado Linux de tudo e todos, mas entre nós devemos ter consciência dos seus defeitos e problemas. Aliás é isso que muitos programadores fazem sabia? Se um projeto não tiver alguém especialista em encontrar erros e defeitos, esse projeto estará condenado à falência.

E é justamente por isso que o Linux é maravilhoso, temos dezenas, centenas ou milhares de programadores buscando erros e bugs e relatando para a comunidade ou para a empresa que desenvolve a distro. Imagina se eles fossem recebidos com pedradas, toda vez que fossem relatar um bug?

Quem não tem conhecimento para encontrar bugs, que se dedique a apontar erros e problemas de um modo geral, afinal de contas, é nesses pormenores, aparentemente sem importância para um usuário avançado, que os iniciantes prestam atenção.

Quero que saiba que sua opinião é bem vinda, até mesmo se, porventura, ela estiver equivocada, pois só o tempo e aprendizagem à logo prazo podem mudar as pessoas. Mas o meu conselho é que você se dedique mais à ajudar do que à ficar respondendo artigos infelizes com outros artigos, pois é pra isso que servem os comentários. Além do mais, dessa maneira você acaba expondo um companheiro nosso ao ridículo, e pode acabar inibindo a participação dele aqui.


Bom, eu vou para por aqui, senão vou acabar escrevendo outro artigo para te responder.

[13] Comentário enviado por Athunye em 21/06/2010 - 18:18h

dbahiaz

Eu também faço o meu padrão. Eu e você fazemos. Nós temos um certo conhecimento para fazer isso. Acho difícil algúem ter uma configuração igual a minha, ou igual a sua.

Tem alguém que acessa este site regularmente que não é programador, sys admin, web designer ou algo relacionado a estes tópicos? Quero ver a professora do meu filho customizar o pc dela, a não ser trocar o wallpaper. Quero ver quantos usuários 'comuns' sabem ir lá no windows mesmo, e desativar o 'relatório de erros' e 'ajustar para melhor desempenho'.

O máximo que um usuário 'comum' sabe fazer é clicar, já exagerando um pouco, talvez alguns saibam clicar com o botão direito do mouse para 'abrir com'. Esta é a realidade.

Por outro lado, meus filhos nasceram na frente do linux, pra eles linux é o padrão. Se o linux fosse vendido nas lojas desde os anos 90, os outros OSs é que seriam 'estranhos'. Mas isso já foi dito infinitas vezes por muitas outras pessoas.

A questão é: Nós queremos mais pessoas usando este SO que tanto amamos? Se sim, o que temos que fazer? Temos mesmo que perder um pouco da diversidade em detrimento a uma certa padronização para 'facilitar' um pouco a vida dos leigos, ou eles que se danem e vão aprender, assim como nós aprendemos ?

O que qualquer empresa que vende qualquer produto faz, colocam na prateleira o que eles querem ou o 'consumidor' quer? Nós estamos distpostos a ceder um pouco para facilitar a vida da professora dos meus filhos, e até da minha tia ou 'o linux é assim e o azar e deles' ?

Talvez o linux não tenha mesmo espaço para padronização nehuma. Assim, apenas os devs e algúns outros users dispostos a ler wikis em inglês usarão as distros linux.

E quero que o linux tenha mais uso no desktop, mas sinceramente, nem eu sei ao certo porque eu quero isso, e muito menos sei se o open source precisa disso.

[14] Comentário enviado por removido em 21/06/2010 - 18:36h


EU,

Com o último comentário me senti importante, pois não sou SysAdmin, Programador, Web Designer ou algo relacionado ao mercado da Tecnologia da Informação, mas enfim, quis deixar registrado.

Nice!

[15] Comentário enviado por removido em 21/06/2010 - 18:47h

Eu sou aspirante à tudo isso, mas ainda não sou kkkkkkkkkk.

