Usando o start-stop-daemon no Slackware

Nesse artigo veremos como utilizar o start-stop-daemon, um utilitário do Debian para controle de processos, no Slackware, permitindo que utilizemos os scripts de inicialização de serviços para Debian no Slackware.

[ Hits: 31.943 ]

Por: Davidson Rodrigues Paulo em 10/04/2006 | Blog: http://davidsonpaulo.com/


Baixado e instalando



Obtendo o código-fonte


O start-stop-daemon faz parte do pacote dpkg do Debian. Você pode visualizar os detalhes desse pacote na seção de pacotes do Debian[1]. Faça o download da última versão do dpkg na sua página correspondente no Debian[2]. Para esse texto, consideraremos a versão 1.10.28, que você pode baixar diretamente no link a seguir:

Compilando


Após fazer o download do arquivo, é hora de compilar o start-stop-daemon. Siga os procedimentos (considerando que o nome do arquivo é dpkg_1.10.28.tar.gz):

$ tar zxf dpkg_1.10.28.tar.gz
$ cd dpkg-1.10.28/
$ ./configure --prefix=/usr \
              --sysconfdir=/etc \
              --localstatedir=/var \
              --with-start-stop-daemon \
              --with-gnu-ld \
              --with-zlib \
              --with-bz2lib
$ make


Espere a compilação. Pode ser que o processo não seja concluído por falta de algumas bibliotecas do Debian. Caso isso aconteça, apenas verifique se foi criado o executável start-stop-daemon com o seguinte comando:

$ test -x utils/start-stop-daemon && echo Beleza
Beleza

Se aparecer escrito "Beleza" no seu prompt, continue com a instalação:

Instalando e testando


$ cd utils/
$ su
password:
# cp start-stop-daemon /sbin

Pronto. Para fazer o teste do funcionamento, baixe um script de inicialização do Debian e tente executá-lo. Eu utilizei o script de inicialização do Squid. Apenas baixe o pacote Debian correspondente[3], abra-o com um utilitário de manipulação de pacotes compactados, como o Ark ou o File Roller, abra o arquivo data.tar.gz dentro do pacote, navegue pelo diretório etc/init.d/ e extraia o arquivo de inicialização para algum local. No meu caso, extrai para o diretório ~/tmp/, e fiz o teste do script, pedindo para o Squid ser reiniciado:

$ cd ~/tmp
$ su
password:
# ./squid restart
# ./squid stop
# ./squid start


Caso tudo funcione, basta copiar o script de inicialização para o /etc/rc.d/, modificando o nome do arquivo para o padrão do Slackware, que é "rc.[processo]":

# cp squid /etc/rc.d/rc.squid

Links


Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. start-stop o quê?
   2. Baixado e instalando
   3. Concluindo
Outros artigos deste autor

Atualize rapidamente os PC's da sua LAN com Debian

Fundamentos do sistema Linux - arquivos e diretórios

Viva o Linux Training: seja um moderador do VOL

Slackware no notebook Toshiba Satellite M55-S3262

Vyatta, o concorrente livre dos roteadores Cisco

Leitura recomendada

GLPI - Implantação de Central de Serviços

Monitorando processos no Linux com o Htop

SIGE Plus, uma derivação do código do Siages descontinuado pela Solis

Leitura e escrita em NTFS usando o ntfs-3g

Usando as muitas funcionalidades do Aterm

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 10/04/2006 - 19:10h

Arrrrrggghhhhhhhhhhhhhhhhhhhh....
Uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu....
Blaaaaaaaaaaaaaarrrrrrrrrrrrrgh.....
(estou contorcendo-me de admiração)

NOta 10!!!!!!!!!

;-P

[2] Comentário enviado por internero em 10/04/2006 - 21:56h

clap clap clap clap!!!

Parabéns Bozo!

de extrema utilidade esse artigo! :)

[3] Comentário enviado por gnomo_dead em 11/04/2006 - 08:39h

Parabens pelo artigo, muito bem estruturado simples e direto ;)
Mas particularmente nao gosto de misturar as coisas hehe, se eu quisesse coisas do debian eu usuaria o debian, mas jah q uso slack, faço tudo a moda slack mesmo =)

[4] Comentário enviado por fernandoamador em 12/04/2006 - 18:26h

Parabéns pelo artigo...

[5] Comentário enviado por davidsonpaulo em 12/04/2006 - 19:33h

gnomo_dead,

Valeu. Mas devo dizer que discordo de sua opinião. Nós que defendemos o uso do Software Livre devemos lembrar que o principal objetivo da liberdade de software é exatamente que os recursos de um possam ser utilizados em outro livremente.

A principal vantagem de usar Slackware é que, nessa distribuição, nós podemos fazer as coisas exatamente do jeito que queremos, incluindo aí usar scripts de inicialização de outras distros, desde que devidamente adaptados, o que vai economizar trabalho. Lembre-se: ter o sistema sob total controle não significa obrigatoriedade de fazer as coisas do jeito mais difícil.

A propósito, para quem quiser instalar o start-stop-daemon, eu fiz um pacote para Slackware que pode ser baixado em http://www.apareci.com/packageit/i386. Quem quiser testar pode também baixar o pacote para Squid que utiliza o start-stop-daemon no seu rc.squid. Baixe-o em http://www.apareci.com/packageit/i686.

Abraços,

Davidson

[6] Comentário enviado por lucastavarestga em 13/04/2006 - 09:39h

nota 10...

[7] Comentário enviado por slacker_ddsckt em 14/04/2006 - 00:40h

na boa cara, debian fede! fuck debian! viva slackware!

SOU SLACKER, COM MUITO ORGULHO E COM MUITO AMOR!

[8] Comentário enviado por jllitvay em 17/04/2006 - 08:23h

mas peraí... no slack normal se voce executar algo tipo:
/etc/rc.d/rc.nfsd stop (pode ser start ou restart) ele vaz a mesma coisa...

não entendi porque instalar isso?

[9] Comentário enviado por davidsonpaulo em 17/04/2006 - 11:11h

jllitvay,

No Slackware "normal" você pode rodar /etc/rc.d/rc.nfsd stop (por ser start ou restart) porque o script rc.nfsd existe! O rc.squid não existe, e você vai precisar fazer um ou pegar pronto de algum lugar (eu particularmente prefiro pegar pronto). Você só vai precisar do start-stop-daemon se quiser pegar o script (para o Squid, por exemplo) do Debian e rodar no Slackware. Se o seu Slackware já tem um script para o rc.samba, por exemplo, e está funcionando perfeitamente, pra que você vai pegar scripts de outras distros? Essa dica só vale para aqueles serviços que NÃO possuem script rc.* correspondente no Slackware.

Vale lembrar que nem todos os scripts do Debian usam o start-stop-daemon, de modo que vários deles podem ser utilizados no Slackware sem precisar instalar esse utilitário.

A dica também vale para outras distros. Nada impede que usem um script de inicialização do Fedora, por exemplo, mas daí eu já não sei que dependências haveriam para o correto funcionamento dos scripts.

Abraços


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts