Utilizando o X-Deep32 para rodar programas Linux em máquina Windows

Uma das vantagens do X Window System (sistema de janelas X. Exemplos: XFree86, X.org e outros) é ser bastante flexível e adaptável. Neste tutorial iremos usá-lo para a aplicação a qual ele foi desenhado originalmente para fazer: rodar aplicações gráficas remotamente. Para isto, usaremos o X Window rodando aplicações Linux no Windows.

[ Hits: 64.837 ]

Por: Renan Birck Pinheiro em 15/06/2005 | Blog: http://renanbirck.blogspot.com


Vantagens e desvantagens



Principais aplicações e vantagens:
  • Servidor rápido, terminais antigos (eles podem ser Pentium de 500MHz e rodar Windows 98). O terminal apenas faz a exibição, ele não processa informações. Um servidor Pentium 4 pode dar conta de uns 10 terminais.
  • Rodar aplicações Linux no desktop Windows, pela rede.
  • Alternativa grátis ao Terminal Services do Windows.
  • Rodar aplicações em uma rede local ou até mesmo pela Internet, dada uma conexão de mais de 512Kbps entre os 2 pontos.
  • O X é bastante eficiente, pois ele baixa um objeto e pode, tecnicamente, "reciclá-lo", embora isso não seja feito por muitas aplicações.

Os problemas são:
  • Recursos do teclado, como acentuação, nem sempre funcionam.
  • Um pouco lento, o que dificulta o uso de aplicações como editores de imagens ou browsers, e impossibilita o uso de aplicações pesadas. O uso de um gerenciador de janelas leve, como o Blackbox, IceWM ou WindowMaker, alivia o problema.
  • Alguns programas não funcionam corretamente, ficam estranhos.
  • Algumas fontes são exibidas incorretamente, anti-aliasing não funciona muito bem.
  • Cliente e servidor não podem trocar arquivos, embora isso possa ser resolvido por meios externos (compartilhamentos ou FTP).

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Entendendo a terminologia do X Windows
   3. Vantagens e desvantagens
   4. O que é necessário?
   5. Instalação do X-Deep32 e PuTTY
   6. Executando e configurando o X-Deep32
   7. Façamos o teste final
   8. Considerações finais e bibliografia
Outros artigos deste autor

MySQL + Amarok: dupla poderosa

SIMH: Recriando um pouco da história

BC: A sua calculadora programável no Linux

A tecla mágica SysRQ

Leitura recomendada

Instalando programas no Linux - Completo e total

O que fazer com o BASIC LINUX

Com software livre você tem e você pode!

Instalando OpenBSD no vmware

Instalando o XGL no Kurumin 6.0 e 6.1

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 01/10/2005 - 23:58h

AAAAAAAAAAARRRGGGHHHHHHH....................
10!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Contribuir com comentário