Eim edps, somos a última bolacha do pacote né heheheheheeheh

[16] Comentário enviado por pinduvoz em 21/06/2010 - 21:16h

Também não sou sou SysAdmin, Programador, Web Designer ou mesmo trabalho com Tecnologia da Informação, mas sou usuário de PC desde o tempo do DOS "puro". E adianto: se o Windows (leia-se interface gráfica, ícones e mouse) não tivesse aparecido, o PC não teria feito sucesso.

O que ocorre é o seguinte: A - vejo um ícone, clico nele e rodo um programa que faz o que eu preciso = contente; B - tenho que abrir um terminal e digitar um monte de código para que um programa faça o que eu preciso = triste, com preguiça ou "chamo o técnico".

A grande maioria das distros, com ou sem padronização, vai se encaixando na letra "A". Mas e a padronização? Não serve para nada? Não faz falta? Faz sim, pois as inúmeras diferenças entre as diversas distros impedem que muitos fabricantes de software abracem o Linux. Vejam que entregar um simples instalador para um programa é complicado quando se trata de Linux.

Concluindo, com a padronização teríamos mais opções de programas para Linux (jogos pagos, inclusive), mas será que teríamos o Linux como hoje o conhecemos? Não sei responder, já que a padronização poderia, ao menos em tese, excluir a inovação característica do modelo descentralizado de desenvolvimento.

Dureza, não?

[17] Comentário enviado por jhonatam em 21/06/2010 - 21:17h

@cruzeirense

amigo acredito que suas palavras foram muito infelizes note que para um usuario de linux que tem mais de 10 anos de linux voce ainda nao saiu das cavernas pois ainda usa o windows como sistema principal e usa ubuntu somente por curiosidade? como isso eh possivel? com 10 anos de linux voce devia ser um super-mega-usuario e nao um curioso usando ubuntu.


Windows nao tem padroes decentes para comecar o assunto, veja que podem levar meses para sair uma correcao de seguranca ou mesmo um bug idiota que faz o computador travar.
e 88 x 1 isso prova sua completa ignorância pois não se compara somente um segmento mas todos os segmentos e Linux manda geral nos demais segmentos experimente por exemplo dar uma olhada nos servidores WEB nos supercomputadores e muitos outros que nem vou ter tempo de falar.

onde exatamente estamos falando que o Windows eh líder? o único segmento e computação pessoal pois o resto ele perde feio.
não diria que a maioria não raciocina mas diria que foram assim como você ensinados da maneira errada pois a maior parte desses windows instalados são piratas e pirataria eh crime.

de qual papel estamos falando para uma sociedade cooperar? temos um sistema livre e que pode ser adquirido de graca quer uma contribuição para a sociedade maior que isso?

quando você cita o exemplo do dono da oficina você literalmente esta afirmando com software livre nao se pode ganhar dinheiro algum e o software livre eh inútil e não tem serventia pois não se pode ganhar com ele.

quem esta falando em comunismo por aqui? você tem certeza que esta no site certo? esta nos chamando de comunistas?

note que o Linux não cresce somente para você pois ele eh o sistema operacional que mais cresce no mundo e o mais importante ele eh livre coisa que você parece não valorizar e nem gostar muito.
e nem todas pessoas gostam de trabalhar com computadores e isso eh muito bom pois temos pessoas fazendo qualquer coisa que se precise nesse mundo.

sim coisas estão erradas e precisam melhorar uma delas são usuário sangue sugas que nunca contribuem para a comunidade e somente criticão quem tenta contribuir e mostrar o lado positivo de nossas tecnologias.

conselho: Não escreva mais comentários com esse teor pois muitos usuários assim como eu irão retrucar.

[18] Comentário enviado por R.S.P Andre em 21/06/2010 - 22:21h

@jhonatam

Para não repetir as sua palavras vo simplesmente dizer que suas palavras foram as mesmas que muitos gostariam de falar ao @cruzeirense

Nelson Teixeira meus parabéns pelas brilhantes palavras!

Vo citar como exemplo o meu companheiro de trabalho que tem uma puta força de vontade de aprender coisas novas e não se acomodar. Ele antes de conhecer o GNU/Linux ele era um mega usuário do Windows. Só que um dia eu deixei o meu notebook com ele que tem o Ubuntu instalado e ele começou a fuçar e descobrir o que ele pode fazer com um S.L.
2 semanas depois ele chegou pra mim e pediu o cd do Ubuntu pra instalar na maquina dele para ele fuçar mais.. Conclusão: Hoje ele só tem Ubuntu na maquina e diz que não quer ver o Windows nem tão cedo.. rsrs.

A "Falta de Padronização" que uns dizem ser negativo para o S.L é o que eu mais gosto. Pois caso contrario não teria a liberdade de escolher uma distro que mais se encaixou com o meu Perfil.

Resumindo: Ou vem pro lado de cá ou vai de uma vez para o lado de lá.
S.L é mais que um S.O é uma filosofia!!!


ABS!!

[19] Comentário enviado por paulorvojr em 21/06/2010 - 23:18h

Geeente, vocês brigam demais rsrsrs,

em qualquer distribuição você pode fazer tudo na mão, ou usar tudo no assistente, ubuntu pode fazer tudo na mão? sim claro, o make é o mesmo, alias, apt-get install, faz o que? ele compila as coisas pra você oxente~!!

slackware tambem tem seus assistentes a la yum(fedoras).

sempre houve padronização no que é para ser padronizado, o que muitos não enxergam é que uma distribuição é um conjunto de softwares, sistemas, e portanto umas derivam da outra ou são totalmente diferentes, mas o comando mais básico é igual, pois é UNIX!!! não linux, linux nao, UNIX !!

ambos pontos de vistas estão corretos, dou crédito a todos, para uma pessoa experiente ver 20 sistemas operacionais, domina tudo, de letra, como faço atualmente.

porem a anos atras eu penava quando mudava de distribuição, mas isso é questão de empenho e tempo.

volto a PREGAR!!, vejam os dois lados, não sejam xiitas!, amem as duas, tres, quatro x^2 filosofias, o que seja

ambas filosofias são boas, se fossem ruins não existiriam.

mais pensamentos pra vocês refletirem, porquem nao brigam também com o OSX?, sabe porque?, porque a maioria não conhece rsrsrsrss, nem nunca sequer tocou num MAC

eu uso mac a 5 anos, uso linux a 8 e windows no inicio, tenho certificação em todas, e te digo, cada uma tem seu potencial.


[20] Comentário enviado por danilo21 em 21/06/2010 - 23:27h

Estou entre os dois, eu acho que o software livre é um movimento com seu estilo que não objetiva ser igual ao prorietário, mas o mundo é capitalista, isso é um fato, o software livre é uma alternativa muito boa, mas ser bom não basta para fazer com que a "massa" use. A massa não quer saber se o ubuntu(só um exemplo) está tão facil quanto o windows, pois isso não agrega muito pra eles, so quando o ubuntu tiver melhorias que apresentem algo grandioso eles verão sentido. "Ah mas e o software livre e sua bonita filosofia", "ah mas e a pirataria", bom amigos, nem todos ligam pra isso. Eu ligo, mas o mundo não, só quando a produtividade(sim, isso inclui WlM bonitinho e cheio de frescuras...) dos usuários(empresas ou pessoas) começar a crescer consideravelmente em função do nosso amado linux ele será reconhecido como merece. Nos celulares,servidores e workstations isso já ocorre, pena que ngm saiba, mas é assim, sabendo que é linux ou não, não faz diferença pra "eles". por fim, ser parecido com windows não agrega nada, mas agrega muito(?). Calma eu explico, embora seja "inútil" para nós semelhanças com o windows, o linux ainda não é "legal" ou "bom" o suficiente para os salsas aprenderem a fazer tudo "denovo", mesmo com muita facilidade nos linux "para seres humanos" dá "trabalho" aprender tudo denovo, ainda mais se no final os resultados na produtividade forem os mesmos ou pouco melhores... Esse é meu ponto de Vista

Ps: Uso linux e minha produtividade cresceu consideravelmente graças a esse sistema brilhante, pena que o mundo não pense assim.

[21] Comentário enviado por Athunye em 22/06/2010 - 10:41h

Pessoal, acho que essa briga com MS não leva a nada. Se fosse o SO da Apple que fosse o mais usado, a briga seria a mesma?

Eu não me importo como estas outras empresas padronizam os SOs delas, até porque elas não tem variedade nehuma. Só nós temos isso!. Isto é magnífico.

Eu não quero que todas as distros usem .deb, ou .rpm. Eu não quero que todas usem o gnome ou kde por padrão. São outras coisas que precisam ser um pouco mais homogêneas, como, o local pra onde são instaladas as coisas, como já mencionei com exêmplos em um comentário anterior).

Se quando sai uma versão nova do mandriva/fedora, o primeiro comentário que aparece já é alguém falando que o ubuntu é melhor, e vice-versa, o que esperar quando alguém compara ms com gnu/linux?! Ou seja, há uma verdadeira carnificina entre as distros, que afinal de conta, são gnu/linux!

Não comparem win com linux. Linux é melhor, muito melhor, e TODOS nós sabemos disso. Apenas, algúns tem uma opinião que algumas coisas deveriam ser um pouco diferentes.

kde vs gnome.
vim vs emacs.
fluxbox vs openbox.
compiz-fusion vs ? (falta invertar algo pra competir com o compiz-fusion)
ubuntu vs mandriva
mandriva vs fedora
O que mais entra na lista?

O GNU/Linux tem que ser o melhor que ele poder ser, pro sí próprio e por seus usuários, (usuários de TODOS os níveis), e não pra competir com nada nem com ninguém.

[22] Comentário enviado por RobertMares em 22/06/2010 - 13:09h

Os Padroes sao bons. PONTO
A Diversidade eh boa. PONTO
Padroes nao precisam eliminar a diversidade. PONTO

Padroes nao eliminam a diversidade pois nao somos obrigados a padronizar que versoes de pacotes usar ou que pacotes incluir na distribuicao ou que aplicativos carregar junto com o gnome, ou mesmo se deve-se usar gnome ou kde.

Sem padroes nossa vida seria um inferno, pense se "~", "/home", /var/log nao fossem padronizados, ou se nao houvesse um padrao para formato de documentos. eu jogaria meu computador no lixo.

Padroes sao um importante fator de sucesso dos sistemas baseados no PADRAO Posix, precisamos deles.

A questao eh: o que padronizar.

Uma das coisas que me irrita na MS eh que ela insiste temoi$amente em fugir dos padroes na intuito de forcar o seu proprio. Por exemplo: IE foge ao padrao HTML, o formato de arquivos do office muda a cada versao, a m* da alternativa ao javascript da m$ eh, por design, nao portavel e, portanto, nao pode ser o padrao.

Enfim, discutamos o que padronizar, colaboremos com os padroes que valem a pena.

[23] Comentário enviado por Athunye em 22/06/2010 - 17:01h

@RobertMares

Assino embaixo o que você falou.

[24] Comentário enviado por stremer em 22/06/2010 - 19:27h

Da mesma forma que a padronização facilita, ela tbem te torna refém...
Um sistema todo padronizado acaba se tornando um monstro mais cedo ou mais tarde...
Os padrões que não fazem isso são dos pedacinhos... padronização de certos formatos de arquivos, bibliotecas etc... e isso o linux tem muito mais que o windows!

Essa linha de corte entre os padrões que é complicada, pois a falta deles que tantos reclamam que impede o desenvolvimento principalmente de software comercial para linux, é a mesma que possibilita o sistema não se tornar refém e possibilitar as diversas variações de distribuições com suas diferentes filosofias...

E ah... um sistema que nasceu com tudo envolta livre... independete de padrões, consegue se moldar a qualquer padrão utilizando tudo que seja livre, logo tira-se os softwares comerciais da jogada, ou ainda os mesmos tem que ter os "seus padrões".

Bem... se for assim então, já existem padrões para linux... por isso que a maior parte dos softwares comerciais são para RedHat, Suse e agora começando Ubuntu... logo é só fazer de conta que o resto não é linux.... pois querer que o DSL ou o Basic Linux siga todos os padrões é tornar o sistema refem...

[25] Comentário enviado por dbahiaz em 22/06/2010 - 23:27h

"A questao eh: o que padronizar."

Amigos, a minha mãe nunca usou o computador, hoje ela usa Opensuse com kde, hoje esse é o padrão dela, e minha irmã usa Windows não gosta do "msn do Linux", esse é o padrão dela. Certa vez deixei o Windows e Ubuntu com Gnome, a primeira reação da minha mãe foi :
-Cadê aquele jogo de paciência, não gostei desses ai. Voltei com o Opensuse, que ela usa sem problema, já que dentro das suas necessidade o basta.

Pergunto:

Esse tipo de usuário precisa de padrão?

Ai vem a questão colocada do nosso amigo @RobertMares.

"A questao eh: o que padronizar."

Vejamos, o que deve ser padronizado no "Linux"? Kernel? Sistemas de arquivos? Tipo de empacotamento? Sugestões?

Como padronizar? Quem vai padronizar o que? O Linus vai padronizar o Kernel? O Stellman vai padronizar a GNU, o Fábio vai padronizar o VOL, só entra admin, e ai?

O que um usuário comum precisa saber sobre isso? Padrões também são mudados.

Ou fecha as portas e começa tudo de novo, ou não vejo como criar padrão onde todos são um só.

Se chegarem a uma conclusão me avise!

Ps: Não sou programador, nem sysadmin etc...quero apenas aprender e contribuir naquilo que está ao meu alcance.


[26] Comentário enviado por cruzeirense em 23/06/2010 - 13:51h

jhonatam

Acho que você foi mais infeliz que eu nos seus comentários.
Você acha que todo mundo é obrigado a mudar para o linux só porque já conhece/utiliza a algum tempo? Eu uso o windows como sistema principal simplesmente porque o linux não me atende. Simples não?
O artigo da falta de padrão (você pelo menos teve o trabalho de ler?) é focado essencialmente no usuário final então os 88x1 é correto.
O linux realmente é lider nos servidores? Eu acredito que sim, mas onde podemos confirmar isso com números? Grandes corporações também usam servidores windows, e algumas usam servidores windows pirata que não são registrados e não entra na conta oficial.
Para cooperar com a sociedade temos que realmente atingir a sociedade. Então a ideia é fazer um sistema padronizado que uma quantidade maior de pessoas possam utilizar.
O software livre tem servertia sim, mas será que o sistema consegue ser mantido por muito tempo? Será que programadores vão continuar trabalhando por boa vontade ou com doações o resto da vida? É possível amanhã todo mundo abandonar o projeto. Lembra do Kurumin (foi a primeira distro que considerei boa)?
Você se acha comunista?
O sistema operacional que mais cresce no mundo é o windows 7, é ridiculo você falar que o linux é sistema que mais cresce no mundo. Acho que até o IPHONE OS cresce mais do que o linux.
Achei legal você falar que as coisas estão erradas e precisam melhorar, foi exatamente o que eu disse no meu comentário. Agora, eu não sou sangue suga. Já dei minhas contribuições e em todas você vai observar que sempre defendi a padronização do linux. Vou te dar um exemplo de contribuição minha. Pesquise no google "qos 2640t" (é um modem da link que usa linux como sistema operacional), vai ser o resultado TOP 1.
Existem outros publicados aqui, e sempre tentei ser ponderado, talvez tenha até me excedido um pouco no comentário anterior mas não mudo uma linha do que disse.

Resumindo:
Windows 88x1 Linux a mais de 10 anos.
Como mudar?
Tentando piorar o windows falando que ele não presta?
Ou ver o que ele tem de bom e tentar seguir o exemplo?
Dê uma lida neste artigo:
http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Se-o-Linux-e-tao-melhor-que-o-Windows-e-e-de-graca-por-que-a-mai...
Tire sua opinão. Não sou um defensor do windows e um traidor do SL.
Apenas enchi o saco...

Abraço,

Renato

[27] Comentário enviado por andersguitar em 23/06/2010 - 14:14h

Bem, são dois lados:
1 - a diversidade é que faz a diferença no mundo. Imagina se todos fossem iguais? Ia ser uma chatice, não?
2 - a falta de padronização no que tange empacotamento, pode sim ao meu ver, ser um empecilho para o Linux 'deslanchar'. Na verdade, mais do que isso, a facilidade de se instalar um programa (NÃO que não, mas para nós que já temos conhecimento, ao mínimo que seja). Um novato em Linux, ficaria perdido: deb, rpm, tar.gz...
PORÉM, lembro-me de um projeto a um tempo atrás, Auto Packager se não me engano. Independente da distribuição, ele tratava de instalar o 'básico' e solicitar os binários do sistema em questão para download.
Enfim, cada um usa o que lhe convém. Seja por tipo de binário, seja por identificação, seja por gosto.
Pra mim, há muito, o Windows deixou de existir...

[28] Comentário enviado por pardalz em 24/06/2010 - 11:25h

concordo com o ggxadrez.
acho que ao invés de ficar caçando sarna nos outros pra coçar deveriamos olhar mais as perguntas dos iniciantes que estão adentrando ao nosso mundo agora.. eu sou de nível intermediário, sempre quando posso ajudo.
e acho constrangedor ter como "cartão de visita" na primeira página do VOL a discussão por diferenças culturais, isso parece discriminação.
o nosso cartão de visita deveria ser ARTIGOS com conteúdo Útil aos demais, e não Debates sobre diferenças culturais.
Aff.
Puta que pariu, já to cansado de ver essa novelinha. Deixa as pessoas escolherem o que elas querem usar.

[29] Comentário enviado por nicolo em 24/06/2010 - 12:16h

o autor do artigo precisava definir o que entende por padronização. O Linux só tem um Kernel, todas as distros usam as feramentas do GNU. quase todas usam o Xorg,
a variação entre as grandes distros é de gnome para KDE e de KDE para gnome, as outras interfaces são minoritárias.
O gerenciador de boot é o GRUB, ou Lilo, e não sai disso.
Se isso não é padronizão eu não sei o que vem as er padronização para a galera.

O que deveria ser padronizado no Linux: O servidor de som. É uma zona nas grandes Distros. Pelo menos as grandes distros deveriam escolher um ou duas e padronizar,
pelo menos como default. Quem lida com MID fica maluco.

Aliás a multimedia é hoje o calcanhar de Aquiles do Linux. Os drivers não acompanham as novidades como antenas digitais para TV.
Não há como não ter variedde no SL, ou não seria SL, mas pelo menos as grandes DISTROS poderiam ajudar a diminuir a bagunça.
O Ubuntu 10.4 uma distro que seria Long Term está bichada no sistema de som com o tal Qt4 novo.

Uma coisa é aceitar a variedade, outra coisa é o delírio de ganhar participação no desktop cmo essa bagunça.

Essa de comparar com o windows é mais non-senso ainda. O windows é muito diferente do Linux, e não é opção; e o problema não é o preço do Windows.
O windows é como um carro de luxo, onde os freios e a direção (itens de segurança) são vendidos a parte e fabricados por terceiros.

[30] Comentário enviado por jorgerabello em 26/06/2010 - 08:40h

SE FOR PRA NÃO TER LIBERDADE DE PENSAR, DECIDIR E AGIR... É MELHOR USAR O RWINDOWS MESMO.....
PRA QUEM GOSTA DE FICAR EM FRENTE AO PC EMPURRANDO O MOUSE PRA LÁ E PRA CÁ É PERFEITO MESMO !


NÓS NÃO NOS CONTENTAMOS E NUNCA VAMOS NOS CONTENTAR COM ISSO, COM ESSA COISA IDIOTA E CHATA DE VER UM SISTEMA FUNCIONAR E NEM SEQUER SABERMOS O QUE SE PASSA POR DE TRAZ DELE.
ALGUÉM JÁ SE PERGUNTOU "O QUE REALMENTE O SISTEMA DO TIO BILL ESTÁ FAZENDO QUANDO POR EXEMPLO VC ESTÁ NAVEGANDO, OUVINDO MÚSICA, TECLANDO NO MSN E DE REPENTE BUM ! ADIVINHEM SÓ .... TELA AZUL.... AH NO 7 ELES INOVARAM ... É TELA PRETA ; )

NINGUÉM AQUI PRECISA DISSO NÓS DECIDIMOS ESCOLHER LINUX POR VÁRIAS RAZÕES E A MAIS FORTE, PELO MENOS PRA EU, É A LIBERDADE DE PODER ESCOLHER E DE REALMENTE SABER O QUE ACONTECE E DO QUE MEU S.O. É FEITO !

AH SEM CONTAR QUE O SISTEMA MAIS BUGADO E INVADIDO DO MUNDO
É O...... _____________.
ACHO QUE TODOS JÁ SABEMOS A RESPOSTA NÃO É ?!

Experimentem: (No Debian)

apt-get install nmap ou aptitude install nmap

Digite:

nmap -P0 <ip>

coloque em ip um ip de um servidor windows ou de um pc windows de enter e veja o que acontece.

LINUX LINUX LINUX ! 4EVER !


[31] Comentário enviado por viní_linux em 26/06/2010 - 21:34h

Otimo artigo...
e bom para mostrar pra usuário de win
o que e realmente liberdade
e naum ficar preso a um único "padrão ou ideia"
viva a liberdade de escolha
LINUX LINUX LINUX ! 4EVER !

[32] Comentário enviado por ricksouto em 27/06/2010 - 06:15h

Eu sou novo no Linux, essa é a terceira vez que tento migrar e finalmente estou me entendendo com o Ubuntu netbook remix, achei todos os softwares excelentes exceto os mensageiros que na minha opinião tem bug demais.

Acho que uma das primeiras coisas que um novo usuário não gosta do Linux é por causa do msn, minha mulher detesta o amsn, tentei instalar o msn live pelo Wine, porém sem sucesso, estou tentando resolver os problemas com os nativos mesmo, vamos ver no que dá.

Agora esse negócio de ficar comparando Windows com Linux, pontos fracos e fortes, na minha opinião é a maior perda de tempo, pois, por mais que o Windows seja ruim, tenha vírus (eu nunca tive problemas com isso), etc, eu ainda uso ele, principalmente para jogos, pois na minha opinião o Linux só estará completo para uso em desktop quando jogos comerciais começarem a rodar nativamente nele, pois, os que já rodam, estão perfeitos.

Sobre o Windows ter problema com vírus e outros, é claro que ele vai ter mais problema, é o mais usado, se o Linux fosse usado a nível de quantidade igual o Windows, ele teria mais vírus e spywares. É claro que a solução não demoraria como demora no Windows, eis uma vantagem que o Linux sempre terá a frente.

Concluindo, eu passo 80% do meu tempo em frente a um computador no Linux, estou muito satisfeito, como disse antes, só os mensageiros que deixam a desejar (na minha opinião de iniciante), mas o resto nota 1000. Espero eu aprender cada vez mais, pois estrei numa faculdade de TI e futuramente pretendo investir em Linux.

[33] Comentário enviado por JoseRenan em 28/06/2010 - 11:36h

a falta de padronização no linux tem mais a ver com " um programa que instalo no ubuntu não instala no kubuntu e no opensuse" e isso ocorre por causa da interface gráfica ou as diferenças estruturais da distro. Isso até me deixa encabulado às vezes. Mas o importante é que há um monte de distribuições e só basta vc escolher a certa.

[34] Comentário enviado por upc0d3 em 29/06/2010 - 12:57h

Meus sinceros parabéns =)
Conseguiu falar bastante e não dizer nada.

[35] Comentário enviado por maickelpc em 29/06/2010 - 14:26h

Meu amigo... sou usuario de debian, mantenho varios servidores. tenho um bom conhecimento em SL. porem nao posso concordar contudo que voce diz.
existem sim 2 mundos, e por quê não utilizar o melhor deles? porque vou obrigar meu filho utilizar linux (que nao roda os jogos dele) ou fazer minha esposa usar linux, se ela so abre o firefox e o word? porque eu teria q entender de motor de carro? acho que linux em desktop ainda é uma distante realidade. conheco amigos de faculdade que usam linux, para emular windows, nem todo mundo dispoe de tempo para se dedicar.

[36] Comentário enviado por leandro-embu em 07/09/2010 - 22:15h

Eu li eu post, e logo depois fui ler o "post alvo" da resposta, e acho que você não soube interpretar o colega que escreveu o post (muito bem escrito, por sinal), concordo muito mais com o que ele disse do que com o que você disse. As coisas que você disse são perfeitamente aplicáveis a pessoas como eu, que entendo de TI, de programação e não desisto do linux só por ter que esbarrar no terminal de vez em quando. Mas usuários comuns encontram dificuldades sim.

Eu uso Ubuntu, comecei a usar há 3 anos, e até hoje ele não abre DVDs de vídeo assim que você coloca no drive, tem que baixar o codec sugerido pelo Reprodutor de Filmes, mas isso é o de menos, dificuldades bobas pra quem entende de computadores são barreiras tremendas para quem não entende nada.

Junte a isso o fato dos PCs populares de hoje virem com distros "lixo", como Satux, Librix e outras que nem sei o nome. Essas coisas afastam o usuário do linux, duvido que alguém trocaria o linux logo de cara se ao invés de colocar o lixo do Satux a CCE colocasse Ubuntu, Mandriva ou Fedora no PC novo, o usuário pelo menos gostaria de conhecer o sistema. Mas uma vez afastado, o usuário quer o windows de volta e pronto, fica com medo de linux.

O fato de você, eu e a maioria por aqui amar linux não é suficiente para me fazer concordar que um usuário leigo não fique totalmente perdido na hora de escolher uma distribuição, aqui em casa eu tento fazer um trabalho de evangelização com o pessoal, meu filho usa linux porque ninguém disse a ele que é difícil, minha mãe usa Windows 7, mas usa o meu Linux sem problemas, mas meus vizinhos (que não tem alguém em casa que entenda de linux) vivem me trazendo PCs novos com linux e me pedem pra formatar e colocar o windows.

[37] Comentário enviado por roney33 em 09/02/2011 - 04:04h

precisamos de um pouco de padronização sim pois liberdade é uma coisa, e anarquia é outra; precisamos de padronização para instalação de pacoites de porgramas, e para a organização das pastas; poderíamos com isso resolver muito mais facilmente alguns antigos problemas, como a falta de recursos para alguns programas, e a falta de drivers para algumas placas; as empresas, precisam de alguma coisa que funcione não apenas nos servidores, mas tbm nos escritóriose outros setores, pois eles precisam poupar tempo e dinheiro; mas para manter a liberdade dos mais xiitas, manter a lberdade dele de contruir sua propria distro com o lfs, e compilar os pacotes a maneira que ele desejar; pois somente com a ajuda desses, poderemos evoluir para um sistema mais adequado e funcional


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts